Rebel 1100
#11

(26-11-2020 às 15:41)nelsonajm Escreveu:  [Imagem: 1zhzhzz24txdv1b3yd0weu0lsy2.jpg]

Não me levem a mal.... mas a mota está pessimamente mal desenhada.

E o que dizer daquele escape...
Responder
#12

Mais do mesmo... e mais um travesti, como a 500 também o é... a mesma receita para rentabilizar mais uma motorização e material já existente. Mota sobretudo para "encher" catálogo.

É o actual motociclismo de "aparência". Interessa sobretudo o que a moto parece e não o que ela é. E neste caso com a agravante de nem sequer parecer na realidade um "ferro", mas apenas dar alguns ares disso!
Se a 500 ainda tem a vertente utilitária que pode conquistar alguns clientes e recém-encartados, nesta 1100, não vejo que tipo de cliente terá? O habitual cliente mais purista e adepto de cruisers jamais a colocará como hipótese... e a não ser algum(a) motociclista novato(a), desconhecedor(a) ou até algum fan boy/girl da marca, não estou a ver quem mais possa vir a querer comprar isto?!

Até porque tempos houve em que os japunas ainda fizeram umas coisas engraçadas dentro deste segmento específico.

(26-11-2020 às 09:53)Malvo Escreveu:  embora eu adorava uma cruiser com um V4 ao estilo da VT 750!

A VT750, tal como todas as restantes VT, sempre foram (e são) V2 (VT = V-Twin).
V4 foi sim a VF750C Magna, dos anos 80... que herdou a motorização de 4 cilindros em V a 90º das VF750F (VF = V-Four), e mais tarde ressurgiu em finais da década de 90, com a evolução dessa motorização, também usada na VFR750F (RC36), numa possante Magna de 90cv (brutalidade para o segmento).
Nesta megalomania, a marca do galinheiro ainda se deu ao luxo de pegar no boxer hexacilíndrico da Goldwing e lançar uma colossal FC6 Valkyrie.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#13

carloskb fui ver a oferta em segunda mão e estão 06 exemplares do canhão VF750C à venda!...boa para dar um bigode na nova rebel 1100.
Responder
#14

(26-11-2020 às 16:15)midnightblack Escreveu:  carloskb fui ver a oferta em segunda mão e estão 06 exemplares do canhão VF750C à venda!...boa para dar um bigode na nova rebel 1100.

Imaginando o preço que (ainda) pediriam por elas, fui ao OLX verificar. Não fugiu muito ao que pensei (5 a 6 mil paus por uma mota com mais de duas décadas)!

Há tempos, na Vasil, estive ainda um bom tempo à conversa com o dono de uma, em estado irrepreensível, que estava a mudar pneus à dita, antes da minha vez. E o gajo dizia que não se desfazia daquilo nem por nada.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#15

Aqui a questão é o corta-e-cose (com "s") antes da electrificação. É fazer render-o-peixe e aplicar o dinheiro dos clientes nos projectos eléctricos que terão de ser produtos em 2030-2040.
Está tudo a alinhar-se para as motas a pilhas.
Responder
#16

(26-11-2020 às 15:58)carlos-kb Escreveu:   
(26-11-2020 às 09:53)Malvo Escreveu:  embora eu adorava uma cruiser com um V4 ao estilo da VT 750!

A VT750, tal como todas as restantes VT, sempre foram (e são) V2 (VT = V-Twin).
V4 foi sim a VF750C Magna, dos anos 80... que herdou a motorização de 4 cilindros em V a 90º das VF750F (VF = V-Four), e mais tarde ressurgiu em finais da década de 90, com a evolução dessa motorização, também usada na VFR750F (RC36), numa possante Magna de 90cv (brutalidade para o segmento).
Nesta megalomania, a marca do galinheiro ainda se deu ao luxo de pegar no boxer hexacilíndrico da Goldwing e lançar uma colossal FC6 Valkyrie.

Sim , exacto, VF e não VT, bem corrigido
Responder
#17

(26-11-2020 às 15:50)luisnogueira Escreveu:  
(26-11-2020 às 15:41)nelsonajm Escreveu:  [Imagem: 1zhzhzz24txdv1b3yd0weu0lsy2.jpg]

Não me levem a mal.... mas a mota está pessimamente mal desenhada.

E o que dizer daquele escape...

Parece um monte de merda...

E tb o conjunto... ou seja a moto, coitadinha!... nausea

Live After Death...

Os Ferros...

In life, nothing happens by chance...
Responder
#18

Quando se olha para o passado recente, percebe-se que algo ficou pelo caminho. Recordo-me das bocas, mas cada um sabe de si.
O problema é mais COMO se gasta do que quanto se gasta. E isso também condiciona os produtos.

[Imagem: image;s=1000x700]
Responder
#19

É pah, tanta negatividade.

Sim podiam ter feito melhor, mas se optaram pela aparencia e um conjunto "idêntico" a 500 é porque vai vendendo bem.

Estamos numa altura em que parece que a Honda não quer correr riscos, e mantem tudo muito "neutro". É um bocado 8 ou 80, quer dizer, de uma marca que lançou a Vultus, agora sai esta moto! Acho que como a 500 vai ser uma mota que se gosta ou se detesta.

Em relação ao escape, acho que nem está muito mau, pelo menos não parece o terceiro olho de um pato! Podiam ter feito melhor, mas também podiam ter metido um escape igual ao da Rebel 500, ou pior, igual ao da CB500F!

Não sou completamente doido pela moto, detesto terem optado pelo painel que decidiram usar, o conjunto de farolins atrás, felizmente melhor que o da 500, não é muito bonito, mas é uma moto minimamente interessante ao ponto de a querer ver quando estiver nos stands.

Obvio que nem toda a gente gosta desta nova "onda" de modelos recentes em particular das marcas japonesas, vamos ver o que o futuro nos vai trazer!

Pessoalmente gostava algo como a VF750C dos anos 90 ( que tão corretamente fui corrigido) atualizado para os dias de hoje, baixa, comprida e mais agressiva!

Mas la está, ao vivo pode ser outra coisa!
Responder
#20

(27-11-2020 às 13:49)Malvo Escreveu:  Pessoalmente gostava algo como a VF750C dos anos 90 ( que tão corretamente fui corrigido) atualizado para os dias de hoje, baixa, comprida e mais agressiva!

E com mais de 2 décadas de distância, consegue relegar esta Rebel para um canto, em todos os aspectos.

[Imagem: efBmkLG.jpg]

Mas actualmente e dentro deste conceito de "ferro" com nervo, tens a V-Rod ou a X-Diavel... ou no cúmulo da coisa, uma V-Max ou uma Rocket III.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)