Ciclistas "a par"
#41

(30-03-2017 às 17:32)nunomsp Escreveu:  E tirar fotografias em andamento? devil

Respondo como partilhador da foto e não seu autor.... que nem sequer fui. proud

Mas por acaso até parece ter sido tirada pelo passageiro da frente! smile tong

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#42

(30-03-2017 às 14:19)dfelix Escreveu:  
(30-03-2017 às 13:33)devil_lips63 Escreveu:  Não é essa a ideia que tenho. Desde que a carta B permite conduzir certos motociclos, que se assistiu a um maior número de utilizadores das duas rodas, em situação de quotidiano.

Verdade absoluta.
Existe muito mais motociclos nas estradas.

Mas para os "verdadeiros motociclistas" esse pessoal não conta.
Como podes constatar aqui.

Pegar na moto num fim-de-semana de sol para um passeio gastronómico cumprimentando todos os outros motociclistas que cruzam o caminho é muito mais prestigiante.
E confere legitimidade moral para classificar todo e qualquer condutor de scooter 125 como um perigo na estrada por falta de formação adequada.





Ahh... e já agora:
Entrou o horário de verão. Os dias estão mais longos. E a Primavera parece estar a chegar.
Está a chegar a altura do ano em que muitos "verdadeiros motociclistas" saem do período de hibernação cheios de tesão do mijo.
Curiosamente é por esta altura (Páscoa) que todos os anos se regista uma maior sinistralidade e casos fatais envolvendo motociclos.


Félix pá, tens andado sem molhar o espárrago ultimamente?

A carta B trouxe à estrada pessoas que não tem conhecimento da dinâmica, muitas delas sem sequer capacidade para o fazer.
E não vou entrar na cena do espírito, mas sim na percepção que essas pessoas têm de quem já cá anda, com demasiados estereótipos sobre quem sempre andou de mota. E sim, existem muitos mais do que tu pensas que andam de mota todo o ano.

Que são mais visíveis, sem dúvida.

Concordo contigo que o mês de Abril seja um mês dramático em questões de sinistralidade envolvendo os motociclos, mas mais uma vez, e julgando que tu és dos tais que andas de mota todo o ano (sem foto não existe ou não aconteceu), deves ser imparcial e mencionar que não é só o facto de muitos motociclistas saírem do período de hibernação, mas também ao facto de que boa parte das rodovias se encontram cheias de buracos resultantes do Inverno e da nula manutenção de algumas dessas vias.

Eu comparto contigo esse sentimento, e entendo que sim, tens parte de razão, mas não generalizes, porque assim também tens que te meter no mesmo saco.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#43

devil devil

[Imagem: don-t-keep-calm-just-kill-them-all.png]
Responder
#44

(30-03-2017 às 14:19)E dfelix Escreveu:  
(30-03-2017 às 13:33)devil_lips63 Escreveu:  Não é essa a ideia que tenho. Desde que a carta B permite conduzir certos motociclos, que se assistiu a um maior número de utilizadores das duas rodas, em situação de quotidiano.

Verdade absoluta.
Existe muito mais motociclos nas estradas.

Mas para os "verdadeiros motociclistas" esse pessoal não conta.
Como podes constatar aqui.

Pegar na moto num fim-de-semana de sol para um passeio gastronómico cumprimentando todos os outros motociclistas que cruzam o caminho é muito mais prestigiante.
E confere legitimidade moral para classificar todo e qualquer condutor de scooter 125 como um perigo na estrada por falta de formação adequada.





Ahh... e já agora:
Entrou o horário de verão. Os dias estão mais longos. E a Primavera parece estar a chegar.
Está a chegar a altura do ano em que muitos "verdadeiros motociclistas" saem do período de hibernação cheios de tesão do mijo.
Curiosamente é por esta altura (Páscoa) que todos os anos se regista uma maior sinistralidade e casos fatais envolvendo motociclos.

Isto.
Coloco a malta da cartaB em cima de uma mini-mula no mesmo "saco" de quem não tem experiência de condução em duas rodas (não que seja o supra-sumo-da-pipoca mas conduzo diariamente, entenda-se)
Para além das más condições (habituais) das nossas estradas que a juntar à pouca experiência da malta (seja de que cilindrada for) que só conduz com sol e estrada limpa e seca...é ve-los em autênticas provas de sobrevivência sem terem a noção sequer que as estão a fazer (e aqui é que está o real perigo, quanto a mim) Não por eles, mas pela minha segurança
Responder
#45

(30-03-2017 às 17:41)mr_trecolareco Escreveu:  Não estar a ver o simbolo da pausa? foi um filme  lol

Tens razão! Falha gravíssima. Mas também pode ser uma moldura... smile

(30-03-2017 às 20:01)carlos-kb Escreveu:  
(30-03-2017 às 17:32)nunomsp Escreveu:  E tirar fotografias em andamento? devil

Respondo como partilhador da foto e não seu autor.... que nem sequer fui.  proud

Mas por acaso até parece ter sido tirada pelo passageiro da frente!  smile  tong

Ok, estás desculpado! smile

Boas curvas! 
Responder
#46

Por acaso apanhei isto no site da Deco (eles devem andar a ler este tópico) smile .


Citar:Um ciclista que não respeita o sinal de STOP na aproximação de um cruzamento ou entroncamento sujeita-se ao pagamento de uma coima de € 99,76 a 498,80 euros. Se passar um sinal vermelho, pode pagar entre € 74,82 e 374,10 euros.

Ambos os casos são contraordenações muito graves: além da coima, os infratores podem ficar inibidos de conduzir veículos a motor durante um período de 2 meses a 2 anos. E não fica por aqui: perdem 4 pontos na carta de condução.

Quando o ciclista não tem carta de condução de veículos motorizados, a lei prevê que a bicicleta seja apreendida por um período idêntico ao da inibição de condução, neste caso, de 2 meses a 2 anos.

Desrespeitar os sinais de trânsito proibido ou circular em sentido contrário é uma contraordenação grave. O ciclista sujeita-se ao pagamento de uma coima de € 24, 94 a € 124,70, acrescida da inibição de conduzir de 1 mês a 1 ano, bem como a perda de 2 pontos na carta de condução. Se não tiver carta, pode ficar privado da sua bicicleta durante o mesmo período (entre 1 mês e 1 ano).
Fonte: www.deco.proteste.pt
Responder
#47

Se é para aplicar a lei a 100%, vamos ver quantos ciclistas ficam com a carta apreendida, e quantos condutores de veículos motorizados. Como diz o documento, e bem, ambas as situações, não respeitar um stop ou um semáforo vermelho, são contra-ordenações muito graves. Quantas pessoas respeitaram sempre um stop? Além disso, há muitos ciclistas que não param aos semáforos, é verdade, mas também há os que param,precisamente porque não querem levar com uma massa de ferro de uma ton em cima. Paremos de generalizar meus senhores, porque não me acredito que aqui haja santos na estrada.

Enviado do meu P022 através de Tapatalk
Responder
#48

Confesso que a novidade para mim é que as infrações cometidas de bicicleta podem ter repercussões na carta de condução ou dar lugar à apreensão da bicicleta.

O resto... nem 8 nem 80.
Responder
#49

(31-03-2017 às 15:08)nunomsp Escreveu:  Confesso que a novidade para mim é que as infrações cometidas de bicicleta podem ter repercussões na carta de condução ou dar lugar à apreensão da bicicleta.

A carta de condução é só uma.... e como condutor na via pública, independentemente do veículo que estejas a conduzir, qualquer infracção que faças num determinado tipo de veículo, e que determine apreensão de carta e perda de pontos, tem consequências nas restantes categorias para as quais estás habilitado. Portanto e pela mesma ordem de ideias, tem sentido que se infringes de bicicleta, como condutor que és, as penalizações que venhas a ser alvo se reflitam na tua carta, abrangendo todas as demais categorias.

A questão é que para conduzires bicicleta na via pública, não precisas de carta, é certo... daí estar prevista a questão da apreensão do veículo como medida sancionatória alternativa!

Até porque até há uns anos atrás, para conduzir qualquer bicicleta, na via pública, tinhas de estar habilitado.... nem mais que não fosse com as extintas licenças camarárias de velocípede sem motor.

edit: e inclusivé a bicicleta, tinha de ter matrícula camarária (amarela), não sei se se lembram.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#50

Sim, recordo-me bem disso e lembro-me de ver a licença que o meu pai lá tinha guardada.

Mas como disseste e bem, para andar de bicicleta não é preciso carta, daí que me tenha surpreendido saber que as infrações de bicicleta também dão direito a pontos.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)