Espírito Motard
#91

Eu agradeço uma gentileza de um enlatado sempre com a mão direita.
Isto porque a cena de esticar a perna direita parece-me que poderá ser mal compreendida pela maior parte deles e porque agradecer com a mão esquerda poderá não ser bem visível. Essa encarrega-se apenas do "V" de cumprimento a outros motociclistas.

Ahhh...e como agradeço com a mão direita SEM deixar de acelerar? Fácil. Tenho um Cruise Control que me permite fazê-lo com a maior das facilidades.
Acredito que já várias pessoas tenham ficado espantadas a ver como tal "fenómeno" é possível!

Daelim S3 125: Ago11->Jul12(14k) ; Maxsym 400i: Jul12->Mai13(21k) ; Maxsym 400i ABS: Jun13->Mai14(18k) ; Maxsym 600i ABS:Mai14->Jan15(12k)
[Imagem: LYE8JS]  |  CANAL YOUTUBE
Responder
#92

(03-07-2017 às 18:12)Pianoman Escreveu:  Eu agradeço uma gentileza de um enlatado sempre com a mão direita.
Isto porque a cena de esticar a perna direita parece-me que poderá ser mal compreendida pela maior parte deles e porque agradecer com a mão esquerda poderá não ser bem visível. Essa encarrega-se apenas do "V" de cumprimento a outros motociclistas.

Ahhh...e como agradeço com a mão direita SEM deixar de acelerar? Fácil. Tenho um Cruise Control que me permite fazê-lo com a maior das facilidades.
Acredito que já várias pessoas tenham ficado espantadas a ver como tal "fenómeno" é possível!

Eu não tenho 'cruises contróis '  cry , o que ás vezes faço como 'gesto de agradecimento' é ligar e desligar os '4 piscas' com o polegar .
Responder
#93

Complicados!...

Agradeço sempre que posso levantando 2 dedos, em V "pequeno", da mão direita mas sem largar o acelerador.
Se viram e perceberam, porreiro.  V
Se não viram ou não perceberam é sinal quase seguro de que também não "me deixaram" passar e eu tive que improvisar "ligeiramente"(*)...  angel

(*) E nessas alturas pós-improviso quando "agradeço" é com um único dedo. Deixo agora à vossa à imaginação qual será o dedo mais "à mão" para essas ocasiões, sempre tão "especiais"...  devil
Responder
#94

(03-07-2017 às 21:36)n00b1e Escreveu:  Complicados!...

Agradeço sempre que posso levantando 2 dedos, em V "pequeno", da mão direita mas sem largar o acelerador.
Se viram e perceberam, porreiro.  V
Se não viram ou não perceberam é sinal quase seguro de que também não "me deixaram" passar e eu tive que improvisar "ligeiramente"(*)...  angel

(*) E nessas alturas pós-improviso quando "agradeço" é com um único dedo. Deixo agora à vossa à imaginação qual será o dedo mais "à mão" para essas ocasiões, sempre tão "especiais"...  devil

E para os gajos das scooters que te ultrapassam a ultrapassar? devil devil bigsmile lol

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#95

Isso é ruído de fundo. Não conta para a estatística.

Sent from Tapatalk

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder
#96

Boas,

Em meados de Junho levo a burra para o trabalho, e ao regressar a casa, passados poucos km´s, reparei que me tinha esquecido de fechar o capacete.
Encosto à berma para passar a fivela no duplo D e nisto param logo dois companheiros das duas rodas a perguntar se estava tudo bem. Dei-lhes um thumbsup e eles lá seguiram às suas curvas.

Venho de férias a Portugal em Julho e numa das minhas voltas o ponteiro da gasolina entra na reserva. Como a moto passa a maior parte do tempo parada, pensei para os meus botões "deixa lá ver se a luz da reserva está a funcionar". Estava sim senhor, nesta VFR de 97 ainda tudo funciona...menos o dono.

A confirmação do funcionamento da luz deu-se a meio do trajeto entre Sines e Stº. André (+/- 15 km´s) e o gajo lá vai, faz o que tem a fazer e regressa a Sines, não sem antes ter passado por uma bomba de gasolina e pensado para os seus botões "ainda dá para chegar a casa"...pois não deu proud .

A burra fica seca e eu apeado a cerca de 4 Km´s de Sines, antes de uma rotunda e de uma subida. Telefono à Maria mas não me atende e toda a gente está no trabalho. Há que empurrar a burra e assim foi...nos entretantos passaram por mim vários "motards" e nem UM se dignou a parar.

Como a burra tem matricula holandesa ainda devem ter curtido à brava a pensar que o camone já se tinha lixado. Não foi o camone mas foi o Alentejano, que por culpa própria teve que empurrar 236Kgs durante 4km´s lol

Mas aqui ficou o meu testemunho do "espírito motard" versão tuga que ainda tem muito que aprender com outros espíritos teoricamente mais frios e no entanto mais tugas que o...tuga??!!

Abraços e boas...curvas!
Responder
#97

Há uns tempos atrás no caminho do trabalho até casa, desenrasquei um companheiro das duas rodas, numa rotunda chegava eu de um lado e ele do outro, reparei logo que algo se passava com ele/mota, ele encostou eu dei a volta há rotunda e fui ao seu encontro, o companheiro tinha uma Virago 535 com o kit de transmissão nas lonas e consequentemente a corrente muito larga e sai-lhe a corrente em andamento.
Lá pusemos a corrente ao sitio e ele seguiu viagem, não sem antes ouvir uma ou outra boca sobre a pouca manutenção feita há mota...

Eu ia de pópó smile
Responder
#98

(16-08-2017 às 13:34)100Stress Escreveu:  Boas,

Em meados de Junho levo a burra para o trabalho, e ao regressar a casa, passados poucos km´s, reparei que me tinha esquecido de fechar o capacete.
Encosto à berma para passar a fivela no duplo D e nisto param logo dois companheiros das duas rodas a perguntar se estava tudo bem. Dei-lhes um  thumbsup e eles lá seguiram às suas curvas.

Venho de férias a Portugal em Julho e numa das minhas voltas o ponteiro da gasolina entra na reserva. Como a moto passa a maior parte do tempo parada, pensei para os meus botões "deixa lá ver se a luz da reserva está a funcionar". Estava sim senhor, nesta VFR de 97 ainda tudo funciona...menos o dono.

A confirmação do funcionamento da luz deu-se a meio do trajeto entre Sines e Stº. André (+/- 15 km´s) e o gajo lá vai, faz o que tem a fazer e regressa a Sines, não sem antes ter passado por uma bomba de gasolina e pensado para os seus botões "ainda dá para chegar a casa"...pois não deu proud .

A burra fica seca e eu apeado a cerca de 4 Km´s de Sines, antes de uma rotunda e de uma subida. Telefono à Maria mas não me atende e toda a gente está no trabalho. Há que empurrar a burra e assim foi...nos entretantos passaram por mim vários "motards" e nem UM se dignou a parar.

Como a burra tem matricula holandesa ainda devem ter curtido à brava a pensar que o camone já se tinha lixado. Não foi o camone mas foi o Alentejano, que por culpa própria teve que empurrar 236Kgs durante 4km´s lol

Mas aqui ficou o meu testemunho do "espírito motard" versão tuga que ainda tem muito que aprender com outros espíritos teoricamente mais frios e no entanto mais tugas que o...tuga??!!

Abraços e boas...curvas!

Nessa situação acaba por pagar o justo pelo pecador.

Tiveste azar, já me aconteceu parar para ajudar um jovem e vice versa. Não que no meu caso fosse preciso, mas para me avisar que a top case ia aberta.

[Imagem: images?q=tbn%3AANd9GcT4XLIkYtQDw11iDiKFM...g&usqp=CAU]


Responder
#99

(16-08-2017 às 14:12)Furras Escreveu:  Há uns tempos atrás no caminho do trabalho até casa, desenrasquei um companheiro das duas rodas, numa rotunda chegava eu de um lado e ele do outro, reparei logo que algo se passava com ele/mota, ele encostou eu dei a volta há rotunda e fui ao seu encontro, o companheiro tinha uma Virago 535 com o kit de transmissão nas lonas e consequentemente a corrente muito larga e sai-lhe a corrente em andamento.
Lá pusemos a corrente ao sitio e ele seguiu viagem, não sem antes ouvir uma ou outra boca sobre a pouca manutenção feita há mota...

Eu ia de pópó smile

Furras se era uma Virago só podia ser a 250.
A 535 não gasta corrente na transmissão...

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder

(16-08-2017 às 15:12)LoneRider Escreveu:  
(16-08-2017 às 14:12)Furras Escreveu:  Há uns tempos atrás no caminho do trabalho até casa, desenrasquei um companheiro das duas rodas, numa rotunda chegava eu de um lado e ele do outro, reparei logo que algo se passava com ele/mota, ele encostou eu dei a volta há rotunda e fui ao seu encontro, o companheiro tinha uma Virago 535 com o kit de transmissão nas lonas e consequentemente a corrente muito larga e sai-lhe a corrente em andamento.
Lá pusemos a corrente ao sitio e ele seguiu viagem, não sem antes ouvir uma ou outra boca sobre a pouca manutenção feita há mota...

Eu ia de pópó smile

Furras se era uma Virago só podia ser a 250.
A 535 não gasta corrente na transmissão...

Sim tens razão lone, era uma 250cc.
Bem visto.

Em caso de dúvida, acelere...
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 3 Visitante(s)