Momentos Insólitos

Nao me safava. Era uma rua de sentido unico so com uma via. E estava ainda ultrapassar o carro anterior a esse que decidiu virar para estacionar. 

Enfim um gajo vai aprendendo. Nao aprende a bem aprende a mal. Obrigado pelas melhoras a todos. Ainda ando todo empenado e foi devagar. Mas problemas nas costas e fodido.
Responder

(20-08-2018 às 23:40)marco.clara Escreveu:  
(20-08-2018 às 22:45)vindaloo Escreveu:  
(20-08-2018 às 19:35)LoneRider Escreveu:  Quando tenhas dúvidas de se consegues parar em segurança, amanda-te para cima do enlatado pá.
Entendi porque escreveste isso, mas o choque com um carro parece-me a mim empiricamente que podera trazer mais mazelas que um deslizar ou ate um mais comum esbarrar de roda da frente.

Acho acima de tudo que é difícil (para não dizer quase impossível) treinarmos o nosso cérebro para reagir de uma determinada forma em situações extremas onde o instinto é o elemento mais forte da equação. Certamente os nossos instintos também podem ser treinados, mas sendo esta uma situação extrema e ocasional, acho difícil de conseguir fazê-lo...

Ha instintos que se devem procurar inibir. Tens o proverbial exemplo da fixação de olhar. O nosso instinto e sempre fixar o perigo, como uma espécie de plano de resolução de auto preservação bué ineficiente a nao ser no reino da selva. E nisto das motinhas... pode magoar.


Responder

(21-08-2018 às 00:57)Nfilipe Escreveu:  Nao me safava. Era uma rua de sentido unico so com uma via. E estava ainda ultrapassar o carro anterior a esse que decidiu virar para estacionar. 

Enfim um gajo vai aprendendo. Nao aprende a bem aprende a mal. Obrigado pelas melhoras a todos. Ainda ando todo empenado e foi devagar. Mas problemas nas costas e fodido.

Tens que pedir a miúda muitas massagens agora..


Responder

(21-08-2018 às 00:35)LoneRider Escreveu:  Pode parecer insólito mas, as vezes dou por mim a prever o inevitável.

Ou seja, quando vês impossível evitar aquele buraco, alívio os travões (ganhas curso de suspensão) e se der tempo ainda acelero!


No entanto no meu post existia seriedade e ironia em doses iguais.
Concordo com o Marco ao dizer que é difícil treinar o corpo para esse tipo de reacções mas, quando tu bates com o esqueleto no chão por causa de um descerebrado e ainda vês a indiferença da sua reação (como que ainda no gozo por não lhe teres tocado) vais desejar ter mandado com os teus ossos na lata do gajo e pô-lo assim num compromisso!

foi assim que tive de desempenar as duas jantes da Kawasaki…
uma cratera no antigo piso da estrada que liga montijo a pegoes…
e uma grande sorte não ter caído mas se tivesse ido mais devagar talvez tivesse mesmo caído…
enfim...umas bifanas de vendas novas que me saíram um pouco mais caras…
(seguia em grupo, com os motards do oeste, e caindo a coisa seria feia…)

Lone, uma coisa é dizermos coisas dessas - dá vontade de… - mas outra coisa é termos cabeça fria e hiper-reflexos de em milionésimos de segundos evitarmos o que o subconsciente faz e manda fazer e de o enganarmos e fazermos o que pretendemos fazer numa dessas situações… parece-me quase impossível a não ser aqueles que estão habituados a caírem… os duplos de cinema, por aí… és duplo?  lol beer
Responder

(21-08-2018 às 23:57)2low Escreveu:  
(21-08-2018 às 00:35)LoneRider Escreveu:  Pode parecer insólito mas, as vezes dou por mim a prever o inevitável.

Ou seja, quando vês impossível evitar aquele buraco, alívio os travões (ganhas curso de suspensão) e se der tempo ainda acelero!


No entanto no meu post existia seriedade e ironia em doses iguais.
Concordo com o Marco ao dizer que é difícil treinar o corpo para esse tipo de reacções mas, quando tu bates com o esqueleto no chão por causa de um descerebrado e ainda vês a indiferença da sua reação (como que ainda no gozo por não lhe teres tocado) vais desejar ter mandado com os teus ossos na lata do gajo e pô-lo assim num compromisso!

foi assim que tive de desempenar as duas jantes da Kawasaki…
uma cratera no antigo piso da estrada que liga montijo a pegoes…
e uma grande sorte não ter caído mas se tivesse ido mais devagar talvez tivesse mesmo caído…
enfim...umas bifanas de vendas novas que me saíram um pouco mais caras…
(seguia em grupo, com os motards do oeste, e caindo a coisa seria feia…)

Lone, uma coisa é dizermos coisas dessas - dá vontade de… - mas outra coisa é termos cabeça fria e hiper-reflexos de em milionésimos de segundos evitarmos o que o subconsciente faz e manda fazer e de o enganarmos e fazermos o que pretendemos fazer numa dessas situações… parece-me quase impossível a não ser aqueles que estão habituados a caírem… os duplos de cinema, por aí… és duplo?  lol beer

Estou habituado a cair!

Vou ao monte com frequência, sei que vou cair.....

....mais que uma vez.

Parece algo esquesito o que vou dizer pá, mas passo os meus dias a olhar para a estrada, a antecipar os movimentos dos outros e a analizar situações de tráfico.
Embora fale disto com muita frieza e com alguma exactidão, sou consciente de que, no momento da verdad é mais fácil bloquear-se e malhar com o esqueleto no chão, mas acho que, pela inércia profissional, era gajo para rever e recalcular todas as opções (sem consultar as fórmulas matemáticas do Arenoso) antes de ir com a tromba ao tapete!
Se há coisa que o monte te ensina é a encarar o risco, calcular as possibilidades de ser bem sucedido em cagalhesimas e, mesmo que a coisa vá pó torto, levantar-te airoso!
Pergunta ali aos morcões do norte que se andam a flagelar na serra de Valongo, a ver se não é verdade!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder

Lone rider, tenho a mesma opinião.
Os kms feitos, e os estoiros que tive, ensinaram-me a pensar assim.

Ex: GS 500 E de 92
     Cbr 600 F de 96
     Cbr 600 F de 97
     RM 250 de 95
     YZ 450 F de 2004
     SX 250 de 2004
Responder

Momento insólito de há dois dias.
Chego à base com o camião.
Meto na Artax a mochila do trabalho amarrada com uma aranha.
Monto na Artax.
Faço 24 km "de estalo“ pelo meio de monte para chegar a casa.
Estaciono a mota para abrir o portão de casa.
Empurro a Artax para dentro da garagem com o descanso aberto.
Desiquilibro-me e em vez de deixar cair a Artax para o lado direito, está pende para o lado esquerdo acertando em cheio com o descanso no dedo grande do meu pé esquerdo.

[Imagem: lX5v9k1.jpg]

Depois de ter perdido a unha, de umas dores e comichões esquisitas, cheguei à conclusão de que a Artax deitou-se para o lado certo!
Antes o meu pé que riscar o verde azeitona do Rupert!
Caso contrário estariam a falar com um gajo de pulsos cortados!
Além disso....


[Imagem: bh3mV6L.jpg]

Eu até estava a precisar de uma unha nova!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder

Xiiii presunto mai feio!

Velasquez87
Responder

Porra até me veio o almoço á boca... nausea
Responder

Até chegou aqui o cheiro... nausea
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)