Primeira moto
#11

Apenas a minha opinião: Má ideia. Sempre ouvi dizer 'quem não tem dinheiro não tem vícios' e é mesmo assim, e pode ser alargada a noção de 'vícios'. Qualquer veículo tem despesa, e nem é maior nem menor, é a que for. Se já vens com um orçamento limitado apenas para a compra então esquece.

Os únicos veículos que não trazem surpresas imediatas são os novos, e mesmo assim às vezes a coisa corre mal.

Para tu teres uma noção, eu faço pouquíssimos km quer com o carro quer com a moto. O carro já fez 4 anos e conta com 23.000kms, a moto vai fazer estes meses 3 anos e tem 18.000kms. É uma 125R, comprei nova, tal como o carro. O carro faz revisões anualmente/15.000kms, por isso já fez 4. Como é novo, ainda não gastei mais nada que os cerca de 100€ por revisão, 400€ portanto, fora gasolina (ah e 70€ numa bateria, é verdade). A moto, além do preço dela nova, gastei mais 150€/200€ num casaco, uns 40€ numas luvas, e tive sorte que o capacete foi oferta na compra, mesmo assim já estou a precisar de um novo. A moto faz revisões de 3.000kms/3.000kms com a primeira aos 1.000kms, portanto foram 6 revisões, contando uns 40€ para cada uma, são 240€. Precisei de uns pneus aqui há uns meses, mais 200€. Também já troquei os calços atrás (honestamente já nem me lembro, foi aquando de uma revisão, deve ter ficado mais 20€/30€) e qualquer dia preciso de trocar os calços à frente.

Isto em veículos novos, que não é suposto terem avarias fora do normal. E claro, são mais 500€/ano pelo seguro contra todos do carro, mais 100€ pelo de terceiros da moto, mais 5€ de IUC da moto e 160€ do carro, enfim, são só despesas. Para não falar em quedas, que eu tive sorte de só cair uma vez e a pouca velocidade, não partiu nada e o que arranhou foi pouco, senão eram mais despesas ainda. Depois numa moto usada vais certamente ter surpresas, consumos mais elevados que o normal, um problema aqui, outro ali. Se não tens dinheiro para sustentar um carro dificilmente irás ter para sustentar uma moto. Ainda por cima sem qualquer experiência em motos.
Responder
#12

Eu tenho a minha primeira moto (XJ6)  à praticamente 1 mês :

Posso te dar o meu feedback em termos de gastos: 

Capacete + Luvas + Casaco + Calças Impermeaveis = 345€

Mota - 3400€

Manutenção - Pneu traseiro + Pastilhas  traseiras - 125€ 

                      Kit de transmissão - 190€ (ficou a cargo do antigo proprietário)

Seguro - 110€ anuais.

Selo - 55€ (o antigo dono pagou em Novembro)

Gasolina - a rondar os 35€ (diários e  voltinhas de fds etc)

Com isto a mota ja trazia a top case de 46LT, alarme e cadeado de disco e aqui já poupei alguma coisa.

Neste momento é o meu daily driver. Face a este investimento inicial de algum porte, para mim o ganho é exponencial no tempo que não perco em transporte publicos. Não sei se alguem aqui anda ou andou de metro ultimamente com regularidade, mas o servilço está uma verdadeira m***a!

Um percurso que antes demorava 40 minutos a fazer , agora em 10/15 (na hiper calma) está feito. Carro em Lisboa é para esquecer, pagar 8€ diarios de parque etc etc....!

Pagava 35€ de passe por mês, se gastar isso em gasolina, nem que seja um pouco mais e ao mesmo tempo ganhar imenso tempo no percurso casa trabalho, ou simplesmente se necessitar de ir a algum lado ao fim do dia, ter essa vantagem que a mota me oferece é para mim suficiente.

Ainda ponderei uma PCX ou algo do genero, que para fazer exclusivamente percursos citadinos é do melhor que há! Mas querendo eu fazer da mota o meu meio preferencial de transporte, acho que depois acabava por ficar limitado em deslocações ligeiramente maiores.

Espero ter ajudado com os números  blink

[Imagem: images?q=tbn%3AANd9GcT4XLIkYtQDw11iDiKFM...g&usqp=CAU]


Responder
#13

O problema é que ainda que gastes o mesmo no passe que em gasolina, se o metro avariar não és tu que o tens que arranjar, nem tens que dar nenhuma entrada nem vestir nada especial para andar de metro, além de que o risco de acidente é muito menor. Esses 35€ em 5 anos são 2.100€, se me arranjarem uma moto que com tudo incluído não gaste mais de 2.100€ compro já 2 ou 3.
Responder
#14

Cloud, eu percebo o que dizes, mas a independência que a mota dá vs metro ou bus...
Ok, o metro avaria e não é o utilizador comum que paga o arranjo... Mas o metro vai do ponto A - B
Com veiculo proprio seja mota ou carro vais de A - B -C -D-E....etc etc, com a vantagem do tempo, da diversão, e sendo uma citadina, nem que seja uma MSX já lhe dá independencia, nem que seja para ir ter com as miudas ou dá-las a dar uma volta  bigsmile

Rodrigo, eu também já passei por essa fase que estás a passar...se bem que depois com tempo, fazes dinheiro e a coisa vai-se endireitando. Se queres uma motinha pondera, faz contas, tenta arranjar algo usado mas tenta ver se o negócio é sério, algo em condições...

Se vires que é impossivel para o teu orçamento...aguarda..o dinheiro não estica
Responder
#15

(11-01-2017 às 11:43)Cloud Escreveu:  O problema é que ainda que gastes o mesmo no passe que em gasolina, se o metro avariar não és tu que o tens que arranjar, nem tens que dar nenhuma entrada nem vestir nada especial para andar de metro, além de que o risco de acidente é muito menor. Esses 35€ em 5 anos são 2.100€, se me arranjarem uma moto que com tudo incluído não gaste mais de 2.100€ compro já 2 ou 3.

Compreendo o teu ponto de vista....mas se estamos a olhar apenas à questão financeira, logicamente que "sem €€ não há vicios".

Assim, nunca se compra nada nunca se faz nada. Qtos de nós tem maquina de lavar roupa em casa?? LOL....assim iamos todos às lojas self service, pq alem de nao gastar luz quando a maquina avariar quem paga é o dono da loja...quer dizer parece-me uma lógica semi-tendeciosa.

Eu nao sou de longe um gajo rico, vivo sozinho, as minhas contas saem todas do meu bolso, rendas, etc....pá e se calhar tenho de abdicar de uma "jantaradaaaaa" bem comida e bem regada de vez em quanto porque tenho um gasto extra.

Mas a liberdade e a qualidade de vida que me proporciona não tem preço. Ao fim de um dia de trabalho, então daqueles em que um gajo sai com uns "cornos" de metro ainda ter de perder 40 minutos no metro, teres de trocar de estação, estar 8 ou 9 minutos à espera da composição, aquilo parar do nada por problemas alheios e demorar mais meia hora...poder pegar na mota e estar em casa em 10 minutos, é uma maravilha.

Nesses 10 minutos, posso ter um azar? Posso......mas azares tenho a pé, de carro, de metro onde for....


Poupa e espera pelo momento certo. Compras de impluso dão geralmente cagada. bigsmile

[Imagem: images?q=tbn%3AANd9GcT4XLIkYtQDw11iDiKFM...g&usqp=CAU]


Responder
#16

Ahahaha

O homem vem aqui pedir conselhos de mota e voces mandam-no basicamente andar de bicicleta, este forum nunca desilude.


Op, tira a carta, compra mota e caga em despesas.

Um pacote de ramen por dia chega e custa só 1€


Imagino o susto que deve apanhar vir aqui e ver esses valores.



Só para assustar mais um bocadinho


Capacete - 200
Fato - 1000

Luvas - 3 pares a rondar os 150,porque isto é como os sapatos para o gajedo, só 1 par nao serve

Botas - 200
Pneus a cada 2 meses - 200
Kit transmissao - 200
Revisoes a cada 3/4 meses - 100
Seguro e burocracias - 200
Multas - a la carte



Tens que gastar isto tudo? Claro que nao.

Uma 125 é muito mais economica em basicamente tudo o que disse acima, e a longo prazo, principalmente com gasosa.
Procura bem que encontras uma usada com esse orçamento. O chato é mesmo teres que tirar a carta.
Responder
#17

A manutenção das 125 por norma é bastante contida. Se for feito em casa, com 30€ faz-se a festa.
Responder
#18

Rodrigo:
Para fazeres 4000kms numa cbf ou PCX (revisao em revisao) gastas cerca de 110/130€ em gota...logo aí vês que tendo cabecinha e tendo sorte na estrada cm os outros e nos proprios sem acidentes, a coisa corre bem smile

Isto vs 40€/50€ de passe por mes para te levar exclusivamente do ponto A ao ponto B...seca do c@&€£$%...

blink
Responder
#19

Temos aqui um caso semelhante ao do Shady, quando comprou a NX4.  proud

Obviamente que andar de transportes te sairá mais rentável e barato, no imediato.... no entanto, por  toda a liberdade e mobilidade, que a moto te proporcionará, pelos motivos já referidos, compensa e de sobremaneira. Já para não falar do tempo que pouparás... e todos sabemos que tempo também é dinheiro! proud

Tu é que saberás como normalmente a tua carteira anda (ou não) "recheada" e quais as fontes de rendimento que tens que possibilitem o manter e alimentar uma moto no futuro, para que não tenhas de ficar com ela parada de tempos a tempos.

Se a opção for mesmo uma moto, e se te deslocas essencialmente em ambiente urbano, uma 125 a 4 tempos será sempre a melhor opção, pela sua manutenção económica (consumíveis e peças na generalidade mais baratos) e pelo que poupas em combustível (consumos entre 2 a 2.5 lts./100Km). Ao que deverás somar ainda as despesas complementares como seguros (que no caso de um recém encartado são elevados), equipamento (que podes ir comprando aos poucos), etc...

Normalmente quando se tem trocos contados e uma moto para manter, descura-se na manutenção. É norma comum preferir-se abastecê-la do que prestar-lhe a devida manutenção periódica. Mas é um erro que a prazo, depois pode trazer dissabores e maiores rombos à carteira.
Esta manutenção periódica (aka revisões) é algo ao qual não convém fugir, especialmente se quiseres que a moto dure longos e bons tempos sem dores de cabeça de maior.
Agora numa pequena 125 (caso optes por uma destas), aonde a parte mecânica não é nada por demais complexo, há certas tarefas de manutenção que até se podem fazer em casa poupando tempo e uns bons cobres, especialmente aquela que mais despesa dará numa oitavo de litro, que são as rotineiras e mais frequentes mudas de óleo e filtro. E então numa moto "descascada" como será uma CBF125 (ou congénere), a tarefa é altamente facilitada.
Pesquisa no youtube como se faz ou pede a um amigo entendido, para te ajudar a fazer, vês como é a na próxima já o saberás como e onde fazer.

Claro que depois há as chamadas avarias inesperadas, mas de uma forma geral, uma moto de menor cilindrada também tem menos por onde avariar e as ditas reparações, regra geral, também são mais baratas. Mas se tiveres cuidado e estima pelo material, consegues rolar por muitos milhares de kms sem qualquer tipo de anomalia que te traga dores de cabeça de maior.

Quanto ás quedas, é relativo.... há aquelas que praticamente não fazem mossa... e outras que podem-te violentar a carteira de forma severa. Claro que ninguém cai porque quer, e é mais propício acontecer nos primeiros tempos de inexperiência. Mas é algo que também podes minimizar o risco de acontecer, na medida do possível, com algum empenho e cuidado na condução. Se te deixa satisfeito, eu por exemplo, comecei a andar de mota em 1992, e até hoje nunca deixei de ter motos.... as duas únicas vezes que caí (sem consequências de maior) foram logo no início, com a primeira cinquentinha que tive.

Por fim.... e caso a opção seja a moto, para que consigas manter o orçamento minimamente equilibrado, também deverás ter extrema atenção ao que compras (especialmente se for usado) e a quem compras. E nesse capítulo nada melhor que te aconselhares primeiro com um entendido... ou comparares preços e ver o que compensa entre aquilo que encontres nos anúncios de particulares e o que há em stand, que por lei, te terão de dar uma garantia de pelo menos 1 ano, sobre a moto vendida.

Agora.... fazeres contas e decidir, cabe-te a ti. Boa sorte! smile

[Imagem: QKmafvp.png]
Responder
#20

Eu começei a tirar a carta algures em Junho, fiz o exame em Agosto e comprei a mota em Dezembro.

Pouco a pouco fui comprando o equipamento. Num mês comprei o capacete, noutro o casaco e as luvas e por ai em diante.

Conheço malta que compra a mota, só depois tira a carta e depois compra o equipamento....sob a minha perspectiva faz as coisas ao contrário.


Relativamente ao seguro, acho que nem pago muito. Em todas as seguradoras ditas "online" os preços andavam entre os 180-220€, consegui com mediador 110€/ano.

Se for o caso posso te dar o contacto e logo vês.

Claro que o indicador principal é o €€€€, sem ele nada feito. Eu defini um plafond máximo de gastos e não passei dele. 

Cada um tem de se adaptar face às condições que têm. Gostava mto de ter um Aston Martin, mas infelizmente não tenho carteira para 1.  proud

[Imagem: images?q=tbn%3AANd9GcT4XLIkYtQDw11iDiKFM...g&usqp=CAU]


Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)