Triumph Trident 2021
#21

(08-09-2020 às 14:41)dfelix Escreveu:  
(07-09-2020 às 20:41)Malvo Escreveu:  ... é que apesar de mover a produção praticamente toda para a Tailandia, o preço das motos não para de subir.

A deslocação para a Tailandia não baixou os preços... mas aumentou consideravelmente a qualidade.
Tive uma das ultimas Speeds feitas em Hinckley.
E as que sucederam nos anos seguintes apresentavam melhores acabamentos e materiais.

Pessoalmente não acho que os preços praticados estejam desenquadrados com a concorrência.
A não ser que a bitola de comparação seja a Benelli.
(07-09-2020 às 20:41)Malvo Escreveu:  Esta ano está a ser um desastre, depois do anuncio que aparentemente foi mal recebido que iam mover praticamente a totalidade da produção para a Tailandia, e a Royal Enfield a limpar o chão com eles (mota mais vendida no Reino Unido, e que pelos vistos esta a vender como pao quente por essa Europa fora, e a roubar bastante mercado a Triumph, ou não fosse a Bonnie a galinha dos ovos de ouro), eles precisam de mudar algumas mentalidades e começar a acordar!

Há já alguns anos que a Triumph produz praticamente tudo nas 3 ou 4 fábricas que têm na Tailandia.
A maior parte é exportada directamente de lá. Outras são enviadas estilo IKEA para serem montadas em fábricas como a do Brasil.
Hickley praticamente se resume hoje em dia ao R&D.
Embora a fábrica se mantenha activa para as TFC. Até porque aquelas instalações são atracção turística.

Portanto, não vejo onde esteja o desastre.
Se há "ovos de ouro" são as Street Twin que nem há 5 anos estão no mercado. E as Tiger.
Mesmo num país céptico com a marca como é o nosso, conseguiram a proeza de manter as vendas acima das 100 unidades nos últimos anos.
Certamente que este ano será mais complicado. Mas por outros motivos.


A RE esta a vender bem na Europa graças à Himalayan.
Souberam criar algo atractivo, diferente do que os outros oferecem e por um preço atractivo.
Porque de resto, tenho dúvidas que a Interceptot ou a Continental GT interfiram nas vendas as street twin ou mesmo da bonnie.

Concordo que há alguns produtos que deveriam ser reformulados ASAP.
Nomeadamente a Tiger Sport, por algo que não caia no esquecimento quando se olha para Tracers, XR's ou mesmo SD GT's...
(08-09-2020 às 14:11)Malvo Escreveu:  ...mas para ser competitiva tem que baixar, e penso que entre 7000eu da mt07 e os 8000eu da CB650 seria o mais realista.

Não me parece que ser competitivo implique necessariamente fazer dumping.
Isso é a estratégia de Benelli.

Há fenómenos com que a Triumph não consegue concorrer:

No caso da Yamaha é o mundo "dark sider".
Algo não muito diferente do que se assistiu com as Hornet há duas décadas atrás.
Produtos que se tornam sucedidos porque há um vasto numero de malta que quer aquilo... e pronto!
Até podem reconhecer e valorizar alternativas. E gostar bastante delas.
Mas no momento de comprar... é aquilo que querem!
Mesmo que comprem usada a preço de nova. Mesmo que depois esbanjem mais do que a diferença em acessórios ou a substituir material por outro de mais qualidade que nas alternativas é oem.

No caso da Honda é ser Honda.
Porque Honda é Honda. E ainda existe uma forte fidelização à marca pelos que não querem outra coisa como pelos que nunca tiveram moto alguma.

Entre introduzir no mercado por um preço igual, ou ligeiramente superior oferecendo alguma coisa que seja diferencial... é sempre relativo.
Porque no momento da compra a oferta instituída é a que prevalece.

Sim, a galinha de ouro, não é por acaso que o modelo gerou tantas variantes, como por exemplo as referidas Triumph Boneville Street Twin, não o fariam se o nome e ou modelo não fosse uma fonte essencial de vendas.

Sim as Hima vendem muito bem, mas as Continental e interceptor ja fazem mossa, ou não tivessem até no ano passado com lista de espera, que segundo lembro, em alguns casos chegou-se a falar alguns meses!!
Se afecta ou não directamente a Triumph, nunca saberemos ao certo, mas a Triumph é sempre o supra sumo de motos de estilo classico a que todas as outras são comparadas, e portanto é uma possibilidade bem real. 

Tambem é sabido que as vendas da Triumph estão "estagnadas" ja la vão dois anos!

Não creio que colocar o preço do novo modelo entre a mais vendida e a mais cara (das japonesas, estas que, dominam a classe) seja dumping, pelo contrario, oferecer algo melhor ou com suposta melhor qualidade que o modelo mais vendido, e mesmo assim não ser a mais cara "da classe" seria uma estrategia aceitavel para roubar algum mercado, mas claro que isso vai sempre depender da estrategia da empresa.
Responder
#22

(08-09-2020 às 20:15)Malvo Escreveu:  Sim, a galinha de ouro, não é por acaso que o modelo gerou tantas variantes, como por exemplo as referidas Triumph Boneville Street Twin, não o fariam se o nome e ou modelo não fosse uma fonte essencial de vendas.

Boneville é um nome carismático.
É um nome que transporta o legado da Triumph. É natural que usem e abusem dele.
Afinal, até a Suzuki o faz com o nome Katana. smile

Mas os modelos baptizados de Boneville não deixam de ser precisamente "variantes" das respectivas plataformas em que se assentam mais produtos.

O aparecimento em força das neoclássicas deve-se à Triumph.
Desde cedo apostaram neste mercado quando era um nicho. E hoje em dia todas as marcas têm algo do género no catálogo.

Chamar à Boneville "galinha de ouro"...
Dentro das modern classic nem sequer são as que mais vendem.

O modelo da Triumph que mais unidades tem vendido nos últimos até é a Tiger.

(08-09-2020 às 20:15)Malvo Escreveu:  Tambem é sabido que as vendas da Triumph estão "estagnadas" ja la vão dois anos!

A Triumph teve o melhor o seu ano de sempre em 2017.

E faz sentido se pensarmos que a marca tinha acabado de introduzir as street twin e a tiger explorer.
Nesse ano ocorreu também um fenómeno inesperado com a Bobber.

Nos anos seguintes não manteve o crescimento. Mas não me parece chocante.
Os números continuaram a ser simpáticos.

Mesmo em Portugal os números não são maus.
Em 2019 venderam 250 unidades. Em 218 tinham vendido 247.
Quando comprei uma em 2006, os objectivos da marca era superar as 50. lol

(08-09-2020 às 20:15)Malvo Escreveu:  ...oferecer algo melhor ou com suposta melhor qualidade que o modelo mais vendido, e mesmo assim não ser a mais cara "da classe" seria uma estrategia aceitavel para roubar algum mercado, mas claro que isso vai sempre depender da estrategia da empresa.

E da capacidade de produzir melhor e mais barato.
Habitualmente as boas relações preço/qualidade só se conseguem com produções muito altas para obter preços unitários baixos. E isso só justifica quando há capacidade de produção e fluidez nas vendas.
A Triumph não tem dimensão para isso. Portanto, só baixando a margem, que é o que de certa forma ja deve praticar no presente.

Vamos esperar para ver!

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)