Um pequeno DB....
#31

(02-12-2015 às 21:29)Fz1000 Escreveu:  A minha não tinha um retrovisor.

Mas a questão é, se não sabes a que velocidade vais, como pode o examinador culpar-te de excesso de velocidade?

Se eu te tira-se o velocimetro á mota não sabias que ias a 60 em quarta mudança?

O maçarico  shy
Responder
#32

Não, como saberia?
Responder
#33

Tens de ir por ouvido...conforme a mudança...normalmente a 3 vai até aos 50~55 ate o motor começar a ser bem audivel...
Vais é precisar de conhecer bem a mota.
A minha 125 ca da escola não lhe falta nada e tudo funciona bem, tendo em conta os tombos que ja deu...as vezes é teimosa com uma ou outra mudança...nada que um pé decidido na alavanca não resolva...os espelhos estão inteiros, bem apertados...0 fita cola...o velocimetro marca certo, as luzinhas funcionam todas...ha escolas que é ir desenrascando...eu gosto de ter as motas o melhor possivel...

[Imagem: 7STkQ4B.jpg]
Responder
#34

Eu até consigo estar parado em 6ª.

A minha não tinha luz de neutro, o espelho da direita estava tão lasso que se passasse dos 40km/h, tinha de lá ir com a mão voltar a colocá-lo no sitio, o botão de ar tinha vida própria e o único capacete que tinham não tinha forro e cabia lá pelo menos cabeça e meia da minha.
As carenagens estavam presas com arames, e o auricular tinha mais mudanças de humor do que uma gaja com o período.
Era de 1996 e não tinha mais de 30000kms...
Para não mencionar que um dos instrutores era uma besta.
A boa noticia, é que a partir daí, é sempre a melhorar...

Boa sorte com isso blink

[Imagem: zD43YvL.jpg]
Responder
#35

pneves mas a mudança engrenada é irrelevante, eu posso ir em 6º a 60km/h

Sem indicador de mudança, conta rotações e velocimetro, como penso que seja o caso, é dificil saber a quantas andas.
Responder
#36

Os espelhos são bons, se encolher o braços vejo bem para trás lol

Quanto à mudança de escola não é nada conveniente, conheço o pessoal da escola e é 5* o instrutor é muito bom. Para mudar de escola teria sempre de usar os transportes e perdia muito tempo, para além de ter de andar com o material para trás e para a frente.

Hoje já comecei a ouvir a moto, mas esqueço me sempre se vai em 1a ou em 2a confused
Responder
#37

(02-12-2015 às 20:42)Neumon Escreveu:  As curvas já faço com alguma confiança mas nunca fiando, e acho que consegui passar por todas as tampas de esgoto que vi mad

Uma dica, de um n00b1e para outro...  smile

O que te vou dizer é muito fácil de entender mas, por estranho que te pareça antes de tentares, é bem mais difícil de fazer, consistentemente.
Ainda hoje, com meia dúzia de quilómetros em cima, por vezes tenho mesmo de fazer um "reset" total aqui aos 2 últimos neurónios funcionais, quando dou por mim a fazer "asneiras"... blink

Olha para onde queres ir! Sempre!...

Quando vês a tampa de esgoto, anota mentalmente o "perigo a evitar", procura a melhor "passagem alternativa" e olha para lá. Esquece a tampa.

(Claro que por vezes passar em cima da tampa é "menos complicado" do que te desviares. Se por exemplo não estás perfeitamente consciente do que te rodeia e nesse caso não vais andar a ziguezaguear "ás cegas", ou há "buracos" por perto, linhas de eléctrico, desníveis "esquisitos" no pavimento, pessoas ou outros veículos, animais, pedras, gravilha, etc... U know what I mean!... blink

Neste caso, e se não estou em curva "desinibida" o que faço é passar mesmo em cima da tampa, tratando-a como se fosse "manteiga" ou seja, não travar, acelerar ou sequer "respirar muito fundo" e tal... blink)

Quando vires as linhas pintadas de uma passadeira, (que curiosamente te vão aparecer quase sempre mesmo na tua zona "ideal" de travagem mas isso é outra conversa), procuras o "intervalo" entre elas e é para lá que olhas. E depois, "magicamente", vais lá passar... blink

Etc., etc., etc. blink

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder
#38

Fz1000...é dificil para quem já está habituado a ter tudo...quantas motorizadas não andam por ai que a instrumentação deixou de funcionar aos anos...eu próprio andei uma vez com uma mota mais velha que eu, parada num barraco aos anos...velocimetro avariado, o conta rotações dava quando lhe apetecia e a mota toda desafinada...mesmo assim, consegui andar nela...é dificil mas não impossivel.

Neumon, fala com o instrutor sobre o velocimetro pelo menos...pode ser necessaria uma afinação.
Quando adquiri a Escola, o antigo dono só tinha cuidado com os carros, as motas eram completamente negligenciadas, a SR então...estava num estado lastimável...farol traseiro partido, lampadas fundidas, motor desafinado, espelhos mal apertados, manetes partidas...até a chapa de matricula caiu um dia...deixei-a no meu mecânico e disse...tudo o que veres que não pode ser arranjado...mete novo...felizmente só precisou de 2 manetes novas e algumas lampadas...o resto tinha reparação...quando voltou parecia outra.

[Imagem: 7STkQ4B.jpg]
Responder
#39

Bom conselho nooble.
Neumon...vão existir sempre tampas que não vais conseguir desviar...é desviar do que se consegui...o resto é abrandar e passar direitinho.

[Imagem: 7STkQ4B.jpg]
Responder
#40

Pneves, para quem já "sabe andar" é relativo ter ou não essas "ajudas".

Mas para alguém que está a começar torna-se chato, mas regra geral as motas das escolas estão fartas de levar porrada, daí as mazelas lol
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 2 Visitante(s)