Relativamente a paragens da polícia
#31

Só tem piada fugir a policia se for com a roda no ar e ao mesmo tempo a mostrar o dedo do meio ao pessoal da farda! Fora isso é perda de tempo.
Responder
#32

(13-03-2019 às 14:16)dmanteigas Escreveu:  
(13-03-2019 às 13:57)LoneRider Escreveu:  Constâncio pá.

O que não deves fazer é não parar.

Parar em todos os casos.
É depois podes escolher em facilitar o trabalho ou não de quem te controla.
Se te aperceberes que é um situação perigosa o único que tens a fazer, é estas no direito, é não sair do veículo e pedir que te consuzam a um posto da policia.
Isso terá consequências como é óbvio, mas nunca te poderão acusar de desobediência ou agir à falsa fé.

Foste sair com os teus amigos. Apanhaste uma grande piela e tens claramente acima de 0.8 de alcool o que te da 500€ de multa, pena acessória e perda de pontos. A 600m de casa na última rotunda que apanhas estão a fazer operação stop. Tens a certeza que tens tempo de chegar a casa, estacionar e entrar em casa, e a partir daí a polícia não pode fazer nada. Decides parar, arriscar as consequências acima descritas ou simplesmente ignorar, meter uma abaixo, acelerar em grande até casa, estacionar e receberes os mesmos 500€ mais tarde mais sem qualquer consequência?

Não estamos aqui a falar da vertente moral. Apenas de uma situação (verídica) onde “não parar” compensava muito mais que parar

Agora imagina que a esses 600 m de casa, o gajo que não parou porque ia alcoolizado e lhe é "mais compensador" não parar, meteu uma abaixo e acelerou em grande e atropela (hipoteticamente) um familiar teu que está a chegar a casa porque esteve a trabalhar até tarde?!

Qual seria o teu discurso?



Responder
#33

(13-03-2019 às 14:52)carlos-kb Escreveu:  
(13-03-2019 às 14:16)dmanteigas Escreveu:  
(13-03-2019 às 13:57)LoneRider Escreveu:  Constâncio pá.

O que não deves fazer é não parar.

Parar em todos os casos.
É depois podes escolher em facilitar o trabalho ou não de quem te controla.
Se te aperceberes que é um situação perigosa o único que tens a fazer, é estas no direito, é não sair do veículo e pedir que te consuzam a um posto da policia.
Isso terá consequências como é óbvio, mas nunca te poderão acusar de desobediência ou agir à falsa fé.

Foste sair com os teus amigos. Apanhaste uma grande piela e tens claramente acima de 0.8 de alcool o que te da 500€ de multa, pena acessória e perda de pontos. A 600m de casa na última rotunda que apanhas estão a fazer operação stop. Tens a certeza que tens tempo de chegar a casa, estacionar e entrar em casa, e a partir daí a polícia não pode fazer nada. Decides parar, arriscar as consequências acima descritas ou simplesmente ignorar, meter uma abaixo, acelerar em grande até casa, estacionar e receberes os mesmos 500€ mais tarde mais sem qualquer consequência?

Não estamos aqui a falar da vertente moral. Apenas de uma situação (verídica) onde “não parar” compensava muito mais que parar

Agora imagina que a esses 600 m de casa, o gajo que não parou porque ia alcoolizado e lhe é "mais compensador" não parar, meteu uma abaixo e acelerou em grande e atropela (hipoteticamente) um familiar teu que está a chegar a casa porque esteve a trabalhar até tarde?!

Qual seria o teu discurso?

Exatamente o mesmo, visto que eu como disse não estava a pedir um julgamento moral da situação smile

Aqui não estamos a discutir a questão moral. Não parar pode ser a melhor opção para a pessoa que conduz pesando as consequências desta infração. Já o vi ser feito mais que uma vez.

Claro que depois há a questão moral de se à frente atropela alguém, se ia a conduzir um carro roubado para o qual não tinha sido dado o alerta é como tal a polícia não foi atrás, se não é injusto para os que amocham e pagam...

Eu não sou palmadinhas nas costas a quem o faz, mas também não sou hipocrita. Eu cada vez que saio de casa era merecedor de perder 30 a 40 pontos de carta. Até porque apesar de ser algo que duvido qu venha a acontecer, não sei se um dia não sou eu a seguir em frente e ficar-me “só” pelos 500€ da fuga.

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#34

Ou seja, Manteigas... tu és apologista do velho ditado "pimenta no cú dos outros para mim é refresco"... enfim! confused



Responder
#35

Quando a penalização é para "Inglês ver" dá neste tipo de pensamento/atitude...

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#36

Mas qual pensamento? Então metade das vossas conversas é sobre quem é o mais rápido e que melhor conduza mota e ficam chocados sistematicamente quando se discute alternativas contra a penalização como é o caso? Puta que pariu o politicamente correto....

Mas já sei, quando infringem o código fazem-no de forma consciente e sabem que podem ser penalizados, e que conduzir com 0,9g de álcool é menos “moral” que exceder em 30kmh o limite de velocidade...

Deixem-se dessas tretas moralistas que não é isso que se está a discutir aqui. Só aceito essas tretas moralistas de quem nunca infringiu o código, não está em grupos de facebook onde partilham localização de radares e operações STOP... fossem assim tão moralistas quando o outro disse que isto era bom era que as motas fossem como antigamente e meia dúzia deles fossem com o caralho devido à seleção natural bigsmile

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#37

Infelizmente mais um tópico que invariavelmente descamba para o conflito gratuito. Isto agora parece apanágio aqui do tasco, em que ninguém (onde eu próprio me incluo) pode expressar uma opinião em registo mais ou menos "gozão", sem que fique logo tudo ofendido, vitimizado, auto-descriminado... É uma pena, não foi este o fórum que eu conheci e não me revejo minimamente nesta forma de estar.

Quanto ao tópico em si, não me vou manifestar mais, até porque desde a sua abertura, a minha opinião sobre ele é de que é lixo, e o facto de aqui existir não serve nenhum fim educacional e no limite só nos prejudica a todos.
Responder
#38

(13-03-2019 às 15:33)dmanteigas Escreveu:  Mas qual pensamento? Então metade das vossas conversas é sobre quem é o mais rápido e que melhor conduza mota e ficam chocados sistematicamente quando se discute alternativas contra a penalização como é o caso? Puta que pariu o politicamente correto....

Mas já sei, quando infringem o código fazem-no de forma consciente e sabem que podem ser penalizados, e que conduzir com 0,9g de álcool é menos “moral” que exceder em 30kmh o limite de velocidade...

Não é menos "moral". Porque quando há merda... a moral (ou falta dela) apenas serve para conversa. Moralmente, se a minha avózinha não tivesse morrido com um AVC, possivelmente ainda hoje era viva. Mas factualmente, lá está 7 palmos debaixo de terra.

A questão aqui não está em infringir ou deixar de infringir... ou que infracção é mais "moral" ou menos "moral" pois toda a gente que infringe, o faz em deliberada e consciente vontade.
Mas sim cada um ser homenzinho para saber lidar com as consequências das suas infracções. Sei que se for em excesso de velocidade, sei ao que me sujeito.
Se beber uns canecos valentes e for para a estrada, faço-o igualmente tendo noção daquilo ao que incorro.

Se a polícia me mandar parar por ter sido "captado" a 200 Km/h, tenho mais é que responder por isso.

Se for mandado parar e ser fiscalizado com 1,2g/l de alcool, tenho de tê-los no sítio e saber que irei visitar um juíz, para além das respectivas sanções a que estarei sujeito.

"Alternativas contra a penalização" é fugir? Mas que raio é isso de "alternativas contra a penalização"?

Esta merda agora é tudo uma República das Bananas em que cada um faz o que quer e irresponsabiliza-se, independentemente das repercussões?
Mesmo não tendo nada que ver comigo, se me deparar com uma situação de um gajo a fugir à policia (seja a pé, seja de carro, ou de mota), a primeira coisa que farei, caso possa ou esteja ao meu alcance, é detê-lo ou complicar-lhe a fuga. Porque se está a fugir, por algum motivo é.

Sobre o tópico e o assunto do mesmo, tenho exactamente a mesma opinião do Marco. Não acrescenta nada. E da mesma forma, findo assim aqui a minha participação no mesmo.



Responder
#39

Épa... há diferentes graus de incumprimento o código da estrada. Em 4 rodas sou um zeloso cumpridor do código. Raramente excedo os limites de velocidade (até porque a banheira do 190D é um pastelão), não estaciono em qualquer lado e não ando à maluca a fazer tailgating.

Em duas rodas, confesso que o bicho da "liberdade" me afetou um bocado e sigo pela berma na A1, piso raias obliquas, os stops não são bem stops...enfim. Mas daí a desrespeitar de forma flagrante uma ordem de paragem da GNR vai uma looonga distância. Não tem a ver com moralismo, penso eu. Tem a ver com as potenciais consequências de o fazer.

Não estou bem a ver onde está o problema Manteigas. troll
Responder
#40

Não há problema... nenhum.

Não parar quando te mandam é uma infração ao código da estrada, punida com 500€ de multa. Portanto no teu caso só estás a dizer que há infrações ao código que é ok fazer, outras são repugnantes. Mesmo que em termos de gravidade estejam equipararas pelo próprio codigo.

Eu como não sou politicamente correto nem falso moralista mantenho a minha opinião. As consequencias estão bem expressas na lei, nunca o fiz e acho que dificilmente o farei porque raramente ando num estado em que não parar compense mais que parar. quem o faz não condeno nem crítico porque no que toca ao código da estrada não dou lições a ninguém.

Até porque são todos homenzinhos até ao dia em que apanham 3 ou 4 multas de velocidade de rajada e vão pagar a advogados para não ficarem sem transporte para o trabalho.

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)