Suzuki Hayabusa - O Regresso?
#1

Será...? baba

Citar:Return of a legend: new Hayabusa spied in Suzuki patent leaks

[Imagem: Suzuki-Concept-GSX.jpg]

For more than a year now it’s been impossible to buy a brand new Suzuki Hayabusa in Europe after the legendary hyperbike failed to meet Euro4 emissions limits – but it’s not gone forever. Suzuki engineers are hard at work on a completely revamped version.

In recent months several Suzuki patent applications have hinted at the next- gen Hayabusa’s looks and technology. It’s clear the new bike isn’t a completely clean-sheet design. The engine’s overall layout and many castings appear to survive, helping reduce development costs and providing a link to the original.

Normally-reliable sources in Japan say capacity will be hiked to around 1440cc, a route several manufacturers have recently taken in an effort to meet tougher emissions laws without losing performance. Power is likely to remain around 200hp but the extra cubes will bring an increase in torque and rideability.

Among the new patents are emissions-specific elements including a carbon canister to filter evaporating fuel fumes and another for a redesigned exhaust with enlarged collector box where two catalytic converters hide.

[Imagem: hayabusa.jpg]

We can also see a new frame with slimmer main beams than the current bike. This also loses the cast-alloy extensions below the rider’s seat, instead having a conventional bolt-on subframe.

Where top speed was the original ’Busa’s main goal, modern 1000cc superbikes have caught up so Suzuki will emphasize the bike’s relative comfort and ability to swallow huge distances with minimal effort. A semi-automatic gearbox is key to that change.

It’s still based on the old six-speeder but, with electronic actuators to shift cogs and manipulate the clutch at the prod of a button, it’s not unlike Yamaha’s FJR1300A.

If all goes to plan we expect see the bike towards the end of 2020 as a 2021 model with styling likely to be similar to the ‘Concept GSX’ mock-up that was shown at the 2015 Tokyo Motor Show. Keep an eye on MCN for more as we get it.

Fonte: MCN
Responder
#2

Será que a Suzuki descobriu mais um armazém cheio de peças antigas para escoar! devil devil devil
Responder
#3

Estamos a falar do ressurgir de uma categoria extinta que só tinha o pior de duas outras categorias.

Marcas como Kawasaki, Suzuki, BMW e possivelmente a Honda devem estar a dar um tiro no pé, só pode! think
Responder
#4

Epá acho bem que sim, que de vez em quando alguém se lembre daquela malta que estúpida e irracionalmente gosta de motas que serão obviamente um flop de vendas, que não têm apenas meio cilindro que lhes permita gastar meio litro de vapor de combustível aos 100, e que não têm objetivos maiores como a mobilidade urbana, etc.... e que fabriquem suficientes motas e stock de peças, para ficarem por aí no mercado de usados quando a marca falir devido a tão má decisão estratégica. lol
Responder
#5

Eu continuava mas falta-me a experiência! devil
Responder
#6

Numa altura em que a Yamaha vai abandonar a FJR, a Suzuki decidi fazer uma Hayabusa mais parecido com a FJR.

Deve ser para aproveitar aquela fatia de vendas de 50 FJR por ano que a Yamaha vai deixar vaga lol
Responder
#7

É pena, porque era uma mota super estável...
Responder
#8

É possível que sim. Mas hoje em dia a malta prefere motas instáveis.

[Imagem: OIFObe7.png]
[Imagem: gfvjd8j.png]

É impossível não olhar para isto e ficar completamente maluco hearth

Depois aparece a Suzuki que apresenta uma Katana com restos de stock e anda a gastar dinheiro precioso de R&D numa mota que já teve o seu tempo e cujo mercado de usados é suficiente para alimentar umas paixões pontuais!
Responder
#9

E ainda dizem que isto das motas tem pouco de racional.

lol
Responder
#10

(07-02-2020 às 09:37)dmanteigas Escreveu:  Numa altura em que a Yamaha vai abandonar a FJR, a Suzuki decidi fazer uma Hayabusa mais parecido com a FJR.

Deve ser para aproveitar aquela fatia de vendas de 50 FJR por ano que a Yamaha vai deixar vaga lol

Como se o mercado Português fosse representativo de algo e as marcas fizessem motas só a pensar naquilo que se vende cá no burgo?! think

O real motivo destas motas desaparecerem dos catálogos são essencialmente legais. Se a Hayabusa, como outras (caso da VFR1200F) levaram a estocada com a entrada há 3 anos da norma Euro 4. A Euro 5 (em vigor desde 01/01/2020), ainda mais apertada e restritiva, ditará outros tantos modelos descontinuados.

«A partir de 1 de janeiro de 2020, todos os motociclos que sejam homologados para comercialização na União Europeia terão de cumprir com a norma Euro5. Os motociclos que forem homologados antes dessa data, terão ainda um ano em que podem continuar a ser vendidos respeitando a atual norma Euro4, sendo que a partir de 1 de janeiro de 2021 terão no entanto de passar a cumprir com a Euro5.»

Ou seja... a FJR irá desaprecer dos catálogos, dentro de menos de 1 ano, por este mesmo motivo.

Não esquecer que na Europa, a par com os EUA, é o grosso de vendas e razão de existência deste tipo de motos.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)