Travagem
#51

(19-03-2019 às 12:13)vindaloo Escreveu:  
(19-03-2019 às 12:11)pedromt07 Escreveu:  Isto é algo que fui aprendendo, mas atrofia-me sempre fazer isso em curvas para a direita porque vou em "bicos de pés" na peseiras.

Enviado do meu SM-G935F através do Tapatalk

Então? Conduzes no limite de aderência dos pneus? No limite de inclinação da mota?

Precisas mesmo de alterar 'a geometria da mota em curva' para a fazeres?
Não, mas é como me sinto confortável a conduzir a mota. Ou não devo conduzir como me sinto confortável?
Além que desde que comecei a fazer isto raspo menos os avisadores e sinto-me mais seguro, mas se tiver errado avisa. blink
Mas como fazes neste caso? ou como fazes no geral?
(nao percebi a tua ultima frase, " para a fazeres", ela quem? a travagem? lol )
Responder
#52

(19-03-2019 às 12:11)vindaloo Escreveu:  Ainda ontem comentei que há aspectos bem mais importantes na condução e que são quase desprezados ao lado destas técnicas 'avançadas' como por exemplo o olhar e a posição na estrada.

Deixa lá os putos entretidos os "ings"...
Se eles aprendem essas coisas básicas depois já não os apanhamos.
cool

(19-03-2019 às 12:11)pedromt07 Escreveu:  Isto é algo que fui aprendendo, mas atrofia-me sempre fazer isso em curvas para a direita porque vou em "bicos de pés" na peseiras.

Há motos que nem consegues andar de outra forma, pois não têm os "avisadores"...
O avisador acaba por ser o pé.
E ao fim de uns cagaços o andar em "bicos de pés" passa a ser a posição normal.
lol

Muito provavelmente o que escrevi foi gerado automágicamente através do Moto Lero
Responder
#53

(19-03-2019 às 12:31)pedromt07 Escreveu:  Não, mas é como me sinto confortável a conduzir a mota. Ou não devo conduzir como me sinto confortável?

Deves sempre conduzir como te sentes confortável. Mas entrar pendurado nos travões em todas as curvas, para mim é antitético do conforto em estrada.

Quanto menos travares, quanto mais segurares velocidade para dentro da curva usando o corpo sem reacções brucas e quanto mais suave acelerares nas saídas de curva, ao fim de 300km de curvas é sempre o que te vai maçar menos.


(19-03-2019 às 12:31)pedromt07 Escreveu:  Além que desde que comecei a fazer isto raspo menos os avisadores e sinto-me mais seguro, mas se tiver errado avisa. blink

O princípio do trail braking é fazeres a curva com a traseira levantada, mas o mais certo é apenas estares a perder velocidade na curva a parar muito a mota.

É apenas uma sugestão sem fazer a mínima ideia de como conduzes a não ser por um vídeo que uma vez meteste na arrábida, mas sugeria-te que te preocupasses mais com a posição do corpo e suavidade na entrada, durante e saída.

Para mim estás errado. Mas há muitas maneiras de caçar patos.

(19-03-2019 às 12:31)pedromt07 Escreveu:  Mas como fazes neste caso? ou como fazes no geral?

Eu não travo nas curvas. Ou pelo menos travo menos que a generalidade da malta. Se tive de gastar (preciosa) gasolina para gerar movimento, para que é que o hei de desperdiçar?

(19-03-2019 às 12:31)pedromt07 Escreveu:  (nao percebi a tua ultima frase, " para a fazeres", ela quem? a travagem? lol )

À mota.


Responder
#54

(19-03-2019 às 12:11)vindaloo Escreveu:  
(19-03-2019 às 11:46)Nfilipe Escreveu:  O gajo ai do video corrigiu grande parte da trajectoria com o travao de tras! Que boss.

Quantas motas uma pessoa mandaria para a sucata ate dominar essa tecnica? lol

Não precisas de ir para circuito mandar uma assopradela a sair de curva a 130.

Podes brincar a essa mesma técnica a fazeres 8's num parque de estacionamento ao pé de ti!

Mas... as pastilhas são tão caras proud lol

Ainda ontem comentei que há aspectos bem mais importantes na condução e que são quase desprezados ao lado destas técnicas 'avançadas' como por exemplo o olhar e a posição na estrada.

Entrares e saíres da curva no sítio certo. Isso confere-te infinitamente mais segurança que entrares pendurado em travões curva adentro. Trail brakings ou amigos disso.

Se o fizeres bem, sem destabilizar a mota etc a maioria da malta simplesmente já não te acompanha.

Quando se fala nestas merdas fico sempre com a sensação que a malta quer ser piloto antes de aprender a andar de mota.

Nunca foi frequente para mim conduzir a mota no sentido mais desportivo, e talvez até nao seja difícil usar a técnica para salvar possíveis situações de perigo. Mas como disse nunca foi bem a minha cena, logo concordo completamente com a ultima afirmação, sempre me preocupei mais em tentar curvar como deve ser com a mota e raras foram as vezes que tentei mais do que aquilo que sabia. Sempre usei a mota mais para viajar do que tentar ser o melhor piloto lá do bairro sabendo o maior numero de técnicas possíveis! lol O que nao quer dizer que nao se possa e nao se deva aprender tudo o que for necessário e útil a ser um melhor condutor mas volta novamente a tua ultima afirmação, convém saber o básico e ser bom com esses conhecimentos básico antes de avançar.
Responder
#55

(19-03-2019 às 12:53)vindaloo Escreveu:  
(19-03-2019 às 12:31)pedromt07 Escreveu:  Não, mas é como me sinto confortável a conduzir a mota. Ou não devo conduzir como me sinto confortável?

Deves sempre conduzir como te sentes confortável. Mas entrar pendurado nos travões em todas as curvas, para mim é antitético do conforto em estrada.

Quanto menos travares, quanto mais segurares velocidade para dentro da curva usando o corpo sem reacções brucas e quanto mais suave acelerares nas saídas de curva, ao fim de 300km de curvas é sempre o que te vai maçar menos.


(19-03-2019 às 12:31)pedromt07 Escreveu:  Além que desde que comecei a fazer isto raspo menos os avisadores e sinto-me mais seguro, mas se tiver errado avisa. blink

O princípio do trail braking é fazeres a curva com a traseira levantada, mas o mais certo é apenas estares a perder velocidade na curva a parar muito a mota.

É apenas uma sugestão sem fazer a mínima ideia de como conduzes a não ser por um vídeo que uma vez meteste na arrábida, mas sugeria-te que te preocupasses mais com a posição do corpo e suavidade na entrada, durante e saída.

Para mim estás errado. Mas há muitas maneiras de caçar patos.

(19-03-2019 às 12:31)pedromt07 Escreveu:  Mas como fazes neste caso? ou como fazes no geral?

Eu não travo nas curvas. Ou pelo menos travo menos que a generalidade da malta. Se tive de gastar (preciosa) gasolina para gerar movimento, para que é que o hei de desperdiçar?

(19-03-2019 às 12:31)pedromt07 Escreveu:  (nao percebi a tua ultima frase, " para a fazeres", ela quem? a travagem? lol )

À mota.
Vindaloo eu nunca disse que "entro a travar" ou pendurado nos travões em todas as curvas. Aliás tudo o que dizes faz sentido para mim e é o que tento sempre aplicar em curvas. Suavidade e posição de corpo.
Apenas recorro ao travão traseiro em curva quando preciso, como qualquer um cometo erros ou whatever e tenho de recorrer ao traseiro em curva para corrigir trajectória. Ou isso é errado? A minha pergunta é como uma pessoa que conduz com o pés mais para trás faz isso numa curva à direita?
Na 07 sinceramente não me sinto confortável a conduzir com o meio do pé na peseira, raspo avisadores, e como o Dfelix até referiu, já me aconteceu várias vezes as botas. Com o pé atrás até me faz sentir mais confortável no meu joelho esquerdo (dores devido a queda de mota)
Responder
#56

(19-03-2019 às 13:05)pedromt07 Escreveu:  Vindaloo eu nunca disse que "entro a travar" ou pendurado nos travões em todas as curvas. Aliás tudo o que dizes faz sentido para mim e é o que tento sempre aplicar em curvas. Suavidade e posição de corpo.
Apenas recorro ao travão traseiro em curva quando preciso, como qualquer um cometo erros ou whatever e tenho de recorrer ao traseiro em curva para corrigir trajectória. Ou isso é errado? A minha pergunta é como uma pessoa que conduz com o pés mais para trás faz isso numa curva à direita?
Na 07 sinceramente não me sinto confortável a conduzir com o meio do pé na peseira, raspo avisadores, e como o Dfelix até referiu, já me aconteceu várias vezes as botas. Com o pé atrás até me faz sentir mais confortável no meu joelho esquerdo (dores devido a queda de mota)

O princípio mais básico de todos antes de entrarem os 'ings é que o travão de trás fecha a curva e o da frente abre.

Mas pronto, longe de mim querer ensinar alguém a conduzir...

Já tenho marcas no corpo suficientes para saber que nalguns momentos tudo falha. A teoria e a prática.

Talvez quem nunca foi ao chão te possa ensinar melhor como faz, pois a condução melhor de todas é a que evita cair.


Responder
#57

Saber para onde olhar a fazer uma curva é algo tão básico que quem ao fim de umas semanas a andar de mota não conseguir dominar esta "aparente" técnica nem devia conduzir uma mota. Até porque o simples facto de "olhar" para o sitio certo já é 80% do caminho para a posição corporal adequada vir "de arrasto". Saber para onde olhar, controlo do acelerador e saber traçar uma trajetória numa curva é tipo "o básico do Bê-à-bá" que quem começa a conduzir uma mota devia focar-se a 100% nas primeiras semanas, na minha opinião. Até porque para se corrigir uma trajetória é porque tipicamente essa trajetória não foi bem desenhada em primeira instância. Depois disso vêm os "ings" que a grande maioria de nós já o faz inconscientemente durante a condução.

Claro que como em tudo, há muito malta cuja curva de aprendizagem não existe e vê-se aí muitos com o joelho de fora, o rabo de fora, e depois a cabeça direitinha no mesmo sitio e o que mexe não é a cabeça mas os olhos. Eu tive a sorte de quando tirei a licença de 50 ter um instrutor que me ensinou a lição que considero mais importante quando se anda de mota: a mota vai para onde olhas. E foi das poucas coisas que ficou de lá até hoje.

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#58

(19-03-2019 às 13:23)vindaloo Escreveu:  ...
O princípio mais básico de todos antes de entrarem os 'ings é que o travão de trás fecha a curva e o da frente abre.
...

Boas;
E às vezes as coisas ficam mesmo com piada quando começas a inverter isso tudo!! devil
Responder
#59

(19-03-2019 às 13:30)dmanteigas Escreveu:  Saber para onde olhar a fazer uma curva é algo tão básico que quem ao fim de umas semanas a andar de mota não conseguir dominar esta "aparente" técnica nem devia conduzir uma mota. Até porque o simples facto de "olhar" para o sitio certo já é 80% do caminho para a posição corporal adequada vir "de arrasto". Saber para onde olhar, controlo do acelerador e saber traçar uma trajetória numa curva é tipo "o básico do Bê-à-bá" que quem começa a conduzir uma mota devia focar-se a 100% nas primeiras semanas, na minha opinião. Até porque para se corrigir uma trajetória é porque tipicamente essa trajetória não foi bem desenhada em primeira instância. Depois disso vêm os "ings" que a grande maioria de nós já o faz inconscientemente durante a condução.

Claro que como em tudo, há muito malta cuja curva de aprendizagem não existe e vê-se aí muitos com o joelho de fora, o rabo de fora, e depois a cabeça direitinha no mesmo sitio e o que mexe não é a cabeça mas os olhos. Eu tive a sorte de quando tirei a licença de 50 ter um instrutor que me ensinou a lição que considero mais importante quando se anda de mota: a mota vai para onde olhas. E foi das poucas coisas que ficou de lá até hoje.

Olhar e virar a cabeça é algo muito básico mas muito dificilmente vês isso em prática.
É preciso gostar muito disto e querer aprender, porque a maior parte da malta é gandula e não se mexe em cima da mota.
Responder
#60

(19-03-2019 às 20:54)Fz1000 Escreveu:  ...
Olhar e virar a cabeça é algo muito básico mas muito dificilmente vês isso em prática.
É preciso gostar muito disto e querer aprender, porque a maior parte da malta é gandula e não se mexe em cima da mota.

Boas;
É muito mais fácil comprar uma moto cheia de paneleirices electrónicas e se mesmo assim nunca conseguirem fazer nada de jeito inventar problemas nas motos.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)