Sistema anti-jerk
#1

Hoje em dia é impossível pensar pilotar uma máquina de MotoGP, sem que o piloto tenha ajudas electrónicas à mistura, dado a potência e o binário que estes protótipos possuem.

O sistema anti-jerk tornou-se um auxiliar com especial importância, a partir do momento que a Dorna decidiu implementar o software unificado em todas as equipas de MotoGP. Este sistema ajuda os pilotos a fazerem a transição entre a não aceleração, para o momento de aceleração quando estes estão no meio de uma curva.

Quando um piloto entra na curva fecha o acelerador e no momento certo, este começa a acelerar suavemente a moto. Neste momento, o motor passa de uma transição de binário negativo para binário positivo, o que acusa alguma tensão na transmissão ao entregar essa potência por parte do motor. Com ângulos de inclinação e binários tão elevados, isso poderia ser desastroso, uma vez que iria estragar a trajectória ou iria criar um slide no qual o piloto não conseguiria recuperar.

O sistema anti-jerk corrige esses problemas, reduzindo o binário até 100% durante alguns milissegundos. O gráfico seguinte mostra um piloto (não se sabe quem é, porque a Magneti Marelli mantém essa informação em segredo) ao fazer a curva 8 do circuito do Jerez, a uma velocidade de 130 km/h.



Ao observar este gráfico é importante não esquecer onde estão os número e o que eles significam. É igualmente importante não se esquecer das legendas associadas.
[Imagem: piWNKf2.png]
N.º 1:
O traço branco é a abertura do acelerador. Já a linha laranja representa uma situação onde a aceleração da moto é nula.

Neste ponto, o piloto está na primeira fase da abertura do acelerador. No ponto 1, a moto está com uma inclinação média de 60.º.

N.º 2:
O traço branco reproduz as Rotações Por Minuto do motor. A linha verde simboliza a velocidade da roda traseira.

Quer as RPM, quer a velocidade da roda traseira aumentam significativamente à medida que a transmissão passa de uma situação de não-aceleração para aceleração. É neste ponto que o sistema anti-jerk entra em acção, uma vez que a entrega de potência é tão grande que iria fazer o piloto adiar a abertura do acelerador.

N.º 3:
O traço branco reflecte o momento onde o piloto definiu anteriormente a quebra do binário. Por outro lado, o traço verde significa a redução do binário realizado pelo sistema anti-jerk, enquanto que o traço vermelho é o binário proveniente do motor, sendo aquele que é entregue à roda traseira.

As linhas vermelha e branca são semelhantes, excepto quando o sistema anti-jerk entra em acção (10 a 30 milissegundos) e reduz o binário. A redução do binário é severa e instantânea que é conseguida através de um retardo da ignição. Já o controlo de tracção limita o binário, através das válvulas de aceleração.

Fonte: motorcyclesports
Responder
#2

Com verdadeiros monstros a serem lançados como modelos de rua, esse tipo de tecnologia é muito importante.

A R1m tem algo do género, que permite abrir o acelerador com a mota ainda deitada, o que dá uma imensa vantagem na pista.

https://youtu.be/6ImoDvnscjY

A partir de 6:30
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)