Tracer 900 GT 2019, perguntas aos especialistas
#1

OK, já sinalizei a Tracer 900 GT 2019.

É cinza e encarnada. Acham que vale a pena o banco aquecido? Quando chove ou assim, pode ser uma boa ideia.

Se alguém souber de problemas conhecidos, peço que indiquem.


[Imagem: 2019-Yamaha-MT09TRGT-EU-Nimbus_Grey-Static-002-03.jpg]
Responder
#2

Banco aquecido numa Tracer? think

Olha que a gelatina não se costuma dar bem com o calor!!!

[Imagem: T63Ru4v.gif]

[Imagem: QKmafvp.png]
Responder
#3

(24-01-2019 às 18:52)carlos-kb Escreveu:  Banco aquecido numa Tracer? think

Olha que a gelatina não se costuma dar bem com o calor!!!

[Imagem: T63Ru4v.gif]


É agora que me informas disso? É esta a altura apropriada para me informar da instabilidade?

Andei MESES a perguntar e ninguém diz nada, primo o gatilho e aparece toda a gente?

Obrigadinho pela ajuda. nausea
Responder
#4

Não há qualquer indicio de gelatina neste modelo, mas há gente que gosta de inventar blink

O banco aquecido só faz falta para quem anda regularmente à chuva, acredito. Eu nunca senti falta de banco aquecido lol

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#5

Que te levou a esta regressão a nível qualitativo de mota?

Banco aquecido é uma paneleirice. O que dava por exemplo jeito nessa mota eram umas suspensões, por exemplo.

Eu começava já a poupar nesse género de extras, para equipar a mota como deve ser (hyperpro, ohlins..)

Ainda assim, por mais dinheiro que gastes nunca te vai resolver o problema.

O problema dessa mota é e sempre foi a geometria.

A MT09 é curta entre eixos, o que confere a ilusão de que anda muito. Dá agilidade à mota, e a frente torna-se leve. Depois a malta pensa que é o motor que é muito raivoso, mas na verdade até nem é grande coisa. Essa sensação é só uma consequência de um desiqulibrio muito pertinente de massas que acontece a essa mota sempre que não está parada.

Mas se a MT09 já é má, a coisa ainda piora muito quando lhe levantam a frente com curso de suspensão e lhe põem uns plásicos de lado e lhe chamam tracer. O que acontece é a frente da mota andar permanentemente com pouco apoio na frente e uma reacção completamente desenquadrada da suspensão frontal com a traseira. Ainda está a frente aos saltinhos, já a traseira fez o que tem a fazer (mal).

O que sucede é esse desiquilibrio ser induzido na traseira da mota e dá aquele efeito wobble que tanta gente se queixa. Que é a mota ganhar vida própria e ficar ao acaso o desfecho de uma queda ou não.

Se em alcatrão super fofinho e com montes de aderência este factor é diminuído e há relatos de malta a 225 e a fazer piretes, se fores a circular rápido e meteres a roda da frente num buraco ou ondulação de estrada (IC, IP por aí fora) a mota vai reagir perigosamente.

Ao contrário de uma kawasaki por exemplo a Z1000SX que também deriva de um conceito naked, o trabalho de adaptação foi muito bem feito. A mota quando trava carrega a frente sempre com estabilidade, quando se larga travão está sempre neutra e composta, e quando se acelera passa essa genica para trás. Este é o comportamento adequado de uma mota, e que a alguns dá a sensação de não ser raivosa mas na prática e na estrada acaba por ser sempre mais rápida (=kit de unhas) e sobretudo mais segura para o condutor e pendura.

Desejo-te boa sorte com o pudi...er.. mota! Vais precisar!


Responder
#6

Não vejo qualquer necessidade de ter um banco aquecido. Mesmo com chuva nunca senti que necessitava. Em países frios deverá ajudar, onde andarás normalmente não vejo utilidade.

A suspensão não é a melhor do mundo, mas provavelmente não sentirás grandes chatices. No pior dos casos substituis a suspensão e fica logo outra coisa.

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#7

(24-01-2019 às 19:28)vindaloo Escreveu:  Que te levou a esta regressão a nível qualitativo de mota?

Banco aquecido é uma paneleirice. O que dava por exemplo jeito nessa mota eram umas suspensões, por exemplo.

Eu começava já a poupar nesse género de extras, para equipar a mota como deve ser (hyperpro, ohlins..)

Ainda assim, por mais dinheiro que gastes nunca te vai resolver o problema.

O problema dessa mota é e sempre foi a geometria.

A MT09 é curta entre eixos, o que confere a ilusão de que anda muito. Dá agilidade à mota, e a frente torna-se leve. Depois a malta pensa que é o motor que é muito raivoso, mas na verdade até nem é grande coisa. Essa sensação é só uma consequência de um desiqulibrio muito pertinente de massas que acontece a essa mota sempre que não está parada.

Mas se a MT09 já é má, a coisa ainda piora muito quando lhe levantam a frente com curso de suspensão e lhe põem uns plásicos de lado e lhe chamam tracer. O que acontece é a frente da mota andar permanentemente com pouco apoio na frente e uma reacção completamente desenquadrada da suspensão frontal com a traseira. Ainda está a frente aos saltinhos, já a traseira fez o que tem a fazer (mal).

O que sucede é esse desiquilibrio ser induzido na traseira da mota e dá aquele efeito wobble que tanta gente se queixa. Que é a mota ganhar vida própria e ficar ao acaso o desfecho de uma queda ou não.

Se em alcatrão super fofinho e com montes de aderência este factor é diminuído e há relatos de malta a 225 e a fazer piretes, se fores a circular rápido e meteres a roda da frente num buraco ou ondulação de estrada (IC, IP por aí fora) a mota vai reagir perigosamente.

Ao contrário de uma kawasaki por exemplo a Z1000SX que também deriva de um conceito naked, o trabalho de adaptação foi muito bem feito. A mota quando trava carrega a frente sempre com estabilidade, quando se larga travão está sempre neutra e composta, e quando se acelera passa essa genica para trás. Este é o comportamento adequado de uma mota, e que a alguns dá a sensação de não ser raivosa mas na prática e na estrada acaba por ser sempre mais rápida (=kit de unhas) e sobretudo mais segura para o condutor e pendura.

Desejo-te boa sorte com o pudi...er.. mota! Vais precisar!


Obrigado pela explicação. Passei de 107 cavalos (79kW) para 114 cavalos. Mais 7 cavalos é uma 50cc da Aprilia em 1988.

A Z1000SX era de facto mais barata, porque era semi-nova.

Porém, confrontei-me com este panorama diferente do Português e fez-se um "click":

Z1000SX nova no Reino-Unido £9999:
https://www.kawasaki.co.uk/en/products/S...VhYUAteUFE

Tracer GT nova no Reino-Unido: £10849
https://www.yamaha-motor.eu/gb/en/produc...er-900-gt/
Responder
#8

Já agora, as distâncias entre-eixos das MT-09 e da Tracer GT não são iguais.
Responder
#9

Acho que na GT, já alteraram um pouco as suspensões.
Tem o braço traseiro mais comprido também para alterar o problema da transferência de massas.

Atenção não fiz nenhum teste drive ( estou a pensar fazer), isto é apenas o que tenho lido.
Responder
#10

A tracer 900 My2019+ seja a versão normal ou gt foi revista em relação ao modelo anterior na dimensão dos eixos.
As diferenças entre modelos normais e GT (MY2019)são os seguintes

https://www.yamahamotorsports.com/transc...comparison

É uma boa mota, cumpre com o necessário, e tem um preço bem atrativo.

[Imagem: 3a28d74fcda810d6526bb56e69702394.jpg]
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 2 Visitante(s)