Suzuki Hayabusa - O Regresso?
#11

(07-02-2020 às 11:17)carlos-kb Escreveu:  O real motivo destas motas desaparecerem dos catálogos são essencialmente legais.

Não Carlos. O real motivo é não serem comercialmente bem sucedidas.

Euro3, Euro 4, Euro 5 afeta todos os modelos por igual. Evidentemente que uma empresa não vai estoirar milhões a fazer um update a um modelo para cumprir com uma nova norma europeia para vender meia duzia de unidades. Como no caso da FJR. Se fosse um modelo de sucesso na Europa, não se ia embora com a chegada da Euro 5.

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#12

(07-02-2020 às 11:29)dmanteigas Escreveu:  
(07-02-2020 às 11:17)carlos-kb Escreveu:  O real motivo destas motas desaparecerem dos catálogos são essencialmente legais.

Não Carlos. O real motivo é não serem comercialmente bem sucedidas.

Euro3, Euro 4, Euro 5 afeta todos os modelos por igual. Evidentemente que uma empresa não vai estoirar milhões a fazer um update a um modelo para cumprir com uma nova norma europeia para vender meia duzia de unidades. Como no caso da FJR. Se fosse um modelo de sucesso na Europa, não se ia embora com a chegada da Euro 5.


Sim, mas isto são modas. Todos querem R1250GS Adventure com malas para andarem a buzinar entre as filas de trânsito dentro de Lisboa e arredores.
Responder
#13

(07-02-2020 às 11:38)pareias Escreveu:  
(07-02-2020 às 11:29)dmanteigas Escreveu:  
(07-02-2020 às 11:17)carlos-kb Escreveu:  O real motivo destas motas desaparecerem dos catálogos são essencialmente legais.

Não Carlos. O real motivo é não serem comercialmente bem sucedidas.

Euro3, Euro 4, Euro 5 afeta todos os modelos por igual. Evidentemente que uma empresa não vai estoirar milhões a fazer um update a um modelo para cumprir com uma nova norma europeia para vender meia duzia de unidades. Como no caso da FJR. Se fosse um modelo de sucesso na Europa, não se ia embora com a chegada da Euro 5.


Sim, mas isto são modas. Todos querem R1250GS Adventure com malas para andarem a buzinar entre as filas de trânsito dentro de Lisboa e arredores.

Tudo no mercado é modas. Nos carros agora também há a moda dos SUVs e o mercado ajustou-se a isso, com ofertas a preços acessiveis, e ninguém os usa para explorar o deserto.

Agora estamos a entrar numa nova moda de nakeds agressivas, com prestações, equipamento e eletronica de superdesportiva, porque é a moda do momento.

Ditadura dos Flocos de Neve
Responder
#14

(07-02-2020 às 11:29)dmanteigas Escreveu:  
(07-02-2020 às 11:17)carlos-kb Escreveu:  O real motivo destas motas desaparecerem dos catálogos são essencialmente legais.

Não Carlos. O real motivo é não serem comercialmente bem sucedidas.

Euro3, Euro 4, Euro 5 afeta todos os modelos por igual. Evidentemente que uma empresa não vai estoirar milhões a fazer um update a um modelo para cumprir com uma nova norma europeia para vender meia duzia de unidades. Como no caso da FJR. Se fosse um modelo de sucesso na Europa, não se ia embora com a chegada da Euro 5.

Quem vai chorar muito com o desaparecimento de uma das melhores motos fabricadas pela Yamaha é a Gendarmerie, que se vê obrigada a andar de pudim flã.

Depois, estamos a falar de um modelo GT (a FJR) que apesar de poder acompanhar as ST (de todas as GT é teoricamente a mais capaz) numa condução mais empenhada, que foi introduzido neste debate para desviar o verdadeiro sentido do tópico.

E a verdade é que a Suzuki está a planear trazer ao mercado um modelo icónico, envestindo os tais milhões que alguém disse que as marcas não envestiam, para poder satisfazer uma fatia de mercado que ainda existe.

Eu mesmo aguardo com interesse o desenvolvimento deste, e outros, modelos ST.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#15

O facto de um segmento vender mais que outro (que é sempre uma afirmação complicada de se fazer já que temos uma visão limitada pelo espaço e sobretudo pelo tempo) não me parece justificação suficiente para que se faça apenas mais do mesmo. E a investigação e diversidade de modelos no fabrico contribui muitas vezes para a evolução das próprias marcas. Vão vender-se tantas "busas" como MTs? Garantidamente não, quanto mais não seja pela vertente financeira. Há espaço para todas? Creio que sim.

Eu especialmente gostava de ver esta nova versão da Hayabusa a circular por aí... V
Responder
#16

(07-02-2020 às 12:01)LoneRider Escreveu:  
(07-02-2020 às 11:29)dmanteigas Escreveu:  
(07-02-2020 às 11:17)carlos-kb Escreveu:  O real motivo destas motas desaparecerem dos catálogos são essencialmente legais.

Não Carlos. O real motivo é não serem comercialmente bem sucedidas.

Euro3, Euro 4, Euro 5 afeta todos os modelos por igual. Evidentemente que uma empresa não vai estoirar milhões a fazer um update a um modelo para cumprir com uma nova norma europeia para vender meia duzia de unidades. Como no caso da FJR. Se fosse um modelo de sucesso na Europa, não se ia embora com a chegada da Euro 5.

Quem vai chorar muito com o desaparecimento de uma das melhores motos fabricadas pela Yamaha é a Gendarmerie, que se vê obrigada a andar de pudim flã.

Depois, estamos a falar de um modelo GT (a FJR) que apesar de poder acompanhar as ST (de todas as GT é teoricamente a mais capaz) numa condução mais empenhada, que foi introduzido neste debate para desviar o verdadeiro sentido do tópico.

E a verdade é que a Suzuki está a planear trazer ao mercado um modelo icónico, envestindo os tais milhões que alguém disse que as marcas não envestiam, para poder satisfazer uma fatia de mercado que ainda existe.

Eu mesmo aguardo com interesse o desenvolvimento deste, e outros, modelos ST.


Qual pudim flã? Se é a Tracer GT, estás enganado. Não é por eu ter comprado uma, influenciado pelo intenso poder mental do Velasquez e do DManteigas.

Como já deves ter reparado, não me inibo de criticar o que compro. Agora dizer que as 900 são perigosas, não corresponde à verdade.

Rigidez do quadro e suspensão da frente são aceitáveis. A suspensão traseira podia ser melhor. 

Faço AE agora quase todos os dias (onde as limitações são mais pronunciadas) e não fico com vontade de ir comprar uma Honda.

Estranho é essa tua obsessão. Vê lá isso.

Voltando ao tema: a Suzuki tem tomado decisões interessantes e desalinhadas.

Uma "Super-GT" pode cativar a malta dos 40 a caminho dos 50.
Responder
#17

(07-02-2020 às 14:08)pareias Escreveu:  
(07-02-2020 às 12:01)LoneRider Escreveu:  
(07-02-2020 às 11:29)dmanteigas Escreveu:  Não Carlos. O real motivo é não serem comercialmente bem sucedidas.

Euro3, Euro 4, Euro 5 afeta todos os modelos por igual. Evidentemente que uma empresa não vai estoirar milhões a fazer um update a um modelo para cumprir com uma nova norma europeia para vender meia duzia de unidades. Como no caso da FJR. Se fosse um modelo de sucesso na Europa, não se ia embora com a chegada da Euro 5.

Quem vai chorar muito com o desaparecimento de uma das melhores motos fabricadas pela Yamaha é a Gendarmerie, que se vê obrigada a andar de pudim flã.

Depois, estamos a falar de um modelo GT (a FJR) que apesar de poder acompanhar as ST (de todas as GT é teoricamente a mais capaz) numa condução mais empenhada, que foi introduzido neste debate para desviar o verdadeiro sentido do tópico.

E a verdade é que a Suzuki está a planear trazer ao mercado um modelo icónico, envestindo os tais milhões que alguém disse que as marcas não envestiam, para poder satisfazer uma fatia de mercado que ainda existe.

Eu mesmo aguardo com interesse o desenvolvimento deste, e outros, modelos ST.


Qual pudim flã? Se é a Tracer GT, estás enganado. Não é por eu ter comprado uma, influenciado pelo intenso poder mental do Velasquez e do DManteigas.

Como já deves ter reparado, não me inibo de criticar o que compro. Agora dizer que as 900 são perigosas, não corresponde à verdade.

Rigidez do quadro e suspensão da frente são aceitáveis. A suspensão traseira podia ser melhor. 

Faço AE agora quase todos os dias (onde as limitações são mais pronunciadas) e não fico com vontade de ir comprar uma Honda.

Estranho é essa tua obsessão. Vê lá isso.

Voltando ao tema: a Suzuki tem tomado decisões interessantes e desalinhadas.

Uma "Super-GT" pode cativar a malta dos 40 a caminho dos 50.

Continuo a achar interessante como se dá importância a uma fraude como eu...

Por favor, por respeito à autoria do tópico, mantenhamo-nos dentro do mesmo.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#18

(07-02-2020 às 14:15)LoneRider Escreveu:  
(07-02-2020 às 14:08)pareias Escreveu:  
(07-02-2020 às 12:01)LoneRider Escreveu:  Quem vai chorar muito com o desaparecimento de uma das melhores motos fabricadas pela Yamaha é a Gendarmerie, que se vê obrigada a andar de pudim flã.

Depois, estamos a falar de um modelo GT (a FJR) que apesar de poder acompanhar as ST (de todas as GT é teoricamente a mais capaz) numa condução mais empenhada, que foi introduzido neste debate para desviar o verdadeiro sentido do tópico.

E a verdade é que a Suzuki está a planear trazer ao mercado um modelo icónico, envestindo os tais milhões que alguém disse que as marcas não envestiam, para poder satisfazer uma fatia de mercado que ainda existe.

Eu mesmo aguardo com interesse o desenvolvimento deste, e outros, modelos ST.


Qual pudim flã? Se é a Tracer GT, estás enganado. Não é por eu ter comprado uma, influenciado pelo intenso poder mental do Velasquez e do DManteigas.

Como já deves ter reparado, não me inibo de criticar o que compro. Agora dizer que as 900 são perigosas, não corresponde à verdade.

Rigidez do quadro e suspensão da frente são aceitáveis. A suspensão traseira podia ser melhor. 

Faço AE agora quase todos os dias (onde as limitações são mais pronunciadas) e não fico com vontade de ir comprar uma Honda.

Estranho é essa tua obsessão. Vê lá isso.

Voltando ao tema: a Suzuki tem tomado decisões interessantes e desalinhadas.

Uma "Super-GT" pode cativar a malta dos 40 a caminho dos 50.

Continuo a achar interessante como se dá importância a uma fraude como eu...

Por favor, por respeito à autoria do tópico, mantenhamo-nos dentro do mesmo.

Qual fraude? Qual tema? Escrevi sobre a Suzuki fez uma "Super-GT" que a Honda, Yamaha e em parte a Kawasaki deixaram.

O preço provavelmente abaixo da H2-SX será uma mais-valia.
Responder
#19

Para a gendarmerie deem-lhes Niken GT que eles não se queixam muito.

Nova hayabusa...estou curioso...mais ainda se declinarem em naked tipo nova B-King (já agora...como as supernaked estão na moda...).
Responder
#20

Citar:2021 Suzuki Hayabusa to Reportedly Get 1440cc Engine

[Imagem: 2021-Suzuki-Hayabusa-1440cc-750x430.png]

According to the leaked patent images of the 2021 Suzuki Hayabusa, the upcoming variant of the sports bike is expected to be powered by a higher 1440cc displacement engine which will be tuned to meet the Euro5/BS6 emission norms. The brand recently discontinued the BS4 2020 Hayabusa in the Indian market and the mighty machine has also been discontinued in certain European markets.

[Imagem: 2021-Suzuki-Hayabusa-1440cc-4.jpg]

The Japanese patent office has filed two new patent applications for the 2021 Suzuki Hayabusa which shows the motorcycle’s engine complying to the Euro5 emission norms while the overall architecture remains similar to that of the BS4 Hayabusa model.

The patents show a carbon fibre canister equipped on the motorcycle which allows the exhaust gases to be absorbed further reducing the harmful emissions. The patents also feature an oil sump which prevents the oil from spreading inside.

[Imagem: 2021-Suzuki-Hayabusa-1440cc-3.jpg]

The reports also suggest the upcoming 2021 variant of the mighty Hayabusa to feature a 1440cc displacement engine which will replace the current-gen 1340cc 4-cylinder liquid-cooled engine. The higher displacement has been specifically offered to keep the overall performance under check as upgrading to a BS6-compliant engine tends to reduce the power and torque figures.

[Imagem: 2021-Suzuki-Hayabusa-1440cc-1.jpg]

Since the 2021 Suzuki Hayabusa is expected to get an updated engine, one can see the redesigned chassis from the patent images that will further accommodate the new motor. The brand has not yet confirmed any reports on the upcoming motorcycle though one can expect it to become lighter and it will also feature compact styling when compared to the current-gen Hayabusa variant.

The 2021 Suzuki Hayabusa is expected to be officially revealed by the brand by the end of 2020 while one can expect various other details on the same to surface in the meantime.

[Imagem: 2021-Suzuki-Hayabusa-1440cc-2.jpg]

Fonte: maxabout.com
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)