[Mota seguinte] 2ª moto do Bosco (final 2019)
#71

As 600cc estão tanto em extinção como as 1000cc, porque hoje há muita oferta, principalmente para os coninhas dos consumos.

Malta responsável e tal que não precisa de muita velocidade, mas depois vai reprogramar a mota que compra para ter mais 4cv.
Responder
#72

(20-02-2019 às 16:58)marco.clara Escreveu:  
(20-02-2019 às 16:28)dmanteigas Escreveu:  Estava a fazer uma generalização bacoca como é óbvio lol

Como disse o carlos e bem, o problema das 600 é que o preço está tão próximo de uma 1000 que está num patamar tão diferente que é normal que estas estejam em vias de extinção num segmento já de si pelas ruas da amargura.

Acho que inadvertidamente continuas a generalizar de forma bacoca, sem que a generalização seja completamente verdade... think

Exemplo #1: Honda CBR650F (9k) vs. Honda CBR1000 (19k) - mais 10 mil euros...
Exemplo #2: Kawazaki Ninja 650 (9k) vs. Kawazaki Ninja ZX10 (19k) - mais 10 mil euros...
Exemplo #3: Suzuki GSXS 750 (9k) vs. Suzuki GSXS 1000 (13k) - mais 4 mil euros...
A Yamaha só faz Tracers e MTs por isso não arranjei nenhum exemplo de jeito... lol

Com as devidas salvaguardas entre "modelos" e "segmentos", estamos sempre a falar de vários milhares de euros de distância, o preço continua a não me parecer uma justificação válida per si.

Eu ajudo-te devil

A R6 custa 14 mil€ e a R1 quase 20 mil. 5500-6000€ de diferença.

Mas tens razão, não estava de todo a considerar algumas opções que aí colocas e estava a nivelar todas as 600cc superdesportivas pelo nível da R6 devil . A R6 atual tem a módica quantia de 140cv se não estou em erro, enquanto a Ninja 650 tem "apenas" uns 70, ou seja, metade. A CBR600 tem 90. No caso da R6, parece-me lógico que quem tem 14 mil € para dar por uma certamente que não terá problemas em dar esse extra (ou até pouco menos se usada) e comprar logo o "topo" do segmento.

Já no caso das outras, creio que o motivo será outro. Para quê pagar 9k por uma Honda CBR650 se por mais 1000 paus compras uma MT-09 ou uma Z900 por exemplo, com motores com outra performance?

Mas estou "fora de pé". As superdesportivas não me atraem de todo, portanto mesmo investir 20k numa mota que não tenha como proposito usá-la em pista ou em que se tenha perto um local onde se consiga extrair todo o sumo já me parece exagerado. E estou contigo a 200% quando dizes que a grande maioria das pessoas que as compra só não anda mais rápido numa superdesportiva 600cc porque lhe falta unhas para tocar aquela viola, entanto compensa a falta de talento para a condução com um acréscimo de potência da mota.

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#73

A questão das 600cc desportivas estarem em extinção é só uma... são pouco utilizáveis.

Com esta cilindrada, os motores expressam valores de torque não muito expressivos. E para se conseguir prestações interessantes e dignas de verdadeiras desportivas (e não daquelas a "fingir" e que de desportiva só têm roupagem), os motores são "trabalhados" de forma a darem tudo lá em cima, prejudicando os regimes médios e baixos... resultando em motorizações pontudas e pouco elásticas, que as faz parecer gatos mortos nas rotações mais utilizáveis em condução real e regular.

Acho que as 600RR teria todo o sentido voltarem... mas explorando a questão da sobrealimentação, o que as poderia tornar mais aliciantes e colmatar esta lacuna.



Responder
#74

(20-02-2019 às 17:11)dmanteigas Escreveu:  A R6 atual tem a módica quantia de 140cv se não estou em erro, enquanto a Ninja 650 tem "apenas" uns 70, ou seja, metade. A CBR600 tem 90.

Uma 600cc atmosférica com 140cv? Deves ser pescador, também, pá!
Tira lá cerca de 20 "cavalitos" à bicha, que eu prometo apagar a candeia acesa que acabei de pescar mesmo agora. tong

A Ninja 650 não é uma desportiva... é uma travestida com um motor de uma naked utilitária!
A (descatalogada) CBR600RR declarava também algo na casa dos 120cv e a recém apresentada CBR650R declara 95cv (para poder possivelmente homologar uma variante para A2).

Entretanto vamos a ver o que virá aí com a nova Daytona... apesar de já ter sensivelmente mais 165cc e menos 1 caneco.



Responder
#75

(20-02-2019 às 17:02)Fz1000 Escreveu:  Malta responsável e tal que não precisa de muita velocidade, mas depois vai reprogramar a mota que compra para ter mais 4cv.

lol
Responder
#76

(20-02-2019 às 17:34)carlos-kb Escreveu:  
(20-02-2019 às 17:11)dmanteigas Escreveu:  A R6 atual tem a módica quantia de 140cv se não estou em erro, enquanto a Ninja 650 tem "apenas" uns 70, ou seja, metade. A CBR600 tem 90.

Uma 600cc atmosférica com 140cv? Deves ser pescador, também, pá!
Tira lá cerca de 20 "cavalitos" à bicha, que eu prometo apagar a candeia acesa que acabei de pescar mesmo agora. tong

A Ninja 650 não é uma desportiva... é uma travestida com um motor de uma naked utilitária!
A (descatalogada) CBR600RR declarava também algo na casa dos 120cv e a recém apresentada CBR650R declara 95cv (para poder possivelmente homologar uma variante para A2).

Entretanto vamos a ver o que virá aí com a nova Daytona... apesar de já ter sensivelmente mais 165cc e menos 1 caneco.

Por isso é que eu disse "se não estou em erro" tong não quis perder tempo a ir consultar o "user friendly" site da Yamaha.

Mas ainda mais sentido faz que quem se quer meter neste mundo por mais meia duzia de patacos trazer a R1 que é o dobro da mota. E por 14 mil euros compras uma MT-10 com "apenas" mais 40 cavalos... a mim não me espanta que seja um segmento em desaparecimento.

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#77

Yamaha R6

Potência máxima: 87.1kW (118.4CV) @ 14,500 rpm
Binário máximo: 61.7Nm (6.3kg-m) @ 10,500 rpm

Sendo que o motor não sofreu alterações em relação ao anterior, e de forma a respeitar o Euro4 perdeu uns cavalitos...

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#78

Tive ontem a falar com a minha madame e acho que um horizonte mais realista para a troca da mota, se tudo correr bem, será o final deste ano e o inicio do próximo.

Estou também a equacionar alargar o espectro dos cc's para cima... só por causa da XSR900. Que opinião têm deste bicharoco? Mais mota que a CB650R, claro...uma "escolha mais acertada"? O problema é que não a conseguiria comprar nova. Está para lá do meu orçamento. Teria que ir para uma usada que andam agora entre os 8mil.

Não contemplo a XSR700 pois nesse campeonato, acho que a CB650R ganha.
Responder
#79

Boas;
Com tanto tempo de espera ainda desistes de gostar de motos. Estás quase lá, já começaste a dar ouvidos à tua madame, é o primeiro passo para nunca teres a moto que queres.
Responder
#80

(06-03-2019 às 20:23)el_Bosco Escreveu:  Tive ontem a falar com a minha madame e acho que um horizonte mais realista para a troca da mota, se tudo correr bem, será o final deste ano e o inicio do próximo.

Estou também a equacionar alargar o espectro dos cc's para cima... só por causa da XSR900. Que opinião têm deste bicharoco? Mais mota que a CB650R, claro...uma "escolha mais acertada"? O problema é que não a conseguiria comprar nova. Está para lá do meu orçamento. Teria que ir para uma usada que andam agora entre os 8mil.

Não contemplo a XSR700 pois nesse campeonato, acho que a CB650R ganha.


Entre a XSR900 e a CB650R, esta última vai ter mais alma em altas e provavelmente mais Vmax.

O motor CP3 é exibicionista mas em performances puras não tem nada de especial.

Se gostas dos 3 cilindros, a Triumph Street Triple 765 R e RS já têm mais potência do que a Yamaha e, em especial a RS, alma em altas RPM.

A minha mulher queria que eu tivesse comprado a Street Triple 765 RS, mas depois os aspectos práticos não estavam lá.

Se fores para uma naked, é um caso sério a considerar.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)