Test Drive Yamaha XSR700
#1

Ora bem, este sábado foi a apresentação a nível nacional da Yamaha XSR700.

É a primeira versão retrosexual da submarca FasterSons, baseada na Yamaha MT-07, e submarca essa que também já deu origem à recém apresentada XSR900.

Cheguei ao stand de manhã e a moto já lá estava na rua. E na versão com o depósito cinzento, em metal (alumínio?, não sei, deve ser, mas tem pinta.).

[Imagem: wVV4UPn.jpg]

O fulano do stand estava lá dentro com um cliente, o que me permitiu ter algum tempo estar na rua a ver a moto toda ao pormenor.
E a primeira coisa que salta à vista é precisamente os detalhes... o banco, o farolim traseiro, o painel de instrumentos, as inscrições no depósito e o próprio depósito, os mostradores...vê-se que a Yamaha quis fazer a coisa como deve ser...

[Imagem: 0aiVjDm.jpg]

[Imagem: PazJd33.jpg]

[Imagem: FrhfcwU.jpg]

[Imagem: Jkbc0ox.jpg]

Depois estive um bom bocado a falar com o Vendedor. Pessoa simpática e interessada.
Entretanto ele perguntou-me se eu queria ir dar uma voltinha. Eu disse que se ele me convidasse para tal, eu não ia recusar. E assim foi. Termo de responsabilidade assinado, e siga para a moto.

Antes de passar para o que senti com a moto, devo dizer que acho que estou demasiado habituado à minha Fz6, e também devo estar viciado no meu escape.
Também não tenho muita experiência. Tenho carta à pouco tempo e os únicos termos de comparação que tenho é uma FZ6, uma CBF500, a XJ600 da escola de condução e uma WR450 ( lol ).
Desta forma, acabo por, sem minha intenção, estar sempre a comprar a XSR700 com a minha FZ6 pois é a moto com que ando praticamente todos os dias, vai para perto de um ano.
Dito isto...

Teste drive:

Sento-me na moto e a moto parece-me alta. Tenho um 1,77 e fico a tocar com a ponta dos pés no chão. O guiador é alto, mas nada de exagerado. Tudo está onde deve estar. Nada de invenções com os botões. Punhos também com um tamanha normal. Tudo como se quer.
Ligo o motor e saí um sozinho porreirinho, low profile mas com uma boa nota. Um pouco mais sintético do que estou habituado, era algo mais "zzzrrrzz!" do que o típico "brrr!" metálico.

A embraiagem era suave mas nada artificial (pensei que fosse sentir uma maior diferença neste aspectos). Continuamos a ter um bom feeling mecânico e não uma maçaneta de uma porta. Continuamos a saber que está ali um cabo a operar a coisa.

Meto a primeira de nada de estrondo ou soluço para a frente (Novidade para mim lol).
Acelero, largo a embraiagem, vou arrancar e... já está?! Super suave! Quase que nem dei pelo motor! Dou uma volta ao estacionamento para sentir a agilidade da coisa, e sem stress, fácil. Notei logo que, apesar de ficar com os pés mais na horizontal que na minha FZ6, o travão de trás está mais abaixo, o que me obriga a articular muito mais o pé para usar o travão de trás e controlar a moto àquelas velocidades muito baixas (ou fazer um slide  cool ).

Chego à estrada, páro, passa um carro, e lá vou eu! Pergunto-me logo pelo motor novamente. Não oiço! Não sinto nada!  lol
Estranho também a posição de condução. Vou direito, e alto, e o banco tem uma forma que parece que me empurra para a frente (falta de uso, poderá ser).
Noto que o peso da moto se sente mais alto que a minha. A geometria da suspensão deve ser também diferente da minha, que com uma distância de eixos maior, faz com que a mota tenha uma postura nas mudanças de direcção diferente da minha. Menos ágil, mais preguiçosa.

Entro numa espécie de via rápida e começo a puxar pelo motor. O motor é claramente menos rotativo que o meu (2cil vs 4cil) mas a caixa de velocidade é mais longa. Puxo por ele e não senti grande coisa. Vai ganhando velocidade, muito progressivamente, tudo pacífico, nada de mudanças de carácter, nada de explosões de velocidade ou de devorar rotações. O som também não se dá muito por ele. Está lá, principalmente quando começa a chegar a rotação mais altas, mas soube-me a pouco.

Vibração, sente-se muito pouco. A moto é confortável. E vamos em cima da moto, mas não integrados na moto.
Comecei-me a rir a meio da viagem porque, enquanto estava a pensar em tudo aquilo que estava a sentir e a comparar face ao que normalmente sinto, veio-me a imagem de estar sentado num daqueles Cadilac´s antigos, com capot muito longo, volante grande leve e sem grande feeling e que obriga a muitas voltas, bancos corridos... epá, juro que pensei nisso.lol

Quanto às curvas, não deu muito para explorar, mas ainda deu para sentir uma coisinha ou duas. A moto numa primeira fase, até se inclina bem mas depois, quando queremos chegar mais perto do chão, parece que é algo que já não é muito natural. Ela deita-se, mas temos que o forçar, pelo menos mais do que eu estou habituado. (Devo estar mal habituado, admito)

Mas não foi por isso que não cheguei ao stand de sorriso na cara.

O vendedor pergunta-me o que achei sinceramente. Eu respondi. Em termos de condução, foi diferente do que eu estava à espera.
Até lhe disse que, se estivesse comprador, apesar de gostar muito do look da XSR700, o mais certo era comprar a MT-07. Pois apesar de elas serem teoricamente iguais (e fui-me de seguida sentar na MT-07 para comprar isto) a MT-07 tem um banco mais baixo em que estamos mais dentro da moto, o guiador é mais baixo e com uma posição mais deportiva e aposto que em termos de condução iria muito mais satisfazer aquilo que procuro agora do que a XSR. (Mas repito que nunca experimentei nenhuma)


Resumindo, minha avaliação:

Prós:
-Look da moto;
-Detalhes;
-Qualidade dos materiais usados;
-Consumos (teoricamente);
-Conforto.

Contras:
-Motor (confesso que estava à espera de algo com mais carácter);
-Posição de condução (pelo menos para mim);
-Sportiness da coisa.

[Imagem: 7lYgm92.jpg]

[Imagem: TDGhZwS.jpg]


A moto vem com ABS de série e custa 7400 e tal euros. Acho que sem documentos.



Deixem-me dizer que não devem confiar muito na minha opinião, pois acho que ainda não tenho ainda bases suficientes para fazer uma comparação justa a este modelo. Tenho pouca experiências e em poucas motos.

Tenho é que experimentar a MT-09 e/ou a XSR900.  cool
Responder
#2

Muito interessante!

A primeira conclusão a tirar, só de olhar para ela, é a de que o gosto pelas cafe racers e scramblers que se faz sentir um pouco por toda a parte "obriga" as marcas a apresentar na sua gama motas com este ar "retro". E bem, digo eu, porque nas diferentes interpretações de um estilo mais antigo surgem estéticas mais originais do que a estética predominante nos modelos mais modernos.

Honda CX 400 '83 Eurosport
Responder
#3

Também fui a um stand da Yamaha com ganas de experimentá-la, mas à hora tardia a que cheguei já não havia disponibilidade para levá-la a passear.

Deu no entanto para vê-la ao vivo e sentar-me nela. Os pormenores estéticos estão muito bem conseguidos, se bem que a conjugação deles todos não vai agradar a gregos e troianos. Eu gostei. O radiador destoa, mas nada que uma pintura do mesmo não resolva.
Estava algo curioso em relação à altura do assento, mas do alto dos meus 167 cm consigo chegar relativamente bem ao chão, pelo menos tão bem como na Tuono. O guiador é mais largo do que estou habituado.

Fica a faltar a voltinha para tirar as teimas.

[Imagem: wsv79s.jpg]vroom !
Responder
#4

Parece me que vai ser um daqueles casos que toda a gente gosta mas ninguém compra  confused
Responder
#5

(07-12-2015 às 12:50)MagJet Escreveu:  A primeira conclusão a tirar, só de olhar para ela, é a de que o gosto pelas cafe racers e scramblers que se faz sentir um pouco por toda a parte "obriga" as marcas a apresentar na sua gama motas com este ar "retro". E bem, digo eu, porque nas diferentes interpretações de um estilo mais antigo surgem estéticas mais originais do que a estética predominante nos modelos mais modernos.

Sem dúvida.


E muita gente é algo aversa a esta nova onda de modelos, mas eu acho que o mercado e o consumidor só tem ganha com isto.
Responder
#6

Apagar
Responder
#7

Boas;
Para o teste valer alguma coisa pelo menos que fosse alguém que perceba o mínimo do que está a falar...
Até mete impressão. dead
Responder
#8

"Tem um disparo fenomenal"; "Isto realmente é um canhão" - Permitam-me discordar. lol


Já agora, eu não senti nada de anormal a meter mudanças. Tudo normal. Mais leve e suave que a minha Fz6. Poderia ter algum problema essa do DesiRide.

Ali aos 21:42, ele vai ver como a moto puxa em 6ª às 2000rpm (a 50 hora) e ele queixa-se que a moto está a fazer alguma barulho estranho, que algo não está bem, mas eu acho que aquilo era simplesmente o motor a morrer.
Já ia com as "valvulas a bater", como se diz. lol



Independentemente disto, é de saudar quem se dá ao trabalho de fazer estes vídeos expondo-se e expressando a sua opinião, procurando ajudar os outros, e ainda sujeitando-se a criticas alheias. Fazem falta mais.
Responder
#9

Era para comentar, mas prefiro não dizer nada...
Responder
#10

(10-12-2015 às 23:41)Almareado Escreveu:  "Tem um disparo fenomenal"; "Isto realmente é um canhão" - Permitam-me discordar. lol

Quando só se anda de NCoisa é isto (pela introdução do vídeo)... lol

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)