MotoGP 2020
#71

https://www.valentinorossi46.it/oliveira...-vinco-io/  na Itália fala-se muito dessas palavras
Responder
#72

Boas.

Casey Stoner a dar opinião sobre a actual temporada:
https://www.mcnews.com.au/casey-stoner-2...interview/

Interessante a parte em que fala da KTM e da eventual influência do Pedrosa nos resultados da mota, dizendo que acredita que 80% se deve a ele.
Tenho ouvido outros comentários neste sentido. Ainda antes desses comentários já tinha pensado que o envolvimento do Pedrosa poderia estar relacionado com o desenvolvimento positivo que a mota está a mostrar. Mas 80%? Isso é quase dizer que praticamente aquela equipa não sabe o que faz.

Não duvido que o Pedrosa seja importante no desenvolvimento da mota, porque penso que seja. Agora, penso que há mais nesta história. A mota tem vindo a melhorar a cada ano. O Pol tem melhorado as suas prestações a cada ano e os resultados têm sido positivos (ainda que agora tenha sido batido por 2 colegas menos experientes). Além disso, não sabendo se é verdade nem ao certo ao que se referiam, já ouvi que a KTM está a beneficiar dos regulamentos neste momento (se alguém souber de alguma coisa em relação a isto, chute).

De resto, temos Casey a ser o que nos habituou, sempre bastante directo e honesto. Concordo com o que diz em relação ao Marquez e ao facto de ser claramente o melhor e a grelha, apesar de não parecer, sofrer com a sua ausência. Até é estranho para mim dizer isto, mas realmente quando ele não está lá nem interessa muito quem ganha, porque parece que ganhar nem é a mesma coisa (e não é). É verdade no papel, mas não na realidade.

Cumprimentos.

________________________________________________________________________________________

Aprilia RSV4 Factory '09 (Aprilia Racing theme)
Yamaha YZF-R6 '07 (Captain America theme)
---
Yamaha FZ8 '10 (White/Gold)
Kawasaki ZX-6R Ninja '08 (Orange)
Responder
#73

Citar:MotoGP, 2020, Misano: Oliveira, satisfeito com quinto, comenta a corrida

[Imagem: m-oliveira-ultraclose.jpg]

Miguel Oliveira conseguiu preciosos 11 pontos do seu 5º lugar em Misano, que elevam o seu total para 59 e lhe dão agora o 8º lugar no campeonato

O piloto português da KTM Red Bull Tech 3 ficou a um ponto de Nakagami, e à frente de pilotos como Rossi, Espargaró ou Binder, após uma corrida sofrida de trás para a frente, como o próprio explicou:

“Foi uma corrida positiva, arrancar da quinta fila da grelha não foi de todo o ideal, mas conseguiu recuperar algumas posições, beneficiar de algumas quedas e fazer uma corrida muito constante sem erros.

O nosso ritmo era bom, depois das quedas de ontem e de sexta, trazer para casa um 5º lugar, que é muito importante para o Campeonato, diria que é um bom resultado para nós.

Trouxe também muita motivação, a equipa trabalhou bem todo o fim-de-semana, fizemos uma corrida mais rápida que a semana passada, e acabámos a menos tempo do primeiro, portanto contente por isso e motivado agora para ir até Barcelona, aonde acredito que vamos ter um bom fim-de-semana…”

Fonte: Motosport
Responder
#74

[Imagem: emi-mgp-points.jpg]

Pormenor: os 10 primeiros classificados têm uma diferença inferior a 30 pontos entre si... cool
Responder
#75

(09-09-2020 às 22:57)KaWOWsaki Escreveu:  Interessante a parte em que fala da KTM e da eventual influência do Pedrosa nos resultados da mota, dizendo que acredita que 80% se deve a ele.
Tenho ouvido outros comentários neste sentido. Ainda antes desses comentários já tinha pensado que o envolvimento do Pedrosa poderia estar relacionado com o desenvolvimento positivo que a mota está a mostrar. Mas 80%? Isso é quase dizer que praticamente aquela equipa não sabe o que faz.

Grande parte da electronica nova, deve-se aos imputs do Pedrosa, que gastou muitas horas a dizer aos engenheiros como ter uma moto mais suave de conduzir. è o que tenho lido...

(09-09-2020 às 22:57)KaWOWsaki Escreveu:  Além disso, não sabendo se é verdade nem ao certo ao que se referiam, já ouvi que a KTM está a beneficiar dos regulamentos neste momento (se alguém souber de alguma coisa em relação a isto, chute).

O regulamento diz que um motor de inicio de epoca, não pode ser actualizado durante toda a epoca. Podem mexer em varias outras coisas, mas os 7 motores que tem por piloto, para uma epoca, não podem ser mexidos.
Equipas como a KTM ou Aprilia, por serem menos competitivas, podem fazer updates ao seu motor durante a epoca, e penso terem 8 motores por piloto em vez dos 7 (Já não me lembro bem, mas é algo parecido)

Penso que a KTM vai perder esse benificio para o ano

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder
#76

(21-09-2020 às 12:24)marco.clara Escreveu:  [Imagem: emi-mgp-points.jpg]

Pormenor: os 10 primeiros classificados têm uma diferença inferior a 30 pontos entre si... cool

Se na próxima corrida o Miguel Oliveira se qualificar dentro dos 8 primeiros e não tiver uma queda, vejo como perfeitamente possível subir ao quinto lugar da classificação geral, ou lá perto.

Honda CX 400 '83 Eurosport
Responder
#77

(22-09-2020 às 13:13)MagJet Escreveu:  
(21-09-2020 às 12:24)marco.clara Escreveu:  [Imagem: emi-mgp-points.jpg]

Pormenor: os 10 primeiros classificados têm uma diferença inferior a 30 pontos entre si... cool

Se na próxima corrida o Miguel Oliveira se qualificar dentro dos 8 primeiros e não tiver uma queda, vejo como perfeitamente possível subir ao quinto lugar da classificação geral, ou lá perto.

Há muito que não havia um campeonato tão renhido e com tantos potenciais campeões. O que a lesão de um único piloto consegue fazer!

Basta inclusivé ver que exceptuando as duas vitórias do Quartararo nas duas primeiras rondas, as restantes o vencedor foi sempre diferente, e até mesmo o pódio tem sido pisado por diferentes pilotos a cada final de corrida.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#78

Boas.

Isto é tudo tão diferente este ano que eu nem sei o que pensar.

Por um lado, é bom ver tanta competitividade. Por outro lado, tal como o Stoner refere, a falta de um líder faz o campeonato parecer caótico.
Para mim, não importa muito quem vai ser o campeão este ano, pois para mim irá ser sempre um campeão sob circunstâncias anormais (seja por o Marquez estar de fora, ou por se correr num número limitado de circuitos).

O facto de o Marquez estar de fora não é um problema dos outros pilotos. Aconteceu ao Marquez, como poderia ter acontecido a qualquer outro. É a vida.
O numero limitado de circuitos também não é problema dos pilotos. É o que é, e é andar para a frente.

Não me interpretem mal, o campeonato está interessante e tem-me colado ao ecrã. Mas o facto de o Dovi, ou o Vinales virem a ser campeões nestas circunstâncias é algo amargo para mim. De entre os que estão lá, o que mais gostava de ver tornar-se campeão nestas circunstâncias seria o Dovi. No meio disto tudo, e ao longo dos anos, é o que mais tem mostrado. Todos os restantes serão campeões... que não são bem campeões...
E mesmo o Dovi... quando se olha para os resultados das provas, deixa-nos a pensar.

Já agora, o Marquez ainda corre este ano? Decidiu tirar o ano para voltar a 100%? O que se passa?

Cumprimentos.

________________________________________________________________________________________

Aprilia RSV4 Factory '09 (Aprilia Racing theme)
Yamaha YZF-R6 '07 (Captain America theme)
---
Yamaha FZ8 '10 (White/Gold)
Kawasaki ZX-6R Ninja '08 (Orange)
Responder
#79

(24-09-2020 às 01:51)KaWOWsaki Escreveu:  Já agora, o Marquez ainda corre este ano? Decidiu tirar o ano para voltar a 100%? O que se passa?

Foi operado pela 2ª vez no inicio de Agosto com recuperação de 2 a 3 meses...

2 meses = Inicio de Outubro
3 meses = Inicio de Novembro

Com sorte ainda vai a tempo de correr em Portimão thumbsup

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder
#80

Citar:MotoGP, 2020, Marc Márquez: “Não se preocupem, voltaremos ao topo”

[Imagem: m-marquez-beam.jpg]

2020 tem sido uma temporada como nenhuma outra para Marc Márquez, com o piloto da Honda Repsol obrigado a assistir à ação de casa depois de uma lesão na primeira ronda da temporada.



Admitindo que assistir às corridas de casa é difícil, Marc continua a trabalhar e a treinar, pressionando para voltar ao circuito e à sua Honda RC213V quando for a hora certa. Antes da corrida em casa no GP da Catalunha, Marc partilhou alguns dos seus pensamentos sobre a temporada de 2020, a sua condição física e mental e o desempenho da Honda Repsol.

[Imagem: mm-casa-sit.jpg]

Marc, gostaríamos de saber como te sentes física e mentalmente?

“Do lado físico, agora estou num bom momento. Mas, claro, ainda estou longe do meu nível normal. É verdade que na semana passada, comecei a correr e a andar de bicicleta. Do lado da cardiologia, das pernas e do braço esquerdo, a minha condição é muito boa. Mas sobre o braço direito, ainda preciso dar alguns passos grandes, mas agora estamos a começar a fazer mais exercícios. Estou ansioso para começar a puxar um pouco mais no ginásio. Mas, neste momento, temos de respeitar os timings e ser pacientes.”

“Do lado mental foi difícil no início, porque não tinha nada para fazer em casa, os dias e as horas eram muito, muito longos, mas agora temos um plano para cada dia. Fazemos duas sessões de fisioterapia e depois treinamos também no ginásio com o meu treinador, o braço esquerdo, as pernas, juntamente com um pouco de cardio. Por isso agora o lado mental está muito melhor, o momento em que mais sofro é durante o fim de semana de corrida porque estar a ver a corrida, todas as sessões de treino, na TV, não é fácil. Para lá disso, podemos dizer que estou feliz agora, porque já sinto que demos alguns passos em frente.”

[Imagem: mm-casa-dog.jpg]

Vimos-te na semana passada já a treinar com proteção, ainda estás a usá-la?

“Sim, tivemos alguns tipos diferentes de proteções. No início tinha muita proteção, desde a mão até ao topo do braço, completamente rígida. Depois, passo a passo, usámos esta proteção de carbono que vistes nas redes sociais que era do cotovelo ao ombro. E agora, na vida normal, não estou a usar nada de especial para treinar, mas quando ando de bicicleta, ainda estou a usar essa proteção de carbono porque fixa um pouco melhor o osso e o braço no lugar. Agora estou a começar a esquecer as proteções e espero que na próxima semana já possamos remover a proteção em todas as coisas que fazemos.”

Como te sentes agora que está a treinar de novo?

“Comecei a andar de bicicleta e a correr e esperava que fosse muito pior porque durante quatro, cinco semanas estive apenas no sofá a ver televisão. Mas comecei a correr e logo desde o primeiro dia senti-me bem e comecei a ver melhorias, com o ciclismo também. O mais difícil é o músculo do braço direito, mas mesmo isto está melhor do que eu esperava. O músculo ainda está lá, está a funcionar bem. O mais importante é que todos os movimentos estejam bem e agora, passo a passo com o meu físioterapeuta Carlos, que está a viver comigo em minha casa, vamos começar a trabalhar arduamente para melhorar, seguindo os passos corretos no tempo correto.”

[Imagem: mm-casa-film.jpg]

Tiveste saudades do treino?

“Fez-me falta o treino, especialmente nas primeiras duas semanas, mas do que mais tenho saudadas é de estar numa mota. Agora estou numa situação em que espero voltar a andar em breve numa moto pequena ou algo assim, mas neste momento, temos de respeitar o processo, os timings dos médicos. Agora começo a sentir-me preparado, que é quando se torna um pouco perigoso, porque quando te sentes preparado, queres cada vez mais, mas tenho de tentar perceber o que o meu corpo está a dizer.”

Já de correr na semana passada, muitos fãs disseram que foste muito rápido!

“Fiquei surpreendido, porque normalmente o meu ritmo de corrida é de 3:50 por quilómetro e fiz 4:10 por quilómetro, por isso foi um bom ritmo. No dia seguinte estava todo partido! As minhas pernas estavam completamente vazias, mas durante a semana corri três vezes, fui andar de bicicleta uma vez e parece que a base está lá. Do lado físico, sinto-me pronto para voltar, mas sobre o braço especificamente, ainda não.”

A última corrida em Misano, foi a primeira corrida em que a Honda Repsol esteve mais perto da frente. O que achaste disso?

“A Honda Repsol está, penso eu, numa situação difícil. Claro que sinto que sou importante lá e sinto que podemos conseguir muito bons resultados, mas quando se tem um piloto novato do outro lado da garagem, e depois eu saí na primeira corrida, pode-se perder um pouco o norte. Mas agora parece normal, um novato tem um processo de crescimento, e o meu colega de equipa, que também é meu irmão, claro, está a ter um bom processo. Mas o teste de terça-feira em Misano foi muito importante porque encontraram algo e a partir daí o Nakagami e o meu irmão, Alex, deram um grande passo. 6º e 7º no resultado final, penso que é um bom resultado para eles. Estou ansioso por voltar o mais rápido possível para ajudar a equipa, mas neste momento estou apenas a ajudar de fora.”

Achas que ele já deu esse passo?

“O Alex está no processo, uma coisa importante para os pilotos rookies é quando têm duas corridas seguidas no mesmo circuito. Isto ajuda muito, a coisa mais difícil no MotoGP é chegar a um circuito com uma moto de MotoGP e tentar ajustar tudo. Alex vai chegar a Montmeló, no Circuito da Catalunha e recomeçará o processo, vamos ver se deu um passo em frente. O passo foi apenas vir de 12º, para 8º, é o primeiro passo que ele precisava de fazer e depois a partir daí é tentar aprender, ver onde podes melhorar e depois dar mais um passo.”

Achas que é mais difícil para um rookie esta temporada porque a diferença do primeiro para o 20º é um segundo?

“É difícil para um novato, mas também para todos. Os tempos estão muito próximos, quero dizer, num segundo há 17 pilotos, 18 pilotos e isso é algo incrível porque acho que o nível no MotoGP é muito equilibrado agora e isso é bom para os pilotos porque, no final, a melhoria final vem deles. É uma temporada difícil para todos, mas especialmente para um novato é difícil porque tens muitas corridas seguidas. É estranho porque quando se corre uma vez e se vai para casa, o corpo pode entender como melhorar, mas agora tudo está a acontecer muito rápido, demasiado rápido para um piloto novato. E não temos testes, fizeram um teste de um dia em Misano e normalmente durante numa temporada temos quatro ou cinco dias de teste, que ajudam muito.”

[Imagem: a-marquez-elb.jpg]

Estando em casa, tornaste-te conselheiro do Alex?

“Tento ajudar o Alex e na quinta-feira, quando têm a alocação de pneus, ele envia-me a foto e eu tento dar alguns conselhos, talvez este pneu possa ser a opção, porque no ano passado blá blá e todas essas coisas. Mas depois temos uma regra, ele tem de trabalhar com a equipa dele, temos de ser profissionais e ele está a trabalhar com a sua equipa. Se ele tem dúvidas sobre estilo de condução ou algo assim, ele liga-me, mas eu nunca lhe ligo. Ele precisa de me ligar porque está no circuito a trabalhar com a sua equipa e tem lá o Alberto, que também tem muita experiência, e o Emílio. Mas, claro, todos os dias fazemos dois, às vezes três telefonemas.”

A Honda enviou um comunicado de imprensa onde diziam que estavas a dois ou três meses de voltar à pista. Qual é o ponto em que estamos agora?

“Três meses é muito. Com os médicos, tentámos compreender e ouvir opiniões diferentes, médicos diferentes disseram cerca de três meses. No início é um choque para um piloto, mas agora, estou no momento em que começo a sentir grandes melhorias com o meu corpo. Agora, todos os dias, todas as semanas, sinto algo diferente. As primeiras três semanas foram iguais porque não senti nada, e não senti nenhuma melhoria. Mas agora começo a sentir algumas melhorias, começamos a trabalhar no ginásio, começo a treinar. Então, em que momento não sei, sei que estou mais perto de andar de moto, isso é o mais importante. Sei que estamos no bom caminho, mas não sei se estarei na moto em um mês, em duas semanas ou em dois meses. Não sei, isso é algo a que o meu corpo vai responder.

Entretanto, estás a ver as corridas em casa, deve ser super estranho para ti?

“É o mais difícil, ver corridas em casa é a coisa mais difícil porque estás lá a ver o treino, a ver as corridas, e gostavas de lá estar. Depois, quando vemos que está tão equilibrado, muitos vencedores diferentes na temporada e com apenas 84 pontos entre eles depois de tantas corridas, estamos ainda mais motivados para voltar. Mas no final o momento tem de ser certo. Parece estranho que depois de sete corridas esteja apenas 84 pontos atrás do líder, e tenho zero! É uma época estranha e parece que não temos ninguém que esteja a fazer uma grande diferença em relação aos outros.”

O que achas desta temporada? Faltam sete corridas, e ainda está completamente aberta!

“É estranho, é estranho porque parece que ninguém quer ganhar! Ninguém quer estar no topo, quero dizer é difícil de entender, mas um piloto, pode entender um pouco. Uma coisa é ser um piloto que se ganhares, vai ser fantástico e vai ser algo incrível, mas quando és o piloto que precisa de ganhar, então algo muda e tens muitas mais dúvidas porque não sabes se deves atacar, se deves defender. Sabes quando és o piloto que vem do segundo lugar, terceiro lugar, quarto lugar e tens algo à tua frente, não tens nada a perder, atacas e depois andas com mais confiança porque não tens nada a perder, mas quando estás no topo e tens de ganhar, é quando as dúvidas começam na tua cabeça, no teu corpo e torna-se mais difícil.”

Porque não só dois pilotos na luta, muitas fábricas e também motos satélite, está tudo completamente aberto este ano.

“Sim, quero dizer, é bom para o MotoGP e acho que para o programa, que uma equipa satélite tenha uma moto oficial, o que significa que a moto pode ganhar corridas. Isto é algo bom porque então uma equipa satélite pode ter um bom objetivo para uma temporada, um bom objetivo para uma corrida, estão lá a lutar. Para os patrocinadores, para todas essas coisas, é muito melhor.”

Mencionaste numa entrevista que os teus favoritos seriam o Dovi e o Quartararo – ainda pensas assim?

“É difícil dizer, mas é verdade que na Áustria disse Quartararo ou Dovizioso, mas, sinceramente, esperava mais deles. Especialmente do Quartararo, espero muito mais, porque ele ganhou as duas primeiras corridas com um nível incrível e agora, não sei o que se passa. Ele luta muito com dificuldades, mesmo num dos seus pontos mais fortes: a qualificação. Mas o Dovizioso é consistente, está lá mas precisa de mais velocidade se quiser ganhar o título e vemos que o Viñales está lá, o Mir está lá, quer dizer que temos oito, nove pilotos dentro de 25 pontos, por isso será interessante ver o final da temporada. E sim, vamos tentar experimentar o espetáculo por dentro!”

Corrida em casa em Barcelona esta semana, vais estar em casa a roer as unhas?

“Agora o MotoGP vai correr a uma hora da minha casa. E sim, vai ser estranho, mas é uma situação estranha. É a primeira vez que tenho esta experiência na minha carreira, é verdade que na carreira de um atleta em qualquer desporto, se passar 15 anos a andar no limite e depois temos de tirar um ano, temos essa possibilidade. Tentaremos voltar o mais rápido possível; a motivação ainda está lá.

Desde 2013 já conquistaste seis títulos, mas agora é um momento difícil para a Honda. Muitas pessoas estão a usar este azar para criticar e dizer que a moto não é fácil e a estratégia está errada. O que achas?

“Tenho muito tempo agora e leio muitas coisas mas, no final, se virmos os últimos dez anos, a Honda tem tido uma estratégia perfeita. Porquê? Porque é a equipa que ganhou mais títulos, mais títulos de equipa e mais Campeonatos de Construtores. Acho que a Honda tem feito um ótimo trabalho durante todos estes anos. Todos os fabricantes têm dificuldades a dada altura ano, às vezes é assim. Estamos ansiosos por melhorar a situação para o próximo ano, porque me sinto parte da Honda e sinto que faz parte da minha responsabilidade estar lá para levar a Honda ao topo. E vamos voltar, mas para mim a estratégia da Honda no final, significa que podes sofrer um ano, mas precisas de levar os últimos dez anos em conta, e nos últimos dez anos a Honda conseguiu mais do que os outros fabricantes todos juntos.”

Uma moto de MotoGP precisa de ser uma moto fácil, como dizem as pessoas?

“Claro que uma moto de MotoGP é uma moto de MotoGP. Todas as motos de MotoGP têm um caráter diferente e depois os pilotos têm de se adaptar à moto. A Honda tem esta filosofia há muitos anos nas classes de 500cc e MotoGP. Por exemplo, quando falo com o Doohan, com o Crivillé, a filosofia era a mesma. A Honda tem uma boa moto, mas tens de estar 100% em forma, precisas de puxar muito a moto, mas quando consegues ter a sensação com a moto, podes ser muito rápido. Depois, quando leio “não, a moto é feita apenas para o estilo de Márquez e blá blá”, não é assim. Quero dizer, temos três motos oficiais em pista, no ano passado fui eu, o Lorenzo e o Crutchlow e todos os pilotos têm os mesmos comentários. Outra coisa é se um piloto é mais rápido ou mais lento. Mas eu sou o primeiro a querer uma moto mais rápida e mais fácil, porque vai ser mais fácil para mim também. Mas não é assim, é uma moto competitiva e na última corrida, por exemplo, terminaram 6º com o Nakagami e 7º com um rookie, o, Alex. Portanto, é uma boa moto, tem potencial, mas se ele quiser entender a mota, tem de cair muitas vezes, mas vai acabar por entender.”

Para a última corrida, um novo circuito, Portimão, o que achas desta pista?

“Portimão vai ser interessante para terminar a época. Espero estar lá, espero correr lá com o MotoGP porque já lá fiz testes com uma Moto2 em 2012, há muito tempo, mas lembro-me do circuito e foi muito bom. Muitos altos e baixos, seguindo o traçado natural do terreno, foi muito bom, e foi muito divertido correr lá. Espero poder estar lá e terminar a época de uma forma boa.”

Finalmente, uma mensagem para todos os fãs?

“Só quero agradecer, especialmente a todos na Honda Repsol e também a todos os fãs. Recebi muitas, muitas mensagens ótimas. Li muitas, muitas perguntas: “Quando vais voltar?” Não sei, não sei quando voltarei. Espero voltar o mais rápido possível. Sinto que vai mais cedo do que mais tarde, por isso isto também é algo bom. Vamos ver, mas obrigado por continuarem a apoiar-me, a apoiar a Honda e não se preocupem, vamos voltar ao topo.”

Fonte: Motomais
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)