Relativamente a paragens da polícia
#41
Mas o desrespeito de uma ordem de paragem numa operação stop é "só" punida com 500€? Parece-me pouco.
Responder
#42
(13-03-2019 às 18:11)el_Bosco Escreveu: Mas o desrespeito de uma ordem de paragem numa operação stop é "só" punida com 500€? Parece-me pouco.

É de 500 a 2500, fora as sanções acessórias (com inibição de condução).
Responder
#43
Apenas para educação:

Citar:MUITO GRAVES
a) A paragem ou o estacionamento nas faixas de rodagem, fora das localidades, a menos de 50 m dos cruzamentos e entroncamentos, curvas ou lombas de visibilidade insuficiente e, ainda, a paragem ou o estacionamento nas faixas de rodagem das autoestradas ou vias equiparadas;
b) O estacionamento, de noite, nas faixas de rodagem, fora das localidades;
c) A não utilização do sinal de pré-sinalização de perigo, bem como a falta de sinalização de veículo imobilizado por avaria ou acidente, em autoestradas ou vias equiparadas;
d) A utilização dos máximos de modo a provocar encandeamento;
e) A entrada ou saída das autoestradas ou vias equiparadas por locais diferentes dos acessos a esses fins destinados;
f) A utilização, em autoestradas ou vias equiparadas, dos separadores de trânsito ou de aberturas eventualmente neles existentes, bem como o trânsito nas bermas;
g) As infrações previstas na alínea a) do n.º 1 do artigo 145.º quando praticadas em autoestradas, vias equiparadas e vias com mais de uma via de trânsito em cada sentido;
h) As infrações previstas nas alíneas f) e j) do n.º 1 do artigo 145.º quando praticadas nas autoestradas ou vias equiparadas;
i) A infração prevista na alínea b) do n.º 1 do artigo 145.º, quando o excesso de velocidade for superior a 60 km/h ou a 40 km/h, respetivamente, bem como a infração prevista na alínea c) do n.º 1 do artigo 145.º, quando o excesso de velocidade for superior a 40 km/h ou a 20 km/h, respetivamente, e a infração prevista na alínea d) do ​n.º 1 do artigo 145.º, quando o excesso de velocidade for superior a 40 km/h;
j) A infração prevista na alínea l) do n.º 1 do artigo 145.º, quando a taxa de álcool no sangue for igual ou superior a 0,8 g/l e inferior a 1,2 g/l ou igual ou superior a 0,5 g/l e inferior a 1,2 g/l quando respeite a condutor em regime probatório, condutor de veículo de socorro ou de serviço urgente, de transporte coletivo de crianças e jovens até aos 16 anos, de táxi, de automóveis pesado de passageiros ou de mercadorias ou de transporte de mercadorias perigosas, bem como quando o condutor for considerado influenciado pelo álcool em relatório médico;
l) O desrespeito da obrigação de parar imposta por sinal regulamentar dos agentes fiscalizadores ou reguladores do trânsito ou pela luz vermelha de regulação do trânsito;
m) A condução sob influência de substâncias psicotrópicas;
n) O desrespeito pelo sinal de paragem obrigatória nos cruzamentos, entroncamentos e rotundas;
o) A transposição ou a circulação em desrespeito de uma linha longitudinal contínua delimitadora de sentidos de trânsito ou de uma linha mista com o mesmo significado;
p) A condução de veículo de categoria ou subcategoria para a qual a carta de condução de que o infrator é titular não confere habilitação;
q) O abandono pelo condutor do local do acidente nas circunstâncias referidas no n.º 2 do artigo 89.º.​

Em: http://www.ansr.pt/Contraordenacoes/Clas...raves.aspx
Responder
#44
Concordo completamente com o Carlos, se um gajo se arrisca em certas e determinadas situações também deve saber quais as consequenciais que podem advir dai, logo só tem é pagar, calar e nao bufar. Mas há sempre gente que acha que o código e respectivas regras nao se aplicam a eles.

Eu, a única multa que levei de excesso de velocidade até hoje, foram logo 300 paus e numa 50cc, se fiquei fodido? Fiquei pois, se achei injusto? Um pouco, levei uma stickada que me levou quase metade do ordenado mas se cometi uma infracção, só tive que pagar e nao bufar.
Responder
#45
(13-03-2019 às 18:43)cconst Escreveu: Apenas para educação:

Citar:MUITO GRAVES
a) A paragem ou o estacionamento nas faixas de rodagem, fora das localidades, a menos de 50 m dos cruzamentos e entroncamentos, curvas ou lombas de visibilidade insuficiente e, ainda, a paragem ou o estacionamento nas faixas de rodagem das autoestradas ou vias equiparadas;
b) O estacionamento, de noite, nas faixas de rodagem, fora das localidades;
c) A não utilização do sinal de pré-sinalização de perigo, bem como a falta de sinalização de veículo imobilizado por avaria ou acidente, em autoestradas ou vias equiparadas;
d) A utilização dos máximos de modo a provocar encandeamento;
e) A entrada ou saída das autoestradas ou vias equiparadas por locais diferentes dos acessos a esses fins destinados;
f) A utilização, em autoestradas ou vias equiparadas, dos separadores de trânsito ou de aberturas eventualmente neles existentes, bem como o trânsito nas bermas;
g) As infrações previstas na alínea a) do n.º 1 do artigo 145.º quando praticadas em autoestradas, vias equiparadas e vias com mais de uma via de trânsito em cada sentido;
h) As infrações previstas nas alíneas f) e j) do n.º 1 do artigo 145.º quando praticadas nas autoestradas ou vias equiparadas;
i) A infração prevista na alínea b) do n.º 1 do artigo 145.º, quando o excesso de velocidade for superior a 60 km/h ou a 40 km/h, respetivamente, bem como a infração prevista na alínea c) do n.º 1 do artigo 145.º, quando o excesso de velocidade for superior a 40 km/h ou a 20 km/h, respetivamente, e a infração prevista na alínea d) do ​n.º 1 do artigo 145.º, quando o excesso de velocidade for superior a 40 km/h;
j) A infração prevista na alínea l) do n.º 1 do artigo 145.º, quando a taxa de álcool no sangue for igual ou superior a 0,8 g/l e inferior a 1,2 g/l ou igual ou superior a 0,5 g/l e inferior a 1,2 g/l quando respeite a condutor em regime probatório, condutor de veículo de socorro ou de serviço urgente, de transporte coletivo de crianças e jovens até aos 16 anos, de táxi, de automóveis pesado de passageiros ou de mercadorias ou de transporte de mercadorias perigosas, bem como quando o condutor for considerado influenciado pelo álcool em relatório médico;
l) O desrespeito da obrigação de parar imposta por sinal regulamentar dos agentes fiscalizadores ou reguladores do trânsito ou pela luz vermelha de regulação do trânsito;
m) A condução sob influência de substâncias psicotrópicas;
n) O desrespeito pelo sinal de paragem obrigatória nos cruzamentos, entroncamentos e rotundas;
o) A transposição ou a circulação em desrespeito de uma linha longitudinal contínua delimitadora de sentidos de trânsito ou de uma linha mista com o mesmo significado;
p) A condução de veículo de categoria ou subcategoria para a qual a carta de condução de que o infrator é titular não confere habilitação;
q) O abandono pelo condutor do local do acidente nas circunstâncias referidas no n.º 2 do artigo 89.º.​

Em: http://www.ansr.pt/Contraordenacoes/Clas...raves.aspx


Para educação?
lol lol

Oh meu...cai lá na real e deixa de ver séries de perseguições lá dos EUA...

Manca-te só um bocadinho proud
Velasquez87

"Autorizo a meterem-se com piadolas à minha pessoa!! 
Não me responsabilizo a pagar na mesma moeda"



[Imagem: 7Sb26V1.jpg]
Responder
#46
Sim, quanto mais não seja, para a minha educação... porque o saber não ocupa lugar.

(não vejo policiais dos states... sou mais de Sci fi).

Aquelas infracções estão todas no mesmo saco. Não é interessante?! Acho fixe que se tenham abordagens diferentes para a mesma categoria de infracção, quando na realidade e aos olhos da lei são em tudo semelhantes... Tanto é muito grave não parar num STOP como não respeitar a ordem de paragem de um agente de autoridade em acção de fiscalização, vulgo operação STOP.

Se alguém tem que cair na real é quem não tem a capacidade de ver o outro lado e ver as coisas como elas são. EU nunca disse que de deve desrespeitar a autoridade apensa questionei se era verdade o que me tinham contado. Ora se uma dúvida que para uns é básica, para outros pode não o ser. E como se pode ver, existem várias infrações categorizadas da mesma forma, em que umas são levadas mais seriamente que outras.

O que apenas quer dizer que: pode-se desrespeitar o código da estrada desde que nenhum agente fiscalizador o veja.
Responder
#47
Concerteza.
Essa m**** ainda se pega e o pior é sempre.uma recaída...

Vou deixar-te com a tua "ingenuidade"
Velasquez87

"Autorizo a meterem-se com piadolas à minha pessoa!! 
Não me responsabilizo a pagar na mesma moeda"



[Imagem: 7Sb26V1.jpg]
Responder
#48
Se eu tivesse uma mota a sério nunca parava, mas como só tenho um bicicleta lá tenho de parar. lol
P.S. eu paro sempre, já fiz muita merda, em que alguma até tenho vergonha de contar e só sabe quem lá esteve, mas quando as luzes acendem encosto sempre. Epa prefiro assim blink
Responder
#49
Um excerto dum capítulo de "as crónicas do dfelix":

Abril de 2014...
Num dos dias do Arte&Moto.
Juntou-se malta para uma jantarada no Cais Sodré. Uma cena porreira, com hipsters de alto gabarito a começar nos wrenchmonkees e acabar no gajo que vive do bikeexif.
Não me recordo se o Johnny_1056 também lá esteve nesse dia.

Depois de jantar, copos... e deviam ser umas 3h e tal quando decidi abalar.

Como estava uma bela noite decidir ir junto ao rio até ao Braço de Prata.
A ideia seria apanhar apanhar novamente a Infante D Henrique e seguir até casa.

Por acaso fui tranquilo...
Pois a estrada tem radares fixos. E ocasionalmente costuma andar lá outros escondidos.
Aquele ritmo que se um gajo for atento ainda consegue travar a tempo. Mas se for flashado fode-se porque vai a mais do dobro do que é permitido ali.

Chegando a oriente quando começo a subir a plataforma prá Gomes da Costa... sou surpreendido por um "cacetete luminoso" que me mandou encostar.

E assim foi...
Dois agentes, uma viatura e 3 pinos.
Mostrei-lhe os documentos.

E enquanto o gajo observava a papelada... começo a ouvir o grito estridente dum inline-four japuna ao longe.
Cada vez mais perto... mais perto... mais perto...
Um granel do caraças...
E o pensamento foi: "estás tãaaaaaaaaaao fuddddiddddooooooo"...

Naquele momento parecíamos três suricatas a olhar prá curva de onde o gajo iria aparecer.

O outro agente vai para meio da estrada.
Levanta o "cacetete luminoso".
E começa a fazer o gesto de encostar. Ainda nem a moto estava à vista.

Até que ela surge no horizonte.
Era uma R1 azulinha... que começa a metê-las abaixo e a abrandar...
Mas no momento certo dá barrote e siga pra bingo!

Reacção do bófia:
Saca da glock, aponta... e naturalmente não os teve no sítio. E deixa-o escapar!

A ironia é que no calor do momento nem se deu ao trabalho de fixar a matrícula.

O colega, ainda com os meus documentos na mão, estava com ar mais surpreendido que eu.
Qando olhou pra mim percebeu que fiquei revoltado com a situação.
E diz qualquer coisa do género: "não concordo com o que o meu colega fez, mas aquilo que o seu colega fez também não se faz".

Claro que se iniciou logo ali uma enorme conversa....
"Meu colega?"

Enquanto isso, o pistoleiro veio para perto de onde eu estava.
Apontando para o passeio e numa manobra à filme sacou a bala da câmera e fez um "click".
Nitidamente para que eu estivesse a assistir.

Acabei por me envolver ali num coloroso debate psicanalítico com o agente que me estava a atender desde o início.
Que por acaso até pareceu um gajo porreiro.

Entretanto foram chamados pelo rádio para uma qualquer urgência e tudo ficou por ali.
E eu segui a minha viagem.
Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#50
Boas;
Dfelix, não estive lá nessa noite. Contaste-me no dia seguinte a peripécia...
A questão aqui trata-se de ter noção de razoabilidade, que infelizmente desconfio que muitos não têm. É só bravos até serem apanhados na m#rda. Fugir e não ser apanhado pode ser uma cena do catano; fazer disso regra, convém estar preparado para quando as coisas correm mal porque há-de haver aquele dia em que isso unvariavelmente vai acontecer. Quem não está disposto a isso, pote-se bem.
Responder
  




Utilizadores a ver este tópico:
1 Visitante(s)