Relação velocidade/fiscalização vs mortes
#11

E com esta já sou um "piloto sábio"...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#12

O problema muitas vezes levantado relativamente á fiscalização é outro:
Deve-se ao facto da "fiscalização" ser o argumento recorrente para determinadas praticas que não têm como objectivo diminuir a sinistralidade mas sim recolher receitas para o Estado.

+1

[Imagem: Qfzl0I1.png]
Responder
#13

Boas;
Mais uma discussão infrutífera...
Justifica-se o aumento da sinistralidade com o aumento da velocidade, consequentemente promove-se a fiscalização para demonstrar que andam preocupados com o nosso bem-estar e saúde. Tudo isto enquanto se enchem de dinheiro que ninguém sabe onde vai parar.
Começo a cag#r-me de grande para essas m#rdas, tal como para todos estes falsos moralismos bacocos.
Responder
#14

Na minha humilde e modesta opinião, a principal causa da sinistralidade e do número de mortos na estada deve-se maioritariamente à... estupidez do ser humano, em geral.
Responder
#15

(01-12-2015 às 18:13)OFFICER Escreveu:  Qualquer fiscalização tem como base sancionar terceiros e obter receitas com isso. Tu referes precisamente os radares que são colocados em pontos estratégicos, no entanto, não referes por exemplo operações STOP colocadas em pontos estratégicos também e em dias e horas especificos.

Qual é a diferença quanto a estas duas fiscalizações?

Não fiz qualquer referência a radares na minha resposta!
Precisamente porque "fiscalização" não se resume a semear radares!

Escrevi que "existem determinadas praticas que não têm como objectivo diminuir a sinistralidade mas sim recolher receitas para o Estado".
Não descrevi quais!
Uma coisa é ser contra fiscalizações!
Outra completamente diferente é ser contra estratégias para obter receita encapotados de "fiscalizações".

(01-12-2015 às 18:13)OFFICER Escreveu:  De qualquer forma, a questão deste tópico não é propriamente a fiscalização mas sim verificar se existe um rácio entre aumento/diminuição da velocidade permitida face à mortalidade na estrada.

Bem... criaste um tópico chamado "Relação velocidade/fiscalização vs mortes"
E tendo em conta discussões do género em outros tópicos, não me pareceu que a intenção fosse assim tão inocente. tong

Podes perfeitamente correlacionar "velocidade permitida" vs "mortalidade na estrada".
Acredito que até exista uma estatística de quantos acidentes mortais foram resultantes de acidentes por "excesso de velocidade".

Mas... será que podemos retirar conclusões válidas?

Seria preciso ter a garantia que os acidentes seriam mesmo resultado de excesso de velocidade!
E infelizmente é recorrente utilizar o "excesso de velocidade" como resposta para tudo o que dá demasiado trabalho a apurar! (EM 2005 tentaram me culpar por "excesso de velocidade" num acidente em que eu estava a arrancar! Se tivesse morrido, e não existisse testemunhas teria sido culpado)

Seria preciso ter a garantia que a sinalização vertical no local do acidente é adequada!
E infelizmente em Portugal é recorrente baixar as velocidades máximas dos locais para que não se gaste dinheiro em obras para a correcção da via. (Exemplo do túnel por baixo da BP do Aeroporto onde o limite é 30... e mesmo assim basta alguma humidade numa noite fria para se cair e ser colhido por um carro que venha atrás dentro da velocidade legal)


Isto das velocidades é mesmo muito relativo se pensarmos que aplicamos os mesmos limites de um vasto número de países.
Fica mais confuso se pensarmos que as nossas duas principais autoestradas na sua generalidade não ficam atrás das autobahn no que diz respeito a qualidade e segurança. disapointed

Ficava contente era com um estudo sobre os locais onde ocorrem os acidentes mortais.
Responder
#16

Ainda sobre o tema...

Existe o Núcleo de Investigação de Acidentes do IDMEC - IST que nos tempos do Motonline chegou a dar que falar.

Um dos responsáveis chegou a registar-se a participar...
Mas as coisas não correram bem. Assim que algumas questões pertinentes foram levantadas por um dos membros (Japh, onde andas?) de imediato deu para perceber que mais do que o conteúdo do trabalho, estaria em causa o ego dos responsáveis e a garantia de que aquelas entidades que financiam iriam continuar a manter a torneira aberta.
Responder
#17

Eu até acho que há muito pouca fiscalização...mas fiscalização a sério, isso de andar escondidos atrás da moita com o radar não é nada...isso de prevenção nada tem...a malta topa-os logo e amansa nesse bocado onde eles estão, a partir dai é sempre a rasgar...no meio apanham meia duzia despassarados que não toparam os avisos dos outros todos...prevenção a sério é presencialmente a vista de todos e a circular na estrada...

[Imagem: 7STkQ4B.jpg]
Responder
#18

Aqui no norte existe a VCI. É uma via tipo auto estrada, com 3 vias para cada lado, e com limite de 90km/h. Dá para andar melhor que em muitas AE (quando não tem trânsito). Tem lá uns pontos que tem uns radares com uns avisos enormes antes. Já veio a público que esses radares nunca estão a funcionar, mesmo quando estão com as luzes ligadas. Resultado? O pessoal anda a 120Km/h na VCI inteira, quando chega à zona dos radares, travam todos para os 90Km/h.

Acho que isto diz muita coisa quanto à forma eficaz de prevenir excessos de velocidade.
Responder
#19

(02-12-2015 às 00:01)marco.clara Escreveu:  Na minha humilde e modesta opinião, a principal causa da sinistralidade e do número de mortos na estada deve-se maioritariamente à... estupidez do ser humano, em geral.

Não podia concordar mais.

Quanto à questão da fiscalização (não fiz mais quotes para não encher isto), é um mal necessário e concordo em absoluto com ela.

Se fez algum efeito? Claro que fez, basta olhar para os números. Costuma-se dizer que quem tem cu tem medo, e apesar de ainda existirem muitos aceleras, também existe muita gente que vai andando nos "limites", uns mais abaixo outros mais acima mas sem nunca esticar a corda.

E é claro que gera receitas, e lá fora gera ainda mais, já que as multas são mais pesadas ainda.
Responder
#20

(02-12-2015 às 11:09)pneves33 Escreveu:  Eu até acho que há muito pouca fiscalização...mas fiscalização a sério, isso de andar escondidos atrás da moita com o radar não é nada...isso de prevenção nada tem...

Penso que não existe grande divergência de opiniões no que toca à "necessidade fiscalização". thumbsup
Em regra geral todos aqui concordam que deve existir.
E talvez a maioria concorda que deveria existir mais.

Onde não existe é consenso é no que referiste como "fiscalização a sério"! disapointed

Há malta (como o Officer) que defende que toda a "fiscalização" é bem intencionada.
Que não existe "caça à multa". E que a solução para a sinistralidade passa por castigar os condutores com coimas bastante pesadas de forma a gerar medo pelo desrespeito das regras.

E há malta (como tu e eu) que concordando totalmente com a "fiscalização", considera que a mesma nem sempre é inocente e muitas vezes não tem como objectivo controlar a sinistralidade mas sim gerar receita.

(02-12-2015 às 11:09)pneves33 Escreveu:  ...a malta topa-os logo e amansa nesse bocado onde eles estão, a partir dai é sempre a rasgar...no meio apanham meia duzia despassarados que não toparam os avisos dos outros todos...

Exactamente.
Essa é a grande ironia. O principais clientes dos "radares escondidos" não são os aceleras!

Consigo enumerar todos os locais dos meus percursos habituais onde é comum existir controlo de velocidade.
Como já os conheço, abrando e confirmo se estão lá. Depois retomo a velocidade normal a que costumo circular em modo "piloto automático".

Não consigo ver nenhuma razão lógica para que a suposta "fiscalização" seja feita nesses locais.
Preferia que os mesmos recursos fosse mobilizados para dentro de localidades e zonas de escolas onde a falta de bom senso costuma ter resultados fatais que muitas vezes por facilitismo são atribuídos à velocidade.

(02-12-2015 às 11:09)pneves33 Escreveu:  ...isso de prevenção nada temprevenção a sério é presencialmente a vista de todos e a circular na estrada...

Prevenção é uma coisa.
Fiscalização é outra.

Prevenção dá despesa.
Fiscalização dá receita. Cerca de 80 milhões por ano.

(02-12-2015 às 12:50)OFFICER Escreveu:  E é claro que gera receitas, e lá fora gera ainda mais, já que as multas são mais pesadas ainda.

Isso do "lá fora" é muito relativo.
Sobretudo porque "lá fora" tens pelo menos uns 190 países diferentes para escolher.
E há para todos os gostos!
Tens desde os que te mandam parar já à espera do suborno... aos que a coima é atribuída mediante os teus rendimentos. bigsmile
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)