Tópico das perguntas básicas
#31

(22-07-2015 às 16:26)carlos-kb Escreveu:  
(22-07-2015 às 15:43)LoneRider Escreveu:  
(22-07-2015 às 15:18)carlos-kb Escreveu:  A bandalheira que já houve é porque há quem teime em querer mostrar que é "menino irreverente". Há locais e tempo para tudo. Só depende de cada um. Não será preciso andar aqui a dizer para se portarem como "homenzinhos".

Auch!!!
Essa doeu!

Quando por fim faço uma pergunta objectiva chamam-me irreverente!?

A carapuça só a enfia quem quiser!  blink

(22-07-2015 às 15:43)LoneRider Escreveu:  Já agora....
Não respondeste à minha pergunta.

Claro que respondi.... pode é ter sido uma resposta nos mesmos moldes da pergunta, e quando se prova do "próprio veneno", por vezes não se aprecia!  proud  blink

Eu adoro o meu veneno!
E adoro quando se picam comigo!
E gosto de reconhecer que às vezes conseguem estar à altura ( como foi o caso)
Mas continuas sem reponder há minha pergunta.




No que refere aí ao pessoal se devemos baixar duas ou só uma mudança de cada vez o que vou dizer é uma barbaridade mas faz-se sem consequencias mecanicas.
Eu às vezes meto duas e tres cavacas abaixo de acentada. Porquê?
Sei que quando largar a embraigem não vou partir o motor.
Só é perigoso se fores gerar uma variação de rotação tão grande que se corra o risco de um piston calçar uma válvula. Coisa que só (eventualmente) acontece em regimes vermelhos! Comvem tambem ter em cobta o efeito travão motor que te pode bloquear a roda mas fora isso não há problema nenhum!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#32

(22-07-2015 às 16:26)carlos-kb Escreveu:  
(22-07-2015 às 15:43)LoneRider Escreveu:  
(22-07-2015 às 15:18)carlos-kb Escreveu:  A bandalheira que já houve é porque há quem teime em querer mostrar que é "menino irreverente". Há locais e tempo para tudo. Só depende de cada um. Não será preciso andar aqui a dizer para se portarem como "homenzinhos".

Auch!!!
Essa doeu!

Quando por fim faço uma pergunta objectiva chamam-me irreverente!?

A carapuça só a enfia quem quiser!  blink

(22-07-2015 às 15:43)LoneRider Escreveu:  Já agora....
Não respondeste à minha pergunta.

Claro que respondi.... pode é ter sido uma resposta nos mesmos moldes da pergunta, e quando se prova do "próprio veneno", por vezes não se aprecia!  proud  blink

Afinal também és irreverente...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#33

(22-07-2015 às 15:18)carlos-kb Escreveu:  
(22-07-2015 às 14:34)Cloud Escreveu:  Este tópico parece-me que vai acabar mais abandalhado, cheio de boa informação, mas à toa e espalhada. Pessoalmente prefiro ter 20 gavetas com uma coisa específica em cada, do que 1 gaveta com tudo ao monte, mas por mim tudo bem.

A bandalheira que já houve é porque há quem teime em querer mostrar que é "menino irreverente". Há locais e tempo para tudo. Só depende de cada um. Não será preciso andar aqui a dizer para se portarem como "homenzinhos".

O objectivo do tópico parece-me sensato e inequívoco.... perguntar tudo o que se queira saber, de um modo informal. Porque muita dessa informação mais básica que se vai falando, acaba por ser perder, não nas tais 20 gavetas, mas desorganizando-se num enorme armário cheio de gavetas, portinholas, prateleiras, caixinhas, sub caixinhas, etc., acabando também numa enorme confusão....  já dei por mim a tentar encontrar certos assuntos falados, que depois venho a descobrir (quando os descubro), que estão embebidos num tópico cujo tema é completamente diferente e que nada tem que ver.

Acabas por me dar razão, o único motivo porque não se encontra alguma coisa é ela estar no tópico errado. Se se cria um tópico com tudo e mais alguma coisa, não está mais organizado por estar no mesmo tópico. Aqui já se falou de pneus, embraiagens, travões, derrapagens, etc. Quando um novato não souber que pneus comprar, vai ali à secção de pneus e cria um tópico a perguntar, se já não houver nenhum que lhe responda. Mas é como digo, para 'conversa' é bom, não serve é para depositório de informação.

(22-07-2015 às 17:29)dfelix Escreveu:  
(22-07-2015 às 14:34)Cloud Escreveu:  Este tópico parece-me que vai acabar mais abandalhado, cheio de boa informação, mas à toa e espalhada.

Sim. O ideal é a criar uma secção de FAQ's e enriquece-la com o que se vai aqui colocando.
E trancar.

Sou da mesma opinião.
Responder
#34

Vamos lá responder a perguntas. Pode ser que precise também da vossa ajuda mais tarde.

(22-07-2015 às 12:36)Karlytus Escreveu:  he he ora vou fazer então uma pergunta: calculo que os pneus n sejam todos iguais (uns parecem-me ser mais redondos..) tinha uma GSX-650f com R17-160 e apesar de me deitar (pensava eu.. lol pelo menos não tinha "chicken-strips".. lol) pra caraças e de ir ao limite do pneu (traseiro.. lol) nunca consegui raspar com as peseiras.. nesta, na "X" já raspei dos dois lados e ainda n cheguei ao limite dos pneus.. uns R17-180.. não deveriam ser todas como esta? ou seja, 1º avisar..?? E como saber até onde posso ir? Sem cair obviamente..!!! tong
Dois pneus com as mesmas medidas podem permitir inclinações diferente devido à sua geometria? Bom.. acabaram por ser 2 perguntas..
Essa questão tem vários aspectos.
Por exemplo, o facto de raspares com as peseiras na "X" pode querer dizer que estas estão mais baixas que na GSX-F e que tocam no chão com menos inclinação.
Outro aspecto é que um pneu 180, como têm mais área de contacto em curva, pode aguentar ângulos de inclinação maiores sem usar o pneu todo.
Por fim, temos os perfis de pneus. Na minha experiência, encontreis 3 tipos: redondos, em V (Michelin Pilot Power) e em U (os actuais Dunlop Sportsmart 2).
Nos redondos, a transição de inclinar de um lado para o outro, tipo curvas em S, é suave. No entanto, têm menos pneu para inclinar e consegues "limpar" as bordas sem grande esforço. Além disso, o meio vai-se num ápice.
Nos em V, sentes que são estáveis em curva, especialmente quando ajudados com o reposicionamento do corpo, mas a transição é mais brusca. O meio já se aguenta melhor.
Pneus em U, são muito orientados para track-days. Têm uma borda enorme que ajuda imenso a manter a mota inclinada. No entanto, usar essa borda torna-se complicado a não ser na pista pois é necessário um andamento bem alto para aproveitar o formato do pneu.


NEXT!


(22-07-2015 às 13:50)pedromt07 Escreveu:  já agora faço uma pergunta, vocês quando vão para parar e vão por exemplo em 4º, como fazem? apertam a embraiagem, e reduzem tudo enquanto travam sem nunca largar a embraiagem, ou reduzem para 3º largam a embraiagem, voltam a apertar, reduzem para 2º, e por ai fora? isto numa situação de travagem normal, nada de situação de emergência. sempre fiz da segunda maneira porque me parecia que a mota está mais agarrada ao chão, e porque gosto do sentimento do motor a travar, mas o que vocês acham  smile
No meu caso depende muito da velocidade a que quero abrandar. Andar em 4ª, mesmo a baixas, ainda são algo como 60km/h. Se for apenas para abrandar, passo por todas as mudanças. Se for uma travagem mais forte, salto para 2ª e faço um Blip-Throttle só pró caso. Em travagens de emergência, não uso a embraiagem a não ser que já esteja bem quase parado.

Já agora, não custa muito treinar o Blip-Throttle. Nessas paragem de rotina (stops, semáforos e afins) vão praticando a técnica. Não é preciso dar uma gazada quando se reduz, só um cheirinho.


NEXT!

(22-07-2015 às 14:57)Johnny_1056 Escreveu:  Quanto a uma das questões que mais me intriga; gostava de saber porque é que agora se considera uma 600cm³, uma boa moto de aprendizagem e iniciação. No meu tempo começava-se pelas cinquentinhas e ia-se progredindo... confused
Eu vejo isto em 2 partes. As 50 já começam a ser raras e começar numa 125cc já tens que tirar uma carta de condução.
Segundo, as 600cc de hoje em dia são mais "calmas" e leves que as antigas 600cc. Uma XJ600 actual é bem mais leve que uma XJ600 antiga, não é tão brusca, tem travões melhores e chegam a ter ajudas electrónicas como ABS.
Aliás, se tivermos em consideração o mercado de hoje em dia, temos motas de 750cc (NCX 750) que se recomendam a recém-encartados pela sua facilidade de condução.


NEXT!

(22-07-2015 às 14:59)MrOverclock Escreveu:  [NOTA: antes de mais, ainda estou a tirar a carta cat A]
Agora deixo eu uma pergunta.
Há uma coisa que me está a fazer confusão e que não vou ter oportunidade de aprender ou experimentar nas aulas. Então é o seguinte:
Imaginando que se pretende estacionar uma mota com descanso lateral numa subida/descida com alguma inclinação, qual a melhor maneira de o fazer, qual a melhor posição em relação à subida?
Já me lembrei que se pode deixar com o descanso para o lado da subida, mas em alguns casos a mota pode ficar na vertical ou quase a cair para o outro lado... já pensei em deixar com o descanso para a descida, mas depois não fica muito peso no descanso? E se deixar com a roda da frente a apontar para a subida? não há o perigo de ela começar a andar para trás? Não me digam que o melhor é procurar outro sitio para estacionar? lol

Essa pergunta não estava no código? Eu lembro-me de ter estudado isso. Ou se calhar estou a confundir com outra coisa.
A resposta é que o lado do descanso fica virado para a descida, de forma a que o centro de gravidade (COG) fique entre a mota e o descanso e não entre a mota e a estrada se estacionares com o descanso virado para a subida.

Se souberes um pouco de física, ao teres o COG entre a mota e o descanso faz com que seja muito mais difícil de tombar a mota.
E não te preocupes com o peso sobre o descanso. Pessoas habilidosas conseguem virar uma moto no local usando apenas o descanso. Como este gajo.

O que tens que ter cuidado é estacionar o mais paralelo possível à subida. Deixar a mota virada para a descida pode fazer que o peso dela force o descanso a recolher.
Também é boa ideia ter a mota engrenada para não deixar a mota rodar livremente, não vá o diabo tecer-las.
Responder
#35

(22-07-2015 às 20:58)tkm_[pt] Escreveu:  ...
(22-07-2015 às 14:57)Johnny_1056 Escreveu:  Quanto a uma das questões que mais me intriga; gostava de saber porque é que agora se considera uma 600cm³, uma boa moto de aprendizagem e iniciação. No meu tempo começava-se pelas cinquentinhas e ia-se progredindo... confused
Eu vejo isto em 2 partes. As 50 já começam a ser raras e começar numa 125cc já tens que tirar uma carta de condução.
Segundo, as 600cc de hoje em dia são mais "calmas" e leves que as antigas 600cc. Uma XJ600 actual é bem mais leve que uma XJ600 antiga, não é tão brusca, tem travões melhores e chegam a ter ajudas electrónicas como ABS.
Aliás, se tivermos em consideração o mercado de hoje em dia, temos motas de 750cc (NCX 750) que se recomendam a recém-encartados pela sua facilidade de condução.
...

Boas;
As cinquentinhas desapareceram, mas continuam a existir 125 com comportamento e performances similares. Precisam de Carta de Condução? Precisam, mas as 600 também.
As motos modernas estão mais evoluídas? Sem dúvida, mas continuam a ser motos e continua a ser necessário um ciclo de aprendizagem. Por essa ordem de ideias mais valia comprar logo uma 1000 superdesportiva porque são o cúmulo da tecnologia e só andam aquilo que se quer.
Por isso é que cada vez se vê mais gente com motos grandes sem saber o que lhes fazer.
Responder
#36

a que fazer uso, de que vale ter 200cv para ir ao café da esquina, para tal até um dax125 chega tong

Load ""
Responder
#37

(23-07-2015 às 09:35)7pires Escreveu:  a que fazer uso, de que vale ter 200cv para ir ao café da esquina, para tal até um dax125 chega tong

para quê ter um carro de 100cv para ir ao supermercado... se podias ter um Fiat Panda com 40cv que faz a mesma coisa... ou melhor nem precisas de carro... podes ir a pé que te faz bem ao coração, de bicicleta para exercitares a cardíaca, ou até ao pé coxinho... e para que é que queres dar uma queca com uma gaja se podes usar a mão... até se chega lá... mas não é a mesma coisa...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#38

(23-07-2015 às 10:27)nelsonajm Escreveu:  
(23-07-2015 às 09:35)7pires Escreveu:  a que fazer uso, de que vale ter 200cv para ir ao café da esquina, para tal até um dax125 chega tong

para quê ter um carro de 100cv para ir ao supermercado... se podias ter um Fiat Panda com 40cv que faz a mesma coisa... ou melhor nem precisas de carro... podes ir a pé que te faz bem ao coração, de bicicleta para exercitares a cardíaca, ou até ao pé coxinho... e para que é que queres dar uma queca com uma gaja se podes usar a mão... até se chega lá... mas não é a mesma coisa...

lol lol lol lol concordo
Responder
#39

A razão principal para hoje em dia se comprar 600 para primeira moto é muito simples. Dinheiro. Se uma 125 requer carta, então mais vale tirar logo a carta toda, e comprar uma moto já em condições. Antigamente fazia-se o percurso todo porque não havia problema em ir perdendo dinheiro ao longo do caminho, entre vendas e revendas. Hoje em dia há muito menos pessoas que se podem dar a esse luxo, então se se quer uma moto boa, compra-se já a moto que se quer. Há mais risco? Há, mas também há mais uns trocos no bolso. É esta a mentalidade de hoje em dia e não vai voltar ao que era antes.

Aliás, eu até concordo mais com esta filosofia. Significa que finalmente as pessoas estão a fazer contas à vida. O consumismo que se assistiu até ao colapso da economia foi precisamente o que levou a esse colapso.
Responder
#40

Boas;
Discordo; não se trata de perder ou não dinheiro, não é uma questão economicista. Trata-se duma questão de cagança, achar que é tudo igual e que tudo se conduz da mesma maneira com a mesma dificuldade.
Por isso se vê tanta gente com motos grandes sem saber o que lhes fazer.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 2 Visitante(s)