Revisões Yamaha Tracer 900 GT

(27-02-2019 às 15:43)carlos-kb Escreveu:  Clemente, pá... já postaste isso 3 vezes. Depois queixa-te que os "big boss" daqui te apagam ou te movem posts... e amuas!

[Imagem: alzheimer.jpg?raw=1]
Responder

Amigos: a qualidade Honda é, em grande medida, um mito. Mecanicamente, talvez, mas em modelos de gama baixa e média, tudo o que seja acessórios, pintura, plásticos, etc. é muito fraco.

Há uma degradação rápida do aspecto dos revestimentos, alguns saem com um pano de microfibra. https://www.fireblades.org/forums/honda-...paint.html

Podemos continuar a disfarçar, a dizer que é um caso pontual, mas não é verdade. É crónico e os fóruns dos modelos Honda estão carregados de cenas de horror.

Só recentemente começaram a melhorar, mas continuo a ver ferrugem por exemplo nas Forza 125 com meses(!) de uso.
Todos os dias passo por uma, logo que possa insiro fotos.

A tinta em muitas peças da CBF começou a desaparecer meses depois de a ter comprado nova.

Nesse particular, a Yamaha e as Suzuki novas mantêm melhor o aspecto. Sobre a Kawasaki, já vi também cenas de horror nas Versys 650 quase novas, mas mantenho a dúvida.

Aqui há 6 anos houve um concessionário Honda (não é o que estão a pensar) que me aconselhou a comprar a CrossTourer. Disse-me basicamente que ainda era a qualidade "antiga" da Honda. Deu a entender que exceptuando a (na altura nova) CBR1000RR e essa, o material não valia muito.

Podem pensar que estou a mentir, mas é a mais pura das verdades.
Responder

Falou a autoridade! devil

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder

(27-02-2019 às 16:19)LoneRider Escreveu:  Falou a autoridade! devil

Olha tu também podias dar o teu testemunho, ou ficas-te pelas bocas?

Tens fotos da Viffer que possas inserir?
Responder

Sim pá, até andam por aí!

Mas pá, depois ficas com uma dor de cotovelo do Katano...

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder

PAreias: ando com uma CB250 de 1996 todos os dias úteis. Verdade que não são viagens muito grandes (10+10km), mas ainda assim, é sovada todos os dias. Problemas?! Nenhuns. Ferrugem?! Claro que tem, afinal é uma mota que dorme ao relento e esteve uns 10 anos parada debaixo de um telheiro... Mas nada de anormal, tendo em conta o que já passou. Pintura é a de origem, assim como os plásticos.
Responder

(27-02-2019 às 16:51)cconst Escreveu:  PAreias: ando com uma CB250 de 1996 todos os dias úteis. Verdade que não são viagens muito grandes (10+10km), mas ainda assim, é sovada todos os dias. Problemas?! Nenhuns. Ferrugem?! Claro que tem, afinal é uma mota que dorme ao relento e esteve uns 10 anos parada debaixo de um telheiro... Mas nada de anormal, tendo em conta o que já passou. Pintura é a de origem, assim como os plásticos.

Penso que se está a referir aos modelos novos.

Ex Suzuki GS500
Ex Yamaha YZF600R - Thundercat
Ex Yamaha R1
Suzuki GSX-R 750
Responder

(27-02-2019 às 16:06)pareias Escreveu:  Amigos: a qualidade Honda é, em grande medida, um mito. Mecanicamente, talvez, mas em modelos de gama baixa e média, tudo o que seja acessórios, pintura, plásticos, etc. é muito fraco.

Há uma degradação rápida do aspecto dos revestimentos, alguns saem com um pano de microfibra. https://www.fireblades.org/forums/honda-...paint.html

Podemos continuar a disfarçar, a dizer que é um caso pontual, mas não é verdade. É crónico e os fóruns dos modelos Honda estão carregados de cenas de horror.

Só recentemente começaram a melhorar, mas continuo a ver ferrugem por exemplo nas Forza 125 com meses(!) de uso.
Todos os dias passo por uma, logo que possa insiro fotos.

A tinta em muitas peças da CBF começou a desaparecer meses depois de a ter comprado nova.

Nesse particular, a Yamaha e as Suzuki novas mantêm melhor o aspecto. Sobre a Kawasaki, já vi também cenas de horror nas Versys 650 quase novas, mas mantenho a dúvida.

Aqui há 6 anos houve um concessionário Honda (não é o que estão a pensar) que me aconselhou a comprar a CrossTourer. Disse-me basicamente que ainda era a qualidade "antiga" da Honda. Deu a entender que exceptuando a (na altura nova) CBR1000RR e essa, o material não valia muito.

Podem pensar que estou a mentir, mas é a mais pura das verdades.

Areias... deixa-te de tretas e de generalizações. Não obstante da haver material pior e melhor, o estado de uma mota e a durabilidade da mesma, seja de acabamentos, como de mecânica, depende quase do que fazes dela, com ela e a forma como a cuidas (ou não).

Viste a minha mota no fim de semana passado, certo? Sabes que é uma mota com 8 anos (a caminho de completar 9 anos em Novembro)? Em que eu sou o segundo dono dela!?

Não conheceste a minha moto anterior... contra todas as queixas generalistas da má qualidade dos materiais BMW de que muita gente tem ideia, tens aqui pelo menos uma dezena de pessoas neste fórum, que podem atestar acerca do estado dessa mota, quando a vendi em 2017, com 75 mil kms e a completar 10 anos de idade.

Procura por fotos por aqui, da minha ex-CB500, que foi vendida em 2007, com 123 mil km e 11 naos, a qual parecia ter saído do stand na semana anterior.

E já nem falo de outras que me passaram pelas mãos, como a Two Fifty ou a CBR600F3... ou sejam, grande parte delas, Honda.

Mas lá está... sou um gajo que cuida o material. Não descuro as assistências e as rotinas regulares de manutenção.

O que se diz e tu lês em fóruns vale o que vale. E jamais pode ser tomado como exemplo ou palavra de ordem, pois são casos e situações pessoais, das quais muitas das vezes só se "conta" a parte que interessa.

Há depois marcas de uso que são indissociáveis de uma mota que na realidade ANDE. Mas elas foram feitas para isso... para andar. O resto, se cuidares com regularidade, do material, podes ter a certeza que terás moto para muito tempo, seja de estética, seja de mecânica... seja ela uma qualquer das 4 japonesas ou europeias mais conceituadas.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder

(27-02-2019 às 16:52)xiko_dsg Escreveu:  
(27-02-2019 às 16:51)cconst Escreveu:  PAreias: ando com uma CB250 de 1996 todos os dias úteis. Verdade que não são viagens muito grandes (10+10km), mas ainda assim, é sovada todos os dias. Problemas?! Nenhuns. Ferrugem?! Claro que tem, afinal é uma mota que dorme ao relento e esteve uns 10 anos parada debaixo de um telheiro... Mas nada de anormal, tendo em conta o que já passou. Pintura é a de origem, assim como os plásticos.

Penso que se está a referir aos modelos novos.

Ele generalizou. o link dele é referente a um modelo de 2009 (10 anos). Apenas apresentei uma que dura. E que me parece durar. E sem me dar motivos para comprar outra, porque para os 20km diários que faço chega muito bem (e não tenho de momento sitio nem tempo para fazer mototurismo)
Responder

Eu aqui estou 100% com o Carlos.

Certamente que há componentes com mais qualidade, outros com menos qualidade, mas acho que o que mais influencia a durabilidade é o uso e tratamento que se dá.

A CB750 do meu tio de 94 ou 96, já não me lembro bem, está com um aspeto lastimável. Ele é tão bom a cuidar das coisas como eu, não passa produtos, a mota depois de andar à chuva não a seca com pano de micro-fibras... como tal ferrugem e outras coisas "é mato".

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)