Be(Chi)nelli TNT 600i 2020
#11

Haverá alguma mota há venda que integre partes não produzidas na China? Duvido muito.

[Imagem: muhz7is.jpg]
Responder
#12

(31-07-2019 às 14:19)el_Bosco Escreveu:  Haverá alguma mota há venda que integre partes não produzidas na China? Duvido muito.

A verdadeira questão não é essa Bosco blink
É o sistemático desrespeito pela propriedade intelectual dos outros, feita a qualquer custo, sem qualquer respeito pelos direitos humanos e de cada um...
Mas isto dava pano para mangas.
Limitemos isto ao mundo das motas...possivelmente muitas integram (poucos). Enquanto for poucos componentes, tass bem blink

Velasquez87
Responder
#13

(31-07-2019 às 14:34)Velasquez87 Escreveu:  É o sistemático desrespeito pela propriedade intelectual dos outros, feita a qualquer custo, sem qualquer respeito pelos direitos humanos e de cada um...

Mas desde quando é que isso é um problema na China, ou sequer algo de novo? ahah E os respeitos humanos só se aplicam quando a marca é chinesa? E todas as empresas ocidentais que lá produzem quase na integra os seus produtos?

Desde a sua entrada em massa no mercado internacional que a estratégia da China foi a mesma: produzir semelhante mas a custo (e qualidade) inferior.

Mesmo assim, nos últimos tempos a disparidade entre a qualidade de produtos chineses e ocidentais têm diminuído substancialmente, mantendo-se os preços competitivos. Olha nas tecnológicas para a Huawei ou para a Xiaomi. Caraças... comprei um Xiaomi Mi A1 há 2 anos por 180€ com caracteristicas equivalentes a um Ifode ou Samsung de 400-500€. Equipamentos com relações qualidade-preço completamente imbatíveis. Para mim, as Benelli enquadram-se neste lote. São motas com uma relação qualidade preço excelentes. Não podes exigir o mesmo que exiges a uma marca premium, mas a diferença que pagas mais que compensa isso, especialmente para gamas médias-baixas.

[Imagem: muhz7is.jpg]
Responder
#14

(31-07-2019 às 16:26)el_Bosco Escreveu:  Mas desde quando é que isso é um problema na China, ou sequer algo de novo? ahah E os respeitos humanos só se aplicam quando a marca é chinesa? E todas as empresas ocidentais que lá produzem quase na integra os seus produtos?

Na China não é um problema? Então na década de 90 achas que os chineses viviam em boas condições de vida? Achas que o regime politico e cultural trouxe-lhes algo de muito bom? Ou não foi à base de mão de obra forçada e de trabalho infantil e com péssimas qualidades de vida?
Pensa lá...só um pouco ao menos em vez de dizeres baboseiras...

Citar:Desde a sua entrada em massa no mercado internacional que a estratégia da China foi a mesma: produzir semelhante mas a custo (e qualidade) inferior.
Produzir semelhante? ou tentar copiar a qualquer custo, sem respeito pelas patentes, pelo desenvolvimento intelectal e sem respeitar nada nem ninguém?
Exacto, com um custo baixo e com uma qualidade de merda.

Citar:Mesmo assim, nos últimos tempos a disparidade entre a qualidade de produtos chineses e ocidentais têm diminuído substancialmente, mantendo-se os preços competitivos. Olha nas tecnológicas para a Huawei ou para a Xiaomi. Caraças... comprei um Xiaomi Mi A1 há 2 anos por 180€ com caracteristicas equivalentes a um Ifode ou Samsung de 400-500€. Equipamentos com relações qualidade-preço completamente imbatíveis. Para mim, as Benelli enquadram-se neste lote. São motas com uma relação qualidade preço excelentes. Não podes exigir o mesmo que exiges a uma marca premium, mas a diferença que pagas mais que compensa isso, especialmente para gamas médias-baixas.
Aqui até posso estar de acordo em certo ponto. Estão muito acima daquilo que foram, são competitivos a nivel tecnológico recorrendo ao roubo tecnológico, talvez o maior de que há memória.
Quanto às motas, não digo que a tua especificamente seja má, até porque parece que é a que dentro da marca tem maior fiabilidade, mas vais ali ao lado às TRK e aquilo é um pantano de defeitos de fabrico, entre outros que aparecem precocemente etc...há excepções boas? epá claro que tem de haver...mas é o que é...e pagas o que tens...

Guarda lá a vaca (chinesa) sagrada.

Velasquez87
Responder
#15

Em 2017 os salários médios na China já estavam acima dos Portugueses:

https://www.forbes.com/sites/kenrapoza/2...of-europe/

Eles trabalham, nós comentamos. Eu sou do tempo em que se faziam precisamente os mesmos comentários sobre os Japoneses.
Responder
#16

Sabes contar Areias?
Responder
#17

(31-07-2019 às 17:03)Velasquez87 Escreveu:  Na China não é um problema? Então na década de 90 achas que os chineses viviam em boas condições de vida? Achas que o regime politico e cultural trouxe-lhes algo de muito bom? Ou não foi à base de mão de obra forçada e de trabalho infantil e com péssimas qualidades de vida?

Hum?... Não me devo ter explicado bem. Não estou a defender nem o regime chinês, nem a pobreza, nem os graves atropelos aos direitos humanos que se praticaram e continuam a praticar na china (e vamos a ver como é que descalçam a bota de Hong Kong). Estou a dizer que nem o regime chinês nem a comunidade internacional se preocupa verdadeiramente em mudar isso, nem nós, ocidentais e "preocupados" com os direitos humanos, temos problemas em meter chineses explorados a fabricar os brinquedos que gostamos de comprar todos os anos. Desde que a china começou a "comprar" meio mundo e a tornar-se um player comercial, diplomático e económico mundial, nunca mais ninguém falou dos direitos humanos. Nem convém meter o dedo nessa ferida porque cá, p.e., bastava o estado chinês mandar, e ficávamos sem energia em casa em função da nacionalização da REN e da EDP por empresas estatais chinesas.

(31-07-2019 às 17:03)Velasquez87 Escreveu:  Guarda lá a vaca (chinesa) sagrada.

Eu não estou a defender a Benelli. Só não acho que a estratégia comercial da marca justique tanta conversa. A economia é global, aparentemente imparável e não faltam vozes a clamar por ainda mais desregulação e por mercado livre - isto é uma selva e a china sempre soube jogar (e ganhar) neste campo. Tanto quanto sei, nenhuma das concorrentes a quem roubaram ideias os processaram e foram condenados por copyright infringments, roubo de patentes e propriedade intelectual, etc. Se sim, pagaram multa (se pagaram) e não deviam vender cá.

A 125 nunca me deu problemas e espero que se aguente assim mais 3 meses... troll mas problemas todas as motas têm, umas mais umas menos, a diferença é o que se espera delas, e das benellis todos esperam muito pouco, tão pouco como o que pagamos por elas. eheh Para quem tem pouca pasta e quer andar com uma mota razoável com estilo roubado às ducati e afins, é uma opção. Só compra quem quer. O que não percebo é a insistência a martelar contra a marca quando o que eles fazem é legitimo numa economia selvática e sem regras, e ainda para mais quando têm público.

A CB p.e., da "infalivél" Honda, é produzida totalmente na tailandia. Com meio ano de uso, já se topou um problema na primeira série. A tampa da vareta do óleo não veda a 100%, por mais que seja apertada, e passado algum tempo surge uma ligeira escorrencia de oleo naquela zona. Minima, claro, mas mesmo assim um defeito.

[Imagem: muhz7is.jpg]
Responder
#18

Não estou a argumentar, concordo contigo, limito-me a recordar as conversas de quando era novo, anos 80 e 90.

Quando eu era miúdo nós (os Portugueses) gozávamos os Japoneses por copiarem produtos ocidentais.

Em pouco tempo as marcas Japonesas invadiram a Europa com grande sucesso. Hoje em dia já ninguém duvida da fiabilidade Japonesa.

Estarão os Chineses a percorrer o mesmo caminho dos Japoneses e Sul-Coreanos?
Responder
#19

(31-07-2019 às 17:43)pareias Escreveu:  Estarão os Chineses a percorrer o mesmo caminho dos Japoneses e Sul-Coreanos?

Parece-me óbvio que sim. Estão a fazer o caminho normal de uma economia em desenvolvimento para uma evoluída e assente em investimento tecnológico, com uma classe média em crescimento e que vai rapidamente ultrapassar a população combinada da europa e eua. É mais vantajoso vender 1000 produtos razoaveis por 100€ do que 10000 de merda por 1€. Agora num mercado desregulado, todas as estratégias contam e as poucas regras comerciais são facilmente contornáveis.

Aliás, as famosas sweatshops de roupa chinesa estão agora a deslocalizar para outros países asiáticos (bangladesh, myanmar) e para África. O rolo compressor da economia é imparável e já não conseguem manter os preços tão baixos como há anos se não o fizerem, da mesma forma que as mega corporações tipo Inditex e afins bazaram do Vale do Ave para a China nos anos 90.

[Imagem: muhz7is.jpg]
Responder
#20

Será que correm os mesmos caminhos que os japoneses?
Aos poucos é isso que vai acontecer, concordando ou não...

Diria que no futuro a mão de obra mais barata ate vai deixar de ser a China pelo andar da carruagem...vamos ver o que o futuro reserva
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)