Lubrificantes e lubrificação
#21

(27-10-2015 às 21:27)tkm_[pt] Escreveu:  
(27-10-2015 às 16:08)ClaXav Escreveu:  Em relação a situações extremas dos track days, nada do que eu coloquei aqui se aplicará e aí será necessário cá vir o tal utilizador UNICO elucidar o pessoal.

Antes de mais, também tenho que os meus conhecimentos de óleo é basicamente seguir o que manda o manual e pouco mais.

Em termos de trackdays, pelo que andei a investigar, recomenda-se uma mudança de óleo logo após o trackday. A razão é que o andamento é muito mais alto que o normal no dia-a-dia e isto faz com que o óleo se degrade mais rápido, além de aumentar a quantidade de partículas de metal devido ao uso.

E se forem mesmo prós e quererem tirar o melhor partido da mota, convém também fazer uma mudança antes do trackday para assegurar as melhores performances durante o mesmo. Claro que a mudança depois ainda se mantém.

Olá pessoal...

Penso que deveria ser isolada a secção dos Lubrificantes, por óbvias razões e para todos não andarem à pesca dos temas...

Esclareço que me irritei e a sério no Motonline antigo sim... Um artista de circo (um palhaço ou palhaça) da Galp, ligado ao Marketing de Lubrificantes (algures pelos idos anos de 2001 ou 2002), pega nas 16 respostas em 20 que me fez (sem eu desconfiar que estava a ser ludibriado) e a que eu acedi a responder porque gosto disto e porque pensei que fosse interessante para o pessoal... E coloca aquilo tudo (nem mudou uma vírgula) no site institucional da Galp sem sequer me pedir consentimento! Pior ainda, assumindo a autoria da publicação!

Mas são águas passadas... Eu devo ser dos poucos - que eu saiba serei mesmo único - a dominar quase todas as envolventes no Motociclismo... Desde Lubrificantes, motores, culturas e subculturas, competição, éticas e valores ou ausência delas, filosofias e "mal entendidos" e ideologias, sim, porque até aqui no Motociclismo existem dessas patranhas Liberais...

Não sei bem se querem que seja eu a criar o tópico... O Nelson que diga alguma coisa...

Já passei uma vista de olhos ao que têm escrito e caramba... Acho que vou ter de repetir parte do que escrevi anos atrás... O pessoal não aprendeu assim muito nos detalhes...


Abraço e respeito.

RIDE FAST, LIVE FAST!
Responder
#22

(27-10-2015 às 15:24)nelsonajm Escreveu:  Alguém tem umas noções bem aprofundadas desta coisa dos óleos de motor... sintéctico vs mineral, especificações API ACEA JASO.... e sei lá mais o què... era bom termos aqui um tópico que falasse destas coisas... não sei se se lembram do user UNICO do outro forum, mas ele percebia disso a rodos... e inclusivamente escrevia sobre isso por lá. alguém o conhece pessoalmente e que meta uma cunha para vir aqui escrever...

é que é um tema de extrema importância e demasiado "tendencioso" é quase como falar do Benfica...

Olá Nelson...

Não seria melhor dar estas respostas num tópico específico?... Já vi para aí carradas de coisas menos correctas ou incompletas...
Eu tenho cá 2 tópicos já criados mas não os consigo localizar... Dás-me ajuda sff?... Se não é nenhum sobre Lubrificantes (não chames a isso de "Óleos"!) posso criar ou crias tu?...

Abraço!

RIDE FAST, LIVE FAST!
Responder
#23

(19-11-2014 às 03:08)kfeast Escreveu:  Já que és mais entendido em lubrificantes, tu por acaso não consegues arranjar "Valvoline" ? Refiro-me a um óleo 100% sintético para motores 2 tempos (mistura). Esse óleo é muito bom, aqui na Ilha apenas tem a vender numa oficina e o preço são 20€ /L.   Já procurei na internet e não encontro esse óleo em lado nenhum.

Olá meu caro... Deixei isto às moscas porque não obtive respostas nem interesse que eu reparasse... Mas agora reparei por via indirecta que isto mexeu alguma coisa...

Até já criaram outro tópico sobre o assunto o que é chato... Afinal este já existia... Sugiro que se bloqueie o outro sobre "Óleos de Motor" e eu respondo aqui ao questionado por lá...

Sobre o que perguntas, percebi... Mas não deverias equacionar a pergunta pela marca Valvoline... Muitos desconhecem mas o que importa mesmo é que cumpra as especificações de performance e cada veículo pode de facto ter as suas próprios, por exemplo em competição ou com requisitos pessoais, mas é preciso conhecer as variáveis...

A Galp tinha um MUST na matéria dos 100% sintéticos 2T que mesmo "evoluído" (ou desevoluído, pois eventualmente "melhorado" a partir de uma gama inferior, como sucedeu ao Moto Action M2T em 2000-2001) - já há uma gama de produtos a seguir àquela a que eu forneci o caderno de encargos ao Marketing e Desenvolvimento - continuará a ser excelente, o S2T... Terei é de investigar se mantém o mesmo nome ou designação...

Vamos começar pelo princípio, ok?... Que moto é a tua e que uso fazes dela ou para que desejas um topo de gama?... Depois digo mais alguma coisa...

RIDE FAST, LIVE FAST!
Responder
#24

(14-12-2014 às 18:03)Basike Escreveu:  
(14-12-2014 às 15:38)OFFICER Escreveu:  Eu uso o Motorex Chain Spray, cria uma massa branca, este é bom para off-road pelo que para estrada será ainda melhor. É 100% sintético e cria esta massa branca que dura muito mais e é possivel ver onde está e quando está em falta.

Exacto , esse que uso da Silkolene faz igual , cria essa pasta branca

Meus caros,

Essa coisa é de facto interessante e cumpre com a lubrificação de corrente de forma eficiente... Tem é um problema chato... É um produto cerâmico e não derivado petrolífero (mineral ou sintético), logo não pode ser miscível com produtos lubrificantes de origem mineral ou sintética!! É perigoso, pode colocar em risco o piloto!

Ou seja, se andarem sempre com a "lata" cerâmica atrás, fixe... Se tiverem a pachorra de lavar a corrente (com lubrificante, não com petróleo ou outro combustível!) se aquilo acabar e antes de misturar com outro produto diferente, tudo bem... Senão, é melhor estarem quietos e usar um bom mineral... A malta não sabe mas para esta utilização a Galp tinha um dos melhores produtos do mercado (apesar de a viscosidade poder ser ligeiramente melhorável), era o Galp Correntes (avulso) ou o Galp Chain... Se apanharem disso estejam descansados... Em 2000, 2001 e 2002, foi o usado nas motos de competição do Zé Leite e da equipa Suzuki Galp, que paparam TUDO o que havia para papar, Resistência inclusivé...

Se quiserem que justifique a afirmação é na boa...

RIDE FAST, LIVE FAST!
Responder
#25

(15-12-2014 às 11:18)7pires Escreveu:  vou mostrar a minha primeira discordia em dizer que é bom o chain, daquele com material que não pinga, os melhores são a base de compostos que pingam, para a mesma ficar viscosa e não seca sem pingar

Olá meu caro, então ainda andas por aqui?...

Pois tens razão mas em parte... Na parte dos produtos de origem petrolífera... Porque os cerâmicos de facto "funcionam" bem... O "pingo" no caso cerâmico pode não estar lá mas aquilo agarra-se de tal forma que mantém a lubrificação... Mas nem por isso aumenta o período de utilização (por norma "redonda", a cada depósito completo ou cerca de 200Km percorridos, depende da chuva)... E se chover cuidado, que os minerais (ou de origem petrolífera) aguentam-se até melhor... Mas ambos tendem a "desaparecer" com água intensa e convém ir atestando...  

O problema dos que "pingam" é estético... Sujar a jante traseira... E é de performance, pois os de origem petrolífera, se não "pingam" (super adesividade) atraem toda a porcaria, lamas e sujidade... O resultado é encurtar - e bem! - a vida útil de uma corrente...

A questão é outra... É que os "cerâmicos" são CAROS como o caraças!... A meu ver, não justifica... Tal como não adianta pevide procurar "sintéticos" de origem petrolífera para esta utilização! É TUDO marketing inteligente!

De facto, tenta-se "vender" (eu diria impingir!) produtos mais caros, para uma utilização absolutamente funcional com um bom mineral! E os melhores minerais para correntes a procurar são os origem industrial, por mais incrível que pareça...

Gastar dinheiro a mais em "sintéticos" para corrente, é alimentar uma indústria viciada e "especuladores" ligados à gestão de produto, peritos em Marketing...

Isto é exactamente o inverso do que sucede nos hidráulicos!... Onde há (ou havia) empresas fabricantes que ainda tentam impingir (é o termo) "minerais" de origem petrolífera para esta função...

RIDE FAST, LIVE FAST!
Responder
#26

(15-12-2014 às 11:45)carlos-kb Escreveu:  Lubrificar corrente? O que é isso? Para que serve? lol devil

Agora a sério... quando tinha motos de corrente, usava um da Wurth, que se transformava em "mousse" mal era aplicado, e durava bastante. Mas tinha o grande inconveniente, igual a todos os lubrificantes mais sólidos / pastosos, que era agarrar toda a porcaria, o que de tempos a tempos me levava a ter de lavar muito bem a corrente com um bom dissolvente (petróleo, por exemplo), para arrancar toda a merdonga.

Meu caro, o problema citado e bem citado do excesso de adesividade atrair toda a porcaria e lamas possível e imaginária (!!) não é só "funcional" na lubrificação da corrente... O facto de esta circular "suja" e cheia de poeiras e lamas, é que encurta drásticamente a vida útil da corrente!... Efectivamente, quando virem elos gripados, a corrente está nos patos... E o que gripa elos??? Uma das principais razões (tirando a má qualidade dos o-rings e a falta de lubrificação ou lubrificação incorrecta) é a porcaria entranhada nos retentores da corrente (o-rings)...

E cuidado! NUNCA usar produtos combustíveis para limpar correntes!! Dão cabo dos o-rings!! Então gasóleo e petróleo "comem" e dissolvem as borrachas... Usar sim produtos lubrificantes "finos" com propriedades detergentes elevadas (a verificar). Por exemplo um lubrificante mineral 10W é sempre preferível...

RIDE FAST, LIVE FAST!
Responder
#27

(28-10-2015 às 00:37)Unico Escreveu:  
(15-12-2014 às 11:18)7pires Escreveu:  vou mostrar a minha primeira discordia em dizer que é bom o chain, daquele com material que não pinga, os melhores são a base de compostos que pingam, para a mesma ficar viscosa e não seca sem pingar

Olá meu caro, então ainda andas por aqui?...

Pois tens razão mas em parte... Na parte dos produtos de origem petrolífera... Porque os cerâmicos de facto "funcionam" bem... O "pingo" no caso cerâmico pode não estar lá mas aquilo agarra-se de tal forma que mantém a lubrificação... Mas nem por isso aumenta o período de utilização (por norma "redonda", a cada depósito completo ou cerca de 200Km percorridos, depende da chuva)... E se chover cuidado, que os minerais (ou de origem petrolífera) aguentam-se até melhor... Mas ambos tendem a "desaparecer" com água intensa e convém ir atestando...  

O problema dos que "pingam" é estético... Sujar a jante traseira... E é de performance, pois os de origem petrolífera, se não "pingam" (super adesividade) atraem toda a porcaria, lamas e sujidade... O resultado é encurtar - e bem! - a vida útil de uma corrente...

A questão é outra... É que os "cerâmicos" são CAROS como o caraças!... A meu ver, não justifica... Tal como não adianta pevide procurar "sintéticos" de origem petrolífera para esta utilização! É TUDO marketing inteligente!

De facto, tenta-se "vender" (eu diria impingir!) produtos mais caros, para uma utilização absolutamente funcional com um bom mineral! E os melhores minerais para correntes a procurar são os origem industrial, por mais incrível que pareça...

Gastar dinheiro a mais em "sintéticos" para corrente, é alimentar uma indústria viciada e "especuladores" ligados à gestão de produto, peritos em Marketing...

Isto é exactamente o inverso do que sucede nos hidráulicos!... Onde há (ou havia) empresas fabricantes que ainda tentam impingir (é o termo) "minerais" de origem petrolífera para esta função...
Ora muito boa noite.

Gostaria antes demais de lhe agradecer o facto de se disponibilizar para responder às nossas questões ou melhor nos esclarecer à cerca de lubrificantes, uma componente muito importante dos motores (e não só) das nossas queridas motas.

Que fique esclarecido que eu não percebo nada disto, já li muitos artigos (por necessidade pois tive um problema sério com uma mota anterior), no entanto cada vez que procurava informação e achava que a tinha encontrado, ficava mais confuso.

Cheguei à conclusão que tudo isto da lubrificação é uma matéria simples e que nos é que a acabamos por complicar.

A ideia que tenho é seguir sempre a indicação do fabricante, independentemente se a informação é antiga ou não. Actualmente poderão existir lubrificantes melhores que aqueles que são indicados, mas não tendo o motor sido desenvolvido para lidar com aquela capacidade lubrificante ficaria assim esse "óleo" excluído.

Será assim?

Aproveito ainda a sua experiência e conhecimento do mercado para lhe colocar mais uma questão .
Existe desde há uns anos uma marca que se tem evidenciado nos Estados Unidos e que está a entrar na Europa, a Royal Purple.
Li vários artigos, supostamente independentes, dizendo que não existe nada melhor que aquilo, em qualquer tipo de utilização.
Conhece o que falo? É mesmo assim, terão eles desenvolvido um produto tão à frente de toda a concorrência que justifica os preços tão absursos?
Responder
#28

Juntei os tópicos sobre óleos para aqui. Assim fica tudo junto no mesmo lugar.
Responder
#29

(27-10-2015 às 21:27)tkm_[pt] Escreveu:  
(27-10-2015 às 16:08)ClaXav Escreveu:  Em relação a situações extremas dos track days, nada do que eu coloquei aqui se aplicará e aí será necessário cá vir o tal utilizador UNICO elucidar o pessoal.

Antes de mais, também tenho que os meus conhecimentos de óleo é basicamente seguir o que manda o manual e pouco mais.

Em termos de trackdays, pelo que andei a investigar, recomenda-se uma mudança de óleo logo após o trackday. A razão é que o andamento é muito mais alto que o normal no dia-a-dia e isto faz com que o óleo se degrade mais rápido, além de aumentar a quantidade de partículas de metal devido ao uso.

E se forem mesmo prós e quererem tirar o melhor partido da mota, convém também fazer uma mudança antes do trackday para assegurar as melhores performances durante o mesmo. Claro que a mudança depois ainda se mantém.

O que é que querem saber sobre Lubrificantes e "track days"?... Não é assim nada de muito diferente do que se passa no quotidiano... Um track-day não é uma corrida... O que se aplica sobre o assunto é o que aparece de facto no manual da moto... Se quiserem uma opinião pessoal, salvo nas correntes, sou adepto ferrenho dos 100% sintéticos... O que não significa que os "semi" não possam desempenhar bem neste caso... Recordo a pnúltima gama Moto Action (a API SJ) que eu delineei em termos de caderno de encargos para o Marketing e foi usada pelo Desenvolvimento, pois foi testada em competição numa prova de Resistência de 12h (por uma falha inconcebível interna da produção do especial 100%, então em teste de desenvolvimento na competição de Velocidade, que eu nunca engoli bem!) que foi ganha e os tempos foram iguaizinhos aos do 100% sintético!... Mas este é um caso realmente especial... Se apanharem esse MS4T API SJ, (SAE 10W-40) pois é algo realmente especial... Mas no global, eu usaria 100% sintéticos, API SJ ou acima... Não por serem track days, mas porque o IV (índice de viscosidade) é maior e garante à priori a performance em todo o range multigrade indicado de viscosidade, visto que "resiste" melhor a frio e a quente à claudicação dos polímeros e, visto serem API SJ, permitirão menores consumos...

O facto de terem a especificação JASO MA também ajuda a fixar a performance indicada pelas siglas API e SAE, pois estão testados para o trabalho das caixas de velocidade e logo, embraiagens... Note-se que as caixas de velocidade são as principais responsáveis pela claudicação dos polímeros, e logo da deteorização das performances relativas esperadas...

Resumindo, não há nada de especial com os track days... Já a competição séria é outra conversa e há de facto coisas que por lá se passam que já são de outra dimensão... E implicam conhecimentos profundos de muita coisa e muita variável interligada... Não se pode dar "conselhos" de lubrificação para competição que não sejam muito genéricos e vagos, visto que apenas conhecendo bem, AQUELA moto específica e AQUELE piloto exacto, se pode depois estudar o assunto...

Posso dar algumas dicas de âmbito geral, conhecendo a moto "standard" nas classes de Produção, Supersport e Stocksport (pena as 2T terem terminado!)... Mas serão sempre "linhas de conduta" e não indicações directas... Nos protótipos e classes onde há muita mexidela permitida, já não arrisco sem conhecer bem o contexto em causa...

RIDE FAST, LIVE FAST!
Responder
#30

(28-10-2015 às 10:36)OFFICER Escreveu:  Juntei os tópicos sobre óleos para aqui. Assim fica tudo junto no mesmo lugar.

Muito obrigado caro ADMIN!... Creio que é melhor ficar tudo no mesmo sítio, sem prejuízo para os intervenientes... Quanto ao outro tópico existente deveria ser "evaporado", depois de reunir os temas e respostas aqui... Respeito!

RIDE FAST, LIVE FAST!
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)