Trocar a Cbf600s - a dura missão
#11

(01-12-2018 às 00:16)carlos-kb Escreveu:  
(01-12-2018 às 00:02)JPedrosa Escreveu:  A R1200RS já está na classe das desportivas, posição um bocado mais para a frente, embora nada de especial, sinceramente não pensei nela.

Esqueci foi de meter na lista a bmw S1000XR que gosto esteticamente, principalmente dos 160 burros.

Totalmente errado. A RS é uma "Reise Sport", ou seja, uma sport-tourer, como a SX. A posição de condução da RS é do mais natural que possas ter, muito mais qe na SX... aliás, arrisco até dizer que é tão idêntica mesmo à posição de condução da S1000XR.

Já que te "receitei" acima o test drive, à SX.... aqui fica o vídeo do TD à RS...

https://www.youtube.com/watch?v=PJd2wuiHhAI&t=278s

(01-12-2018 às 00:02)JPedrosa Escreveu:  Quanto muito, nessa variante à gs, talvez a R1200RT, mas pensar que era o único gajo do mundo com ela, cheira a solidão na hora de pedir ajuda para problemas e tal. 

A RT é uma Grand Tourer no sentido puro e duro do termo. Grande, pesada, sofisticada e cara. Pensa se é isso mesmo que procuras, quando dizes que "não tenho ainda idade para camiões"?

(01-12-2018 às 00:02)JPedrosa Escreveu:  Quanto à z1000sx  o que mais me trava, é pensar que uma viagem aos picos ou coisas derivadas, fico logo agarrado.

Agarrado? Porquê?  think
Uma SX é das melhores opções para gozar aquelas estradas de modo rápido. E mesmo uma ou outra incursão fora de asfalto, acaba a fazê-la de forma não muito diferente de uma "calça arregaçada" com pneus estradistas.

Viva,
epá, gostei do video.
Eu fiz o comentário da RS, porque a mota está na secção das desportivas, no site da BMW, por acaso, nem fui ao site cycle-ergo, confirmar a posiçao smile


A RT, efectivamente, pareceu-me um bocado "mamute", apenas a referi, porque na minha pesquisa, descobri que usava a mecânica da GS, mas também vi que ninguém compra aquilo, e deve haver uma razão.

Quanto à z1000sx, "tive azar" no meu timming.
Na semana que ia contactar uma pessoa com quem queria alinhar um teste drive, o gajo mudou para a Yamaha bigsmile
Agora voltando o tempo melhor, quero testar sem dúvida.

A ver vamos.

Conhecendo-me como conheço, estou mesmo a ver que na semana da escolha, vou para outra coisa qualquer fora da lista .... mas espero que não.
Responder
#12

(01-12-2018 às 00:26)Velasquez87 Escreveu:  Boas João.

Dessas que referes, por todos os motivos e mais alguns escolheria ou entre a SX ou a Tracer, podendo eventualmente pensar na versys também.

Tens que fazer um plano aliado ao que te interessa, qual o orçamento, o que irás fazer com ela (planeamento), a média de quantos kms mensais e até eventualmente se o plano é andar a solo ou com pendura de vez em quando.

Penso que a Versys se adapta mais ao mototurismo em si...para longas distâncias e estiradas com pendura parece-me a mais adequada.

A SX talvez a sport tourer mais sport. 

A Tracer talvez aquela que a meu ver está um pouco mais no meio (entre as duas alfaces) no sentido prático da coisa. Com a versão GT fica mais capaz para mototurismo, sendo a versys mais capaz nesse requesito e tem alguma desportitividade que a faz entrar em ene comparativos vs a Z1000SX.

É mesmo uma questão de escolha e daquela que mais se adequa as prioridades (e que puxa mais ao coração... blink )

Ora viva,
é exactamente à voltas dessas ideias que eu ando.
O que escreveste está muito alinhado com as minhas dúvidas e o que ando a equacionar.

A Tracer aparece muita vez como um meio termo muito atractivo.

De forma mais concreta, eu estou muito mais, entre a sx e a tracer.
Sendo que já me tinha também apercebido que algo que o Carlos comenta na "review" dele, não acho que o banco da SX, tenha sido feito a pensar no pendura .... e isso pode ser chato para passeios maiores.


Uma questão: Revisões, tu tens tracer, podes dar umams indicações de valores?

Alguém tem noção das revisões para uma SX?

um abraço,
JP
Responder
#13

(01-12-2018 às 00:58)JPedrosa Escreveu:  A RT, efectivamente, pareceu-me um bocado "mamute", apenas a referi, porque na minha pesquisa, descobri que usava a mecânica da GS, mas também vi que ninguém compra aquilo, e deve haver uma razão.

Olha que não.... olha que não...

A seguir à GS, a RT é a boxer mais vendida. Muito mais que as outras RS, R ou NineT.
Sim , não é uma mota que se veja no dia a dia com frequência, pois é pouco prática para a cidade e circuitos de casa-trabalho.

Mas basta ver uma comitiva de motorraders, para ver que aparece em número até muito substancial... seja a RT, como a "mana" maior de 6 cilindros, a K16GT.

Qualquer serie R que vejas, usa o motor boxer (comum). Aliás, para perceberes como se organiza o catálogo BMW (por series), e que mecânicas são compartilhadas, tens aqui este post...

https://motonliners.pt/topico-bmw-concep...#pid103275

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#14

(01-12-2018 às 01:14)carlos-kb Escreveu:  
(01-12-2018 às 00:58)JPedrosa Escreveu:  A RT, efectivamente, pareceu-me um bocado "mamute", apenas a referi, porque na minha pesquisa, descobri que usava a mecânica da GS, mas também vi que ninguém compra aquilo, e deve haver uma razão.

Olha que não.... olha que não...

A seguir à GS, a RT é a boxer mais vendida. Muito mais que as outras RS, R ou NineT.
Sim , não é uma mota que se veja no dia a dia com frequência, pois é pouco prática para a cidade e circuitos de casa-trabalho.

Mas basta ver uma comitiva de motorraders, para ver que aparece em número até muito substancial... seja a RT, como a "mana" maior de 6 cilindros, a K16GT.

Qualquer serie R que vejas, usa o motor boxer (comum). Aliás, para perceberes como se organiza o catálogo BMW (por series), e que mecânicas são compartilhadas,  tens aqui este post...

https://motonliners.pt/topico-bmw-concep...#pid103275

Referi isso, por dois temas, nada muito fundamentado, como podes ver:
1 - Não existem à venda em usadas, vai pingando uma ou outra.
2 - Perguntei a uns alemães. Por acaso vou a Munique todos os meses, e numa das vezes, surgiu em conversa o tema motas. Puxei esse modelo, e talvez pela febre GS e depois para touring, usarem as 1600, referiram que essas se viam pouco.

Mas não procurei dados nem nada de concreto.

Nem tão pouco ando com malta de BMWs.

Tenho um amigo que passou de uma F800ST para uma R1200GS e adorava a ex, e adora a actual.
E tenho outro amigo, que teve uma F800ST e jurou que BMW nunca mais .... 

é o meu "profundo" conhecimento das bmw smile

ha, e "ouço falar" que a manutenção .... doi.
Responder
#15

Olá Pedrosa.

Eu acho que já estás um bocado formatado mas...

Só tens um parafuso no pulso!?
Não queres meter mais nenhum?

Para isso tens a Tenere e a África Twin que, em qualquer escapada pelo monte te podem oferecer grátis metais preciosos no esqueleto.
A Honda menos que a Yamaha, mas em nenhum dos casos o motor é curto em estrada.

A RT é uma GT, assim que se queres andar de camião....
A GS é, sem dúvida, uma boa merda, que tem uma base mecânica fiável, que faz quase tudo bem mas não se destaca em nada, que é capaz de fazer valer a tua CBF 8000€ em troca de um casamento e são tantos os parolos que as querem, e desejam, que contaminam as pessoas com aquele sentimento snob de estar na moda.

A Versys é uma excelente opção com algo mais de motor que a Tracer GT, apostando no entanto na linearidade.
A Tracer GT é uma versão apadolada da mota que tem o Velásquez e que é, a meu ver e salvo as suspensões, um excelente conjunto nas gamas médias. O motor da Tracer é mais jovem que o da Versys, algo mais alegre mas sem o músculo dos 4 em linha em altas. Para um uso mais divertido o motor do piano tem algo mais que o repolho, mas em autoestrada ou prestações puras o 4 em linha ganha em conforto, linearidade e prestações (gama alta rpm)

A Z não devia estar sozinha pá.
Sim, falta a RS ou a Super Sport da Sucati.

Dessas três a mais adulta é a RS, com uma boa base mecânica, mas com muita electrónica à volta. É uma boa opção se o teu objectivo é fazer turismo em estradas onde não sejam necessárias velocidades ponta elevadas. O motor é excelente para uma utilização quotidiana apesar do peso do conjunto. Das três é a que oferece mais conforto para ambos e maior capacidade de carga.
A Z pá é uma Kawasaki e embora a electrónica ajude, aquele 4 cilindros quer é fogo na peça, gosta muito de estradas de montanha mas se lhe deres autoestradas o gajo espuma-se todo se não lhe abrires as guelas!
A Sucati é, pela sua ficha técnica, a melhor para levar à serra. Suspensões mais capazes, motor que gosta de traccionar a medias rotações, leves a do conjunto, uma Sucati para os Sucatistas que já têm metais preciosos no esqueleto.

É pá, tu tens uma CBF e o que procuras, parecer-me a mim, é uma mota que mantenha essa versatilidade da tua 600, mas com mais power e horizontes mais amplios.
Essa mota já existiu, e se não fosse as leis de emissões e a crise económica do final do primeiro decénio do século talvez ainda hoje se vendesse.
Essa mota não é nada mais nem nada menos que um CBF 1000!
E não olhes só para os números, a mota tem um motor delicioso, muito bem pensado precisamente para o que procuras (penso eu).

Permite-me dois puxões de orelha, um em casa uma.

Qualquer mota pode fazer todo terreno, eu mesmo tenho vídeos da Dorothy a andar em terra batida, convém no entanto saber a que riscos te enfrentas.

Os Picos da Europa são um parque natural que está rodeado por estradas de sonho, asfalto de primeiro nível, paisagens brutais e vacas (de duas e, dependendo da posição em que se encontram, quatro patas). É lógico que existem por lá caminhos e que o pessoal se pode aventurar, mas é área protegida vigilada por uns cabrões vestidos de verde que te podem requesitar no mínimo 500€ só por entrar num desses caminhos.

Boas Curvas

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#16

Penso que tenhas algumas confusões na cabeça e algumas já foram esclarecidas.

Uma que tens é pensares na S1000 XR e dizeres que Ktm não porque são muito caras... Ora bem, elas andam pela mesma gama de preços, sendo a BMW mais cara inclusive.

Se queres viajar a 2, e gostas a tua companhia, diria que podes esquecer a Z1000 SX. Com a tua altura, não será a mais confortável, e a posição é a mais R de todo o grupo. O fjdomingues tem uma e deve ter a tua altura, ele diz que é confortável, mas eu diria que em comparação com uma Adventure não será... Eu bastou-me sentar numa para dizer esta mota não é para mim, e era a mota que mais gostava. Não lhe podes por topcase e não tens descanso central, algo muito prático em viagens maiores e a 2.

Em termos de manutenção a Z1000 SX deverá ser igual à Versys 1000 que tenho, e compara-se com as restantes Japonesas em termos de custos.

Em relação à Versys, que é a que poso mais falar, é das melhores/senão a melhor mota para viajar a 2 que podes encontrar a preços razoáveis. A minha tem 75500 kms, com 3,5 anos e até agora é manutenção e andar. Nunca me deixou mal e é mota que podes viajar sem te preocupar que provavelmente ficas a meio. Pode acontecer a todas, mas até hoje já andei por muito sítio, e a única coisa que me fez parar foram furos nos pneus!  smiletroll
A minha tem suspensões Hyperpro que lhe dão um toque bem diferente na altura de curvar, muito mais estabilidade e conforto a 2 e carregada.  Tem um motor super suave a baixa, com bastante binário disponível, o que te permite rolar com muito conforto e relaxado em montanha sem grandes mudanças de caixa. Se quiseres também solta os cavalos e tens muito com que te divertir. Não tem 160 cv como outras, mas não te deixa ficar mal seja onde for. Entre a Versys, S1000 XR, Ducati Multistrada 1260S, Ktm 1290 SA S, a Versys ganha em conforto, principalmente para a pendura.

Como o Nelson referiu (obrigado blink), tenho a minha à venda, podes ver na secção das vendas. Não te deixes impressionar pelos quilómetros, e este pessoal já a viu muitas vezes, sabe bem o estado em que está. blink

Comparando a Versys e a Tracer, a Tracer é mais leve e ágil, de resto a Versys é superior. Embora o motor da Tracer seja muito fixe de conduzir, não tem o mesmo fulgor comparado com o motor da Versys, o que é normal, são sensivelmente 200cc de diferença.

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#17

Esqueci-me de referir que existe uma Versys à venda neste fórum.
É verdade que a mota está impecável e sempre foi bem cuidada.
O dono, se calhar nem nunca a esticou convenientemente porque um gajo farta-se de estar à espera dele! lol

[Imagem: gAdTASo.jpg]

Se a comprares pá, sempre te podes gabar de que tens uma mota que foi montada pelo LoneRider!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#18

(01-12-2018 às 14:28)LoneRider Escreveu:  Se a comprares pá, sempre te podes gabar de que tens uma mota que foi montada pelo LoneRider!

Faço ideia do estado lastimável que ficou o amortecedor traseiro!
Responder
#19

João!

Acho que já te dei a minha opinião mas completo aqui!

A Tracer900GT tem o motor que já é bem conhecido. Em relação à Versys, é uma questão de perceber qual o tipo de motor que mais te agrada. Em termos de prestações é ela por ela, visto que a Tracer tem uma relação peso/potência superior, é um tricilindrico e também mais ágil, diria que em estradas onde vale a pena conduzir é provável que seja mais divertido. A Versys tem um tetracilindrico também bem conhecido e que certamente deve ser mais "suave" e sem aquele comportamento "ON/OFF" que o acelerador da Tracer tem. É também provável que seja mais confortável, mas acho que isso é algo que só tu podes avaliar. Eu já fiz 600kms num dia na Tracer, sendo que fiz 250kms numa tirada sem queixas de relevo (mas eu não sou particularmente exigente no que ao conforto diz respeito)...

Agora há algo que é importante clarificar. Se vais comprar nova, a Versys com o pack grand tourer manda-se para os 18-19k com esta atualização que levou e que, na minha opinião, vieram modernizar a mota e torná-la ainda mais apta para "GT". Se pretendes comprar usada, certamente que vais encontrar negócios bastantes melhores no mercado de usados que as Tracers, que estão muito sobrevalorizadas no mercado de usados. O que também é uma vantagem de comprares uma Tracer nova se é uma mota que não pretendes manter por vários anos. Na hora de vender, vai-te desvalorizar bastante menos que qualquer uma das concorrentes diretas.

Acho que também misturas aí motas que são de "segmentos" diferentes. A Tracer é uma "budget bike", que tem um preço simpático e material muito bom, mas que não tem de perto nem de longe a mesma qualidade de materiais de uma GS, uma Multistrada, KTM... que estão numa gama de preços completamente diferente. Portanto incluindo a Tracer, acho que é uma questão de escolher se pretendes uma boa mota, com bons acessórios, com uma manutenção relativamente barata para motas desta cilindrada (fiz agora a revisão dos 10 mil e ficou a 120€, mas os preços normais rondam os 90 e os 120) e com um motor que não envergonha e que tem um preço simpático, ou então "subires" de nível onde tens a Multistrada 1260 (era a mota que eu comprava sem restrições orçamentais), a KTM 1290 ou a S1000XR que já têm melhores motores, melhores componentes e que são "motas para a vida".

Já a GS é um campeonato diferente, assim como a Super Tenere. Se não pretendes sair de estrada com elas, acho que nem vale a pena considerar. Já experimentei a Super Tenere e sinceramente para o uso que eu dou à mota, escolhia a Tracer todos os dias. Vou experimentar a 1250GS daqui a uns dias, depois também te posso dar feedback sobre ela, mas mesmo com este motor e para o preço que se manda, se vais fazer só estrada acho que as referidas acima levam vantagem nesse aspeto.

Se a posição de condução é um problema, podes esquecer a Z1000 e motas puras ST. Creio que será muito parecida à da tua CBF, portanto se aumentar o conforto é uma opção é manteres as opções que falaste acima.

Nisto das motas há muito de gosto pessoal, portanto o ideal é experimentares todas e veres o que mais gostas. Já sabes que a Tracer está à disposição quando quiseres. Em relação às outras facilmente arranjas TD e logo vês. Fui o que eu fiz antes de comprar a Tracer, e não podia ter ficado mais satisfeito. Antes de comprar a Tracer andava indeciso com a Super Tenere, bastou-me fazer o TD para tirar logo da cabeça

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#20

das melhores respostas que tenho visto pelos foruns,
se para comprar mota, compra, tanto drama

(01-12-2018 às 08:32)LoneRider Escreveu:  Olá Pedrosa.

Eu acho que já estás um bocado formatado mas...

Só tens um parafuso no pulso!?
Não queres meter mais nenhum?

Para isso tens a Tenere e a África Twin que, em qualquer escapada pelo monte te podem oferecer grátis metais preciosos no esqueleto.
A Honda menos que a Yamaha, mas em nenhum dos casos o motor é curto em estrada.

A RT é uma GT, assim que se queres andar de camião....
A GS é, sem dúvida, uma boa m****, que tem uma base mecânica fiável, que faz quase tudo bem mas não se destaca em nada, que é capaz de fazer valer a tua CBF 8000€ em troca de um casamento e são tantos os parolos que as querem, e desejam, que contaminam as pessoas com aquele sentimento snob de estar na moda.

A Versys é uma excelente opção com algo mais de motor que a Tracer GT, apostando no entanto na linearidade.
A Tracer GT é uma versão apadolada da mota que tem o Velásquez e que é, a meu ver e salvo as suspensões, um excelente conjunto nas gamas médias. O motor da Tracer é mais jovem que o da Versys, algo mais alegre mas sem o músculo dos 4 em linha em altas. Para um uso mais divertido o motor do piano tem algo mais que o repolho, mas em autoestrada ou prestações puras o 4 em linha ganha em conforto, linearidade e prestações (gama alta rpm)

A Z não devia estar sozinha pá.
Sim, falta a RS ou a Super Sport da  Sucati.

Dessas três a mais adulta é a RS, com uma boa base mecânica, mas com muita electrónica à volta. É uma boa opção se o teu objectivo é fazer turismo em estradas onde não sejam necessárias velocidades ponta elevadas. O motor é excelente para uma utilização quotidiana apesar do peso do conjunto. Das três é a que oferece mais conforto para ambos e maior capacidade de carga.
A Z pá é uma Kawasaki e embora a  electrónica ajude, aquele 4 cilindros quer é fogo na peça, gosta muito de estradas de montanha mas se lhe deres autoestradas o gajo espuma-se todo se não lhe abrires as guelas!
A Sucati é, pela sua ficha técnica, a melhor para levar à serra. Suspensões mais capazes, motor que gosta de traccionar a medias rotações, leves a do conjunto, uma Sucati para os Sucatistas que já têm metais preciosos no esqueleto.

É pá, tu tens uma CBF e o que procuras, parecer-me a mim, é uma mota que mantenha essa versatilidade da tua 600, mas com mais power e horizontes mais amplios.
Essa mota já existiu, e se não fosse as leis de emissões e a crise económica do final do primeiro decénio do século talvez ainda hoje se vendesse.
Essa mota não é nada mais nem nada menos que um CBF 1000!
E não olhes só para os números, a mota tem um motor delicioso, muito bem pensado precisamente para o que procuras (penso eu).

Permite-me dois puxões de orelha, um em casa uma.

Qualquer mota pode fazer todo terreno, eu mesmo tenho vídeos da Dorothy a andar em terra batida, convém no entanto saber a que riscos te enfrentas.

Os Picos da Europa são um parque natural que está rodeado por estradas de sonho, asfalto de primeiro nível, paisagens brutais e vacas (de duas e, dependendo da posição em que se encontram, quatro patas). É lógico que existem por lá caminhos e que o pessoal se pode aventurar, mas é área protegida vigilada por uns cabrões vestidos de verde que te podem requesitar no mínimo 500€ só por entrar num desses caminhos.

Boas Curvas

Load ""
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)