Andar com pendura
#11

O teu brinquedo deve estar super aborrecido....

Até à carrinha do Lelo se diverte mais!!!! lol


Andar à pendura requer entre outras coisas muito diálogo e entendimento.
Se aquilo acordado entre os ocupantes resulta numa melhoria na segurança e conforto ambos vão fazer para que se torne em algo mecânico.
Eu lembro-me de umas explicações que dei Earandir para evitar andar com a tomatada esmagada contra o depósito a cada travagem. Esses técnicas não são coisa natural, mas com práctica e persistência consegue-se e a melhoria, principalmente na condução é notável.
Actualmente a minha pendura ainda está em fase de aprendizagem, mas já percebi que se diverte muito em estradas rápidas, enquanto que nas lentas ainda tenho que trabalhar melhor os seus movimentos.
Mas tive uma pendura que gostava tanto da coisa que quis sentar-se na pendura da Maria para conhecer o supertecnico circuito de Motorland!
Infelizmente a organização não permitiu porque ela não tinha fato de couro.
Quando chegares a essa fase tenham cuidado com a vossa pendura, porque pica muito uma pessoa!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#12

(10-12-2016 às 19:54)Fz1000 Escreveu:  Convém ajustar a mola, senão a mota fica com um comportamento completamente anormal.

Eu muito raramente tenho pendura, para andar com gajas atrás servem os carros, a mota é o MEU brinquedo.

Ahhhh carágo! Assim é que é falar!!!!

Suzuki SV1000S '04  cool
Responder
#13

Andar com pendura é um espectáculo desde que a pendura saiba o que tem de fazer e não tenha medo. Claro que por vezes acontece não ir atenta(o) e levares uma cabeçada ao travar... Mas essa da tomatada nunca me aconteceu.

Com a mota parada ou a baixa velocidade notas bastante o peso, isso não existe como fugir, e quanto mais pesada for mais notas.

De resto é a mesma coisa, e não se deixa de curvar por causa disso, até agarra mais nas saídas de curva! devil
Responder
#14

(11-12-2016 às 00:31)michelfpinto Escreveu:  Mas essa da tomatada nunca me aconteceu.

Tenho más notícias..
Responder
#15

(12-12-2016 às 11:32)Cloud Escreveu:  Tenho más notícias..

???

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#16

Voces tem algumas medidas a tomar antes de andar com pendura? Ajustar a mola da suspensão, pressao do pneus?

Ontem fomos ja dar uma volta grande, a volta para casa foram 2h15m em cima da mota, foi logo a grande e a francesa, p abrir o olho! lol Ela leu umas quantas cenas na net e esta muito melhor. Mas vem de tal modo colada ao um gajo, que um gajo é cilindrado contra o deposito!lol  Funciona muito bem para dar gás mas para andar nas calmas fatiga de crl.

Quando deixei ela em casa e sai para vir para a minha casa, cum crl, a mota parecia que virava sozinha, tinha dobro do power no acelerador. A coisa ficou mto melhor nesta segunda volta mas nao ha comparação quando se anda sem pendura.

E engraçado coise e tal quando ja estamos no destino mas a viajar a 2 é simplesmente cansativo e um gajo n pode realmente desfrutar da mota como deve ser, nem pco mais ou menos.
Responder
#17

Tenrinhos os dois!
Aposto que ela se assenta no teu assento!  lol

Tens que lhe dar a entender que ela não pode simplesmente apoiar-se em ti.
Mas acredita no que te digo.
Não é aconselhável,  mas é possível conduzir com pendura da mesma maneira como se não fosse lá.
Mas para chegar a essa coisa,  são precisos muitos km,  muito diálogo e criar mecanismos próprios que se adaptem a ambos.
Podemos dar dicas,  com base na nossa experiência,  mas não são regras rígidas,  pelo que pouco a pouco cada casal se vai adaptando à  coisa!

Uma das medidas preventivas, e isso convém que lhe dê a entender como algo primordial, é manter a tomatada "seca", porque é bué caro mandar reparar as amolgadelas no depósito! rolleyes

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#18

ahaha apostaste bem! quando chegamos ontem ao destino, virei para ela e disse-lhe, olha lá estavas sentada na tua parte do banco? Pois claro que nao estava...

Por este andar ou começa a inventar desculpas credíveis para me montar na burra sozinho ou terei que comprar um sofá com 2 rodas para facilitar a coisa! lol
Responder
#19

(12-12-2016 às 13:18)Nfilipe Escreveu:  Mas vem de tal modo colada ao um gajo, que um gajo é cilindrado contra o deposito!

Se ela também conduz e tem noções da maneira como o tráfego normalmente se comporta, ajuda bastante. Se não conduz vai-te dar mais algum trabalho a incutir essas noções mas também lá chegam. blink

Uma das dicas mais importantes é mesmo a da "mãozinha no depósito" em situações de possível travagem ou descidas mais acentuadas. Provavelmente ela não conduzindo motas ainda não se apercebeu de que tu precisas de usar o corpo todo para manobrar a mota. E isso torna-se muito difícil quando os teus movimentos, sobretudo os do tronco e braços, são "travados" pela pressão da pendura no teu corpo.

Outra dica que considero bastante importante é a posição do corpo da pendura em curva. E aqui nada como explicares primeiro como olhas para a estrada em curva. A velha história de "olhar para onde se quer ir e tal".  blink

Ou seja, se a tua pendura fizer exactamente o mesmo que tu fazes, olhar para a entrada da curva, depois para o apex e finalmente para a saída, vão ver que os vossos corpos passam a trabalhar em sincronia sem sequer pensarem no que estão a fazer o que facilita imenso e teu trabalho e o gozo de viajar a dois aumenta exponencialmente.  

(12-12-2016 às 13:18)Nfilipe Escreveu:  Quando deixei ela em casa e sai para vir para a minha casa, cum crl, a mota parecia que virava sozinha, tinha dobro do power no acelerador. A coisa ficou mto melhor nesta segunda volta mas nao ha comparação quando se anda sem pendura.

É um facto!  lol Assim que largas a pendura apetece logo ir dar uma volteca a solo já que a mota fica "uma pena"...  blink

(12-12-2016 às 13:18)Nfilipe Escreveu:  E engraçado coise e tal quando ja estamos no destino mas a viajar a 2 é simplesmente cansativo e um gajo n pode realmente desfrutar da mota como deve ser, nem pco mais ou menos.

Isso não é totalmente verdade. São situações diferentes mas ambas têm os seus pontos bons e maus. Como tudo.  blink

Deixo-te um clip porreiro sobre o assunto que só não é melhor porque o gajo é escocês  ou coisa que o valha lol e como tal uma tradução simultânea para Inglês do que ele diz ajudava bastante.  lol  blink


[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder
#20

Bem, com a minha namorada ando sempre nas calmas. Ela coloca as mãos na minha cintura e lá vamos. Quando tenho que travar com mais força ela às vezes lá desliza contra mim, mas é raro porque os bancos da minha mota aderem bastante e com ela conduzo com calma porque prefiro que ela venha passear comigo do que fique em casa de trombas por ter ido sozinho com os meus amigos lol

Mas já levei à pendura 2 amigos meus (um de cada vez). Ambos com físico idêntico, ambos se seguravam apenas exclusivamente nas pegas atrás, embora eu tenha dito que se fosse necessário podiam-se agarrar a mim desde que não apaneleirassem muito. Um deles causava-me uma instabilidade tremenda na mota. Tive de andar sempre nas calmas e cada curva era um perigo de morte! Com o outro eu só lá estava para segurar o guiador e acelerar, porque ele praticamente é que me inclinava a mota lol . Às vezes inclinava tanto que eu é que ia inclinado para o lado contrário lol . Mas pelo menos dava para fazer as curvas na boa sem stress e sem medos, às vezes parecia que ele não estava lá. Curiosamente este ultimo já teve uma 125 em tempos, portanto sabe minimamente o que é andar de mota, já o outro uma vez tentámos que ele andasse numa 125 de um amigo nosso e não conseguiu andar 10 metros, teve medo e desistiu.

Quanto ao teu problema de ficares com os tintins esborrachados contra o depósito, fala-lhe nisso e se ela for agarrada à tua cintura recomenda-lhe que ela se apoie no depósito pelo menos quando vais a travar.

Que mota tens, já agora?
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)