A verdade por detrás dos números de vítimas onde intervém motas e ciclomotores

(21-02-2018 às 19:55)OFFICER Escreveu:  
(21-02-2018 às 11:20)dmanteigas Escreveu:  Alguém que diga que a policia não faz caça à multa, ou nunca conduziu, ou é um ingénuo de todo o tamanho. O que eu tenho mais por experiência pessoal é casos de pura e dura caça à multa. Principalmente multas de velocidade. E atitude preventiva não existe. Quando é que foram as últimas campanhas de sensibilização para uso de tlm enquanto se conduz ou excesso de alcool?

A caça à multa não existe, existe a caça ao infractor. São nomes diferentes, mas que visam a mesma coisa.

Caça à multa porquê? Porque raio se chama isso? O agente é que está mal ao cumprir ordens estando escondido atrás da moita com o radar, ou é o infractor que sabendo ao que incorre, faz de livre e espontânea vontade?

Campanhas de sensibilização? OP STOP tens várias, mas depois há os iluminados que as partilham em apps tipo Waze.

Depois tens muita gente que é caçada ao telemóvel, conheço muitos casos e que ficaram inibidos de conduzir, inclusive.

Vamos lá ver... infratores todos somos! 99% das pessoas que conduzem na estrada fazem infrações a todo o instante. E caça ao infrator é algo bem diferente de caça à multa. Quando escondem os radares em zonas onde há zero sinistralidade e uma probabilidade muito elevado de excesso de velocidade pelas condições da via, estão a fazer caça à multa. Até porque não há qualquer atitude preventiva nesta situação.

Uma atitude preventiva seria, como já foi referido e bem, estarem regularmente a controlar a velocidade devidamente identificados em zonas problemáticas. Porque aí as pessoas que os vão a conduzir reduzem a velocidade, e é a redução da velocidade em zonas problemáticas que evita os acidentes, não a câmara escondida que apresenta as faturas. 

OP Stop também não são campanha de sensibilização e educação do condutor. Uma operação de sensibilização seria, por exemplo, uma semana onde houvesse um controlo mais apertado por parte de agentes de autoridade ou até de subcontratados onde em vez de simplesmente disparar uma multa, todos os condutores que fossem "apanhados" fossem obrigados a frequentar uma ação de sensibilização paga por eles. E ir repetindo este tipo de campanhas mediante os dados rodoviários relativos à sinistralidade. Mas este tipo de campanhas não permite faturar tanto...
Responder

Ora vamos lá fazer quotes fofinhos, o dfelix vai ficar orgulhoso de mim!

(21-02-2018 às 20:18)michelfpinto Escreveu:  Uma coisa é argumentares que as pessoas tem noção dos limites de velocidade (no caso dos radares) e infringem porque querem e ai dou-te razão. Agora dizer que não existe intenção de arrecadar dinheiro com isso, o vulgar "caça à multa", é quereres deitar areia para os olhos das pessoas David.

Qual é por exemplo o grande perigo existente no Eixo Norte-Sul uns 300 mts antes da saída para o alto do Lumiar, local onde é super comum estar um radar? Está lá porque sabem que a probabilidade de apanharem alguém numa recta, numa estrada que tem todas as condições para ser uma autoestrada (não é mas diria que em termos de condições bem o poderia ser), a mais de 90 km/h? Vão para lá pois sabem que vão facturar, não por ser um ponto critico de acidentes.

Se o fizessem em pontos críticos onde ocorrem muitos acidentes por excesso de velocidade, isso seria dissuasor, e possivelmente levar a que as pessoas tivessem outros cuidados. Mas a maioria não é, por isso é só para ganhar dinheiro. Agora os agentes seguem ordens e fazem o que lhes mandam, não tem culpa disso.

Não o podes é chamar caça à multa porque quem infringe, tem que saber ao que vai. Querias que fosse dado só um aviso? A seguir faria igual, enquanto que com o valor e sanção acessória, a coisa pia de outra forma.

Lembraste da infracção que falar ao telemóvel era? Sabes o que é agora? Um bocadinho pior, certo?

O mesmo para quem anda de luzes apagadas.

E porquê? Porque eram infracções que toda a gente cagava nisso e agora pia de outra forma.

Quanto ao radar do eixo N-S, pelo que me estás a falar, deverá ser sentido S-N, certo? Ali no posto SOS, certo? Então deverás saber que aquilo é um viaduto, que tem casas por baixo, assim como pessoas e outros veiculos. O que acontece ao haver ali um despiste?

Se reparares, nestes pontos altos, costuma haver ali radares. Sabes também porque no IC17, nos túneis, meteram aquela porra a 70kmh? Sabes o que implica um acidente dentro de um túnel onde haja feridos graves e/ou incêndio?

Porque há radares em zonas de 50 em Lisboa? Porque costumam estar na Av. de Ceuta? O que costuma acontecer na Av. de Ceuta? Atropelamentos mortais.

(21-02-2018 às 21:05)Nfilipe Escreveu:  Alias nao havia ate um valor para o qual eles deviam bulir? Isto é, media de multas!?  lol
Piada so visto de fora claro, quando um gajo levo com elas, nao tem piada nenhum. Eu ja fiquei 300 euros mais pobre a pala disso!

Isso já questionei a amigos da autoridade, todos me negaram. Será verdade ou será mentira?

(21-02-2018 às 23:35)vindaloo Escreveu:  Em alguns km de estrada, sobretudo AE’s desenvolvi a ideia que dava-me mais jeito que se cagasse na história das velocidades e se começasse a fiscalizar a sério os indivíduos na faixa do meio/esquerda fora de âmbito de ultrapassagens!

Esses sim, provocam o desequilíbrio no andamento, provocam situações mais delicadas e causam mais stress.

Eu indo a cumprir nesse sentido... podem-me ultrapassar a 200, 250 ou 300 que tá tudo de boa!

Portanto, Srs Agentes, se me estão a ler e puderem corresponder com a cortesia de atender a este meu obséquio, ficar-vos ia francamente agradecido.

Concordo contigo, deveria haver ainda mais fiscalização de quem anda na via do meio com a via da direita livre, assim como outras manobras. Mas já há fiscalização dessa, ainda que pouca, infelizmente.

(22-02-2018 às 10:46)dmanteigas Escreveu:  Vamos lá ver... infratores todos somos! 99% das pessoas que conduzem na estrada fazem infrações a todo o instante. E caça ao infrator é algo bem diferente de caça à multa. Quando escondem os radares em zonas onde há zero sinistralidade e uma probabilidade muito elevado de excesso de velocidade pelas condições da via, estão a fazer caça à multa. Até porque não há qualquer atitude preventiva nesta situação.

Uma atitude preventiva seria, como já foi referido e bem, estarem regularmente a controlar a velocidade devidamente identificados em zonas problemáticas. Porque aí as pessoas que os vão a conduzir reduzem a velocidade, e é a redução da velocidade em zonas problemáticas que evita os acidentes, não a câmara escondida que apresenta as faturas. 

OP Stop também não são campanha de sensibilização e educação do condutor. Uma operação de sensibilização seria, por exemplo, uma semana onde houvesse um controlo mais apertado por parte de agentes de autoridade ou até de subcontratados onde em vez de simplesmente disparar uma multa, todos os condutores que fossem "apanhados" fossem obrigados a frequentar uma ação de sensibilização paga por eles. E ir repetindo este tipo de campanhas mediante os dados rodoviários relativos à sinistralidade. Mas este tipo de campanhas não permite faturar tanto...

Sim, somos todos infractores, todos sem excepção. Não há quem consiga conduzir sem cometer uma que seja. Que radares escondidos estás a falar? Normalmente os que vejo escondidos são em localidades. Agora, se estás a falar naqueles casos das nacionais onde há uma localidade com casas a 500m dessa estrada, totalmente de acordo que é absurdo. Dentro das cidades em si, não acho que seja mal feito. E atenção, eu também não ando a 50 dentro da cidade, mas há estudos que provam que basta 10kmh acima de 50 para o atropelamento ter consequências piores.

Os radares preventivos, são os radares fixos, e o que acontece? Abranda-se ali, passados 100m todos voltam a circular acima, muitas vezes muito acima do que deveria. Tens vários exemplos em LX, e eu também o faço.

Quanto às multas, vou deixar um tema para reflectir. Preferias que as coisas fossem feitas da forma que são (pagar multa + sanção acessória de 1 mês ou 2 meses + perda de pontos), ou preferias que nem houvesse multa mas sim apenas uma sanção de vários meses mínimo + perda de pontos?

As infracções graves e muito graves nem é tanto pelo dinheiro, é pelo tempo de inibição de condução, que provavelmente é o que faz com que esse infractor pense duas vezes antes de repetir, até porque perde também pontos na carta.

Nas OP STOP acho bem que as façam não só pelo álcool no sangue mas também para recuperação de veículos furtados e provavelmente até raptos que podem ser evitados e nunca se sabe cá fora.

E eu nem sou drástico, mas há muita gente que defende tolerância zero ao álcool na condução.
Responder

(22-02-2018 às 11:14)OFFICER Escreveu:  Ora vamos lá fazer quotes fofinhos, o dfelix vai ficar orgulhoso de mim!

(21-02-2018 às 20:18)michelfpinto Escreveu:  Uma coisa é argumentares que as pessoas tem noção dos limites de velocidade (no caso dos radares) e infringem porque querem e ai dou-te razão. Agora dizer que não existe intenção de arrecadar dinheiro com isso, o vulgar "caça à multa", é quereres deitar areia para os olhos das pessoas David.

Qual é por exemplo o grande perigo existente no Eixo Norte-Sul uns 300 mts antes da saída para o alto do Lumiar, local onde é super comum estar um radar? Está lá porque sabem que a probabilidade de apanharem alguém numa recta, numa estrada que tem todas as condições para ser uma autoestrada (não é mas diria que em termos de condições bem o poderia ser), a mais de 90 km/h? Vão para lá pois sabem que vão facturar, não por ser um ponto critico de acidentes.

Se o fizessem em pontos críticos onde ocorrem muitos acidentes por excesso de velocidade, isso seria dissuasor, e possivelmente levar a que as pessoas tivessem outros cuidados. Mas a maioria não é, por isso é só para ganhar dinheiro. Agora os agentes seguem ordens e fazem o que lhes mandam, não tem culpa disso.

Não o podes é chamar caça à multa porque quem infringe, tem que saber ao que vai. Querias que fosse dado só um aviso? A seguir faria igual, enquanto que com o valor e sanção acessória, a coisa pia de outra forma.

Lembraste da infracção que falar ao telemóvel era? Sabes o que é agora? Um bocadinho pior, certo?

O mesmo para quem anda de luzes apagadas.

E porquê? Porque eram infracções que toda a gente cagava nisso e agora pia de outra forma.

Quanto ao radar do eixo N-S, pelo que me estás a falar, deverá ser sentido S-N, certo? Ali no posto SOS, certo? Então deverás saber que aquilo é um viaduto, que tem casas por baixo, assim como pessoas e outros veiculos. O que acontece ao haver ali um despiste?

Se reparares, nestes pontos altos, costuma haver ali radares. Sabes também porque no IC17, nos túneis, meteram aquela porra a 70kmh? Sabes o que implica um acidente dentro de um túnel onde haja feridos graves e/ou incêndio?

Porque há radares em zonas de 50 em Lisboa? Porque costumam estar na Av. de Ceuta? O que costuma acontecer na Av. de Ceuta? Atropelamentos mortais.

Exatamente esse, e onde o radar está não existem praticamente casas...

Os túneis embora chato percebo e nada referi sobre eles.

Na Avenida de Ceuta os atropelamentos eram nas passadeiras ou fora delas? É que se era fora delas quem é culpado é o pião... E se calhar sensibilização das pessoas, criar mais pontes para passagem de piões, etc era capaz de ser boa ideia... Mas ai em vez de ganharem dinheiro, gastavam...

Mais uma vez digo, quem vai a transgredir sabe que pode ser apanhado, nada a dizer. Já fui, paguei, fiquei lixado mas nada a dizer, eu sabia o risco e continuei a fazê-lo. Agora que muitas vezes o único objectivo ser angariar dinheiro é óbvio... Basta ver o quanto a receita cresceu e continua a crescer...

Quanto a telemóveis que mencionaste vejo cada vez mais pessoas a fazê-lo, por isso, não sei se aumentou ou não, mas não está a resultar... Basta andar em qualquer sítio com mais trânsito para o ver... Só que ai dá mais trabalho, por isso deixa andar... Como ir pela esquerda ou centro em estradas com várias faixas de rodagem. Cada vez é pior, mas como dá trabalho mal fazem fiscalização...

Todos como referido temos de melhorar, mas com base nisso dizer que é tudo por prevenção e que tem a postura mais adequada...

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder

Porque se mexe mais nos telefones?

Porque as pessoas estão aborrecidas de terem de andar a 50km/h ou 100km/h quer seja para poupar combustível que anda por um preço ridículo quer seja pelos radares constantes lol

Claro que não há nada no telefone que tenha a importância suficiente para desviar o olhar, mto menos o que a maiora vê que são whatsapp de coelhinhos ou merdas assim.

Pessoalmente como tenho rotas quase iguais todos os dias é fácil de saber onde anda a caixa registadora...siga para a frente de preferência a fundo a seguir lol.
Responder

(22-02-2018 às 12:45)michelfpinto Escreveu:  Na Avenida de Ceuta os atropelamentos eram nas passadeiras ou fora delas? É que se era fora delas quem é culpado é o pião... E se calhar sensibilização das pessoas, criar mais pontes para passagem de piões, etc era capaz de ser boa ideia... Mas ai em vez de ganharem dinheiro, gastavam...

Contra idiotas não há medidas suficientes a aplicar. Serão sempre insuficientes e a necessitar de mais e mais.

A ideia brilhante do radar na Av. de Ceuta surgiu depois duma miúda ter lá sido apanhada por um fogareiro e projectada uns bons metros no ar. O que fez as delicias dos jornais e TVs durante uma semana ou duas.

Mas tudo isto nasceu uns anos antes quando o "artista" Soares mais novo (aquele que oferece chapadas aos adversários via cronicas dos jornais) quis fazer "socialismo" e resolveu "acabar" com o Casal Ventoso para se poder gabar do "grande feito". O que posteriormente ainda tentou mas rapidamente passou à frente quando alguns anos depois lá surgiram as contas finais e, melhor ainda, os resultados práticos de mais esta generosa montra do que é a Engenharia Social(ista!).

E então construiram aquele bairro/blocos no inicio da Avenida divididos pelos dois lados da mesma. E depois transportaram para ali as ultimas famílias que ainda restavam no Casal Ventoso e que trouxeram consigo todos os "velhos hábitos" lá de cima. Que incluíam o andar no meio da rua como se estivessem a andar dentro do próprio quintal.

É que se podem retirar as pessoas do Casal mas não se consegue retirar o Casal de dentro das pessoas...

Ora se dentro do Casal isso era relativamente pacifico porque aquilo se resumia basicamente a uma encosta com 3 ruas estreitas e muitos becos e becozinhos pejados de carros e "agarrados" ou restante fauna típica sortida e onde não se podia/conseguia conduzir depressa (o "depressa" aqui consiste em velocidade reduzida para nós ou Fast and Furious se usarmos a escala "Officer) excepto quando tocava a fugir à policia, já cá em baixo foram parar mesmo ao lado duma Avenida com 3 faixas para cada lado e que à época tinha relativamente pouco transito já que estava situada muito fora do centro de Lisboa.

Ora os resultados não se fizeram esperar. Porque "brincar no meio da rua" ali ganhou outro sentido.

E pintaram passadeiras. Que ninguém usava.
E puseram semáforos com botões para os peões. Que ninguém usava.
E construiram passagem aéreas que também ninguém usava.
E até que depois de alguns atropelamentos que culminaram no tal "voo da miúda" estava identificado o local para mais uns dias de auto promoção de mais uma grandiosa personalidade que ia resolver tudo aquilo de uma só penada. Com um radar. E lá nasceu o dito cujo.

E hoje...
As passadeiras continuam sem ser utilizadas. E a passagem aérea idem.
E um destes dias lá virá mais um radar e uns dias de auto promoção a outro "salvador-da-pátria-que-só-por-acaso-também-é-assalariado-temporario-do-Estado" porque muitas pessoas continuam a atravessar aquelas 6 faixas (ou 7 dependendo do local) como antigamente atravessavam os becos estreitos do Casal.

Agora só "por graça" o Toyota que costuma caçar (cagar?) na moita ao final da Av de Ceuta faz prevenção numa zona de 50 km/h, porque é zona urbana, mas onde não há habitações, passeios ou sequer pessoas a pé. Porque ali a pé não se vai a lado nenhum. É só mesmo  uma zona de caça prevenção privilegiada.

Porque quem não conheça o local, ao sair das curvas que precedem a fotografia estará a olhar  para o entroncamento que se aproxima, exactamente na direcção contraria à da moita dos srs. agentes da brigada da prevenção. E normalmente a tentar sair dali o mais rapidamente possível para não inalar muito mais aquele característico aroma perfumado da ETAR que fica no outro lado da Av. e tem "aqueles dias do mês" em que alguém se esquece de lhe baixar a tampa depois de usar.

Fim da história...

Mas não das teorias neo-futuristas do patrãozinho El Officer, I bet!...  devil

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder

(22-02-2018 às 14:16)n00b1e Escreveu:  
(22-02-2018 às 12:45)michelfpinto Escreveu:  Na Avenida de Ceuta os atropelamentos eram nas passadeiras ou fora delas? É que se era fora delas quem é culpado é o pião... E se calhar sensibilização das pessoas, criar mais pontes para passagem de piões, etc era capaz de ser boa ideia... Mas ai em vez de ganharem dinheiro, gastavam...

Contra idiotas não há medidas suficientes a aplicar. Serão sempre insuficientes e a necessitar de mais e mais.

Então não existe, uma bem velhinha formulada pelo Darwin, a lei da selecção natural! devil

Quanto ao restante que relatas, não sabia que era esse o caso. Mas costuma ser uma das formas de "resolver" os problemas, muda-los de sitio... Existem coisas mais complicadas de resolver, mas normalmente estas "engenharias" não costumam dar bons resultados... E estão à vista de todos em muitos lugares...

Quanto ao Toyota, explica lá melhor onde o centro de prevenção e segurança rodoviária costuma estar? É que dá sempre jeito saber. blink

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder

Onde o Toyota costuma estar, basicamente é no inicio da Av. de Ceuta logo após a ETAR, do lado direito. O que é normal, pois o radar é lá mais à frente e há quem venha dali a pensar que ainda está no Eixo, mesmo que a sinalização diga o contrário.

Quanto aos telemóveis, eu também concordo que devia haver mais policiamento nesta situação, porque a maioria das pessoas que são apanhadas são em AE ou vias rápidas. Já em cidade, quem anda de mota principalmente, vê muitos diariamente.

Isto resolvia-se com policiamento de mota ou com mota descaracterizada, mas enfim.
Responder

(22-02-2018 às 15:28)OFFICER Escreveu:  Onde o Toyota costuma estar, basicamente é no inicio da Av. de Ceuta logo após a ETAR, do lado direito. O que é normal, pois o radar é lá mais à frente e há quem venha dali a pensar que ainda está no Eixo, mesmo que a sinalização diga o contrário.

São basicamente os filósofos da condução... Quem pensam muito mas nada executam... já que do Eixo até à moita dos cagões... errr... dos Srs Agentes da Prevenção Fotográfica, há 1 semáforo que nunca fica VERDE, apenas passa a laranja intermitente e por pouco tempo de cada vez para quem sai do Eixo, no final duma única via de transito, um cruzamento de vias com transito que nunca pára totalmente pois vem sem interrupções e à vez do Monsanto e da Av Gulbenkian e ainda uns bons 500 metros de Av. em 2 curvas sequenciais.

Se os factos não correspondem à teoria... torçam-se os factos até caberem...  clown

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder

(22-02-2018 às 16:09)n00b1e Escreveu:  Se os factos não correspondem à teoria... torçam-se os factos até caberem...  clown

devil lol

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder

Claro, até porque o sinal de 50 que está logo ali após o inicio assim como de "outros perigos" está lá porque sim, para enfeitar e porque estavam em promoção de leve 2 e pague 1.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)