Questao existencialista...
#1

Hoje como tou por casa sem fazer ponta, decidi criar um topico para falar de um assunto que as vezes tem me dado que pensar.
Eu comprei uma 600 ja faz 5 meses e tenho aproveitado bem, visto que ja lhe meti 6000 mil kms em cima e so ando ao fim de semana.
O que me tem dado a pensar e porque e que o pessoal num certo ponto da sua vida acha que uma 600 ja nao chega e passam para uma 1000 por exemplo?

Talvez ainda tenha mta pco experiencia para entender o porque. Sei que a actualizaçao para uma cilindrada superior raramente tem a ver com a velocidade mas mais com disponibilidade de motor mas eu que tenho uma 600, ate agora em nenhum momento senti que la faltasse força, genica, velocidade no motor. Alias sinto sim e que tem muito mais do preciso e que nem metade do potencial explorei. Do outro dia rodei o punho um pco mais e quase ja n tinha maos para ela. Com a mota que tenho ja sinto que bastante dificil ter estradas e condições de usufruir do potencial da mota no seu todo, alias ate agora se descobri metade do potencial dela foi muito.

Mesmo quando ha curvas para puxarmos pelo motor e testarmos as nossa habilidades, existe sempre a questao de nao conduzimos sozinhos e pormos a nossa vida e dos outros em risco com aventuras. Mesmo com estradas com grandes condiçoes com grandes rectas que podiamos puxar pelo motor, estamos sempre sujeitos a levar bordoada dos nossos amigos da lei. Se houver pessoal como eu que vai para todo o lado, evitando auto estradas ao maximo, ainda se torna mais limitativo usufruir do motor que se tem. Por isso tudo e mais alguma coisa penso o porque de o pessoal precisar de mais cilindrada? Certo que a mota vai ter mais força, vai responder melhor, vai ter mais genica, e.t.c mas sera que compensa mesmo? Talvez mais para quem anda com a casa na mota!lol
Eu sinceramente por enquanto nao consigo entender bem nem arranjar razoes o porque de mais cilindrada mas pronto podera ser a questao de ainda ser novato nisto. Se calhar daqui a uns anos tambem vou querer andar com rabo numa 1000... lol 
Eu sou apologista de experimentar de tudo mas da ai justificar a compra de certas coisas que se tem para o contexto delas, talvez seja mais dificil.
Responder
#2

Nfilipe, estou como tu mas sei que somos a minoria nesta questão.

Até tenho em casa dos meus pais uma Honda ST 1100 Pan European em que ninguém pega (inclusivamente eu), talvez por ser grande e pesada demais.
Até posso admitir pegar nela para uma grande viagem, mas só por isso, porque de resto para andar em nacionais as que moram em casa chegam para tudo (e nem têm nada a ver com a tua 600 em termos de potência).

Honda CX 400 '83 Eurosport
Responder
#3

Penso que não será tanto pela velocidade, mas pelo prazer de fazer umas curvas (minha opinião), fazer curvas em montanha não depende da velocidade de ponta, mas sim das saídas, entradas de curva. Consegues divertir-te mais com um média cilindrada que com uma de alta cilindrada (nunones chamado à receção lol ).
Uma das razões porque troquei a R1 pela 848. blink
Responder
#4

Tenho uma 600 com quase 20 anos e continuo a divertir me bastante com ela. Ao trocar por uma mil nunca seria por os 299, seria mais pelo binário mais cedo, contudo só o valor do iuc desmoraliza logo lol

* Ex Cagiva Prima R 1995 *
* Suzuki Gsxr 600 SRAD 1998 *
Responder
#5

Até chegares aos limites da máquina q tens não vejo razão nenhuma para trocar a não ser por paneleirices de ter uma 1000.

O maçarico  shy
Responder
#6

A mota que tenho, vai ser para manter durante muito tempo...chega e sobra para o que peço dela...
Para mim, não me interessa se leva menos de 3s aos 100 ou se tem 200cv...ou se dá 300km/h...
Tem 85cv e anda bastante bem para as minhas necessidades, é rápida o suficiente para fazer ultrapassagens em segurança e confortável para uma ou outra viagem.
Não ando com a faca nos dentes, portanto não sinto necessidade de mais cm3 nem mais cv.

[Imagem: 7STkQ4B.jpg]
Responder
#7

Eu tive uma 600... depois uma 1100... agora tenho uma 800 (com 2 cilindros e meio lol)... Gostei e gosto muito delas todas. smile

Acho que não existe nenhuma regra que diga que só é possível aumentar de cilindrada, nem que esse aumento seja algum tipo de evolução natural das coisas. Cada tipologia de mota, de motor, de cilindrada, o que for, serve os objetivos que serve. Se na altura esses objetivos são os nossos, perfeito!

Dou-te um exemplo: pouco antes de me desfazer da ZZR (1100) fiz um passeio de 3 dias pela zona norte do país, sempre por estradas secundárias (e muita serra). Percorridos cerca de 1300 kms, cheguei ao fim desses 3 dias com um sorriso nos lábios, e a lombeira feita num oito! Já este ano fiz cerca de 1400 kms na RIM com a F800R, e quando acabei sentia-me pronto para outra! blink
Responder
#8

Ora bem... é assim... mais ou menos...não é por andarmos a comer a melhor gaja do bairro, que tem o melhor rabo e as melhores mamas e o cabelo mais bonito e a mais bonita... que ficamos de barriga cheia... podemos ficar com o EGO inchado... mas às vezes a "gaja" que trabalha na pastelaria e nos serve o café de manhã, ou aquela que nos passou pelas mãos qunado tinhamos uma determinada idade e que nem tem o peito muito bonito, mas têm alguma coisa que nos fazem ficar muito "satisfeitos"... com as motas é semelhante... não é por ser a mais nova, a mais leve, a mais potente, a com mais gadgets que nos enche a barriga... podemos ficar de EGO cheio quando a paramos à porta do café.... mas depois para nos divertirmos... escolhemos outra coisa....

Eu vendi uma BMW R850R e fui buscar uma Suzuki Bandit 650 porque realmente já não me divertia assim tanto a andar de mota...

Acredita se quiseres quando te digo que não trocava a minha Suzuki GSX-R1100 WP com 23 anos por uma GSXR-1000 nova a estrear...

Acredita se quiseres, quando te digo que me iria divertir à força toda se tivesse uma Suzuki Bandit 400, que nenhuma outra moto actual me conseguiria colocar um sorriso nos lábios tão rasgado...

Ou por exemplo uma XT350 para andar a lavrar sem dó nem piedade...

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#9

Because it's faster bro...


A grande vantagem é que finalmente podias responder à pergunta mais irritante de sempre..


Mota bonita, isso é o quê? Uma mil?
Responder
#10

De puderes juntar o EGO à BARRIGA CHEIA tanto melhor...com a 848 sinto-me assim, o que não quer dizer que daqui a uns tempos as coisas não mudem...até porque anda por aí uma bicilindrica a fazer-me comichão (já lhe fiz um test ride e sei do que falo) bigsmile
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)