A verdade por detrás dos números de vítimas onde intervém motas e ciclomotores
#81

(18-02-2018 às 21:35)marco.clara Escreveu:  Depois de uma manifestação que correu de forma exemplar...

https://www.jn.pt/local/noticias/lisboa/...27996.html

cry

Qualquer morte é triste, esta torna-se mais triste porque foi justamente numa manifestação a refutar a utilidade das inspeções na diminuição das mortes na estrada.

Mas vejamos o lado positivo ( se é que se pode encontrar algum ) : dos milhares que estavam presentes, um acidente mortal é mau, mas é o menos que se podia esperar. Estive em varias zonas da praça do Rossio e o cheiro a substancias... "esquisitas", digamos assim, era muito comum. Também vi alguma mesas de algumas esplanadas bem cheiinhas de garrafas vazias, o que nunca é muito aconselhável quando se conduz. Cada um sabe de si, se querem conduzir sóbrios ( eu também bebi, atenção, uma cerveja no caminho, uma ginja á chegada ao Rossio, uma cerveja ao almoço e mais uma quando parei no regresso em V. Novas ), conduzem. Se querem conduzir debaixo do efeito de álcool, ou outras substancias, também o podem fazer... mas já se sabe que os reflexos não são os mesmos.

Com isto tudo não estou a dizer que essa vitima mortal estava debaixo do efeito de alguma coisa, apenas pretendo frisar que, no meio de milhares de motociclistas presentes é quase impossivel controlar todos os presentes e eventuais excessos e eu presenciei alguns excessos, não só de substancias ingeridas mas também de comportamentos.
Responder
#82

Eu gosto dos teus comentários pá.

É depois dizem que tenho a mania das perseguições e tal....
É certo e sabido, e dou-te razão, que a comunidade tem uma ralação estreita com as cervejeiras do país e que alguns fazem viveiros no de fumos e tal...
Mas vincular uma morte ao que viste é um jogo arriscado.

Eu não bebo e junto-me ao pessoal, que bebe e fuma.
Participo em eventos como esse (inclusive já fui organizador), concentrações e outras rebadldarias, onde as loiras em copo espadaudo andam de mão em mão.
Mas eu saio do evento e de caminho a casa mando um tralho por causa de um buraco no asfalto, de uma pintura deslizante ou, imagina bem porque algum senhor automilista atirou uma pirosa acesa pela janela que por infortúnio foi parar no pescoço do gajo que vinha da concentração (que não bebe, mas de certeza ia bêbado).
É pá estes gajos das motas pá, quando não estão bêbados estão drogados e quando não estão nem um coisa nem outra, estão bêbados e drogados!

Na minha altura, quando perguntava o porquê e como morreu fulano, houve um velho queimado das R's que desde o alto da FZR1000 Exup me explicou que dificilmente se vão conseguir apurar a 100% de certeza as circunstâncias em que se dão os acidentes, que convém não conjecturar sobre o que realmente aconteceu, e quando sabes de alguém que lerpou, guarda um momento de silencia em sua memória e reflete sobre o que tu fazes mal, toma consciência disso e tenta melhorar para que não sejam mais uma circunstância a pesar na balança.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#83

Eu não disse que foi o caso daquela vitima. O que eu disse, e quem esteve lá tambem viu, foi que vi muitos excessos, seja no consumo de certas coisas ou de comportamentos. É claro que basta uma linha de eléctrico, uma seta no pavimento, outro utente da via ou um buraco na estrada para matar um motociclista. Não sei se foi o caso deste nem nunca disse que foi ou não foi. Alguma coisa foi, mesmo que tenha sido um ataque cardíaco fulminante a matar o rapaz.

Não sou apologista do consumo de álcool, ou qualquer outra substância, ao volante de carros ou motos. Já vi amigos mortos e estropiados à conta disso. Mas não generalizo, não somos todos iguais e fazer do motociclista aquele gajo feio ( neste caso, estou incluido ) , porco ( aqui não me incluo, tomo banho uma vez por semana, mesmo que não precise ) e mau ( não faço mal a uma mosca ) e que além disso ainda é bêbado e drogado é errado e discriminatório. No entanto, cabe a nós mudar os nossos comportamentos, sob pena de serem esses mesmos comportamentos a trazerem-nos mais dissabores junto de quem manda e que nunca andou de moto. Se não formos nós a mudar e a tentar que outros motociclistas mudem, não serão os outros a faze-lo. Eu tento ajudar, sensibilizando alguns para os ( maus ) efeitos desses comportamentos. Como disse, já perdi alguns amigos na estrada, alguns deles devido a isso, e não quero perder mais nenhum.

Ainda assim, e independente das causas da morte desse colega, é sempre de lamentar a perde de uma vida.
Responder
#84

(20-02-2018 às 16:54)YontikoBT Escreveu:  No entanto, cabe a nós mudar os nossos comportamentos

Talvez seja um pouco isso o que o Rui pretendeu dizer com cada um "reflectir sobre o que faz mal"...

Não podemos mudar os maus comportamentos dos demais... mas temos pleno controlo dos nossos.
Se cada um fizer "por si", o panorama acabará natural e inevitavelmente por mudar para melhor.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#85

Gostaria de saber qual a percentagem de acidentes/feridos/feridos graves/mortes do antes e do depois das inspeções automóveis.

Por outro lado, quando ainda era possuidor do BUS, foi-lhe detectada uma avaria algo grave, numa suspensão, onde existia o perigo real de capotamento do mesmo (perigo para condutor, passageiros e demais utentes da via), que não foi descoberto em nenhuma das intervenções/revisões na marca, apenas no centro de inspeção foi possível detectar...
Responder
#86




------------------------------------------------------



[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder
#87

[Imagem: GT7DBXd.gif]

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder
#88



GAM OVER...

FEDERAÇÃO E ACAP PALHAÇADA TOTAL ..

Conforme previmos, esta gente não sabem o que andam a fazer, ou por outro lado, só fazem o que os lobbys dos automóveis mandam e foram dar mais uma vez uma triste imagem do motociclismo completamente capturado pelos interesses que eles próprios meteram dentro da nossa casa.

Pasme-se, depois de realizarem uma manifestação nacional contra as inspecções foram hoje oficializar as inspecções e até pedem por favor, que apenas entre em vigor o mais tarde possível..Como é que é??

A ACAP, essa goza o prato e concorda claro, pois na verdade a montante, os seus associados são os donos disto tudo e têm muitos amigos dentro da Federação.

AS MOTOS SEM ESTRATÉGIA E SEM RUMO..

Hoje apenas ficou provado que as coisas têm de mudar e que não é possível adiar mais a criação de uma Associação de Construtores, Importadores, Comerciantes e de Acessórios do Motociclismo de Portugal.

Até porque o sector das motos não são apenas 3 marcas, são 30, a que se juntam mais os capacetes e restantes equipamentos mais os agentes das marcas e comerciantes independentes, todos têm de ter voz.

INSPECÇÕES

É claro que o assunto das inspecções tem de ser discutido de uma vez por todas com seriedade e de forma profissional e começa logo por acabar com as casinhas instaladas de 30 anos e outros iluminados sentados dentro e fora da Federação, mas que ao fim do dia apenas defendem o tacho.

A nossa posição (ver artigo em baixo) é que deve ser criada uma nova associação, que por sua vez criará um grupo de trabalho reunindo todo o sector e produzirá a regulamentação que vai gerir no futuro as inspecções de motos englobando todas as suas especificidades e esse sim, será a cartilha que será entregue ao governo.

Por exemplo, será que as oficinas das marcas não podem certificar motos.!?

Um coisa é certa, assim não vamos lá a dormir com o inimigo.


Em: Hora do Motociclismo@horadomotociclismo



think

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder
#89

Alguém que diga que a policia não faz caça à multa, ou nunca conduziu, ou é um ingénuo de todo o tamanho. O que eu tenho mais por experiência pessoal é casos de pura e dura caça à multa. Principalmente multas de velocidade. E atitude preventiva não existe. Quando é que foram as últimas campanhas de sensibilização para uso de tlm enquanto se conduz ou excesso de alcool?
Responder
#90

(21-02-2018 às 11:20)dmanteigas Escreveu:  Alguém que diga que a policia não faz caça à multa, ou nunca conduziu, ou é um ingénuo de todo o tamanho. O que eu tenho mais por experiência pessoal é casos de pura e dura caça à multa. Principalmente multas de velocidade. E atitude preventiva não existe. Quando é que foram as últimas campanhas de sensibilização para uso de tlm enquanto se conduz ou excesso de alcool?

O Officer sabe...

Velasquez87
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)