Quick Shifter (Como Funciona)
#1

Citar:[Imagem: XRMmX.jpg]

Um quickshifter (ou quick shifter) é um dispositivo que permite a mudança de velocidades sem embraiagem numa transmissão manual, e é habitualmente utilizado em motorizadas. Aumenta a segurança e o conforto na condução do veículo, uma vez que elimina a necessidade de ajustar a embraiagem ou o acelerador antes e depois da mudança de velocidades. Como eliminam a necessidade de ajustar a embraiagem e o acelerador durante a troca de mudanças, são mais rápidos (geralmente menos de 50 milissegundos) e também são usados como melhoria de performance.

Mecanismo

Quase todos os quickshifters funcionam da mesma forma: um sensor detecta a mudança de velocidade, um microcontrolador (CPU) processa os dados (e calcula o tempo) e corta a ignição momentaneamente, resultando na redução da carga na transmissão, permitindo que a nova mudança deslize (e engate) no seu lugar. No entanto, o método de detecção e redução da carga pode variar.

Sensor

A maioria dos sensores de mudança de velocidade funciona medindo a mudança de pressão ("pull/push") no seletor. No entanto, alguns sensores medem a tensão no varão de mudança de velocidades para determinar o processo de mudança de velocidades em vez de usar um interruptor de pressão. O uso de "strain gauge" molecular (sensor) é caro, porém mais fiável (do que o sensor "push/pull") e livre de falsas leituras devido a vibrações, já que não possui partes móveis.

[Imagem: 62411.jpg]

Microcontrolador/CPU

Os CPU geralmente controlam a ignição e/ou o fornecimento de combustível para reduzir a carga de transmissão quando necessário. Podem ser separados da ECU ou integrados numa única unidade (ECU com "quickshifting"). Podem assegurar mudanças de velocidade quase perfeitas em dezenas de milissegundos.

[Imagem: dynojet-quickshifter.jpg]

Redução de Carga

A carga da transmissão é geralmente reduzida cortando-se a ignição e/ou a alimentação de combustível no motor ou desengatando a embraiagem. Como a carga é reduzida na transmissão de forma precisa (uma vez ajustado corretamente) pelo microcontrolador, faz menos danos ao usar o quickshifter do que a mudança de velocidade sem embraiagem (sem quickshifter) numa transmissão manual.

Quickshifter Bidirecional

O termo quickshifter bi-direcional significa que o quickshifter funciona em ambas as direções de mudança de velocidades - "upshifts" e "downshifts". A maioria dos quickshifters é bidirecional, portanto, o termo quickshifter geralmente é suficiente.

No entanto, existem exceções, como a Kawasaki Ninja ZX-10R de 2016 e os quickshifters "KQS" da H2/R de 2015, que são unidirecionais e funcionam apenas com "upshifts". O seu objetivo principal é geralmente conseguir uma melhor aceleração, reduzindo o intervalo de tempo entre as mudanças de velocidade durante a aceleração, o que resulta numa entrega de potência contínua e mais suave às rodas.

Tradução a partir de Wikipedia

Alguns Quick Shifters no mercado:

DynoJet Quick Shifter: http://www.dynojetcenter.nl/quickshifter-sensor/
HM Quick Shifter: https://fullcontrolmotos.com/produto/hm-...hifter-hm/
Bazzazz Quick Shifter: https://bazzaz.net/index.php/quick-shift...t-overview
Responder
#2

Do alho.

Em todas as motas que já andei com este "aparelhinho" consegue ter além de sal, mais alguma pimenta.

Não é um must (para mim), e hoje em dia ter já começa a fazer parte de muita mota.

Velasquez87
Responder
#3

São estas mariquices que me fazem ser velho....
Eu mudo mais rápido de caixa que qualquer quick shift....
Especialmente se a caixa for uma 3+3 com overdrive.
E ainda tenho tempo de fazer uma dupla pelo meio....

Cambada de tenrinhos!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#4

"...e é habitualmente utilizado em motorizadas"

lol

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#5

Só experimentei uma vez na bmw s1000r. Mas como não o vejo (para a minha utilização) algo necessário...até me dá gosto de todo o processo de conduzir com uma embraiagem totalmente manual.

[Imagem: ibVN1KS.jpg]
Responder
#6

(20-11-2018 às 10:15)dfelix Escreveu:  "...e é habitualmente utilizado em motorizadas"

lol

Não gozes pá... A Wikipédia é que sabe! blink
Responder
#7

Eu tenho unidirecional e fiquei completamente fã. Para tirar mudanças sinceramente dá-me igual ao litro, mas para meter numa condução mais desportiva é brutal, porque dá muito mais progressividade na aceleração para aqueles que não têm mãos de veludo como o LoneRider que consegue meter as mudanças em microssegundos. 

Há quem associe estes dispositivos (não estou a dizer que é aqui) a algo que permite facilitar a condução citadina. Nada mais errado em minha opinião. Isto é um dispositivo que regra geral funciona melhor quanto mais altas as rotações (e alguns até têm este limite minimo - na minha é a partir de 2600rpms e 30kmh, mas na realidade ele funciona mesmo bem a partir das 5000rpms). Quando conduzo no trânsito é impossível usar o QS. Nas motas que já experimentei com QD bidirecional, mantive a mesma opinião. É uma ferramenta para condução desportiva, não para condução citadina. É aqui que reside a principal diferença, na minha opinião, entre um QS e o sistema DCT das motas da Honda. O DCT é para "scooterizar" a condução de uma mota, isto é, tornar menos cansativa e mais cómoda a condução de uma mota principalmente em ambiente urbano, tendo o sistema a possibilidade de tirar e meter mudanças automaticamente, sem limitações. No caso do QS, é um instrumento que serve para condução desportiva. Não é adequado para uso urbano nem tem como objetivo tornar a condução menos cansativa.

O que me faz olhar com alguma estranheza para este acessório como sendo parte do pack "GT" da Tracer. Um acessório que efetivamente faz todo o sentido estar num pack GT é um cruise control. O QS não.

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#8

Fodasse Manteigas, tu compraste uma mota ou um sintetizador!?

Não admira que o mestrado não te seja útil....
Entra nas Belas Artes ou Conservatório pá, que de outra forma num vais lá! lol

Agora a sério.
Gostei do teu post porque de forma sucinta explicaste o teu raciocínio, com o qual concordo plenamente, marcando claramente as diferenças e a orientação de ambos sistemas.

Mas eu acho que devias ter comprado outra mota, uma NC por exemplo, ou uma MT 07 para perceberes que, a electrónica apenas vai servir para adormecer os teus sentidos.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#9

Uma MT-07 quase que não tem eletrónica  troll Não há QS, controlo de tração, modos de motor, nada. E antes nem ABS lol Só faltava o CP2 funcionar a carborador!

Dificilmente compraria uma NC. Se é para ser racional, sou racional ao máximo e no custo de aquisição, manutenção, consumo não há "pai" para as 125cc citadinas. Não sendo racional, há tanta mota mais interessante pelo mesmo preço ou marginalmente superior... como a MT-07

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#10

Yap!
Voltas a ter razão.
Foi precisamente por isso que eu enunciei essas duas motas. Porque são motas muito simples no funcionamento e que tem a nobre tarefa de formar os motociclistas de amanhã. Motociclistas que mais tarde vão usar todas as mordomias do teu sintetizador sem perder esse know how que te trás o básico.
Caso necessário podem regredir e estarão de novo em casa, seja em que mota for!
Pergunto-me se poderás conduzir com desenvoltura uma mota básica sendo tu quick shifter dependente. Saberás ser tão preciso sem a electrónica?
Terás firmeza e sensibilidade no punho direito o quanto baste para aguentar 50km sem ligar o Cruise Control?

E parece que são perguntas retóricas e tal, mas para para pensar.
Saberás realmente conduzir de forma eficiente uma Milf de 20 años!?
Queres experimentar?

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)