Velocidade Máxima de 140 km/h na Áustria
#1

Provavelmente por cá, um dia destes, vai ser ao contrário... mas era porreiro que assim não fosse.

Citar:140 km/h. Austríacos testam aumento da velocidade

Todos os países querem reduzir acidentes e aumentar o conforto, mas adoptam diferentes estratégias. Se a França reduz para 80 km/h o máximo em estrada, a Áustria sobe para 140 km/h em auto-estrada.

[Imagem: 140-kmh.jpg]

As autoridades austríacas lançaram uma iniciativa controversa para reduzir a sinistralidade automóvel nas auto-estradas e, simultaneamente, limitar o tempo que os condutores consomem nas deslocações. Ao invés de “cortar” na velocidade máxima, como defendem muitos países, a Áustria optou por aumentar o limite a que se pode circular nas vias rápidas para 140 km/h.

De momento, o novo valor máximo vai apenas ser aplicável em dois troços de três faixas para cada um dos lados (com um total de 60 km) na auto-estrada que liga Viena a Salzburgo. Onde até aqui era possível circular a 130 km/h, o limite oficial do país, os condutores vão poder atingir 140 km/h. Se o teste for positivo, o novo limite máximo de velocidade será alargado às restantes auto-estradas do país.

Segundo o ministro dos Transportes Norbert Hofer, “os veículos são cada vez mais seguros, tal como as infraestruturas, pelo que esta medida representa a possibilidade de devolver às pessoas uns minutos das suas vidas, em vez de os passarem em deslocações”. Contudo, a oposição acusou-o imediatamente de prejudicar o ambiente e a segurança rodoviária.

Em relação a este ponto, o automóvel clube local, o ÖAMTC, esclareceu que “não há qualquer relação entre a velocidade em auto-estrada e os acidentes, como prova o facto de hoje a percentagem de acidentes ser a mesma na Alemanha (onde não há limite nas maior parte das vias) e na Áustria, onde a velocidade máxima está fixada nos 130 km/h”. A reforçar esta posição do ÖAMTC está o facto de ambos os países registarem 1,7 mortos por cada 100 milhões de quilómetros percorridos por ano.

Fonte: Observador
Responder
#2

faz sentido, vamos ver os resultados.
também acho que os pesados a andarem a 100Km/h na AE também não seria muito.

[Imagem: Qfzl0I1.png]
Responder
#3

Por estes dias fiz bastantes kms em autoestrada. vomit

Creio que em França já devem ter subido os limites de velocidade para uns 160 km/h. think

Pelo menos devia ser a essa velocidade que circulavam as dezenas de "avecs" que me ultrapassaram... devil
Responder
#4

(12-08-2018 às 22:41)marco.clara Escreveu:  Creio que em França já devem ter subido os limites de velocidade para uns 160 km/h. think

Pelo menos devia ser a essa velocidade que circulavam as dezenas de "avecs" que me ultrapassaram... devil

Porque todos eles querem mostrar-te o belo do "tóclante" no vidro traseiro, com o logotipo da Federação Portuguesa de Futebol...  bigsmile

[Imagem: 4YdOcBn.jpg]

[Imagem: NByZvE0.jpg]

Aposto que se os conseguisses acompanhar lado a lado, durante um par de minutos, ouvirias a bombar dos belos JBL boosts...

https://www.youtube.com/watch?v=fiPh62iyLz0

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#5

os veiculos são mais seguros, mas cá em Portugal ponho em questão a qualidade da infraestrutura em alguns locais. Em certos troços de autoestrada até 120Km parece demasiado...

[Imagem: ibVN1KS.jpg]
Responder
#6

(13-08-2018 às 10:10)Tiago Rosado Escreveu:  Em certos troços de autoestrada até 120Km parece demasiado...

Esses normalmente esses troços não são sequer 120!
Já outros que não ficam atrás de qualquer autobahn, se for preciso até são 100 para ajudar à economia!

O grande problema em subir as velocidades seja em portugal como espanha é a tendência que o povo ibérico tem em circular devagar na faixa do meio.
Perante a quantidade de chicanes ambulantes que se encontra na estrada torna difícil torna-se complicado evitar mudanças de faixa desnecessárias e passagens pela direita.
Responder
#7

(12-08-2018 às 23:26)carlos-kb Escreveu:  Aposto que se os conseguisses acompanhar lado a lado, durante um par de minutos, ouvirias a bombar dos belos JBL boosts...

https://www.youtube.com/watch?v=fiPh62iyLz0

Ou isto:

Responder
#8

A minha opinião é que o limite máximo deve sempre ser estabelecido em função da velocidade média de todos os veículos que circulam. E dar uma margem superior pequena.

Eu aumentava igualmente o mínimo.

É que o problema nunca é os 120,130,140...

É sempre a amplitude de velocidade de circulação associada a um civismo questionável.


Responder
#9

(13-08-2018 às 11:09)dfelix Escreveu:  
(13-08-2018 às 10:10)Tiago Rosado Escreveu:  Em certos troços de autoestrada até 120Km parece demasiado...

Esses normalmente esses troços não são sequer 120!
Já outros que não ficam atrás de qualquer autobahn, se for preciso até são 100 para ajudar à economia!

Acho que uma coisa não invalida a outra. Isto é, se temos troços dignos de autobahn (e a meu ver já não são assim tão poucos), faz sentido ter um limite genericamente superior, ainda que pontualmente limitado nos troços com piores condições (que não são necessariamente a meia dúzia de metros que antecede cada radar fixo... angel).

(13-08-2018 às 12:29)vindaloo Escreveu:  A minha opinião é que o limite máximo deve sempre ser estabelecido em função da velocidade média de todos os veículos que circulam. E dar uma margem superior pequena.

Isto já nos levaria para um debate sócio-filosófico, já que este tipo de "liberdade dinâmica" implica uma sociedade necessariamente mais avançada na maneira de ser, e mais cívica na maneira de estar. Como não estamos lá, acho que o limite deve existir... a bem da maioria!
Responder
#10

Creio que seria uma boa medida nas autoestradas que tivessem condições para isso.

Dito isto, fora de Lisboa e Porto 140km/h já é o "cruise control" (120 + 20 de margem do radar), passar o legal para 140 metia o pessoal a 160.

Podiam era acabar com o lixo de PPPs ruinosas em que o contribuinte pagou millhares de milhões para construir autoestradas, continua a pagar milhões para dar lucro certo a privados e mesmo assim ainda tem de levar com portagens.

Cortar nas portagens descongestionava imenso as nacionais e não sobrecarregava as AEs inter-cidades.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)