AJP
#11
Do que tenho lido, o problema da AJP não é a qualidade de construção, algumas criticas até consideram que nesse ponto está acima da média e com um quadro tb muito bem concebido. O calcanhar de Aquiles é mesmo o motor da bicha, dizem que aquilo está muito ultrapassado (no que ao enduro diz respeito) o que vem ao encontro da filosofia da marca, que é criar motas capazes de fazer enduro mas para utilizar no dia a dia.

Desde o famigerado evento offroad, ando curioso para experimentar a PR4 240 e até já sei onde a poderei experimentar aqui .
Responder
#12
O que eles consideram um motor ultrapassado, é somente um motor com uma fiabilidade cima da média da classe, com injecção electronica desde o primeiro modelo (2010) e sem problemas crónicos
E dizem ser uma excelente moto para principiante por ser muito mais perdulária e com um quadro capaz. Isto tudo aliado a um preço canhão de 5000€ (nova) ou 6000€ (versão Extreme- update na suspensão e uns extras)
Responder
#13
Quem é que fabríca os motores para a AJP?
Responder
#14
(20-02-2018 às 14:26)nelsonajm Escreveu: Quem é que fabríca os motores para a AJP?

Tenho ideia que os motores das PR3, PR4 e PR5 são de origem chinesa.

O motor da PR7 chegou a ser o conhecido Minarelli de 660cc das XT / Teneré e actualmente é o mesmo motor das Husqvarna TE610.
Imagem
Autorizo que possam mandar piadolas à minha pessoa / moto, no forúm.
Reservo-me ao direito de o poder fazer reciprocamente a todo e qualquer membro que use desse direito para comigo.
Responder
#15
É importante perceber em que contexto se fala de determinadas coisas.
Hoje em dia as patas negras também já têm mapas de gestão que alteram o comportamento dos motores de forma a adaptarem-se às condições do terreno.
Os bons endureiros continuam a achar que as motas 2T são muito melhores que as 4T dado que com 10kg menos oferecem a mesma potência.

Mas, estamos nós a esse nível de pilotagem para opinar no que é melhor ou pior?

Os motores que equipam as PR3, 4 e 5 são de fabrico chinês e os 29cv que declara a PR5 são manifestamente suficientes para subir qualquer obstáculo.
Para que vocês possam ter termo de comparação, a Artax tem vídeos de subidas que são já bastante acentuadas e sobe bem em 2a e tem apenas 23cv.
A fiabilidade dos mesmos não provoca comentários nos foros da especialidade e as reviews realçam exactamente aquilo que se pretende.
Uma moto fácil de usar, versátil e com muitas capacidades off-road.

De toda a gama a PR5 Extreme é a que mais aconselharia, porque tem um ciclistica quase ao nível das pata negra e um motor que, ao ser de refrigeração líquida não vê o seu comportamento alterado com a temperatura ambiente, alhetas obstruidas pela lama, etc, etc...
I just don't run with the crowd!

http://www.loneriderendlessroad.com
Responder
  




Utilizadores a ver este tópico:
1 Visitante(s)