TOPICO DAS QUEIXAS... Voltar a meter lá os "coutos"? NUNCA MAIS!!!
#1

Boas...

Há por aí um tópico acerca das oficinas, stands e locais de assistência, que cada um aconselha, fruto das boas experiências que vai tendo, no papel de cliente.

Mas então e as más experiências?

Todos nós já tivemos certamente locais aonde fomos mal atendidos, aonde o serviço pretendido não foi feito como o acordado, em que nos venderam "gato por lebre", que os valores cobrados foram descabidos ou disformes do orçamento pedido, que a reparação mais tarde deu problemas e o mecânico que a realizou desresponsabilizou-se, etc., etc....

Se a boa publicidade gratuita, enaltece os bons profissionais, também é relevante saber-se quem são os maus ou menos éticos profissionais, para que comparemos e evitemos que mais alguém, enquanto cliente, possa sair prejudicado, numa de repositório dos sítios a "evitar".

A ideia deste tópico, é pois, ser uma espécie de "portal da queixa" aqui para o fórum, aonde cada um de nós, enquanto lesado de alguma forma, diga de sua justiça, quem, aonde e de que forma foi lesado, fosse numa compra de uma moto, equipamento, reparação ou intervenção mecânica... e até poder haver quem contraponha essa ideia, por, nesse mesmo local, ter sido bem atendido ou terem prestado um serviço de qualidade.

Vamos lá.... colaborem no que possam!  thumbsup

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#2

Estou no decorrer de uma situação acerca de uma reparação que pedi a um acessório, numa muito conceituada loja/oficina da Grande Lisboa, em que as coisas desde inicio não estão a correr bem, seja pelo incumprimento dos prazos que me foram dados, seja pela forma depois como me apresentaram o item mal reparado e com anomalia, voltando para trás... e pelo andar da coisa, vai dar raia.

Terei possivelmente dentro de muito em breve, material para meter aqui. Aguardem cenas dos próximos capítulos...

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#3

Agora podias explicar um pouco mais... tong

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#4

Mas para ser justo se devia notificar o mau feitor da existência deste tópico.
Pretendo com isto dar a oportunidade de este defenda a sua imagem.
Nunca se sabe se isso nao ajuda a resolver o problema.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#5

(04-04-2016 às 17:56)michelfpinto Escreveu:  Agora podias explicar um pouco mais... tong

Falei do meu caso, unicamente como exemplo para o que se pretende com este tópico. Por agora explicá-la, é prematuro. A seu tempo, a coisa será relatada, mediante também como corra daqui para a frente.

(04-04-2016 às 17:58)LoneRider Escreveu:  Mas para ser justo se devia notificar o mau feitor da existência deste tópico.
Pretendo com isto dar a oportunidade de este defenda a sua imagem.
Nunca se sabe se isso nao ajuda a resolver o problema.

Completamente de acordo! Todos têm direito à sua defesa. thumbsup

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#6

Beiramoto Castelo Branco.

Oleo recomendado para Honda Vision 110 de 2012 » 10w30 MB

Oleos colocados pelos concessionario » Oleo Honda 10w30 MA e RP MOTO 10w40 sintectico bidon 208L


Mas isto que me fizeram, fazem a nivel nacional.

1ª mota: Bandit 600 1996
2ª mota: Honda Cbr 600 F 1996
3ª Mota: HONDA VISION 110 2012
4ª Mota: YAMAHA FZX 750 1995
5º Mota actual: Honda Transalp 650 2001
Responder
#7

Não percebi muito bem... mas se calhar esse óleo ou já não há, ou mudaram os contractos com os fornecedores, e não tem mal vir dum bidon de 208L...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#8

Motoqueiroz em Valongo, fui roubado.

Quando ainda tinha a YZF1000r a Thunderace levei lá para ver se era possível reparar os consumos elevados de óleo, desde o tempo que tive lá a mota (que não teve nada a ver com o estimado) até ao valor de 229 eur que levou para colocar um aditivo de Teflon que não foi pedido e por ter riscado o tanque de combustível (onde deu uma pincelada com uma tinta nada parecida e depois disse que não foi ele).

NEVER AGAIN, mas tb não devo ser o único, aquilo agora tá sempre às moscas.
Responder
#9

Bem... Até ver tenho 3 concessionários riscados do mapa.

1.º Antero (Carvalhos):

-Quando comprei a Thundercat, supostamente a mota nunca tinha tido quedas, mais para a frente descobriu-se que a mota tinha uma amassadela no quadro... deve ter sido um espirro.

- No dia em que entregaram a mota em casa, ela começa a deitar líquido no chão, era um tubo que não apertaram em condições e estava a deitar refrigerante para o chão.

- Quando andei com a mota as primeiras vezes e travava, principalmente acima dos 80 km/h, a mota abanava por todo o lado... fui lá e disseram que montaram os calços ao contrário, daí aquilo acontecer.

- Fui com a minha namorada comprar umas joelheiras para ela, falei dumas Dainese iguais às minhas, a vendedora disse que não tinha, que o meu tipo de joelheiras era só para usar dentro de um bolso específico nas calças... eu insisti porque sei aquilo que tenho e a muito custo a senhora lá foi, a muito custo, buscar as joelheiras iguais.

- Quando comprei o meu 1.º capacete, ao fim de 1.000 km, nem isso e menos de um mês a viseira saltou do encaixe em andamento, fui lá reclamar e disseram que "a viseira não está coberta pela garantia", ora... como não sou burro, insisti tanto que a certa altura eles disseram "mandámos o capacete para a fábrica, mas se eles não aceitarem o arranjo, você tem de pagar", eu disse que não se preocupassem que isso não ia acontecer. E não aconteceu, demorou quase 3 meses, mas a Dainese trocou a viseira e outras partes do capacete sem cobrar nada. Neste tempo, ainda tive de comprar outro capacete lá para me desenrascar.

2.º Moto Espinha (Guimarães):

- A minha mulher (na altura namorada), tinha comprado uma SYM XS125-K a um colega das duas rodas, entretanto chegou a altura da revisão e fomos à Moto Espinha, que era o local representante da SYM mais próximo. Como a panela estava a fazer um barulho, como se tivesse algo solto lá dentro, falámos sobre isso ao concessionário... porque não podiam dar garantia eles, porque a mota não era de lá, porque não existe registo da mota a nível nacional... liguei ao stand onde a mota tinha sido comprada e eles disseram "isso é má vontade, porque podem sim pedir a peça e colocar ao abrigo da garantia, uma vez que basta ligarem para a SYM e eles confirmam tudo". Lá insisti e eles lá trocaram a panela e fizeram a revisão.

- Não demorou muito tempo, aliás... só demorou uns km e quando chegamos a casa, a mota estava a pingar gasolina. Durante a revisão, "tocaram" na zona da torneira e estalaram o depósito naquele local. Bem, eu já fervia e então fui à Moto Fundador (que sempre foram impecáveis comigo) e eles disseram para tentar que eles resolvessem, caso contrário para levar a mota que eles por pouco dinheiro resolviam... mas que era uma pena porque a mota era nova e tinha garantia. Lá fui ter com os gajos, custou, demorou, conversa para aqui e para lá, mais um mês à espera do depósito e lá trocaram o dito cujo.

3.º Mototur (Gaia): SEGUREM-SE QUE ESTE É LONGO!!! E ide buscar as pipocas...

- Depois de mais de 2 (dois) anos de jogo do empurra, vi todas as questões menos uma resolvida (mas que o concessionário disse que iria fazer de tudo para resolver com o mínimo de transtorno)!!

Acho que não se encontra tudo aqui, mas como resumo da reclamação apresentada à Mediação de Conflitos quando isto tudo começou ainda em 2011:

- Quando me entregaram a mota, chego a casa e o vidro estava solto quase ao ponto de cair.

- Após o primeiro banho, a mota meteu humidade... água dentro do farolim traseiro e ficou com uma boa camada lá dentro, esperei um mês pelo farolim de substituição.

- Foram detectados vários problemas no motociclo, sendo o mesmo enviado para reparação ao abrigo da garantia, no concessionário Mototur onde foi comprado.

- Alguns problemas não foram resolvidos, originando a reparação defeituosa e instalação incorrecta de um painel;

O motociclo em questão já foi alvo de vários problemas, nomeadamente:
- Poisa-pés do passageiro de trás, o suporte encontra-se a descascar, na oficina diziam que "é mesmo assim" e que não fariam nada para reparar a situação;
- Motociclo desligou-se várias vezes em andamento, apesar de ter ido para verificar qual o problema, a oficina dizia-se incapaz de o encontrar e o vendedor dizia que não é uma situação preocupante, porque apenas acontecia esporadicamente. Se bem que eu com o passageiro atrás estive para cair, o vendedor ainda utilizou tom de gozo relativa a esta situação;
- Existência de um barulho metálico que se revela logo após os 110km/h e numa faixa de velocidade muito específica, pois o mesmo desaparece aumentando mais a velocidade. A oficina já desmontou o motociclo várias vezes (tendo ficando com uma parte da carenagem mal encaixada e sob pressão), apesar de não encontrarem a origem dizem que o mesmo não interfere com a segurança mas reconhecem que só o meu motociclo possui este problema e foi comprovado pelo mecânico. Desloquei-me a uma outra oficina, para colher opiniões, asseguraram-me que ninguém pode garantir que um barulho não interfere com a segurança, uma vez que não se sabe a origem do problema.

De todas as vezes que deixei a viatura na oficina, uma das vezes a paragem durou mais de três semanas, não me sendo resolvido o problema do motociclo de desligar em andamento e o do barulho (facto que foi relatado pouco tempo após a compra do motociclo), o tempo que estive sem o veículo para a resolução dos problemas totalizou bem mais de 1 mês.

As soluções apresentadas pela oficina foram:
- Deixar o motociclo para reparação, "o tempo que for preciso".

- Trocar por outro motociclo, mas neste caso, eles fariam a retoma da viatura pelo preço comercial actual (com a desvalorização que já teve) e para obter um motociclo igual ao que tinha eu teria de pagar a diferença. O motociclo vali naquele momento menos de 8.000€ e o motociclo novo custaria perto de 11.000€. Um vez que a oficina diz que é impossível efectuarem a troca de uma viatura com defeito por uma nova, até porque o motociclo já possui 21.000 km (apesar da situação ter sido reportada 3 meses após a compra e o motociclo ter muitos menos km).

Farto de estar a comunicar com um concessionário incompetente, entrei em contacto directo com a Honda Portugal, o suposto engenheiro disse que tinha plena confiança no concessionário Mototur e nem sequer se dignou a vir ver a mota.

Como a situação não tinha fim, decidi recorrer à Mediação de Conflitos, em que a Mototur ficou muito surpreendida com a minha atitude, por ter recorrido a tal método e continuaram sem nada fazer, apenas andava num jogo de empurrar para um lado e outro de comunicações com a Honda Portugal a descartar responsabilidades, bem como a Mototur também a fazer o mesmo.

Quando por alturas de uma revisão me desloquei à MotoTrofa, os mesmos sem eu nada dizer colocaram a questão se a mota não se desligaria em andamento, eu disse que sim e disseram logo qual era o problema, defeito nos cachimbos, questionei como sabiam e eles disseram que era um problema normal nas Deauville e motas com o motor do mesmo género que a Honda Portugal teria enviado uma circular a informar toda esta situação para todos os concessionários.

Fiquei pior que estragado, cheguei a casa e enviei nova comunicação à Mediação de Conflitos, a qual comunicou com a Honda Portugal e a mesma disse para escolher um concessionário para que todas as reparações fossem efectuadas mesmo fora da garantia (que mais não era que a obrigação deles, pois o problema foi relatado antes de terminar a garantia).

Fui à MotoTrofa e prontamente resolveram todos os problemas, apenas não deram com o barulho mas que desconfiam da sua origem, uma vez que pelos vistos várias Deauville apresentaram o mesmo sintoma. A Honda Portugal não deu autorização para reparação das peseiras da pendura, mas a MotoTrofa à sua custa deu um toque nas mesmas para que tal fosse disfarçado.

No final de tudo, como tinha relatado à Mediação de Conflitos e o tempo para andar com o processo nestes termos estava perto do fim, comunicaram comigo para seguir a via do tribunal arbitral para a resolução do caso, desloquei-me à MotoTrofa novamente, a fim de obter orçamento para reparação dos problemas (pois a entrada em tribunal teria de ser atribuído um valor à causa), disse-lhes as razões e não foi preciso recorrer a tribunal arbitral, porque esta gente simpática prontificou-se a resolver a situação.

"V"
Responder
#10

Eia.. eu felizmente não tenho assim tantas histórias. Tenho minhoquices pontuais, mas considero-me genericamente sortudo por nunca ter passado por problemas a sério.

A última:

Antes de uma volteca, fiz uma revisão à mota no dia antes porque já estava na altura. Levantei a mota, tudo impecável e tal... lá me fiz à estrada.

Os bravos companheiros da volta na primeira paragem estavam admiradíssimos comigo e por eu travar tão pouco nas curvas! angel 

Eu: 'claro, suavidade e tal, muito bravo, sou muita bom e tal...'

Continuou-se a viagem.

Passado um bocado com companheiros: 'epa ó Diogo deves ter mesmo metido umas abaixo porque naquele gancho lá atrás abrandaste mesmo e nada de stop's!'

Eu: 'claro... travão motor, sou muita bom e tal...'

Na 3ª paragem: 'ó Diogo... olha que deve estar mesmo qualquer coisa mal com a tua mota porque paraste num semáforo e nada de stop's!'

Olhei para a mota... o sensor do travão de trás estava desencaixado.

Esta história não foi 100% assim, mas não é tudo mentira... shy  shy

Pronto.. daquelas coisitas desagradáveis quanto se sai com a mota da oficina! Mas não o suficiente para me fazer queixar a sério!


Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)