Qual a melhor opção em 2018 nos 250cc, para uso diario e possível estafeta?
#21

(15-03-2018 às 22:11)Aparício Escreveu:  Acerca da V-strom do que pude ler... A falta de arranque compensa-se no conforto, facilidade de adaptação e consumos... o meu maior receio seria a sua vida útil principalmente quando comparado com outras ofertas da mesma gama e o seu investimento inicial.

Por exemplo BiCilindrica é uma mais valia quando se pensa no desgaste do motor, ou só maior despesas de manutenção?

Se for um bom motor, não vai dar problemas e a manutenção é mais baixa que um 3, 4 ou 5 cilindros ( e fico por 5, não deves estar a pensar em comprar uma valkyrie ) . Se for um mau motor... vai ser f0da...

Antes que alguém diga algo, deixo já expressa a minha opinião aos recém-chegados:
[Imagem: XFq18Qb.jpg]
Responder
#22

Desde já obrigado a todos os intervenientes
Responder
#23

Aparício men!

O problema da longevidade de um motor não está na sua configuração, mas sim no uso que lhe vais dar.
Um motor dessa cilindrada vive confortavelmente bem até aos 80000km, o que significará uns 8 anos de vida se trabalhares como estafeta.
Mesmo assim tens que o cuidar muito as acelerações, os regimes de rotação que usas, arranques a frio e outras torturas que se podem fazer.
O meu pai teve uma CB500 que encostou aos 120000km porque a pobre já comia mais óleo que gasolina, isolada velas e pintava o sete!
Esse motor está agora nas mãos de um mecânico para reparar e posso te dizer que segmentos, pistões e cilindros vai levar sem qualquer margem de dúvida.

O que tu realmente procuras não existe.
Mas existe um modelo que encaixa no teu perfil quase na perfeição.
Tu, pelo que percebi, tens que te mover pela cidade para fazer o teu trabalho, para além de que, nos tempos livres curtia a ganhar uns cobres por fora.
Sendo assim querias uma mota que fosse leve, fácil de conduzir, fiável e capaz de alguma aventura esporádica fora da cidade.
Já vi que o teu estilo é o trail e que sonhas com umas latas de aluminio luzidias na traseira do animal.
A mota que eu te vou aconselhar é fiável, fácil de conduzir e a mais económica em consumos. Tao económica que, pode chegar a rivalizar com as 250 aquí faladas. Além do mais tem uma lista de acessórios interminável, com malas, top cases, ferros, tomadas de isqueiro e até bonecas insufláveis pá!
O único inconveniente é que terás que pagar o IUC por ano, que provavelmente não será do teu agrado.
Queres saber realmente qual é essa mota!?

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#24

(15-03-2018 às 22:26)LoneRider Escreveu:  Aparício men!

O problema da longevidade de um motor não está na sua configuração, mas sim no uso que lhe vais dar.
Um motor dessa cilindrada vive confortavelmente bem até aos 80000km, o que significará uns 8 anos de vida se trabalhares como estafeta.
Mesmo assim tens que o cuidar muito as acelerações, os regimes de rotação que usas, arranques a frio e outras torturas que se podem fazer.
O meu pai teve uma CB500 que encostou aos 120000km porque a pobre já comia mais óleo que gasolina, isolada velas e pintava o sete!
Esse motor está agora nas mãos de um mecânico para reparar e posso te dizer que segmentos, pistões e cilindros vai levar sem qualquer margem de dúvida.

O que tu realmente procuras não existe.
Mas existe um modelo que encaixa no teu perfil quase  na perfeição.
Tu, pelo que percebi, tens que te mover pela cidade para fazer o teu trabalho, para além de que, nos tempos livres curtia a ganhar uns cobres por fora.
Sendo assim querias uma mota que fosse leve, fácil de conduzir, fiável e capaz de alguma aventura esporádica fora da cidade.
Já vi que o teu estilo é o trail e que sonhas com umas latas de aluminio luzidias na traseira do animal.
A mota que eu te vou aconselhar é fiável, fácil de conduzir e a mais económica em consumos.  Tao económica que, pode chegar a rivalizar com as 250 aquí faladas. Além do mais tem uma lista de acessórios interminável, com malas, top cases, ferros, tomadas de isqueiro e até bonecas insufláveis pá!
O único inconveniente é que terás que pagar o IUC por ano, que provavelmente não será do teu agrado.
Queres saber realmente qual é essa mota!?

Vem aí mrda...

Antes que alguém diga algo, deixo já expressa a minha opinião aos recém-chegados:
[Imagem: XFq18Qb.jpg]
Responder
#25

Hahahaha,

Sim queria mais que uma mera citadina, sem duvida, mas não estando habituado a conduzir e sabendo que não tenho paciência para levar carro a inspecções estar agora com o dobro do trabalho para a mota... é chato.

Não quero mesmo por de parte a evolução de cilindrada, mas como para já, seria experimental... acabei por o fazer.

Mas chutem a vossas opiniões, quando pergunto é porque quero ouvir.
Responder
#26

(15-03-2018 às 22:29)YontikoBT Escreveu:  
(15-03-2018 às 22:26)LoneRider Escreveu:  Aparício men!

O problema da longevidade de um motor não está na sua configuração, mas sim no uso que lhe vais dar.
Um motor dessa cilindrada vive confortavelmente bem até aos 80000km, o que significará uns 8 anos de vida se trabalhares como estafeta.
Mesmo assim tens que o cuidar muito as acelerações, os regimes de rotação que usas, arranques a frio e outras torturas que se podem fazer.
O meu pai teve uma CB500 que encostou aos 120000km porque a pobre já comia mais óleo que gasolina, isolada velas e pintava o sete!
Esse motor está agora nas mãos de um mecânico para reparar e posso te dizer que segmentos, pistões e cilindros vai levar sem qualquer margem de dúvida.

O que tu realmente procuras não existe.
Mas existe um modelo que encaixa no teu perfil quase  na perfeição.
Tu, pelo que percebi, tens que te mover pela cidade para fazer o teu trabalho, para além de que, nos tempos livres curtia a ganhar uns cobres por fora.
Sendo assim querias uma mota que fosse leve, fácil de conduzir, fiável e capaz de alguma aventura esporádica fora da cidade.
Já vi que o teu estilo é o trail e que sonhas com umas latas de aluminio luzidias na traseira do animal.
A mota que eu te vou aconselhar é fiável, fácil de conduzir e a mais económica em consumos.  Tao económica que, pode chegar a rivalizar com as 250 aquí faladas. Além do mais tem uma lista de acessórios interminável, com malas, top cases, ferros, tomadas de isqueiro e até bonecas insufláveis pá!
O único inconveniente é que terás que pagar o IUC por ano, que provavelmente não será do teu agrado.
Queres saber realmente qual é essa mota!?

Vem aí mrda...

Claramente é aquela cujo nome já foi em tempos sacrilégio pronunciar por aqui...
Responder
#27

(15-03-2018 às 22:39)luisnogueira Escreveu:  
(15-03-2018 às 22:29)YontikoBT Escreveu:  
(15-03-2018 às 22:26)LoneRider Escreveu:  Aparício men!

O problema da longevidade de um motor não está na sua configuração, mas sim no uso que lhe vais dar.
Um motor dessa cilindrada vive confortavelmente bem até aos 80000km, o que significará uns 8 anos de vida se trabalhares como estafeta.
Mesmo assim tens que o cuidar muito as acelerações, os regimes de rotação que usas, arranques a frio e outras torturas que se podem fazer.
O meu pai teve uma CB500 que encostou aos 120000km porque a pobre já comia mais óleo que gasolina, isolada velas e pintava o sete!
Esse motor está agora nas mãos de um mecânico para reparar e posso te dizer que segmentos, pistões e cilindros vai levar sem qualquer margem de dúvida.

O que tu realmente procuras não existe.
Mas existe um modelo que encaixa no teu perfil quase  na perfeição.
Tu, pelo que percebi, tens que te mover pela cidade para fazer o teu trabalho, para além de que, nos tempos livres curtia a ganhar uns cobres por fora.
Sendo assim querias uma mota que fosse leve, fácil de conduzir, fiável e capaz de alguma aventura esporádica fora da cidade.
Já vi que o teu estilo é o trail e que sonhas com umas latas de aluminio luzidias na traseira do animal.
A mota que eu te vou aconselhar é fiável, fácil de conduzir e a mais económica em consumos.  Tao económica que, pode chegar a rivalizar com as 250 aquí faladas. Além do mais tem uma lista de acessórios interminável, com malas, top cases, ferros, tomadas de isqueiro e até bonecas insufláveis pá!
O único inconveniente é que terás que pagar o IUC por ano, que provavelmente não será do teu agrado.
Queres saber realmente qual é essa mota!?

Vem aí mrda...

Claramente é aquela cujo nome já foi em tempos sacrilégio pronunciar por aqui...

Mas é que não tenham dúvidas.
Uma NC encaixava muito bem no teu perfil Aparício.
Não a perdas de vista!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#28

Pois ja me foi aconselhada varias vezes... essa e a irmãzinha CB500X.

Pendia mais para a 500x
Responder
#29

(15-03-2018 às 22:43)LoneRider Escreveu:  
(15-03-2018 às 22:39)luisnogueira Escreveu:  
(15-03-2018 às 22:29)YontikoBT Escreveu:  Vem aí mrda...

Claramente é aquela cujo nome já foi em tempos sacrilégio pronunciar por aqui...

Mas é que não tenham dúvidas.
Uma NC encaixava muito bem no teu perfil Aparício.
Não a perdas de vista!

Não lhe sugeri a NC por causa do IUC que pelos visto era um factor para ele aparentemente importante. Coloquei-lhe a TRK (que deu direito a porrada na mesma). Com um IUC mais barato, mas ainda assim no dia a dia certamente com um consumo superior. Quanto a fiabilidade e durabilidade, certamente que a NC ganha!
Responder
#30

(15-03-2018 às 22:36)Aparício Escreveu:  Hahahaha,

Sim queria mais que uma mera citadina, sem duvida, mas não estando habituado a conduzir e sabendo que não tenho paciência para levar carro a inspecções estar agora com o dobro do trabalho para a mota... é chato.

Não quero mesmo por de parte a evolução de cilindrada, mas como para já, seria experimental... acabei por o fazer.

Mas chutem a vossas opiniões, quando pergunto é porque quero ouvir.

Uma vez que o tópico já descambou ( uma NC... pata que pariu isto... ) , queria apenas lembrar-te duma coisa: as inspeções ás motos ainda não existem, não se sabe quando vão existir e nem sequer se sabe se vão realmente existir e em que moldes vão, se chegarem a esse ponto, existir. Ou seja, estares a apostar numa 250cc porque te safas ás inspeções, pode não ser uma boa politica ( só um minuto, vou ali ao wc dar 2 peidos e lavar as mãos, que é o que faço sempre que escrevo a palavra "politica"... ora mrda, já tenho que dar 4 peidos e lavar as mãos 2 vezes )...



















... já voltei... ora, estava a dizer que optar por uma moto de cilindrada mais baixa com "medo" das inspeções pode não se revelar boa politi... já ia a sair outra vez... boa escolha. Um dia em que, eventualmente, as inspeções existam podem não ser como já foram muitas vezes anunciadas e podem muito bem vir a englobar as 250cc, ou até mesmo TODAS as cilindradas.

Sei que estás agora a começar e que não te deves aventurar em cilindradas altas ( eu comprei logo uma R6, mas eu sou parvo ) , mas pondera bem a escolha em função da utilização que vais dar á moto e não em função de decisões de pategos da assembleia ( e agora vou dar mais 2 peidos e lavar outra vez as mãos... ).

Antes que alguém diga algo, deixo já expressa a minha opinião aos recém-chegados:
[Imagem: XFq18Qb.jpg]
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)