Contestar multas por excesso de velocidade
#51

(10-03-2021 às 15:48)dmanteigas Escreveu:  Como disse lá atrás é se tivesses lido, deixo essas considerações humanísticas bacocas de lado. Também fico muito indignado quando vejo malta a receber dinheiro em kms fictícios para não pagar Segurança Social e IRS enquanto eu até o cabaz de natal aparece no recibo de vencimento e é tributado, ou quando vejo malta a prestar serviços por fora que não fatura. Mas já aprendi a lidar com essa indignação.

Num país de espertalhões toda a gente se safa como pode. No dia em que o processo funcionar de forma eficiente lá arcarei com as consequências. Quanto às consequências do que escrevo no fórum na secção aberta, lido bem com elas, podem dar-me tantos problemas como a suposta multa por excesso de velocidade que podes apanhar se meteres no YouTube um video onde mostres o velocímetro.

Não é uma consideração pá.

É um facto.

E um facto num processo judicial é o que conta.

Agora se tu tivesses "dois dedos de frente" saberias entender que o que eu te disse foi para teu bem e para benefício dos teus.

Porque sabes bem quem vai pagar as consequências dos teus actos e eu não sou de certeza absoluta.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#52

Lone ja que contaste...

de camião acredito que cumpras tudo corretamente , de mota , não me lixes mas andas á chuva como todos nós...
não respondeste á minha questão , se estiveres á beira de perderes a carta , não te vais tentar safar ???? esses valores que já te disse que também defendo valem nessa situação???

depois , acredito piamente ( nao sei de nada ) que tu tens uma opção que nós não temos , duas cartas...
não me vou alongar por respeito a ti , porque uma coisa é brincar , outra coisa sao assuntos pessoais e gosto de gozar com tudo , menos com isso , para que seja respeitado da mesma forma. portanto se desenvolveres esta conversa , é porque tu quiseste e não porque eu andei a abrir a boca , de certa forma estou farto das medições de pilas neste fórum , mas a amizade como todos os paneleiros que conheço aqui , é para preservar.

logo , fode-te , como fodei-vos todos os outros ...
Responder
#53

(10-03-2021 às 16:13)Caroço Escreveu:  Lone ja que contaste...

de camião acredito que cumpras tudo corretamente , de mota , não me lixes mas andas á chuva como todos nós...
não respondeste á minha questão , se estiveres á beira de perderes a carta , não te vais tentar safar ???? esses valores que já te disse que também defendo valem nessa situação???

depois , acredito piamente ( nao sei de nada ) que tu tens uma opção que nós não temos , duas cartas...
não me vou alongar por respeito a ti , porque uma coisa é brincar , outra coisa sao assuntos pessoais e gosto de gozar com tudo , menos com isso , para que seja respeitado da mesma forma. portanto se desenvolveres esta conversa , é porque tu quiseste e não porque eu andei a abrir a boca , de certa forma estou farto das medições de pilas neste fórum , mas a amizade como todos os paneleiros que conheço aqui , é para preservar.

logo , fode-te , como fodei-vos todos os outros ...

Precisamente por não querer chegar a uma situação de perda total dos pontos que cuido muito os meus actos na estrada e mais se for em moto.
Sou conhecedor da lei, sei a forma de actuar da polícia e tento sempre não ser sorprendido de forma a conservar os meus pontos.

E não, não tenho duas cartas.
Não tenho duas cartas porque sei de chicos espertos que sendo residentes em Espanha foram a Portugal dizer que tinham perdido a carta.
Portugal deu-lhes uma segunda via da carta e eles foram contentes à sua vida.
Ao fim de uma semana, esse Chico esperto recebeu uma carta da DGT (Dirección General de Tráfico) pedindo-lhe encarecidamente que fora entregar a segunda via da carta que pediu em Portugal sob a ameaça de um processo por falsidade documental (12 a 18 meses de prisão).
O indivíduo entregou a carta, pediu desculpas e saiu com o rabino metido entre as pernas.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#54

Naquela manhã do primeiro dia da volta dos berdadeiros, há um ano atrás, só vi, de facto, cumpridores extremosos do código da estrada, eu incluído.

O problema de nos armarmos em moralistas é que todos temos telhados de vidro... zipper

[Imagem: muhz7is.jpg]
Responder
#55

(10-03-2021 às 16:35)el_Bosco Escreveu:  Naquela manhã do primeiro dia da volta dos berdadeiros, há um ano atrás, só vi, de facto, cumpridores extremosos do código da estrada, eu incluído.

O problema de nos armarmos em moralistas é que todos temos telhados de vidro... zipper

O problema não é a moralidade pá.
É desejar que nada de menos bom aconteça.

Eu todos os dias cometo infracções pá!
Mas ao contrário dos gabarolas que andam por aqui, não faço peito, nem chamo palerma a ninguém.

Aliás, para mim, é preferível que nem se saiba, não vá ser que, para além da infracção e devida coima, ainda me venha um moralista apontar-me com o dedo (e com razão).

Claro que sempre há quem não tenha vergonha na cara!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#56

Bosco, eu disse o que disse mas eu próprio quebro as regras frequentemente mas tenho noção que quando levar com o "martelo" foi porque me pus a jeito para que isso acontecesse, e dito isto, assumo a minha irresponsabilidade e pago o que tiver a pagar.
Responder
#57

Antes de começar a levar com elas, também pensava assim. A primeira paguei-a no dia em que a recebi. Com a segunda, obtida através de um radar ilegal (a verificação tinha caducado há ano e meio), percebi que não existe boa fé das autoridades e do sistema (que inocente bosquinho). Sabiam perfeitamente que as multas obtidas através daquele radar não seriam válidas, mas fizeram-nas na mesma a contar com o desconhecimento das pessoas. Quando o sistema é imoral, não se pode esperar atitudes morais para com o mesmo.

[Imagem: muhz7is.jpg]
Responder
#58

Isso é outra parte da questão. Nao estás sozinho nessa resistência e oposição ao sistema quando ele próprio nao funciona dentro dos parâmetros legais. Mas ninguém aqui está a defender essa forma de agir, ou está? Tens todo o direito de estar indignado e tentares fazeres "justiça" por outros meios quando isso acontece. Eu falo e falei, perante as situações normais em que uma pessoa leva uma multa. Nao vamos cair naquela previsibilidade de dizer que a culpa é sempre do sistema e nunca nossa.
Responder
#59

(10-03-2021 às 13:49)dmanteigas Escreveu:  Nas aulas de direito da faculdade, que e como quem diz pesquisei no google e dei de caras com a pagina do ACT que diz simplisticamente que as coimas agravam quando nao sao pagas, podem induzir as pessoas em erro se nao tiverem tido essas mesmas aulas de direito.

Errado!
Das aulas de Direito aprendi sobre o que era uma multa e uma coima (naturezas diferentes para o mesmo tipo de sanção pecuniária). Profº João Gonçalves de Proença... grande jurista e académico (já faleceu).
O gajo é que nos podia dar umas boas dicas sobre o assunto.

O que aprendi sobre o agravamento de coimas, foi mesmo por experiência própria... precisamente porque me armei nessa de "chico-esperto", não paguei (nem depósito nem pagamento voluntário), apresentei contestação e aguardei que a coisa prescrevesse!

Talvez ano e meio depois (mais coisa, menos coisa), recebi a pouco almejada resposta que (tal como tu), achei que nunca apareceria, a dizer em palavreado caro de Direito que os motivos apresentados não fundamentavam a impugnação da contra-ordenação, e sendo que como «agi com negligência, e como tal a negligência é punível nos termos da Lei não sei das quantas». Como não havia sequer o depósito da coima, tinha 15 dias para pagar o montante da mesma, de 120 euros, acrescido do agravamento de outros 120 euros (e mesmo assim tive sorte, porque poderia chegar aos 600€, montante máximo), e ainda sanção acessória de de 1 mês (a qual tive depois de fazer novo pedido de pena suspensa, com base na inexistência de CO's graves ou muito graves nos 5 anos anteriores). O facto é depois de pagar e fazer o pedido, nunca recebi ordens para entregar a carta, pelo que julgo que a pena acessória deve ter ficado efectivamente "suspensa".

Mas afinal vejo que tu é que estás um ás das pesquisas e transcrições pervert . Boa! thumbsup

(10-03-2021 às 13:49)dmanteigas Escreveu:  Quem ja contestou multas e a elas teve resposta sabe mais ou menos como e o processo. Envia-se a contestacao com a devida argumentacao, caso se seja um dos infelizes azarados a quem eles respondem, sao pedidos para apresentarem elementos adicionais de prova como por exemplo declaracoes de testemunhas que voces tenham identificado

Errado novamente!
A CO de excesso de velocidade foi captada, ia eu sozinho de moto (IC2 entre o Pq. das Nações e Santa Iria).
A contestação foi escrita por mim com base em argumentos de caça à "multa" (efectivamente coima lol ), radar não identificado antes, perfil da via equivalente a AE (embora não o fosse), inexistência de intensidade de tráfego e mais umas quantas balelas que me lembrei, mas que efectivamente não comprometiam a validade legal da minha infracção (porque na realidade vinha em excesso de velocidade e tinha consciência disso). Pelo facto e circunstâncias, não apresentei testemunhas, até porque não as havia, e mesmo que houvessem, iam testemunhar o quê?
Quando recebi a (inesperada) resposta, nunca me pediram mais nenhuns meios de prova. A haver, teria de os ter entregue no acto do pedido de impugnação. O assunto foi assim dado como "transitado em julgado" (acho que é assim que se diz)... com a indicação que o seu não pagamento implicaria que a coisa seguiria outros trâmites judiciais... ou seja tive de pagar, calar e apenas lamentar!

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#60

As multas correspondem a uma fonte de receita importante para o Orçamento de Estado.
Objectivos que crescem de ano para ano.
Quase sempre sob o argumento moralista da segurança rodoviária.

A necessidade de cumprir estes objectivos é o que tem levado a certas práticas.
Algumas delas bastante discutíveis.

O discurso mártir de que se "somos apanhados" devemos assumir e blá blá é muito giro e romântico.
Mas parece-me um bocado moralista.
Porque se assume que a generalidade das multas são merecidas.
Ou que servem para alguma outra coisa que não encaixar verba para o Estado.

Há determinadas infracções que podem fazer todo o sentido.
Uma coisa é passar um vermelho...
Outra é ser apanhado por excesso de velocidade sem que seja velocidade excessiva.
E o excesso de velocidade é a "multa fácil". Sobretudo quando são escolhidos locais onde o objectivo é claramente facturar e não evitar a sinistralidade. Posso enumerar uns quantos.

No momento em que um condutor é visto como um alvo para extorquir dinheiro... não vejo motivo para que não se coloque areia no sistema.

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)