Benelli BN 251 abs / 302 abs

(08-02-2018 às 14:50)OFFICER Escreveu:  E tu viste isso acontecer em que motas, diz-me lá? E em quantas? Sabes que defeitos de fabrico acontecem em todas as marcas? Querem que te diga quantos casos conheço de Yamaha's com problemas? E olha que eu gosto muito de Yamaha, até já tive 3.  lol

Não percebi a questão das provas cientificas, ou que provas queres. Provas em que são mais baratas em tudo? Isso está tudo ao alcance do comum mortal é só querer procurar, tens os preços de tudo na internet quer destas chinocas quer das "boas".

Não me digas que viste uma TRK que é a pior mota que a Benelli alguma vez lançou dar problemas de embraiagem aos 1000km e achas que isso se aplica a todas as centenas que foram vendidas? Além disso, eu também vi, se foi o caso de uma certa TRK, onde até se verificou que era a manete mal afinada que simplesmente até pode ter mão do dono em jogo.

Isso é tudo muito poético e tal mas aponta uma chinesa, só uma, que aguente inteira os mesmos 20 anos de abusos e maus tratos como essa torradeira que agora tens parada aí na garagem e talvez aí alguém comece a finalmente a acreditar nessas tuas "teorias da conspiração"... smile

[Imagem: pXdDB9A.jpg]

nice

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder

(08-02-2018 às 11:37)OFFICER Escreveu:  Aliás, há inclusivamente mecânicos e afins a explicar o porquê de tais problemas acontecerem e até o porquê de estar relacionado com mudas de óleo com intervalos longos (mesmo que seja na marca).

Desde o dia em que levei o meu carro a um mecânico e, sem sequer discutir preços mas apenas o resultado final, ao dizer-lhe que queria resolver de raiz a fuga de óleo que lhe tinha detectado e ele descartou-se do trabalho propondo tapar aquilo com massa e dizendo-me que não valia a pena mexer porque "até andam muitos assim, por aí..." que eu deixei de acreditar no Pai Natal. troll

Mas ainda bem que há quem continue a acreditar nele ou lá iam mais umas quantas grandes superfícies e cadeias de hipermercados à falência troll  devil

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder

Oh Zé, não há motas chinesas por cá há tantos anos, ainda não tens uma amostra suficiente. Daqui por mais uns 10 anos já deves ter resposta a isso  lol
Responder

(08-02-2018 às 16:34)OFFICER Escreveu:  Oh Zé, não há motas chinesas por cá há tantos anos

Não mesmo  think ? Em 1992 já eu tirei a minha licença camarária numa Kwang Yang... actual KYMCO (Kwang Yang Motor COmpany)

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder

Ai sim, muito me contas. Mas se o fizeste numa 125, ela ainda deve andar por ai. Julgo que o zé estava a referir-se a algo comparável com a minha torradeira.
Responder

(08-02-2018 às 16:40)OFFICER Escreveu:  Ai sim, muito me contas. Mas se o fizeste numa 125, ela ainda deve andar por ai.

Licença camarária numa 125???? WTF??? wtf
Sabes o que era a licença camarária e o que permitia conduzir?

Realmente, este pessoal nascido quase no sec. XXI, não sabe mesmo a quantas anda!!! lol

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder

Tens razão, uma 50cc, olha mas se ela ainda andar por ai o Zé já tem a prova que pedia lol já que essa tem mais de 20 anos e já levou com certeza muita porrada como a torradeira já levou.

Mas vendo bem não pode ser, porque essa não usava óleo da mesma forma.
Responder

Eu tenho uma mota com bué km e quase nunca fiz as revisões na quilometragem referenciada.
O óleo, um 15-40 por norma andava sempre 8000km, quando a referência eram 6000km.
O filtro de óleo chegou à fazer, a pala disto 16000 km (as vezes mais), mudei velas 4 ou 5 vezes (não me lembro bem), nunca lhe mudei a embraiagem e, se houve coisa em que fui mais ou menos rigoroso foi no comando da distribuição que caía, mais ou menos a cada 70000km pelas razões óbvias.
Só a fino válvulas as vezes que lhe abri a cabeça para mudar a corrente de distribuição (comando da distribuição).
Nunca lhe pus uma pastilha nova nas válvulas, a compressão está dentro das tolerâncias, o motor tem um consumo residual de óleo, nunca lhe mudei a embraiagem e tem agora mais de 149800km.

Tenho, como é sabido, outras motas, com intervalos de 12000km, que a meu ver, requerem mais cuidados noutros aspectos, pois 12000km no meio do monte é muito km sem limpar o filtro de ar ou verificar as folgas no sistema progressivo da suspensa traseira. Tudo isto, claro, fruto do uso que lhe dou.
A Dorothy por exemplo, dou-lhe mais atenção ao filtro de ar, que o sopro com ar comprimido a cada 4000/5000km por niquice minha, porque entendo que um filtro de ar obstruido aumenta significativamente o consumo.
Mudar o óleo!?
Mudo a cada 12000 o 5w40 que a marca recomenda com API SJ (se não me engano).

Por norma geral não vejo necessidade de intervenções preventivas, e quanto mais recente for a mota menos ainda.
A meu ver, as intervenções preventivas, devem centrar-se no corpo da mota, cuidados com suspensões, sistema eléctrico (instalação), casquilhos, rolamentos, carenagens, etc etc. Aquí sim!
Quanto mais velha for a mota maior a necessidade de prevenir os problemas próprios da Idade.
A Maria hiberna pela primeira vez precisamente por querer poupa-la do sal do Inverno que tem os efeitos corrosivos que se sabe.

Para tudo isto convém ter critério, conhecer muito bem as suas motas, estudar sobre elas, mas sobretudo, andar nelas para melhor as conhecer.

Se me querer ser superior sobre ninguém, a tudo isso junto o facto de ser eu que faço a maior parte das operações nas minhas motas, o que me permite conhecê-las como ninguém, saber o que se deve fazer na próxima visita ao mecânico e, acima de tudo, sei sempre como é o seu estado de saúde.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder

E pronto, chegou o gajo que referi anteriormente e que realmente tem algo a dizer no que toca a ter quilometragem elevada.
Responder

(08-02-2018 às 17:05)OFFICER Escreveu:  E pronto, chegou o gajo que referi anteriormente e que realmente tem algo a dizer no que toca a ter quilometragem elevada.

Não sei o que são para ti parâmetros de "quilometragem elevada" em motos... nem sequer estou a meter em causa a experiência de cada qual (excepto a tua, porque tu não andas mesmo, apesar de falares, mas dos outros devil)...

Mas da parte que me toca:

Já não contando nas 50cc (que já nem me recordo)... mas com as motos....

A CB Two Fifty veio para  minha mão semi-nova, com 8 mil km (e ainda na garantia dos 2 anos da marca)... foi vendida com 56 mil.
A CB 500 veio para  minha mão com 11 mil Km (também ainda na garantia da marca + 1 ano de garantia do stand)... foi vendida com 123 mil.
A CBR600F veio do meu irmão para a minha mão com 35 mil Km... foi despachada com muito perto dos 55 mil.
A F800ST comprei-a com 20 mil Km... vendi-a às portas dos 75 mil.
A VFR1200F comprei-a com 44 mil Km, em Setembro passado... já vai com quase 48.500 km.

Ora isto dá-me uma módica quantia de cerca de 240 mil Km em duas rodas, só em motos minhas...

Depois, a somar, durante dois anos e meio trabalhei num concessionário Honda, em que passava o tempo quase como "faz tudo", incluindo ir buscar, levar motos, tratar dos mais variados assuntos, representar a marca, etc.. não sei quantos Km fiz neste tempo com motos que não eram minhas, mas também não foram tão poucos como isso.

Não sei assim se isso entra nos teus parâmetros de quilometragem elevada. proud

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)