WSBK mais equilibrado
#1

A introdução do novo regulamento em para esta temporada que visa equilibrar mais o potencial das equipas já se nota.

Provavelmente a regra que limita o máximo de RPM seja a principal responsável por esse equilíbrio entre as equipas oficiais da Ducati e Kawasaki. As Kawas "perderam" cerca de 1200 RPM.

Aqui nota-se que essas rotações extra teriam dado jeito.

https://video.eurosport.com/...

As equipas provadas tem acesso aos motores com as mesmas especificações que as equipas de fábrica, o que lhe vai permitir nivelar por cima a performance com menor custo de desenvolvimento.

Mais info: http://www.andardemoto.pt/...

Boas curvas! 
Responder
#2

É um bocado lixado perderes uma corrida porque a tua mota foi limitada... confused

Mas deu bem para perceber que em recta a Ducati consegue ser mais rápida que a Kawasaki... Suponho que necessitam de mudar algo caso contrário veremos esta situação mais vezes...

Sinceramente este tipo de limitação para mim não é muito justo, e não é por a Kawasaki ter perdido, mas porque o desenvolvimento do motor e afins foi pensado de uma forma e acaba por não ser aproveitado na sua totalidade porque é castrado!

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#3

É complicado ser justo e ser inovador para todos os fabricantes...e ao mesmo tempo ser competitivo.

Tirar 1200rpm às kwasaki's é como terem posto um peso de meio quilo nas sapatihas do Bolt para os 100metros barreiras terem outros vencedores.

Mas senao for competitivo tb não tem público, logo as marcas tb não investem pois não há interesse em apenas R&D

Ou se determina regras mais simples e mais justas mas que podem afastar fabricantes ou há que ir havendo estes ajustes.
Responder
#4

(12-04-2018 às 12:30)mr_trecolareco Escreveu:  É complicado ser justo e ser inovador para todos os fabricantes...e ao mesmo tempo ser competitivo.

Tirar 1200rpm às kwasaki's é como terem posto um peso de meio quilo nas sapatihas do Bolt para os 100metros barreiras terem outros vencedores.

Mas senao for competitivo tb não tem público, logo as marcas tb não investem pois não há interesse em apenas R&D

Ou se determina regras mais simples e mais justas mas que podem afastar fabricantes ou há que ir havendo estes ajustes.

Sim, percebo isso e percebo que se tenha de alguma forma tornar a prova mais competitiva para ser mais interessante.

Por outro lado é frustrante que as duas marcas (Kawasaki e Ducati) que apostaram forte e investiram, agora sejam prejudicadas e sejam castradas para que os restantes que não o fizeram (por escolha, orçamento, etc etc), possam ser mais competitivas.

Porque a sensação que se fica é mesmo essa do exemplo que dás...

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#5

Boas;
Discordo completamente do artigo e da opinião generalizada do tópico.
Infelizmente há muito que as SBK deixaram de ser equilibradas e este novo regulamento em nada vem ajudar. A prova mais evidente de tudo isto é a fraca adesão aos autódromos e transmissões televisivas.
Outra coisa que também acho duma cretinice incrível é a crítica à Kawasaki sendo esta a marca que decidiu encarar este campeonato com seriedade e consequentemente investimento.

Se estivessem verdadeiramente interessados no equilíbrio do campeonato, só tinham que limitar a preparação das motos em relação ao que sai da caixa. Tudo isto com a vantagem de que contaríamos com motos melhores acessíveis aos "comuns mortais".

Há quanto tempo é que acompanham o Mundial de Superbikes? Alguém se lembra do que foi uma Honda RC30, uma máquina pronta a correr à saída da caixa, sendo suficiente retirar o material "street legal" e enfiar-lhe umas carenagens de fibra.
Responder
#6

Não acompanho ao pormenor, mas julgo que nos últimos anos, gradualmente tem sido impostas cada vez mais limitações aos desvios de configuração em relação às motas de série.

Talvez por causa disso, a kawasaki tenha lançado a ZX10RR para poder competir com algumas especificações diferentes da ZX10R.

Boas curvas! 
Responder
#7

(12-04-2018 às 20:29)Johnny_1056 Escreveu:  Alguém se lembra do que foi uma Honda RC30, uma máquina pronta a correr à saída da caixa, sendo suficiente retirar o material "street legal" e enfiar-lhe umas carenagens de fibra.

Claro que me lembro... VFR750R! Ou a sua sucessora RC45... com o nome "comercial" de RVF750.

(Mas esta tirada é digna de ser guardada.... vou metê-la nos meus "favoritos", Johnny. Afinal, não é todos os dias que te vemos a enaltecer uma Honda. bigsmile )

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#8

Johnny não li o artigo e não sigo muito a modalidade. Não sei o que se possa fazer para conseguir melhorar esta competição, nem consigo argumentar quanto a ser boas ou más as alterações, mas parece-me mau e ridículo castrar quem tem trabalhado e investido.

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#9

A minha posição em realação a isto: é tudo merd@...

Se é uma competição, é para ver quem é melhor. Quem tem o melhor motor, a melhor suspenção, o melhor quadro, a melhor equipa, o melhor piloto, etc, etc, etc.
As motos já estão divididas em categorias, de cilindrada neste caso. E as corridas servem para ver qual o melhor conjunto de cada cilindrada. Se ganha sempre o mesmo, é porque esse mesmo é melhor que os outros.

Vamos comparar isto com o Boxe. Os lutadores estão divididos em categorias, neste caso é o peso. O peso dos lutadores e o peso das luvas. Não interessa a cor dos equipamentos, o material de que são feitos ( desde que as luvas não sejam feitas de metal, claro ) , não interessa a marca, não interessa a altura das sapatilhas, nada. Apenas o peso dos gajos e das luvas. Vão começar a limitar condições de luta e caracteristicas de lutadores para a luta ser mais justa? Vão impedir o Mayweather de bater com a canhota porque o concorrente não tem uma esquerda poderosa e fica em desigualdade?

Passemos ao futebol: impedem o CR de saltar mais que os defesas porque ele tira vantagem do seu poder de elevação e os defesas são mais baixos ou saltam menos? Ou proibem os penaltys e remates á baliza com força, para facilitar a vida ao guarda-redes?

Façam, então, como fizeram na F1, que o meu velhote tanto apreciava e que agora já nunca vê: motores iguais para todos, limitados a uma certa cilindrada e numero obrigatorio de cilindros, todos com os mesmos pneus. Sim, é verdade que há mais "variedade" de vencedores de corridas. Mas a F1 não é um campeonato do melhor piloto, apenas. É tambem um campeonato de marcas. E, se cada marca não pode apresentar as suas soluções e inovações tecnologicas para ser a melhor, que competição existe?

Se essas categorias estão a morrer, acabam de as matar. Eu sou fã da Yamaha e do VR46. Quero que a minha marca e o meu piloto sejam os melhores, sempre. No MotoGP, estão os dois juntos, marca e piloto, e torço por eles, quero que ganhem. No mundial de velocidade, que actualmente não sigo, quero que ganhe a MINHA MARCA, a Yamaha. Qual a logica de não ganhar e saber que não ganhei porque as motos foram limitadas para "dar mais competitividade ao campeonato"?
Responder
#10

E não esquecer que as competições são um dos motores de desenvolvimento de novas tecnologias.

- O caso da limitação de RPM, não me parece fazer sentido. Se o motor de série aguenta essa rotação, porquê restringir?

- Quanto à disponibilização das especificações das equipas de fábrica para as outras equipas, parece-me uma tentativa de evitar a desistência de algumas equipas privadas.

Boas curvas! 
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)