Revisões Yamaha Tracer 900 GT

[Imagem: 4815b333b6777f96f384b3a1b8cdba42.jpg]


Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder

Companheiros:

Uma Honda de 1995 ou 1996 não é a mesma de 2009 ou 2012.

Qualquer pessoa percebe que a pintura dessa CB750 que o DManteigas inseriu não tem nada a ver com a pintura de uma NC700 (cf. foto).

Também fiz a ressalva da CrossTourer. Provavelmente a VFR1200 também se enquadrava no nicho de modelos que mantinham o fabrico.

Não é de agora nem vou continuar a insistir. É sabido. Quando há pessoas a queixarem-se de que a tinta das rodas sai quando limpam com um pano, algo está errado.




[Imagem: attachment.php?attachmentid=2900&d=1361991779]
Responder

Por isso é que não lavo a minha, mais uma camada de proteção!
proud
Responder

O que o pareias faz para desviar a conversa para o verniz, fodasse.
Responder

Esse link da CBR, nem teve respostas, nem mais desenvolvimentos por parte do gajo.... aquilo será mesmo um fórum?

O problema do motor, a ser verdade, é realmente grave. Mas foi um exemplar ou houve realmente um problema nessa altura?
É que o relato é de 2010 e como não "ouvi" falar de problemas desse tipo nestes últimos anos nesse modelo (muito provavelmente por não ter uma bigsmile ).
Responder

(27-02-2019 às 09:41)vindaloo Escreveu:  
(27-02-2019 às 09:38)michelfpinto Escreveu:  A super duke GT não é uma calça arregaçada... Porque raio a querem colocar nessa categoria? A Super Adventure S essa sim!


Devido à distância entre eixos Michel!

Ahhh pois... Já me esquecia disso! lol

(27-02-2019 às 10:31)dmanteigas Escreveu:  
(27-02-2019 às 09:38)michelfpinto Escreveu:  A super duke GT não é uma calça arregaçada... Porque raio a querem colocar nessa categoria? A Super Adventure S essa sim!

São as próprias marcas que o fazem, ao considerarem no segmento "Sport Tourer" motas tão distintas como a Tracer e a FJR.

Evidentemente que a SDGT está na mesma categoria da MT-10 Tourer Edition ou da Z1000SX.

Certo mas as calça arregaçadas é um conceito aqui do fórum no qual se incluem todas as "trail asfalticas". A Super Duke GT não é uma, e a KTM tem uma até, por isso usem o exemplo correcto.

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder

(27-02-2019 às 18:49)Macavenco Escreveu:  Esse link da CBR, nem teve respostas, nem mais desenvolvimentos por parte do gajo.... aquilo será mesmo um fórum?

O problema do motor, a ser verdade, é realmente grave. Mas foi um exemplar ou houve realmente um problema nessa altura?
É que o relato é de 2010 e como não "ouvi" falar de problemas desse tipo nestes últimos anos nesse modelo (muito provavelmente por não ter uma bigsmile ).



Macavenco: o consumo de óleo nas CBR? Foi um problema muito falado. Os concessionários em Portugal viram-se aflitos com essas CBR. O ano de fabrico 2008 foi especialmente afectado.

Pelo que sei, o modelo actual não sofre desse sintoma.

Mas isso é um exemplo e um modelo. Na nova CB1000R em testes de média e longa duração, têm existido niggles. No stand tem bom aspecto, mas rapidamente fica degradado. O escape, tal como aconteceu nas minhas Honda, fica oxidado em dias de utilização:

Cf. a partir do minuto 6:22. Ouçam com atenção. Não é o único, há mais a fazerem as mesmas observações.
Responder

(27-02-2019 às 18:49)Macavenco Escreveu:  Esse link da CBR, nem teve respostas, nem mais desenvolvimentos por parte do gajo.... aquilo será mesmo um fórum?

O problema do motor, a ser verdade, é realmente grave. Mas foi um exemplar ou houve realmente um problema nessa altura?
É que o relato é de 2010 e como não "ouvi" falar de problemas desse tipo nestes últimos anos nesse modelo (muito provavelmente por não ter uma bigsmile ).

Nem de prepósito

Responder

(26-02-2019 às 16:00)vindaloo Escreveu:  Entendo o teu cepticismo, pelos vistos já te aconteceu no passado.

Agora, isso não implica que não saiba o que te estou a dizer.

Mais (e novamente sem ironia ou ataques pessoais), eu aposto que tens alguma dificuldade em inserir a tua mota na curva e carregar velocidade pela curva dentro por falta de confiança na mota. Quanto mais rápida a curva, mais se evidencia.

Acontece à maioria dos proprietários Tracer. Que depois na estrada acabam a camuflar o facto de 'não ficarem muito para trás' pois dão muita força na saída da curva e a mota como é leve e é fácil levar a mota para a frente mesmo que a mudança engrenada não seja a mais certa, acabam a compensar esse facto.

Acabam a gastar mais combustível, com uma condução muito bruta, que acaba a deixar cansaço e no final do dia... onde ficou o apregoado conforto? E também não é a maneira mais bonita de se conduzir e ver conduzir.

Toda a gente que vejo em Tracer's (excepto o Velasquez) conduz assim, e não é por acaso.

Se eu estiver enganado, corrije-me.   

Em relação à GT, a MCN escreve o seguinte:

"The upgraded KYB suspension supports the bike better, removing the majority of the soggy sensation you get on the stock model with enough adjustment left to fine-tune any remaining wobble out. You notice the difference the most through low speed bends where the standard bike’s forks dive under brakes before bouncing back up when you release the stoppers, causing the rear to squat and the bike to run wide, a sensation that is far less evident on the GT. The new seat is lovely and comfortable and the updated riding position relaxed, but the stock screen is still crap…"

https://www.motorcyclenews.com/bike-revi...cer-900gt/

Portanto os vossos palpites... com 280 kg + condutor a VFR1200 não alarga a trajectória? Todas as traineiras high-cost têm tendência para fazer isso ...
Responder

Para alargar a trajetória é preciso entrar a uma boa velocidade em curva. Quem anda com ela devagarinho não alarga trajetória nenhuma lol

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)