Questão existencial (Boxer)
#41

(28-04-2017 às 12:05)Johnny_1056 Escreveu:  Boas;
Não estou a ser irónico. Compras roupa ou calçado sem experimentar? Eu não!!
Faz o mesmo em relação às motos!!

No meio disto tudo, o que me parece é que não sabes o que queres e começaste um tópico com questões existencialistas em relação a uma arquitectura de motor. Há uns anos sempre tinhas a R1200C que era baixinha...
Eu sabia o que queria até segunda feira passada. Queria a S1000r, fui ao stand para tratar dos assuntos, até que montei na mota (desligada), apenas conseguia colocar uma ponta do pé (se estivesse com o pé bem esticado) e nessa posição não conseguia tirar o descanso.

Desiludido vim embora e comecei a pesquisar por soluções ou alternativas à S1000r.

Por sugestão de alguém que tem uma fui experimentar (hoje) com a ignição ligada e realmente faz diferença suficiente para a poder comparar com a minha K12r continua mais alta que a minha mas já consigo fazer tudo com normalidade. Voltei a ficar entusiasmado com a S1000r, mas depois de tudo o que tenho visto e lido quero experimentar a R1200rs para depois decidir entre as duas.

O problema está, é que ninguém tem estas motas para experimentar, já liguei para todos desde a Trofa até Coimbra, hoje vou ligar para os de Lisboa, vamos ver.


Quando coloquei este tópico a ideia era ficar a perceber o que um habitual utilizador de um 4 em linha iria sentir falta num Boxer e se seriam só perdas.
Responder
#42

(28-04-2017 às 12:06)ClaXav Escreveu:  Carlos na RS a única dúvida é o test drive, tenho de experimentar, não pela altura, nessa eu sei que fico bem, quero experimentar o Boxer, acho que em todos os reviews que vi ou li referem que para quem está habituado a 4 cilindros será uma diferença considerável e que requer um período de habituação. Quero perceber e sentir no pelo essas diferenças.

No fundo sentirás que no boxer terás um motor sempre cheio, mas curto, ao passo que na tua anterior K (e apesar de nunca ter conduzido nenhuma K12), à priori seria sempre mais pontudo e ávido de regime.

Com esta (eventual) troca, ganharás disponibilidade, em detrimento da potência pico.... e possivelmente poderá ser isso que te vai fazer estranhar, daí também o alerta que te fiz uns posts atrás.
Com o boxer irás esgotar o espectro de regime, possivelmente no ponto em que a K12 te começaria a fazer esboçar o sorriso... isto se continuares a optar por ir a Vila do Conde atrás da Ninja do Nunes, pela A28! Agora, se o caminho for mais sinuoso (como o do passado Sábado - N222), a RS de certezinha que vai deixar muitas RR's para trás.
Responder
#43

Na GS nao sei, mas nas 4 cilindros em linha só sinto falta de poder andar em 4ª/6ª a 60 km/h...a minha V2 bate bastante e tenho de andar em mudanças mais baixas.
Responder
#44

(28-04-2017 às 12:33)mr_trecolareco Escreveu:  Na GS nao sei, mas nas 4 cilindros em linha só sinto falta de poder andar em 4ª/6ª a 60 km/h...a minha V2 bate bastante e tenho de andar em mudanças mais baixas.

O "bater" a baixas rotações é típico de um twin!

Curiosamente, a coisa fica francamente minimizada com estas "novas" configurações de cambota e diferentes ordens de explosão. Isso é uma das coisas que acho peculiar e interessante no motor da minha... mesmo abaixo das 2k rpm, mesmo em mudanças mais altas, não "bate nem vibra" (para além dos 360º na cambota, o "meio" cilindro está lá a cumprir a sua função lol ).

Curiosamente a arquitectura twin flat, é umas das configurações melhores para equilibrar naturalmente um motor bicilindrico sem recorrer a "sistemas" complementares.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#45

(28-04-2017 às 12:29)carlos-kb Escreveu:  
(28-04-2017 às 12:06)ClaXav Escreveu:  Carlos na RS a única dúvida é o test drive, tenho de experimentar, não pela altura, nessa eu sei que fico bem, quero experimentar o Boxer, acho que em todos os reviews que vi ou li referem que para quem está habituado a 4 cilindros será uma diferença considerável e que requer um período de habituação. Quero perceber e sentir no pelo essas diferenças.

No fundo sentirás que no boxer terás um motor sempre cheio, mas curto, ao passo que na tua anterior K (e apesar de nunca ter conduzido nenhuma K12), à priori seria sempre mais pontudo e ávido de regime.

Com esta (eventual) troca, ganharás disponibilidade, em detrimento da potência pico.... e possivelmente poderá ser isso que te vai fazer estranhar, daí também o alerta que te fiz uns posts atrás.
Com o boxer irás esgotar o espectro de regime, possivelmente no ponto em que a K12 te começaria a fazer esboçar o sorriso... isto se continuares a optar por ir a Vila do Conde atrás da Ninja do Nunes, pela A28! Agora, se o caminho for mais sinuoso (como o do passado Sábado - N222), a RS de certezinha que vai deixar muitas RR's para trás.
Carlos pá, tu escreves bem!

A tal disponibilidade em baixas parece ser algo que vou gostar.

As voltas de andar atrás do Nunes são poucas e cada vez menos, eventualmente o juízo terá de chegar ao Nunes.



Andar de faca nos dentes não é o meu estilo, mas como o Félix disse nuns posts atrás, de vez em quando também 'gosto de soltar os cavalos', deixá-los soltos por 15 min e às vezes, mas raramente, dar umas sapatadas para ver se se soltam mais um bocadito. Mas nada de especial, o que eu faço todos nós fazemos e por isso acho que as vantagens do Boxer poderá facilmente sobrepor-se sobre os pontos menos bons.
Responder
#46

disponibilidade em baixas... e a sensacao de ter uma roda empanada!!

nao inventes, compra uma mota thumbsup  devil devil


Responder
#47

Muscle Bike para pernas curtas?

[Imagem: fvmCG5x.jpg]

Altura do assento: 775 mm

blink


Pena tenho eu de não conseguir encaixar ali as minhas pernas por conta daquelas entradas de ar laterais no depósito.  confused
Responder
#48

Noobie, isso não é uma mota, é um exagero. Tem cc a mais, cavalos com fartura, muito cara e peso a mais.
Responder
#49

(28-04-2017 às 13:54)ClaXav Escreveu:  Noobie, isso não é uma mota, é um exagero. Tem cc a mais, cavalos com fartura, muito cara e peso a mais.

Esta é a definição de "Muscle Bike". E realmente é pesada mas com um centro de gravidade ali tão baixo somado ao imenso comprimento da mota isso acaba por ser algo irrelevante. Quanto à cavalagem é mesmo a q.b. para arrancar em burnout continuo sem sequer dar indícios de querer levantar a frente, como eu já vi uma fazer... :-D ;-)

O preço... Sim, realmente é algo puxado mas não tão diferente assim das BMW quando se somam os "packs" ao preço base... E esta é realmente uma mota "para a vida" ao contrario das ventoinhas que, pelo que vou lendo, hoje em dia são pensadas apenas para a duração do leasing...  devil

Como disse antes, pena tenho eu de não me conseguir encaixar ali confortavelmente... Para grande surpresa minha, diga-se, no dia em que me sentei numa... :-)

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder
#50

É o mal de não teres medidas "standard"
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)