Triumph Sprint ST (2005-2010) - Porque ninguém fala neste modelo?
#81

Jpsimoes obrigado pelas informações.
Creio que uma ECU de qualquer mota não seja uma peça barata, agora não pode ser aceitável a quebra de um componente vital como esse.
O problema é que meu bolso não permite muita 'flexibilidade' de escolha. Praticamente ficaria restrito entre f800r 2005, vfr800 2004 ou sprint 2006. Alguma outra sugestão?
Responder
#82

Adicionando a lista de opções Suzuki sv1000 2005 e Yamaha fzs1000 2005.
Responder
#83

(06-08-2018 às 23:56)aperali Escreveu:  Adicionando a lista de opções Suzuki sv1000 2005 e Yamaha fzs1000 2005.
Boas opções também.

A SV1000 ainda encontras carenada, tem uma bisga impressionante na saida blink (tenho uma 650 de 2008), embora creio que não seja tão touring quanto certamente procurarás...

Velasquez87
Responder
#84

Perali pá!
Queres a minha opinião? smile

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#85

Lá vem bomba! Manda...
(07-08-2018 às 08:23)LoneRider Escreveu:  Perali pá!
Queres a minha opinião? smile
É certo que os estilos não são lá os mesmos mas é o que meus euritos podem sonhar
Responder
#86

Por que valor estás a comprar a ST?

Eu não tenho a noção de valores que estão envolvidos, mas o mercado vais colocando algumas opções.

VFR800, CBR1100XX, ZZR1200... são motas dentro do estilo e com índices de fiabilidade bastante superiores.

abraço

...
Responder
#87

(06-08-2018 às 23:20)jpsimoes Escreveu:  Bom! Como eu tive uma Triumph destas ao longo de uns incrivelmente caros 11.000 kms vou dar a minha opinião.

Honestamente não recomendo a ninguém que queira uma mota fiável a compra da Sprint ST. Embora seja bastante apelativa esteticamente, enfrenta ao longo da vida problemas eléctricos quase constantes. E tem ainda uma agravante, a marca parece se estar nas tintas para os modelos dessa geração. É um stress arranjar componentes after market, por exemplo a minha apareceu com um problema na ECU, e o melhor valor que consegui em Inglaterra foram 1000 €. Tendo em conta que a mota vale pouco mais do dobro disto...

Mas posso ir mais longe, se utilizares a mota no dia-a-dia, em princípio vais conhecer o preço das bobines por esse mundo fora. Posso dar-te um contacto em Londres que te arranjam por 120,00 € por cilindro. Quando a mota começa  a trabalhar muito tempo no trânsito frita as bobines. Curiosamente nas SpeedTriple e nas outras motas com o mesmo motor isso não acontece.

Existe ainda alguma afirmação aí do 2Slow que deve estar relacionado com o NICK. É das mais rápidas dos 0-100???? Não é nada... nem é esse o objectivo desta mota. Claro que é muito mais rápida que uma ER6, mas isso não é propriamente um marco, até porque a própria ER6 também não é assim uma referencia em aceleração.

Só para enquadrar, a Sprint ST era uma concorrente mais encorpada da VFR800 ... e embora a VFR fosse mais rápida a Sprint ST tinha mais velocidade de ponta

No fundo foi um produto mal amado pela marca, e já foi descontinuado á muito tempo o que dá problemas no mercado de peças muito grande.

Mas estes problemas fazem parte do longo historial nos fóruns da marca.

Achei uma certa piada, e honestamente um grande elogio a comparação com uma Tracer. Embora seja a minha mota actual, tenho para mim que não será um marco de fiabilidade e precisa de muitos miminhos (já levou uma suspensão com menos de 20.000 kms)...

Como se pode ver... não é da moto, é mesmo teu o problema… és um bruto!
Mudaste de moto e ao final de 20.000km já tens problemas… não os que tiveste com a Sprint, mas outros!
Suspeito que daqui a 1 ano estejas a mudar de moto e a falar pessimamente mal da Tracer… 
Pareces desses que são impossíveis de se contentar! É tudo uma merda à tua volta! 

Tenho a Sprint desde Outubro 2017, quase a fazer 1 ano e não tenho razão de queixa!
Com a ER6F também haviam muitas queixas, não tive um único problema que a malta se queixava e já esta com 42.000km e pronta para outros tantos.

Desculpa lá mas… acho que tiveste azar com a tua Sprint e não podes generalizar mas também eu tendo comprado a minha usada, ela pode ter tido os mesmos problemas e entretanto foram resolvidos com peças já para o modelo 2007-2010 que mudaram inclusive de part-number, mas estou a especular... 

O preço das peças não te contrariei e disse mesmo que a marca ainda aumentou mais… um escândalo esta escalada de preços mas isso é em TODAS as marcas!

Continuo a dizer, um bom mecânico e saber cuidar é tudo o que uma moto precisa, de miminhos!

Mas contra brutos não há hipótese! Nada resiste! Só mesmo um….
[Imagem: Tanque_de_Lavar_a_roupa.jpg]

A sério… tenta ser menos bruto pah e torna-te um chato para o mecânico em ires lá ter com ele sempre que aches alguma coisa mal...
Para ver não pagas…  E poupas depois por não seres negligente!

beer thumbsup


nota: sobre as acelerações e velocidades de ponta… na net há de tudo e sites que dizem que um modelo é mais rápido, outros site diz o oposto… é tudo muito relativo mas falando no meu caso, ER6F e Sprint, achava a ER6F um canhão mas apesar de tudo a Sprint sem duvida que é bem mais rápida. Já vi sites a dizer que a Sprint faz 2,9s ou 3,1s dos 0-60mph como vi sites a dizer que faz isso em 3,8s ou 4,1s ficando exactamente no mesmo patamar da ER6F pelo menos nos sites mais optimistas… a minha referencia antiga desde que comprei a ER6F era que fazia uns 4,5/4,8s dos 0-100kmh se bem que havia sites a dizer 5,1s... Quanto à Tracer é mais Bruta que a Sprint logo de inicio e perde para sprint a partir dos 190, certo? (estou a perguntar, não estou a afirmar). E a VFR1200 é então das mais rápidas… porque pelos sites faz 2,7s dos 0-60mph enquanto a tracer indica 2,9s.
Responder
#88

(07-08-2018 às 08:37)aperali Escreveu:  Lá vem bomba! Manda...
(07-08-2018 às 08:23)LoneRider Escreveu:  Perali pá!
Queres a minha opinião? smile
É certo que os estilos não são lá os mesmos mas é o que meus euritos podem sonhar

Olha, para começar sou um labrego que não tem estudos académicos nem formação de nível superior.
Sou dos que pensa que as vezes devemos ser pragmáticos e por contras em tudo o que nos rodeia para poder avaliar correctamente os nossos problemas.

E agora passo a dar-te a minha opinião.

Normalmente o fusível com maior amperagem dos sistemas eléctricos é o da bobine de chamada do motor de arranque (30A).
Achas que um regulador adaptado de 50A, apesar de não se queimar, não vai sobrecarregar a instalação com amperagem?
Como reage a Ecu quando o regulador te mandar uma intensidade superior à que está preparada para aguentar?
É os conectores?
E a cablagem?
O que é preferível, queimar um rectificador ou uma ECU?

Isso das alterações deve ser muito bem pensado antes de fazer sob o risco de pegares fogo à mota.

Fala-se aqui de que o rectificador passa calor na sua posição de origem mas nunca se falou que, se deve medir e como se deve medir, dito cujo componente.

Fala-se aqui de soluções caseiras, mas nunca se refere às condições dos veículos e seus componentes, como o estado da bateria, da instalação ou das medições aos componentes electrónicos da mota.

Es engenheiro, seguramente tens noção de como usar um multímetro.
Compra a tua mota, seja ela qual for, arranja na net o Workshop Manual e antes de andar nela, conhece-a, toma peso e medidas, faz-lhe uma revisão com lupa e critério. Assim podes diagnosticar futuros problemas a tempo necessário de evitar ficar apeado no meio da estrada.

Entrar em especulações e no diz que disse só serve para meter a pata.
Cada mota é um caso, embora existam problemas comuns, mas as utilizaçoes que tiveram no seu passado por vezes determinam que tipo de problemas podem ter com mais frequência.

Eu gosto da Sprint, estive quase para comprar uma GT e tenho a ideia de serem motos fiáveis, apesar de saber que o João teve muitos problemas com a dele.

Por outro lado, a VFR 800 é uma garantia de fiabilidade.
Mas, e atendendo à tua experiência e anos montado em motas, quase te diria que, nesse estilo, ficavas bem servido com uma VFR1200F, uma XX ou uma ZZR...

Boa sorte!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#89

(07-08-2018 às 10:41)2low Escreveu:  
(06-08-2018 às 23:20)jpsimoes Escreveu:  Bom! Como eu tive uma Triumph destas ao longo de uns incrivelmente caros 11.000 kms vou dar a minha opinião.

Honestamente não recomendo a ninguém que queira uma mota fiável a compra da Sprint ST. Embora seja bastante apelativa esteticamente, enfrenta ao longo da vida problemas eléctricos quase constantes. E tem ainda uma agravante, a marca parece se estar nas tintas para os modelos dessa geração. É um stress arranjar componentes after market, por exemplo a minha apareceu com um problema na ECU, e o melhor valor que consegui em Inglaterra foram 1000 €. Tendo em conta que a mota vale pouco mais do dobro disto...

Mas posso ir mais longe, se utilizares a mota no dia-a-dia, em princípio vais conhecer o preço das bobines por esse mundo fora. Posso dar-te um contacto em Londres que te arranjam por 120,00 € por cilindro. Quando a mota começa  a trabalhar muito tempo no trânsito frita as bobines. Curiosamente nas SpeedTriple e nas outras motas com o mesmo motor isso não acontece.

Existe ainda alguma afirmação aí do 2Slow que deve estar relacionado com o NICK. É das mais rápidas dos 0-100???? Não é nada... nem é esse o objectivo desta mota. Claro que é muito mais rápida que uma ER6, mas isso não é propriamente um marco, até porque a própria ER6 também não é assim uma referencia em aceleração.

Só para enquadrar, a Sprint ST era uma concorrente mais encorpada da VFR800 ... e embora a VFR fosse mais rápida a Sprint ST tinha mais velocidade de ponta

No fundo foi um produto mal amado pela marca, e já foi descontinuado á muito tempo o que dá problemas no mercado de peças muito grande.

Mas estes problemas fazem parte do longo historial nos fóruns da marca.

Achei uma certa piada, e honestamente um grande elogio a comparação com uma Tracer. Embora seja a minha mota actual, tenho para mim que não será um marco de fiabilidade e precisa de muitos miminhos (já levou uma suspensão com menos de 20.000 kms)...

Como se pode ver... não é da moto, é mesmo teu o problema… és um bruto!
Mudaste de moto e ao final de 20.000km já tens problemas… não os que tiveste com a Sprint, mas outros!
Suspeito que daqui a 1 ano estejas a mudar de moto e a falar pessimamente mal da Tracer… 
Pareces desses que são impossíveis de se contentar! É tudo uma m**** à tua volta! 

Tenho a Sprint desde Outubro 2017, quase a fazer 1 ano e não tenho razão de queixa!
Com a ER6F também haviam muitas queixas, não tive um único problema que a malta se queixava e já esta com 42.000km e pronta para outros tantos.

Desculpa lá mas… acho que tiveste azar com a tua Sprint e não podes generalizar mas também eu tendo comprado a minha usada, ela pode ter tido os mesmos problemas e entretanto foram resolvidos com peças já para o modelo 2007-2010 que mudaram inclusive de part-number, mas estou a especular... 

O preço das peças não te contrariei e disse mesmo que a marca ainda aumentou mais… um escândalo esta escalada de preços mas isso é em TODAS as marcas!

Continuo a dizer, um bom mecânico e saber cuidar é tudo o que uma moto precisa, de miminhos!

Mas contra brutos não há hipótese! Nada resiste! Só mesmo um….
[Imagem: Tanque_de_Lavar_a_roupa.jpg]

A sério… tenta ser menos bruto pah e torna-te um chato para o mecânico em ires lá ter com ele sempre que aches alguma coisa mal...
Para ver não pagas…  E poupas depois por não seres negligente!

beer thumbsup

Rapaz... vamos ver se a gente se entende.

1.º - Por uma questão de cultura motociclistica, informo-te que as Tracer's 2015 ~ 2017 apresentavam uma debilidade na suspensão que criava um efeito denominado como wobble. É esse o motivo que fez com que eu, e 50% dos utilizadores deste modelo o tivessemos feito.

2.º - Talvez eu invista mais nos cuidados com a mota que tu, sabes que eu não levo a mota a um mecânico amigo... as minhas motas vão á marca, e quando tenho que ser chato para o mecânico é sinal que a mota não está grande coisa. Estou certo que a pessoa que está compradora de uma Mota não quer passar a ser um chato para o mecânico.

3.º - Sabes que o facto de ter lucidez para apontar defeitos nas minhas coisas, ter a noção de quando é que uma compra minha foi melhor ou pior, não quer dizer que ache que tudo é uma m... Isto é o resultado de uma experiência que tu não tens e teimas em não adquirir. Um conselho só interessa se for desprovido de interesse, quando assim não é, deixa de ser um conselho e passa a ser um argumento de venda.

Vou recordar-te de uma coisa, tu estás tão feliz com a tua mota que em tempos pensaste vende-la já por 2 vezes. Recordas-te? Isto não é sinónimo de satisfação.

Caso ainda não tenhas entendido, eu gostei da Sprint ST, no entanto não a recomendo a ninguém por não ser fiável. Porque não tenho interesse absolutamente nenhum em defender uma mota só porque tenho ou tive uma. A Tracer tem obrigação de ter maior fiabilidade, de qualquer modo se amanhã começar a ter problemas com ela, não será o facto de ter uma que me fará recomenda-la a quem quer que seja.

Sobre ser negligênte neste caso seria mesmo o k?

...
Responder
#90

(07-08-2018 às 11:33)jpsimoes Escreveu:  
(07-08-2018 às 10:41)2low Escreveu:  
(06-08-2018 às 23:20)jpsimoes Escreveu:  Bom! Como eu tive uma Triumph destas ao longo de uns incrivelmente caros 11.000 kms vou dar a minha opinião.

Honestamente não recomendo a ninguém que queira uma mota fiável a compra da Sprint ST. Embora seja bastante apelativa esteticamente, enfrenta ao longo da vida problemas eléctricos quase constantes. E tem ainda uma agravante, a marca parece se estar nas tintas para os modelos dessa geração. É um stress arranjar componentes after market, por exemplo a minha apareceu com um problema na ECU, e o melhor valor que consegui em Inglaterra foram 1000 €. Tendo em conta que a mota vale pouco mais do dobro disto...

Mas posso ir mais longe, se utilizares a mota no dia-a-dia, em princípio vais conhecer o preço das bobines por esse mundo fora. Posso dar-te um contacto em Londres que te arranjam por 120,00 € por cilindro. Quando a mota começa  a trabalhar muito tempo no trânsito frita as bobines. Curiosamente nas SpeedTriple e nas outras motas com o mesmo motor isso não acontece.

Existe ainda alguma afirmação aí do 2Slow que deve estar relacionado com o NICK. É das mais rápidas dos 0-100???? Não é nada... nem é esse o objectivo desta mota. Claro que é muito mais rápida que uma ER6, mas isso não é propriamente um marco, até porque a própria ER6 também não é assim uma referencia em aceleração.

Só para enquadrar, a Sprint ST era uma concorrente mais encorpada da VFR800 ... e embora a VFR fosse mais rápida a Sprint ST tinha mais velocidade de ponta

No fundo foi um produto mal amado pela marca, e já foi descontinuado á muito tempo o que dá problemas no mercado de peças muito grande.

Mas estes problemas fazem parte do longo historial nos fóruns da marca.

Achei uma certa piada, e honestamente um grande elogio a comparação com uma Tracer. Embora seja a minha mota actual, tenho para mim que não será um marco de fiabilidade e precisa de muitos miminhos (já levou uma suspensão com menos de 20.000 kms)...

Como se pode ver... não é da moto, é mesmo teu o problema… és um bruto!
Mudaste de moto e ao final de 20.000km já tens problemas… não os que tiveste com a Sprint, mas outros!
Suspeito que daqui a 1 ano estejas a mudar de moto e a falar pessimamente mal da Tracer… 
Pareces desses que são impossíveis de se contentar! É tudo uma m**** à tua volta! 

Tenho a Sprint desde Outubro 2017, quase a fazer 1 ano e não tenho razão de queixa!
Com a ER6F também haviam muitas queixas, não tive um único problema que a malta se queixava e já esta com 42.000km e pronta para outros tantos.

Desculpa lá mas… acho que tiveste azar com a tua Sprint e não podes generalizar mas também eu tendo comprado a minha usada, ela pode ter tido os mesmos problemas e entretanto foram resolvidos com peças já para o modelo 2007-2010 que mudaram inclusive de part-number, mas estou a especular... 

O preço das peças não te contrariei e disse mesmo que a marca ainda aumentou mais… um escândalo esta escalada de preços mas isso é em TODAS as marcas!

Continuo a dizer, um bom mecânico e saber cuidar é tudo o que uma moto precisa, de miminhos!

Mas contra brutos não há hipótese! Nada resiste! Só mesmo um….
[Imagem: Tanque_de_Lavar_a_roupa.jpg]

A sério… tenta ser menos bruto pah e torna-te um chato para o mecânico em ires lá ter com ele sempre que aches alguma coisa mal...
Para ver não pagas…  E poupas depois por não seres negligente!

beer thumbsup

Rapaz... vamos ver se a gente se entende.

1.º - Por uma questão de cultura motociclistica, informo-te que as Tracer's 2015 ~ 2017 apresentavam uma debilidade na suspensão que criava um efeito denominado como wobble. É esse o motivo que fez com que eu, e 50% dos utilizadores deste modelo o tivessemos feito.

2.º - Talvez eu invista mais nos cuidados com a mota que tu, sabes que eu não levo a mota a um mecânico amigo... as minhas motas vão á marca, e quando tenho que ser chato para o mecânico é sinal que a mota não está grande coisa. Estou certo que a pessoa que está compradora de uma Mota não quer passar a ser um chato para o mecânico.

3.º - Sabes que o facto de ter lucidez para apontar defeitos nas minhas coisas, ter a noção de quando é que uma compra minha foi melhor ou pior, não quer dizer que ache que tudo é uma m... Isto é o resultado de uma experiência que tu não tens e teimas em não adquirir. Um conselho só interessa se for desprovido de interesse, quando assim não é, deixa de ser um conselho e passa a ser um argumento de venda.

Vou recordar-te de uma coisa, tu estás tão feliz com a tua mota que em tempos pensaste vende-la já por 2 vezes. Recordas-te? Isto não é sinónimo de satisfação.


Caso ainda não tenhas entendido, eu gostei da Sprint ST, no entanto não a recomendo a ninguém por não ser fiável. Porque não tenho interesse absolutamente nenhum em defender uma mota só porque tenho ou tive uma. A Tracer tem obrigação de ter maior fiabilidade, de qualquer modo se amanhã começar a ter problemas com ela, não será o facto de ter uma que me fará recomenda-la a quem quer que seja.

Sobre ser negligênte neste caso seria mesmo o k?

É tudo muito relativo e subjectivo…
mais uma vez… da mesma maneira que sei pouco sobre ti, o mesmo acontece inversamente.

Vou contar-te uma historia… e o Carlos-Kb vai entender perfeitamente que está na mesma área profissional…
Aqui vai:

Eu e a minha mulher somos ambos arquitectos e temos uma empresa de construção.
Os construtores não suportam os arquitectos e fartam-se de falar mal deles e dizerem que não servem para nada.
Os construtores (patos bravos) usam estagiários para lhes fazerem os bonecos e terem os "lucros" de que se tivessem contratado mesmo um arquitecto.
Por outro lado os clientes dos arquitectos, quase todos são muito indecisos ou então no oposto há aqueles que já sabem tudo o que querem e so querem que os arquitectos lhes passem a limpo os bonecos que entregam… para isso contratem um desenhador caralho!
Os clientes que apesar de nós indicarmos e sugerirmos, olhe faça assim que é melhor...as pessoas não fazem e só depois de não seguirem a nossa sugestão é que lá vem a frase…"ahhh se eu tivesse seguido o que o nuno disse...não estava a ter agora este problema…"
Depois na construção nem imaginas o que é gerir equipas e fornecimento de materiais… então carpintarias é uma dor de cabeça…
Sim a empresa que criámos foi porque nos fartámos de clientes…. mudam tudo e não percebem os disparares que fazem…
Assim fazemos nos o projecto, construímos e depois quem gostar da casa que compre. 
Até agora, todos os que vêem as casas todos querem comprar e o primeiro a apresentar os papeis la do banco fica com a casa.

Como escape de um trabalho que me fez deitar fumo por todos os lados tentei aliviar tentando começar outro negocio mas com algo que gosto: motos
Foi assim que surgiu a compra sobre impulso da Sprint, que seria para fazer negocio MAS para isso não foi grande compra, foi um preço justo pelo que é mas para vender depois foi mal comprada.
Estar indeciso na venda de uma ou outra mesmo após ir contra o estipulado inicialmente de vender a Sprint passados uns meses, para comprar outras e ir experimentando motos para me dar satisfação e aliviar a mente das chatices da profissão, será que não é motivo mais que suficiente para afirmar plena satisfação pela Sprint?!
O ter de vender uma delas é por necessitar de algum dinheiro para a empresa.

Não se pode NUNCA apontar o dedo a alguém quando se sabe pouco ou nada sobre ele, isto serve para todos!

E pelos vistos não sou o único que faz ou pensa fazer negócios com motos… 
Uma coisa é certa, não venderia uma moto que não estivesse em condições!
(tanto que fiz logo uma revisão à Sprint de inicio: levou pastilhas travão, óleos, filtros e mecânico disse na altura que iria precisar de bateria)

nota: -quando tive moto nova e moto semi-nova (teve garantia de 5 anos a kawasaki) ainda com garantia fui também sempre À marca e acredita fui deveras bem enganado (revisões mal feitas e com óleos de ma qualidade)
        -tivesse tido uma Honda ou BMW e seria bem acompanhada na ondamil/motomil se bem que vai havendo algumas queixas...
        -o meu mecânico sempre que há prova de superbikes por cá é só o chefe de oficina da Kawasaki e em novo era piloto motocross com moto oficial da Kawasaki, a família dele tem stands no norte país, entre Suzuki, Kawasaki e Yamaha.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)