Assistencia em viagem
#1

Boas! Pessoal! 


Ha pouco tempo e pela primeira vez na vida tive um stress, ainda que fosse com o carro! tive que chamar o reboque, correu tudo bem mas precisei do reboque passado pouco tempo e mostraram me o dedo do meio! tive que pagar reboque a minha conta! Ainda que o que conto nao interesse bem para o que quero expor, devido a este stress fui procurar nova seguradora, ao andar a ver seguradoras também via comentários de clientes, basicamente poucas valem realmente alguma coisa quando um gajo precisa delas! foi a conclusão com que eu fiquei! 

Agora lembro me bastante bem de ler sobre uma situação em que uma pessoa teve uma avaria, acho que na serra da estrela e teve que pagar o reboque do bolso dele porque a seguradora nao cobria que o reboque fizesse uma deslocação da serra da estrela para lisboa! ao que eu penso, epa foda-se mas a sério mesmo? entao um gajo está coberto pela seguradora num raio de 50km nao? Acho que isso nem tem ponta por onde se pegue. Se o meu veiculo avariar no Porto eu nao chamo o reboque para o carro ser reparado numa oficina de Porto, nao faz qualquer sentido. 

Isto a dias fui então ao vitorinos seguros transferir o seguro para a Tdm, tive mesmo para perguntar quais as condições especificas da assistência em viagem mas por outro lado, sabendo que pago 70 paus por ano, até tenho receio de saber, porque depois um gajo já nem vontade tem de sair!  redeye 

Penso ir aos picos da europa, então se a assistência em viagem é como é em algumas seguradoras dentro do território nacional nem quero imaginar fora da fronteira! E até posso ser um gajo um pouco agarrado aos euros, mas se a seguradora que tenho realmente nao cobre uma necessidade que eu tenho a longa distancia, assim prefiro pagar 200 ou 300 paus por um seguro e andar descansado. 

Alguém com experiência ou já tenha tido situações idênticas mande alguma luz sobre o assunto!
Responder
#2

Pois, as seguradoras estão lá para ganhar dinheiro.

Geralmente também tem vários níveis de assistência em viagem, com coberturas e custos diferentes.

Boas curvas! 
Responder
#3

(20-09-2018 às 09:27)Nfilipe Escreveu:  Boas! Pessoal! 


Ha pouco tempo e pela primeira vez na vida tive um stress, ainda que fosse com o carro! tive que chamar o reboque, correu tudo bem mas precisei do reboque passado pouco tempo e mostraram me o dedo do meio! tive que pagar reboque a minha conta! Ainda que o que conto nao interesse bem para o que quero expor, devido a este stress fui procurar nova seguradora, ao andar a ver seguradoras também via comentários de clientes, basicamente poucas valem realmente alguma coisa quando um gajo precisa delas! foi a conclusão com que eu fiquei! 

Agora lembro me bastante bem de ler sobre uma situação em que uma pessoa teve uma avaria, acho que na serra da estrela e teve que pagar o reboque do bolso dele porque a seguradora nao cobria que o reboque fizesse uma deslocação da serra da estrela para lisboa! ao que eu penso, epa fo**-se mas a sério mesmo? entao um gajo está coberto pela seguradora num raio de 50km nao? Acho que isso nem tem ponta por onde se pegue. Se o meu veiculo avariar no Porto eu nao chamo o reboque para o carro ser reparado numa oficina de Porto, nao faz qualquer sentido. 

Isto a dias fui então ao vitorinos seguros transferir o seguro para a Tdm, tive mesmo para perguntar quais as condições especificas da assistência em viagem mas por outro lado, sabendo que pago 70 paus por ano, até tenho receio de saber, porque depois um gajo já nem vontade tem de sair!  redeye 

Penso ir aos picos da europa, então se a assistência em viagem é como é em algumas seguradoras dentro do território nacional nem quero imaginar fora da fronteira! E até posso ser um gajo um pouco agarrado aos euros, mas se a seguradora que tenho realmente nao cobre uma necessidade que eu tenho a longa distancia, assim prefiro pagar 200 ou 300 paus por um seguro e andar descansado. 

Alguém com experiência ou já tenha tido situações idênticas mande alguma luz sobre o assunto!

Penso ser relativamente divulgado que a assistência em viagem é uma vez por ano. O excedente é pago à parte.

A experiência que tenho em assistência em viagem precisamente na situação que referes é taxi até casa, internacionalmente (europa).

Alterei isto após uma situação com um camarada que em ponte de Lima lhe estava a ser proposto taxi até à rodoviária em Braga, rede expressos, taxi até casa.

A mim... já bem basta a frustração quanto mais não ter um transporte directo.

Tens a situação dos ocupantes também, e muito pertinente nas motas.

Eu tenho igualmente um carro de substituição de 3 dias, sempre assim o necessite. Mesmo que seja uma assistência relativa à mota, emprestam-me um carro. E que se estende pelo período de reparação, caso vá para uma oficina autorizada ou com acordo com a seguradora. Isto é o que tenho usado menos sinceramente e considero retirar futuramente.

O que penso que não me escapo é a situação do transporte colectivo. Ou seja, o reboque leva o carro/mota para um centro e pode chegar a casa/oficina 3 ou 4 dias depois caso o ponto de recolha seja longe da área de residência.

Agora... após muita volta e consulta e conversa, eu continuo a pagar mais do dobro do que tu pelo seguro mas é também o que me deixa um pouco mais tranquilo, mesmo que seja uma ilusão.


Responder
#4

Ora bem.

Como explicar isto....

Pelo que eu tenho entendido a tua assistência em viagem tem um valor limite. Acho que os plafons maiores são de 500€.
Nenhuma seguradora se nega a levar-te o veículo onde tu queiras. A questão é que, se a deslocação tiver um custo superior a 500 euros, vai ter que se fazer um agrupamento de veículos, carregar um camião que depois te vai levar a mota onde tu queres. Tudo isto porque o serviço não é personalizado, ou seja, tu pagas um serviço de assistência em viagem que tem muita letra miúda.
Mas isto é referente ao veículo, porque contigo é diferente.
Vais ter direito a transporte e alojamento.

No estrangeiro o esquema é o mesmo, mas remeto-te uma vez mais para a letra miúda porque os valores podem variar.

A normativa europeia estabelece como meia hora, o tempo máximo para que a assistência tarde em chegar.

Para a mota, aconselho-te o plafom máximo, uma vez que isso é um piano e um gajo sabe bem que isso deixa o pessoal apeado com frequência.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#5

É o que Lone disse. Os seguros têm um plafond de cobertura que está nas condições gerais e especificas que nunca ninguém se interessa por ler, assim como os limites por anuidade.

Mas os veiculos não ficam onde quer que estejam, tu tens aquele plafond, se estiveres numa localização que custe mais que aquele valor, eles trazem no camião mas pode demorar 1 ou mais semanas a chegar.

Se quiseres trazer na hora, pagas tu, e às vezes dá para negociar com a seguradora, ou seja, eles pagam o X que contempla e tu pagas o restante.

O meu conselho é, ler sempre as condições gerais da apólice e respectivas coberturas e exclusões, assim como as condições especificas. Posso garantir que muitas seguradoras não te dão reboque em caso de furo, por exemplo, e nas motas é um pincel daqueles..
Responder
#6

Eu não sei como é em Portugal, mas por onde ando, por experiência própria, as motas são assistidas em caso de furo. O mesmo já não acontece com os quadrúpedes.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#7

Malinha com ferramentas+manual de serviço no tlm+Know how e pronto, que se lixe o reboque lol
Por acaso nunca pensei muito nisto, mas sempre tive a impressão que temos direito a pelo menos 2 reboques por ano para uma oficina da nossa escolha perto da nossa localidade.
Responder
#8

A quantidade de assistências por ano já é "normalizada"? Tinha a ideia de que depende da seguradora e das condições que se contratam com a seguradora.
Responder
#9

(20-09-2018 às 13:28)Macavenco Escreveu:  A quantidade de assistências por ano já é "normalizada"? Tinha a ideia de que depende da seguradora e das condições que se contratam com a seguradora.

A generalidade dos contratos de seguro com assistência em viagem "comum" contemplam por norma até 3 assistências por anuidade. A não ser que se contratem pacotes que incluam coberturas "top" (mas claro, mais caras).

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#10

(20-09-2018 às 11:01)vindaloo Escreveu:  Alterei isto após uma situação com um camarada que em ponte de Lima lhe estava a ser proposto taxi até à rodoviária em Braga, rede expressos, taxi até casa.

Esse gajo devia ser alta tótó...
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)