Baixa de Lisboa com acesso limitado a partir de Junho
#1

O futuro está aí! Quem está bem são gajos voadores como o dfelix que podem ir para onde quiserem sem tocar no chão... já eu terei de procurar as máquinas de teleport se quiser ir a algum lado. nice

Citar:Baixa de Lisboa com acesso limitado a carros a partir de Junho

A partir de junho, só os veículos de moradores, lojistas, transportes públicos, motas e carros elétricos terão luz verde para circular. É a nova Baixa da Lisboa.

[Imagem: epkkah-wkaehzbu-1_770x433_acf_cropped.jpeg]

“É um dos projetos mais marcantes deste mandato”, revelou o Presidente da Câmara, Fernando Medina durante a apresentação da nova Baixa-Lisboa, e que se insere no âmbito da Lisboa Capital Verde e do programa de Zona de Emissões Reduzidas de Lisboa (ZER) para o eixo Avenida Baixa-Chiado. “Uma mudança na forma como vamos viver a baixa de Lisboa”, reconhece o autarca. Com passeios mais amplos, mais ciclovias e menos faixas de rodagem e lugares de estacionamento. Haverá ruas só pedonais e outras com trânsito fortemente condicionado. A partir de junho, só os veículos de moradores, lojistas, transportes públicos, motas e carros elétricos terão luz verde para circular. As alterações, começou por explicar Fernando Medina, resultam do compromisso de redução de 60% nas emissões de CO2 até 2030, e neutralidade carbónica até 2050.

Veja aqui as alterações que o Presidente da Câmara está a mostrar:



Fernando Medina confirmou ainda o lançamento de um site próprio sobre as alterações no eixo Baixa-Chiado com respostas a algumas das perguntas mais frequentes e um “extenso documento” com o projeto detalhado de forma a “facilitar o debate”. O projeto, que começou a ser delineado há dois anos e prepara-se agora para sair do papel, quer dar “nova vida à Baixa, torná-la mais organizada e com menos automóveis”, acrescentou ainda o autarca.

No mês de Fevereiro, segundo Fernando Medina, a presentação do plano vai ser feito às juntas de freguesia envolvidas no projeto, às associações de moradores e comerciantes e na Assembleia Municipal. No mês seguinte, será enviado para consulta pública. Durante a apresentação, Fernando Medina salientou ainda que quer ver o plano aprovado em Março e o registo de veículos autorizados a circular seja feito em Maio. Em Junho, arrancam as obras que vão implicar fortes restrições à circulação de viaturas.

Na prática, será necessário um dístico para se poder aceder e, sendo residente, estacionar. Além disso, à exceção dos carros dos residentes e dos que transportem pessoas com cartão de estacionamento de deficientes, só viaturas posteriores ao ano 2000 poderão circular. Já os TVDE só poderão chegar se os automóveis forem elétricos. Além dos residentes, poderão circular veículos autorizados, como transporte público, serviços públicos essenciais, transporte de menores a escolas, quadrículas e triciclos para atividade turística ou serviços regulares de transporte turístico. Os veículos elétricos não terão restrições.

Pelas contas da autarquia, serão menos 40 mil veículos a circular, uma redução anual de cerca de 60 mil toneladas de CO2 e uma “redução significativa da poluição, que ataca todos, mas sobretudo as crianças, que respiram muito mais do que nós, porque o fazem muito mais vezes”, lembrou Medina.

O que vai mudar na Avenida da Liberdade:
- redução da utilização como eixo de saída da cidade;
- reposição do modelo original de circulação ascendente/descendente nas laterais;
- alargamento e recuperação dos passeios e pavimentos;
- redução dos lugares de estacionamento à superfície;
- redução de uma via no corredor central entre os Restauradores e a Barata Salgueiro;
- criação do passeio público entre os Restauradores e a Praça da Alegria.

O que vai mudar na Avenida Almirante Reis:
- nova ciclovia bidirecional no acesso à Baixa, entre a Praça do Chile e o Martim Moniz;
- requalificação geral, incluindo requalificação do Martim Moniz e da Praça da Figueira.

O que vai mudar na Baixa-Chiado:
- acesso apenas a veículos autorizados, entre as 6h30 e as 00h00;
- acesso garantido a moradores, comerciantes, cuidadores, detentores de estacionamento e garagens, veículos elétricos e motociclos;
- redução do estacionamento nas ruas dos Fanqueiros e Madalena;
- estacionamento à superfície apenas para residentes e cuidadores;
- ordenamento de cargas e descargas restringindo horários e locais de paragem;
- reforço do transporte público;
- criação de ligações cicláveis entre o eixo central e a zona ribeirinha;
- nova carreira 100% elétrica da Carris, entre o Marquês de Pombal a Praça do Comércio;
- duplicação da frequência da rede da madrugada da Carris;
- Rua Nova do Almada, Rua Garrett, Largo do Chiado, vão ser exclusivamente pedonais.

Fonte: Observador
Responder
#2

(01-02-2020 às 12:00)marco.clara Escreveu:  Quem está bem são gajos voadores como o dfelix que podem ir para onde quiserem sem tocar no chão...

O espaço aereo ainda é mais restrito que o trânsito na cidade! lol
Nem um drone levantas sem autorização!


Citar:(...)
- acesso garantido a moradores, comerciantes, cuidadores, detentores de estacionamento e garagens, veículos elétricos e motociclos;
(...)

Essencialmente, para "nós" tudo fica na mesma! cool

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#3

Quantos drones queres no ar sem autorização???
Responder
#4

(03-02-2020 às 17:25)midnightblack Escreveu:  Quantos drones queres no ar sem autorização???

Quantos motos queres na estrada sem documentos, ou o condutor sem carta?

Se vais por aí...

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)