Duke 790
#71
(28-12-2018 às 13:28)dmanteigas Escreveu:
(28-12-2018 às 11:45)vindaloo Escreveu: Então eu resumo:


a) Comparas motas a telemóveis.
b) Estás a chamar a malta de Nazi.
c) Os produtos fabricados na china depois de fabricados vão para instalações europeias onde se faz o controlo de qualidade e só depois vão para comercialização.

Escapou-me alguma coisa?


Escapou-te várias. Não comparei motas a telemóveis, não chamei ninguém de nazi nem fiz essa generalização bacoca no ponto c.

Não são os "produtos fabricados na China". O que eu falei é que tipicamente grandes unidades industriais mesmo quando têm diversas fábricas "espalhadas" pelo globo em muitos casos "centralizam" os produtos numa fábrica mãe onde é feito o controlo de qualidade final antes de serem comercializadas. A Grohe por exemplo tem uma fábrica em Aveiro que envia TODOS os produtos fabricados lá para a fábrica alemã antes de serem vendidos. Mesmo aqueles que depois voltam para ser vendidos em Portugal. Agora no próximo resumo podes colocar o ponto d) comparei motas a peças de loiça sanitária.

Entendo que vejas as motas como um bidé... lol 

Mas este é um tópico da KTM!!


Responder
#72
(28-12-2018 às 11:09)dmanteigas Escreveu: A Apple é uma das empresas que mais vende "paixão" pelo produto, criando uma forte legião de fãs que compra não pelas caracteristicas mas pela marca em si e tem os produtos fabricados na China.

Não deixam de se diferenciar por características próprias que alimentam essa mesma paixão a ponto de definir as tendências de mercado.
Podem ser fabricados na China. Mas não transmitem ao cliente a sensação de que foram comprados na loja do chinês.
Antes pelo contrário.

Racionalmente podemos assumir que há huaweis, lenovos e outras marcas com uma oferta mais do que adequada á esmagadora maioria dos consumidores de tecnologia.
Racionalmente também podemos assumir que a NC750X é a moto mais adequada á esmagadora maioria dos motociclistas.

(28-12-2018 às 11:09)dmanteigas Escreveu: A KTM mudar a produção para a China não quer dizer de modo algum que a qualidade vai diminuir, isso é uma visão obtusa da situação.

O que respondi ao nelson era relativo à questão da paixão gerar lucro.

A questão da qualidade melhorar ou piorar de acordo com o local em que é produzido.... é algo muito relativo.

Há exemplos em que a deslocação da produção para oriente aumentou a qualidade do produto.
O primeiro exemplo que me ocorre é a Triumph, que deu um salto qualitativo desde que passou a produzir na Tailândia.

Há exemplos em que a deslocação da produção para oriente piorou a qualidade do produto.
O primeiro exemplo que me ocorre é a HD e as tenebrosas Street 750 feitas na India.
Considerando que a HD também não é propriamente exemplo, o segundo que me ocorre é a Piaggio.

Depois muitos exemplos em que não se trata bem de uma deslocação da produção, mas parcerias que permitiram fabricar produtos que nem sequer existiam nos catálogos das marcas.
E neste caso, tratanto-de de produtos novos nem temos propriamente uma referência que permita identificar se são melhores ou piores.

(28-12-2018 às 11:09)dmanteigas Escreveu: Aliás, o único motivo pelo qual todas as construtoras europeias neste momento não fabricam noutro local que não a Europa é porque no final das contas financeira compensa continuar a fabricar na europa.

Deixa lá ver se percebi...
Ao longo dos últimos 20 anos que o ocidente assiste à deslocação esmagadora da industria para ocidente...
.. e no final das contas financeira compensa continuar a fabricar na europa?

Tens noção que há construtores europeus que nem sequer produzem na europa, certo?

(28-12-2018 às 11:09)dmanteigas Escreveu: ...pois à semelhança do Liquid Fire há muita malta que o facto de a mota ser "made in europe" pesa muito na decisão de compra, e provavelmente a deslocalização afetaria as vendas do produto... mesmo que o made in europe seja na realidade um "assembled in europe" com mais de 50% das peças a virem da China, India, ou outro país qualquer.

E voltamos à questão da paixão gerar lucro.
Aposto que se consultares o catálogo da Grohe, vais encontrar bidés desenhados com paixão.
Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#73
[Imagem: Q0qkaA1.jpg]


Responder
#74
(28-12-2018 às 17:48)vindaloo Escreveu: [Imagem: Q0qkaA1.jpg]

lol lol lol lol lol

(Esta merece ir directinha para o Hall of Artwork bigsmile)
[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#75
(28-12-2018 às 16:50)dfelix Escreveu: Deixa lá ver se percebi...
Ao longo dos últimos 20 anos que o ocidente assiste à deslocação esmagadora da industria para ocidente...
.. e no final das contas financeira compensa continuar a fabricar na europa?

Tens noção que há construtores europeus que nem sequer produzem na europa, certo?
Em alguns casos... sim, continua. Deslocalizar a produção de uma fábrica da Europa para fora dela implica desde logo uma avultada despesa de investimento, que terá que ser amortizada durante a vida útil da fábrica, que não se prende unicamente com as infraestruturas mas também com a formação da mão de obra a contratar, por exemplo. Também é preciso a isto somar os custos do transporte, as taxas alfandegárias, etc etc etc e muitos outros "custos de contexto" que fazem com que em certas situações continue a compensar financeiramente produzir na europa ou então o risco para o negócio é demasiado elevado e a poupança pouco significativa.
Por isso é que apesar de tudo ainda continuas a ter muito industria na Europa e países como a Alemanha continuam a ser potências industriais. Porque nisto as equipas de gestão são bastante diretas. Nenhum gestor da BMW opta por fabricar as motas na fábrica de Berlim pelo apego emocional. Fazem-no porque no final das contas, fica mais barato que deslocalizar para outro lado qualquer e/ou o risco de deslocalização não compensa uma eventual poupança marginal.
Um click de suspensão por dia, nem sabe o bem que lhe fazia!
Responder
#76
(28-12-2018 às 19:29)dmanteigas Escreveu: Em alguns casos... sim, continua.

Portanto, todo o mundo está errado porque existem excepções que confirmam a regra.
Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#77
Felix... Fabricar por paixão... Não é compatível com lucro, "cassetes" à parte... Estão à vista todas as comcessoes que qualquer projecto tem... Sejam motos, carros, cuecas ou peúgas...

Paixão, era por exemplo a Suzuki fabricar uma GSXR 750 RG nova e oferecer-me... Por paixão...
[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#78
(29-12-2018 às 04:14)dfelix Escreveu:
(28-12-2018 às 19:29)dmanteigas Escreveu: Em alguns casos... sim, continua.

Portanto, todo o mundo está errado porque existem excepções que confirmam a regra.

Não estou a perceber muito bem o teu ponto de vista... estás a dizer que financeiramente não compensa fabricar na Europa? Não sei relativamente às motas, mas posso dar-te não um mas vários exemplos de outras indústrias que continuam a produzir cá porque lhes sai mais barato que deslocalização.
Um click de suspensão por dia, nem sabe o bem que lhe fazia!
Responder
#79
(29-12-2018 às 16:13)nelsonajm Escreveu: Felix... Fabricar por paixão... Não é compatível com lucro, "cassetes" à parte...

Podes começar a encher chouriços na tua garagem e vende-los na feira.
Lá porque ao final do ano não tiveste o volume de vendas duma Damatta ou duma Nobre.. não significa que não tiveste lucro ou que o teu negócio não seja sustentável.

Nas motos é a mesma coisa.
O objectivo da generalidade dos construtores é facturar. Portanto siga... e toca a encher chouriços.
Mas isto não descarta os chamados mercados de nicho.
Há construtores que vivem destes.
Há construtores que conciliam estes com os mais rentáveis.
Há depois aqueles que passam a vida aos trambolhões (tipo MV Agusta) mas... também não sabemos até que ponto negociatas suspeitas, resgates e injecções de capital aleatórios não seja também isso um negócio para as suas administrações.

(29-12-2018 às 21:02)dmanteigas Escreveu: Não estou a perceber muito bem o teu ponto de vista... estás a dizer que financeiramente não compensa fabricar na Europa? Não sei relativamente às motas, mas posso dar-te não um mas vários exemplos de outras indústrias que continuam a produzir cá porque lhes sai mais barato que deslocalização.

Resumir a industria a meia dúzia de argumentos é estar a divagar sobre um tema extremamente complexo que envolve muito mais do que o simples facto de "compensar" ou não "fabricar" na Europa.

Não faltará situações em que por proximidade à matéria prima ou por razões logísticas compense.
Não faltará situações em que países europeus onde a mão de obra ainda é barata compense.
Não faltará situações os automatismos e robotização permite que compense.
Não faltará situações em que acordos políticos para evitar catástrofes de desemprego... obrigam a que continuem mesmo que não compense...
Etc...
Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#80
A produção na china em produtos que requerem um nivel de qualidade aceitável não compensa em produtos de grande dimensão  como automóveis  e motos, a grande razão  para os fabricantes la colocarem uma linha de montagem é as restrições  a importações  dos filhos da mãe  dos olhos em bico, gostam muito de vender nos us e na europa, mas importar produtos provinientes destes locais é mentira, mas como é um mercado gigante com maior poder de compra a cada ano que passa, os construtores obviamente tentam penetrar esse mercado.

Eu da minha parte enquanto tiver escolha compro europeu mesmo que custe mais um pouco.

Inclusive estou a pensar comprar uma mota de enduro, e vai ser muito provavelmente uma AJP, mesmo que não  seja a escolha mais racional.
Responder
  




Utilizadores a ver este tópico:
1 Visitante(s)