Inspecções de motociclos de cilindrada superior a 250cc avançam em 2016?

(07-03-2018 às 12:37)hjjs Escreveu:  Cá, se o fazem nos carros seria bom que o fizessem nas motas.

Tenho ideia que fui sempre eu que fiz a parte dos travões...

Esta para mim é a única problemática pelo comportamento que a mota tem nessas situações, principalmente com o travão de trás.

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder

Desde que não tenha de ser obrigatoriamente o dono da mota a sentar-se lá em cima não será muito grave. Porque se assim não for, aquele "salto" em cima dos rolos promete abrir todo um novo mercado de peças e acessórios de substituição para quem tiver motas demasiado perto do limite de alcance das próprias pernas ao chão.

E, já agora se não for pedir muito, o mínimo que se poderá exigir é que os rolos estejam sempre correctamente calibrados para o peso da mota que lhe for para cima. Ou então... confused

É que eu já senti o meu "boguinhas" literalmente aos pulos em cima de rolos, num teste de travagem, e não me apetecia nada andar a apanhar do chão as peças da mota caso ela resolva dar um coice algo similar porque alguém se "esqueceu" de recalibrar os rolos depois de de lá ter saído a Gold Wing que entrou antes...  censored

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder

(07-03-2018 às 12:41)OFFICER Escreveu:  É o mesmo que te recusares a levar o carro para a vala de observação, que és tu que levas e podes fazer m**** e enfiar lá uma roda.



É preciso ser mto mto azelha para por as rodas no fosso.

Já por as rodas da mota no rolo, parece-me bem mais fácil dar um tombo.

[Imagem: images?q=tbn%3AANd9GcT4XLIkYtQDw11iDiKFM...g&usqp=CAU]


Responder

Não sejam assim pá!!
Vocês ali têm que bailar conforme a música que vos tocam.
Se te negas a bailar, chumbo e vem cá outro dia.
Conheco histórias do arco da velha, alguma vivida em primeira pessoa.
É cuidado!
Tu o que se passa no centro de inspeções fica dentro do centro de inspecções....

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder

Então é para andar sem matrícula certo? think
Responder

(07-03-2018 às 12:34)LoneRider Escreveu:  
(07-03-2018 às 12:28)hjjs Escreveu:  Tudo muito bem até à parte onde é  motociclista a por a mota nos rolos....

"Sr. Inspector tem aqui a mota e.....divirta-se".

Se for como em Espanha, chumba.
Se te negas a pôr a mota nos rolos não faz o teste, não há registo, chumba.
A escolha é sempre tua.

Sou apologista da ideia do Hugo.

Não se trata de uma recusa a fazer o que quer que seja, pois a moto está ali disponível para efectuar a IPO conforme os procedimentos técnicos necessários... mas sim o facto de ser o "comum" utilizador a manusear a moto dentro da linha, em operações de verificação, nas quais o mesmo não está preparado e familiarizado com as reacções secundárias da moto que podem advir dessas mesmas verificações.
Um solavanco incauto como esse, no teste de travagem em rolos (especialmente atrás, quando a moto está apenas apoiada pelo pé esquerdo), em motos maiores ou mais pesadas, facilmente tem consequências previsíveis.

Curiosamente, nos automóveis, os testes de travagem em rolos e suspensão nas plataformas vibratórias, é o inspector a fazê-lo.

Nas motos, caso não seja o inspector a fazê-lo e se não houver uma forma ou método seguro de fixar ou segurar a moto, de modo a evitar a queda... implicando como dizes, a reprovação em caso de negação em ser o utilizador a fazê-lo, julgo haver matéria para a devida reclamação em instância própria.
Já não falando que (desconhecendo o teor do texto legal que ainda não existe e servirá de base ás IPO a motos), se está a pagar um serviço "obrigatório" no qual o utilizador deveria até estar inibido inclusivamente de participar de modo directo ou activo.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder

Por mto que me custe o ideal é mesmo passar a batata aos inspectores e filmar a brincadeira para o eventual processo lol
Responder

Quando faço a inspeção dos carros a única intervenção que tenho é quando o homem vai para debaixo do carro e me manda entrar e virar para a esquerda ou direita conforme ele informa no walkie talkie...
E depois sou eu que chego o carro para a frente para estacionar e ir receber o documento.

De resto nem sequer entro no carro a não ser logo ao início para acender as luzes e os piscas...
Mas são eles que o metem a trabalhar e fazem tudo até estar em cima do buraco...
Responder

Atenção pessoal.
Eu vendo o peixe como é aqui nos caga na hostia, vivido na própria carne.
O inspector é quem manda e tu podes sempre escolher.

No caso do teste aos travões, quando a Dorothy fez o teste os valores que saíram chumbaram a mota.

"Não pode ser!" - pensei...

O gajo até já esfregava as mãos até que eu me lembrei de lhe dizer se o facto de ter travagem compartida influenciava.
Voltei a fazer de novo os testes com q máquina programada para o sistema de travagem correcto e passou sem problemas.
Meter a mota na máquina e fácil, as travagens são quase imperceptíveis e não existe nenhuma reacção estranha que provoque desiquilibrio.
Quando a Dorothy fez 6 anos apanhei um marmanjo que era Motard, foram 30 minutos muito bem passados, sem sustos nem histórias para não dormir.

O único momento em que eles tocam na mota é nas medições acústicas, onde aceleram a mota a medio regime, e quando fazem as verificações de luzes e interruptores de segurança.

Em nenhum caso chegam a montar na mota.

Entendo o vosso alarme, mas tentem levar a coisa com normalidade.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder

Um gajo vai a inspecção depois de largar umas notas na revisão da mota, xega aos rolos e da um tralho ao que o inspector depois diz que tem que a chumbar porque tem o pisca, espelho, manete e carenagens partidas e nao pode circular assim!  lol

Que vale e quando as inspecções chegarem ja nem devo ter mota!  lol
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 3 Visitante(s)