A serra já arde
#41

Aqui na minha empresa, a comoção é mais que muita. Um colega nosso perdeu o filho de 4 anos e o irmão nestes incêndios. Está toda a gente à toa.
Responder
#42

(19-06-2017 às 13:18)quatropiscas Escreveu:  Aqui na minha empresa, a comoção é mais que muita. Um colega nosso perdeu o filho de 4 anos e o irmão nestes incêndios. Está toda a gente à toa.

Realmente, não há nada que possa confortar o teu colega. Nem consigo imaginar...

Boas curvas! 
Responder
#43

Eu não discuto, não coloco em causa qualquer situação, nem digo de minha justiça em relação a esta questão dos fogos estivais, pois sou um completo leigo em matéria de ordenamento florestal, prevenção e combate a incêndios.

Mas vejo e revejo todos os anos alegados "experts" na matéria a debater medidas, a colocar hipóteses, apontar razões e apresentar soluções.... mas o facto é que todos os anos isto acontece, em maior ou menor grau, chegando ao ponto de tomar as proporções catastróficas e dantescas que ocorreram no passado sábado.

Infelizmente aconteceu.... nada mais há a fazer do que lamentar e chorar sobre quem perdeu a vida de uma forma estúpida e completamente incompreensível. Tudo o que se possa dizer, todos os dedos que se possam apontar, todas as culpas que se possam indicar são agora ínfimas...

A magnitude da tragédia foi tal que acaba por tocar mais ou menos indirectamente cada um de nós ou aos nossos amigos mais próximos. Tenho amigos que perderam amigos ou familiares... ou cujos filhos perderam colegas e amigos. Aquelas 62 vítimas são mais que meras vítimas que estavam no momento e local errado.... são laços, que mais ou menos indirectamente acabam por nos ligar todos.
Não há palavras... em qualquer lado (nos restaurantes, em cada um dos nossos empregos, na rua, nas nossas casas, o assunto é invariavelmente o mesmo).  

Como foi possível isto acontecer? Tenho 41 anos e há muito que não me lembro de tamanha catástrofe. É algo que custa a perceber... num pequeno país em que não estamos habituados a coisas destas, apesar do flagelo dos incêndios estivais (infelizmente) serem uma coisa recorrente e que não mostra sinais de acabar de vez.

Podem apontar todas e mais razões... todos os culpados.... e todos os desculpados ou impunes.... eu apenas pergunto...

.... Até quando mais isto vai acontecer?
Responder
#44

O fogo é um dos elementos.
Não vai parar nunca.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#45

Está à vista como os erros florestais acabam. Mas sao tantos os actos que trouxeram a isto que ate em pequenos pormenores se ve que isto ta tudo mal. Ainda na sexta com temperaturas elevadas e humidade baixissima, o lPMA nao dava mais que alerta laranja, a rede de postos de vigia so se instala a 1 de julho, etc.

Isto nao vai ficar por aqui.
Responder
#46

Ainda agora li um artigo onde referia, Portugal, o único País do mundo onde 97% da floresta é privada. Enfim.

http://rr.sapo.pt/noticia/86597/e_precis...pecialista
Responder
#47

(19-06-2017 às 15:12)OFFICER Escreveu:  Ainda agora li um artigo onde referia, Portugal, o único País do mundo onde 97% da floresta é privada. Enfim.

http://rr.sapo.pt/noticia/86597/e_precis...pecialista

E isso é mau?

Boas curvas! 
Responder
#48

(19-06-2017 às 14:38)LoneRider Escreveu:  O fogo é um dos elementos.
Não vai parar nunca.

O problema é pensar-se a coisa como algo incontornável, imprevenível e unicamente remediável.
Porque para haver fogo, tem de haver 3 elementos primordiais (fonte de ignição, combustível e ar). Basta eliminar ou controlar um deles (dentro daqueles que podem ser controláveis), e as hipóteses de haver incêndios destas proporções, são enormemente minimizadas.

Como disse acima, não discuto ordenamento florestal, nem políticas ou meios de prevenção e combate, simplesmente porque não domino a matéria suficientemente para que possa emitir uma opinião válida.... e abstenho-me de emitir opinião baseado nos muitos estigmas que se ouvem por aí e acabam por toldar a opinião de outros tão ou mais leigos que eu.

Mas como disse, tenho 41 anos, e tenho raízes nesse interior do país assolado por este flagelo.... e esta questão dos fogos de magnitudes incomportáveis e incombatíveis, com perdas humanas e materiais avultadas, só me lembro das mesmas desde há pouco mais de três décadas.

Recordo de ser puto e estar em plena aldeia da Beira Alta (aonde os meus pais hoje habitam), haver o mínimo sinal de fogo, os sinos da igreja baterem a repique e toda a população acorrer ao mesmo com todos os meios ao alcance... debelando-o na origem.... e há 30 anos não tínhamos possivelmente um décimo dos meios de combate que temos hoje. E o país não ardia como arde hoje.

Por acaso este artigo  tem o seu quê de pertinência em relação a esta temática:

http://www.dn.pt/lusa/interior/incendios...71221.html

O ano passado essa mesma aldeia aonde moram os meus pais, tal como as aldeias vizinhas, voltaram a estar no centro de um imenso mar de chamas, com a minha mulher, filhos e pais lá... tudo ao redor ardeu e a aldeia mais uma vez (milagrosamente) se salvou.
E de 10 em 10 anos, desde esses 30 anos para cá, a coisa mais ou menos repete-se.
Custa-me pensar que o nosso território vai "sangrando", seja no património natural e ambiental que se perde, nos bem materiais que se consomem e pior de tudo, nas vidas que são apanhadas no meio desta batalha inglória (recorde-se que é raro o ano em que não morrem pessoas por causa dos incêndios, chegando à proporção atroz do passado sábado).

E o que me custa.... que não se vão tirando ilações disto e se tome a coisa por algo ciclíco e inevitável.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#49

(19-06-2017 às 15:23)nunomsp Escreveu:  
(19-06-2017 às 15:12)OFFICER Escreveu:  Ainda agora li um artigo onde referia, Portugal, o único País do mundo onde 97% da floresta é privada. Enfim.

http://rr.sapo.pt/noticia/86597/e_precis...pecialista

E isso é mau?

Claro que é. Até porque se o estado quiser intervir, não pode porque é privado.

Aliado ao privado, está o abandono que por muito que se queira agir, não é possivel.

Não quer dizer que o estado tenha tentado intervir, mas caso quisesse, também não podia.
Responder
#50

(19-06-2017 às 15:32)OFFICER Escreveu:  
(19-06-2017 às 15:23)nunomsp Escreveu:  
(19-06-2017 às 15:12)OFFICER Escreveu:  Ainda agora li um artigo onde referia, Portugal, o único País do mundo onde 97% da floresta é privada. Enfim.

http://rr.sapo.pt/noticia/86597/e_precis...pecialista

E isso é mau?

Claro que é. Até porque se o estado quiser intervir, não pode porque é privado.

Aliado ao privado, está o abandono que por muito que se queira agir, não é possivel.

Não quer dizer que o estado tenha tentado intervir, mas caso quisesse, também não podia.

Já viste como estão as matas do estado?

Boas curvas! 
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)