Tecnicas de Pendurismo
#1

O trabalho não é meu.
É de uma Sra, com quem estive casado e que sabe bem do que fala.

Aqui deixo a transcrição, fiel e completa, do texto.






Aqui deixo as Técnicas de Pendurismo...

[justify]Primeiro e fundamental:

Se a pendura, não confiar no condutor ou na mota o melhor é não montar. Mota e condutor  devem formar um binómio perfeito e, no caso da existência do pendura deve ser um trinómio de harmonia completa. Se não há confiança na Moto ou no condutor, jamais haverá harmonia e por consequente a segurança dos três estará em causa!

O que não se pode fazer NUNCA:

Apoiar-se nos ombros do condutor, porque será o mesmo que tocar no guiador da mota e desvia-la de trajectória.

Montar ou desmontar sem prévio aviso. Muitas quedas paradas são derivados desses pequenos pormenores!

Em velocidade, fazer movimentos bruscos, retirar os pés dos estribos ou abrir os braços.

Quando a mota esta carregada, (que é competência do condutor carregar a mota correctamente), não tocar em nada sob pena de desiquilibar o peso ou perder a carga em viagem (isto também se aplica às malas). Se em algum momento a carga estorvar ou nos deixa desconfortáveis, devemos avisar desse pormenor!

"Nunca" olhar para o velocímetro, sob pena de transferir mais peso para uns dos lados da mota (normalmente o esquerdo). A velocidade é um reino do condutor e nós (penduras), apenas podemos fazer duas coisas; transferir o nosso peso para um dos lados da moto, pondo em risco o equilibrio de todo o conjunto, ou ir “quietinha” ajudando-o transformando o nosso peso num peso neutro!  smile

Atenção isto não implica que não nos inclinemos nas curvas. bigsmile  smile  8)

Em condução, onde apoiar-se?

Isto depende muito do estilo da condução do condutor, do tipo de mota e do tipo de pendura….
Mas eu sou pequenita,  whatops:  então e conforme diz o Rui não sou grande problema no que toca a transição de massas. Mas inicalmente o Rui ensinou alguns pontos de referencia….

Aqui vai:

O maior problema das penduras é o de segurar-se de forma confortável. Não vale agarrar-se ao casaco do condutor, porque vamos limitar as suas acções então só nos resta ou o depósito ou as pegas atrás!
Eu seguro-me ao deposito e dentro do meu campo visual, marco as curvas para fazer o que o Rui me ensinou:

A travagem para entrar em curva, a força da mesma, manda-nos contra as costas do condutor, para evitar isto eu aperto os meus joelhos contra o "bum bum" lol  do Rui, evitando assim que deslize para cima dele.

Quando ele deixa de travar, eu automaticamente deixo de o fazer, deixando as pernas relaxadas para que ele possa deslizar para o interior da curva, fazendo o mesmo com o meu olhar, permitindo que o ajude a fazer a curva.

Feita a curva, chega o momento de acelerar e com a mota direita, limito-me a fazer um bocadinho de força com os meus cotovelos contra as suas costelas, imperdindo assim que o " descarregar de cavalos"  bigsmile  bigsmile da Maria das Curvas me deixe para trás!

Em velocidade, devemos sempre aproximar o nosso corpo ao do condutor, permitindo-nos proteger aerodinamicamente e evitando os turbilhões que se podem formar ao haver espaço entre ambos ocupantes da moto.

Atenção, este procedimento é bastante útil quando se vai ao “ataque”, mas no fundo é um protocolo muito válido em rotundas e algumas estradas de montanha, mesmo a baixa  velocidade, sempre quando a posição o deixe! 8)

Podemos levantar-nos enquanto estamos a andar?

Sim, é dos únicos movimentos que eu faço, depois de avisar previamente e ter a confimação de que o posso fazer. Como é obvio não o devemso nunca fazer em curva e a velocidades superiores a 40km/h.

Somos uma ferramenta útil para o Condutor!?

Sim!
Quando não há via verde, levamos o ticket da autoestrada, o dinheiro para pagar e as mãos livres para o fazer…  whatops:
Tambem servimos para empurrar a moto, como se fossemos a marcha atrás ou,  até ás próximas bombas de abastecimento….  whatops:  whatops:  evil

…. É possível que me esquecido de algum pormenor que irei completando mais a diante!


Boas Curvas[/justify]

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#2

Está fixe! thumbsup A minha pendura, a baixas velocidades agarra-se às pegas e a velocidades mais altas agarra-se à minha cintura (é como ela se sente mais confortável). E quando inclino, também se inclina com a mota. Não tenho razão de queixa nenhuma cool , a não ser o aumento do consumo de combustível.
Responder
#3

A minha pendura já nos ia mandam-do ao soalho por se ter apoiado/segurado/puxado e não sei mais o que aos meus ombros...
Tem o hábito de se esquecer de colocar o capacete e se o colocar esquece-se de o ajustar... já fizemos a marginal toda de Vila do Conde em pleno verão cheio de gente e ela sem capacete (Só reparei quando chegamos ao destino) e numa ocasião em que não ia muito depressa e o condutor do carro que vinha atrás era astuto salta-lhe o capacete fora...

Em caso de dúvida, acelere...
Responder
#4

Já não me recordo da última vez que andei à pendura de alguém. Mas possivelmente, dessa derradeira vez, e das antecessoras, muitos de vocês ainda cagavam fraldas, ou andavam a "saltar de um para outro".  proud

99% do tempo em que o banco do passageiro da minha moto está ocupado, é com a minha "cara metade" (o outro 1% foi o gajo da Sucati cor de frigorífico, na ida ao Porto, para a resgatar bigsmile ).

Deste modo, a minha pendura, possivelmente com mais milhares de kms na garupa, que alguns de vocês têm, como condutores, também foi aprendendo e criando as suas próprias técnicas e posturas de "navegação".
Devo dizer que quando ando com ela, a coisa está de tal modo "oleada" (em relação ao andar de moto  devil ), que, por exemplo, faço estradas sinuosas, em toada "sport", quase como se fosse a solo.
Já inclusivé fiz viagens grandes, de noite, em que, por momentos, tenho de lhe meter a mão no joelho, para saber que ela (ainda) vem lá! Já aconteceu por exemplo, numa vinda do Algarve, pela monotonia do percurso, ela adormecer. lol

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#5

clap clap

Parece-me muito bem.

Uma coisa que está implicita mas que é super super importante, nunca se mexer (mudar de posição) quando se está em curva, como referido é acompanhar o movimento do condutor!

As minhas máquinas (e ex):
Kawasaki Versys 1000 / KTM 1290 Super Duke GT
Yamaha FZS 600 Fazer

[Imagem: censorship2.jpg]

Responder
#6

(06-04-2016 às 12:06)michelfpinto Escreveu:  Uma coisa que está implicita mas que é super super importante, nunca se mexer (mudar de posição) quando se está em curva, como referido é acompanhar o movimento do condutor!

Ui! Ui!... Já senti isso uma vez... A pendura assusta-se a meio de uma curva de quase 150º e resolve "passar-se para o outro lado"...  what
Felizmente consegui compensar, dado que a curva pelo seu ângulo e por ser totalmente cega é relativamente lenta, mas garanto-te que o susto que eu apanhei não foi menor do que o que a fez tomar aquela atitude...  rolleyes  blink

[Imagem: wrong-bike.jpg]
Responder
#7

Não gosto nada de andar à pendura... mas mesmo nada... a ultima vez que o fiz ainda tinha a Bandit, estava a afinar válvulas no mecânico, e como quando passo por lá a coisa demora o dia todo, seja para afinar válvulas seja para mudar uma lâmpada... fomos almoçar num local novo que ele tinha descoberto.... a minha mota estava desmontada... portanto fomos na dele... e eu à pendura... agora imaginem... ele, que pesa uns 70kg, correu no nacional de velocidade anos a fio, em Espanha... a conduzir uma acelera como se duma SBK se tratasse... e eu com os meus imponentes cento e tal quilos à pendura dessa acelera que ele conduzia como se estivéssemos a fazer o conjunto de curvas a seguir à recta da meta do Estoril... ainda por cima ele ia relatando a forma de condução... nunca tive tanto medo na minha vida... fui de olhos fechados a viagem toda.... para lá e de volta.... medo...

A minha Cegonha desde o primeiro dia que se adaptou muito bem à coisa de andar de mota... e por acaso gosto de a ter como pendura.

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#8

Se no fim das instruções do Lone ainda houver dúvidas é ver os vídeos:


Responder
#9

Por acaso tento sempre por alguns pontos em evidência antes de deixar a pendura subir . Esta semana uma amiga minha aqui da faculdade andou comigo e a primeira coisa que fiz foi mesmo rever esses pontos . Limitou se a agarra se a minha cintura e acompanhar os meus movimentos como lhe disse ... Ela gostou , disse que não teve medo uma única vez . Eu também gostei , apesar que tenho de lhe dizer (da próxima) para apertar o meu rabo com as pernas quando travar lol

                                                     First Bike Owned : Honda NX400    
                                                            Bike :  CBR 600 f3  cool
Responder
#10

Houve quimica, houve quimica!!!! devil

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)