Harley - Dificuldade em arrancar
#11

(19-11-2020 às 11:28)Nfilipe Escreveu:  
(18-11-2020 às 23:40)LoneRider Escreveu:  Se andasses na mota, muito provavelmente não terias esse problema.

Milhares e milhares de kms dá nestas afirmacoes! devil

Lone pá, por muito que se ande chega uma altura em que bateria vai mesmo com o crl, nem alternador nem um carregador de bateria lhe vale. Só para saberes e nao seres ranhoso! devil

Tens toda a razão.

A bateria da Maria das Curvas tem 12 anos e segundo as medições ainda tem chicha para dar.
A bateria da Dorothy tem 9 anos e continua a bombar.
A bateria da Artax tem 5 anos e (ao contrário da Maria e da Dorothy) nunca foi ligada a um optimizer.

Se bem que reconheço a ajuda dos optimizer, andar na mota é o mais importante para o correcto funcionamento das baterias.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#12

(20-11-2020 às 06:52)LoneRider Escreveu:  
(19-11-2020 às 11:28)Nfilipe Escreveu:  
(18-11-2020 às 23:40)LoneRider Escreveu:  Se andasses na mota, muito provavelmente não terias esse problema.

Milhares e milhares de kms dá nestas afirmacoes! devil

Lone pá, por muito que se ande chega uma altura em que bateria vai mesmo com o crl, nem alternador nem um carregador de bateria lhe vale. Só para saberes e nao seres ranhoso! devil

Tens toda a razão.

A bateria da Maria das Curvas tem 12 anos e segundo as medições ainda tem chicha para dar.
A bateria da Dorothy tem 9 anos e continua a bombar.
A bateria da Artax tem 5 anos e (ao contrário da Maria e da Dorothy) nunca foi ligada a um optimizer.

Se bem que reconheço a ajuda dos optimizer, andar na mota é o mais importante para o correcto funcionamento das baterias.

Isso do andar de mota para conservar baterias em condições tem muito que se lhe diga. Tenho um vizinho no prédio com uma CBR1000RR de 2004 que tem a bateria de origem, sendo que a mota tem 8900km. Sim , verdade, um crime. Nos 10 anos que aqui mota vi a mota sair da garagem 3 ou 4 vezes. A última foi há uns meses quando ele decidiu mudar o óleo à mota, porque a mota já estava parada há 3 anos e o óleo já tinha 5 anos no motor! Mas este desliga mesmo os dois bornes da bateria com ela parada e quando é para a meter a trabalhar, liga cabos da bateria do carro, diz ele que para não puxar demasiado pela bateria da mota no arranque. Pancadas!
Responder
#13

Eu diria que a longevidade das baterias resulta essencialmente de dois fatores: a qualidade das mesmas e utilização.

No meu caso por exemplo, posso dizer que vendi a F800R (de 2010) com a bateria de origem, sem nunca a ter desligado ou ligado a um optimizer (que não tenho).
Das motas que tive só me recordo de ter substituído duas baterias, ambas por terem entregue a alma ao criador devido à sua idade, mais do que pelo uso que tiveram.

Com as paragens mais prolongadas nos últimos meses (obrigado COVID fu) e o facto de estar em teletrabalho, antecipo que posso ter de começar a desligar baterias ou no limite adquirir um optimizer, mas ainda não pensei muito nisso... (estou em negação).
Responder
#14

(20-11-2020 às 10:18)marco.clara Escreveu:  Eu diria que a longevidade das baterias resulta essencialmente de dois fatores: a qualidade das mesmas e utilização.

No meu caso por exemplo, posso dizer que vendi a F800R (de 2010) com a bateria de origem, sem nunca a ter desligado ou ligado a um optimizer (que não tenho).
Das motas que tive só me recordo de ter substituído duas baterias, ambas por terem entregue a alma ao criador devido à sua idade, mais do que pelo uso que tiveram.

Com as paragens mais prolongadas nos últimos meses (obrigado COVID fu) e o facto de estar em teletrabalho, antecipo que posso ter de começar a desligar baterias ou no limite adquirir um optimizer, mas ainda não pensei muito nisso... (estou em negação).

A Versys esteve parada praticamente 3 meses em consequência primeiro de teletrabalho e depois de uma cirurgia e quando pude finalmente pegar nela outra vez, foi só rodar a chave e carregar no start e pegou sem problemas bigsmile Já o carro cá de casa... não posso dizer o mesmo. A bateria teve de ser reanimada lol
Responder
#15

Na thundercat fartei me de andar nela e tambem foi precisamente unica mota que tive que trocar a bateria ate hoje. Alias lembro me bem onde estava quando a bateria ja me estava a mostrar o dedo do meio, estava a mais de 200km de casa, em reguengos de monsaraz.

Por isso, é como digo, quando chegar a altura dela, nao é por andar muito que ela nao vai a vida na mesma.
Responder
#16

Estes últimos comentarios foram acertados, mas falta talvez esclarecer que uma bateria morta aos 5 anos teve uma morte precoce.
Responder
#17

Se a mota dormir na rua ao frio e a chuva, duvido que chegue a durar sequer 5 anos
Responder
#18

(20-11-2020 às 15:40)Nfilipe Escreveu:  Se a mota dormir na rua ao frio e a chuva, duvido que chegue a durar sequer 5 anos

As minhas motas não vivem sempre na garagem.
As que mais vezes ficam a apanhar relento, chuva, frio neve e barro são a Artax e a Dorothy pá!
As vezes semanas inteiras...
E eu chego lá e pegam à primeira.

A questão de que uma mota ande com frequência é primordial.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)