V4 R (2019)
#1

Eis que apenas um aninho após o inicio de comercialização da saga Panigale V4 (V4 / V4 S e V4 Speciale), sai do forno finalmente a V4 R, com um Stradale de menor cubicagem e apta para homologação para no WSBK.

221cv (podendo chegar aos 234cv com a linha full racing Akrapovic) e peso pluma de 165 kgs...

Deve ser um bom bicho irrequieto!!! smile

Edit: O pormenor das "asinhas" é delicioso!!! bigsmile

__________________________________________________________________

Ducati Panigale V4 R, a verdadeira Superbike

A versão de homologação WSBK da Ducati Panigale V4 R está finalmente aqui, uma superbike com um motor de 998 cc e 221 cv.

Por Marcos Leal - Novembro 4, 2018

[Imagem: 181104-Ducati-Panigale-V4R-03.jpg]

A nova proposta da Ducati para o segmento das motas de competição homologadas para estrada é a Panigale V4 R. Este foi um dos modelos em grande destaque na apresentação da gama da marca italiana para o ano que vem, a poucos dias da EICMA onde a sua presença não vai faltar.

Entre o motor, carenagens e suspensões, são muitas as características que a tornam num modelo especializado. Trata-se na sua essência uma mota de competição categoria WSBK homologada para estrada, que vai ser a base técnica das motos oficiais da Ducati presentes no Mundial de Superbike de 2019.

Desde logo, possui um motor Desmosedici Stradale R, que a Ducati anuncia como o ‘o elo de ligação entre o V4 de 1.103 cm3 da Panigale V4 e o motor de MotoGP‘. Este é capaz de debitar uma potência máxima de 221cv e 112 Nm de binário (a potência pode chegar aos 234cv com a opção de escape full-racing Ducati Performance by Akrapovič). O propulsor, desenvolvido em colaboração com a Ducati Corse, foi alvo de várias melhorias no intuito de aumentar as suas prestações, como é o caso do novo desenho da bomba do óleo e o rotor do alternador aligeirado.

[Imagem: 03_DUCATI-PANIGALE-V4-R-ACTION_UC69241_High.jpg]

A carenagem da Panigale V4 R foi desenvolvida pela Ducati Corse em colaboração com o Ducati Style Center, que responde às necessidades das motas oficiais de competição da marca nas Superbike. O pacote aerodinâmico deste modelo inclui um novo para-brisas, de maiores dimensões, carenagens laterais mais largas e uma carenagem dianteira mais alta e mais larga que reduz as perdas aerodinâmicas derivadas da exposição dos ombros e braços nas retas. As condutas de ar da Panigale V4 foram substituídas por outras mais eficientes, até tendo em conta as temperaturas que propulsor pode atingir em competição.

Os apêndices aerodinâmicos representam a maior alteração da Panigale V4 R. Os conceitos são derivados da Desmosedici GP16 de MotoGP e a Ducati promete que são mais eficientes do que os atuais do MotoGP. Com a colocação destes dispositivos, que trabalham em conjunto com o desenho das carenagens, é possível aumentar a carga aerodinâmica geral em 30kg rodando a 270km/h. Assim, sai beneficiada a estabilidade em travagem e a deriva da roda dianteira a alta velocidade e tendência desta levantar reduzem.

[Imagem: 01_DUCATI-PANIGALE-V4-R-ACTION_UC69239_High.jpg]

O quadro possui zonas laterais mais leves e maquinadas e a altura do pivot do braço oscilante pode ser ajustada em quatro posições. Ao nível de suspensões, e porque foi projetada quase para ser utilizada só em pista, tem suspensão mecânica profissional Öhlins. Na frente, encontra-se a forquilha pressurizada NPX 25/30 e na traseira um amortecedor TTX36. O amortecedor de direção tem regulação mecânica. As jantes da Panigale V4 R são em alumínio total black da Marchesini, tal como a Ducati usa nas suas motos oficiais de competição.

O piloto dispõe de uma panóplia de controlos eletrónicos com uma lógica de intervenção revista adaptando-se às necessidades dos pilotos profissionais. O pacote de eletrónica controla as etapas da pilotagem através de uma plataforma inercial da Bosch. Inclui ABS em curva Cornering ABS EVO, controlo de tração Ducati Traction Control EVO, Ducati Slide Control, Ducati Wheelie Control EVO (controlo do levantamento da roda dianteira), controlo de arranque Ducati Power Launch, mudanças rápidas Ducati Quick Shift up & down EVO e controlo do travão motor Engine Brake Control EVO.

[Imagem: 05_DUCATI-PANIGALE-V4-R_UC69199_High.jpg]

Os parâmetros de cada um dos controlos estão associados aos três modos de pilotagem e os níveis de intervenção de alguns podem ser ajustados num comutador localizado no punho esquerdo. Por falar em modos de pilotagem, são três. O Race, que confere baixos níveis de intervenção da eletrónica, 221cv de potência além de resposta direta do acelerador Ride-by-Wire e o ABS a atuar só na roda frontal; Sport, destinado a pilotos menos experientes que entrega 221cv de potência e ativa a função Slide by Brake e o Cornering ABS; e Street, recomendado para pisos de baixa aderência ou estradas públicas, com 221cv de potência disponíveis mas uma resposta ao acelerador mais progressiva e o controlo eletrónico a garantir aderência e estabilidade.

A mota estreia o limitador de velocidade Pit Limiter, possibilita cingir a velocidade a um máximo localizado entre os 40km/h e 80km/h (selecionável através do menu). A instrumentação é assegurada por um ecrã TFT a cores de cinco polegadas, com conta-rotações virtual à direita. No modo Track o piloto pode ver os tempos por volta e escala do conta-rotações, ao passo que o modo Road exibe o Ducati Multimedia System opcional se estiver presente e uma escala do conta-rotações apropriada ao uso em estrada.

Tratando-se de uma mota orientada à competição, a Ducati Panigale V4 R inclui o cronómetro volta a volta Ducati Lap Timer GPS e o Ducati Data Analyser + GPS que mostra e grava dados como tempos por volta, abertura do acelerador, rotações do motor, mudança engrenada, distância percorrida, entre outros. A decoração R é em cor vermelha, o depósito é em alumínio e o conjunto de iluminação é Full-LED com luz diurna.

Principais características técnicas
Motor: Desmosedici Stradale 90° V4 998cc
Potência máxima: 221cv às 13.000 rotações por minuto
Caixa de velocidades: Seis velocidades com Ducati Quick Shift up & down EVO
Quadro: Liga de alumínio ‘Front Frame’ com rigidez otimizada
Rodas: Três raios em liga de alumínio forjado; pneus Pirelli Diablo Supercorsa SP
Norma de emissões: Euro 4




FONTE

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#2

Boas;
A moto está brutalíssima, anseio por ver de que é capaz em pista no WSBK.
Responder
#3

Pronto, está aberta a guerra aos numeros!!!

Embora as Rs não sejam a minha praia, admito que está aqui uma obra de arte!
Duas palavras apenas:

BRU - TAL

thumbsup

Ricardo - Honda CB500X
[Imagem: latest?cb=20150510093035]
Responder
#4

estou muito curioso da a ver no w_sbk

[Imagem: 3a28d74fcda810d6526bb56e69702394.jpg]
Responder
#5

"Orientada para competição"...tem um ecrã TFT. O pessoal quando faz maratonas também usa boxers bonitos
Mas Mota brutal sem dúvida

V
Responder
#6

Eishh....pornografia em duas rodas!! Rs também nunca foram o meu estilo! mas esta faz sonhar qualquer um!

[Imagem: ibVN1KS.jpg]
Responder
#7

Então mas agora a malta já gosta das asinhas? Quando sairam na H2R toda a gente criticou...
Responder
#8

(06-11-2018 às 21:38)pedromt07 Escreveu:  "Orientada para competição"...tem um ecrã TFT. O pessoal quando faz maratonas também usa boxers bonitos
Mas Mota brutal sem dúvida

Boas;
Convém não esquecer que esta moto vai estar à venda para "uso civil" e homologada, quem a compra gosta de ter o que de melhor a tecnologia oferece.
Responder
#9

(07-11-2018 às 17:20)midnightblack Escreveu:  Então mas agora a malta já gosta das asinhas? Quando sairam na H2R toda a gente criticou...

Epa.... mas estar a comparar esta V4R com a H2R... é o mesmo que estar a comparar a Scarlett Johansen com a Anne Ramsey...

[Imagem: BN-BY925_mag041_OZ_20140318165119.jpg]

[Imagem: MCDTHMO_EC007_H9885574214.jpg]

E a Scarlett, seja com asas ou sem asas... "how" cares?  shy
(até porque não são apenas as asas que tornam a H2R uma das motas mais feias e estranhas de sempre)

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#10

(07-11-2018 às 19:00)carlos-kb Escreveu:  ...
E a Scarlett, seja com asas ou sem asas... "how" cares?  shy
(até porque não são apenas as asas que tornam a H2R uma das motas mais feias e estranhas de sempre)

Boas;
E assim fala o possuidor duma beldade como a VFR1200... lol
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)