Primeira Moto
#41

Buzz, pá... calma. Ninguém contestou as "ajudas" electrónicas numa mota. Mas escolher uma moto tendo apenas por base a possibilidade de a "castrar", não deixa de ser algo redutor.

Pensa que o melhor "limitador" de potência, és tu... e nunca a moto. A moto não sabe a experiência que tens e não lê as condições da estrada, do clima ou do trânsito a cada momento. smile
Responder
#42

(02-10-2020 às 15:38)carlos-kb Escreveu:  Buzz, pá... calma. Ninguém contestou as "ajudas" electrónicas numa mota. Mas escolher uma moto tendo apenas por base a possibilidade de a "castrar", não deixa de ser algo redutor.

Pensa que o melhor "limitador" de potência, és tu... e nunca a moto. A moto não sabe a experiência que tens e não lê as condições da estrada, do clima ou do trânsito a cada momento. smile

Bastante calmo, como tinha dito a escolha nunca passaria pelo facto de ter essa opção, mas por também ter.

Queria uma mota para me durar uns valentes anos, e como certamente não terei possibilidade de trocar tão cedo, visto que o mercado dos usados por cá é ridículo, e no fundo estaria a apostar em future-proofing .

Coloquei a questão de se seria uma mota adequada para um iniciante caso alguém tivesse tido essa experiencia ou conhece alguém que passou pelo mesmo.
Responder
#43

Buzzed, e quando é que é aquele momento certo em que vais decidir que estás pronto para carregar naquele botãozinho que alterna o modo da mota?

A minha opinião é que estas a pensar demasiado no assunto mas a fazer muito pouco. Ainda tens muitos modelos (e até segmentos) em cima da mesa entre os quais estás confuso e estás a colocar a ti próprio dúvidas e questões que talvez não sejam as mais relevantes (como essa do "corte de potência").

Faz o básico: foca-te num par de modelos, tenta experimentá-los e escolhe a mota que mais gostares. Não é necessário fazer um estudo de mercado elaborado durante não sei quantos meses para chegar a um bom resultado.

Espero que daqui a outros 3 meses já não estejas a pensar qual a mota certa para ti, e que muito em breve coloques aqui umas fotos a apresentar a burra que finalmente compraste.

V
Responder
#44

(02-10-2020 às 15:47)buzzed90 Escreveu:  como tinha dito a escolha nunca passaria pelo facto de ter essa opção, mas por também ter.
Não sei se os modos de condução (presumindo que estás efectivamente a falar disso), na Z900, retiram cerca de "metade" da potência, entre o modo mais "desportivo" e o modo mais "light", como referes. Por norma o que é usual é teres um modo "rain", adequado a situações de piso molhado e escorregadio, que para além de efectivamente limitar a potência pico, faz uma entrega da mesma de uma forma mais linear e suave e aumenta a sensibilidade do controlo de tracção (caso a moto o tenha também). Se chega a valores de 50% da potência máxima, desconheço (mas também acho que não).

Agora pensa sobretudo que os modos de condução não estão pensados nem concebidos para se adequarem à experiência de cada um, mas sim para possibilitarem uma experiência de condução mais apta a diferentes condições, para o mesmo utilizador.

Por outro lado, para encartados há menos tempo ou condutores de idades mais "tenras", existem sim as versões limitadas de determinados modelos, adequadas ao respectivo escalonamento das sub-categorias das carta de condução. Mas pensa também que não é por a moto ter por exemplo, 48cv (35kw) ao invés de 80cv, que salvaguarda o condutor do que quer que seja. Até porque neste caso a limitação, na prática, acaba quase por se cingir a um top speed menor, derivado de cortar a rotação a partir de dado regime.

Há alguns modelos limitados que permitem depois a respectiva deslimitação. Se tens esse receio "da potência" desmesurada ou de não conseguires controlar a mesma (o que na prática depois verificarás que não é assim), via mais lógica ser por aqui que deverias seguir.
Pensa que mesmo com uma categoria superior averbada na carta, nada te impede de optar por uma versão limitada para categorias inferiores e deslimitares à posteriori (caso possível).

(02-10-2020 às 15:47)buzzed90 Escreveu:  Queria uma mota para me durar uns valentes anos, e como certamente não terei possibilidade de trocar tão cedo, visto que o mercado dos usados por cá é ridículo, e no fundo estaria a apostar em future-proofing .

Cuidado com isso de "mota para muito tempo". A não ser que sejas o 7Pires, à medida que evoluis e juntas dinheiro, começas sempre a achar que queres algo mais, melhor, mais bonito, mais tecnológico, mais potente e mais performante.
Uma moto pode ficar obsoleta aos olhos e experiência do seu utilizador em pouco tempo. Compra a mota que queres e podes, para agora... que quando quiseres e puderes novamente, irás querer outra. Acredita!

(02-10-2020 às 15:47)buzzed90 Escreveu:  Coloquei a questão de se seria uma mota adequada para um iniciante caso alguém tivesse tido essa experiencia ou conhece alguém que passou pelo mesmo.

Isso de motas para iniciantes pode ser altamente relativo e subjectivo. São muitas as variáveis.
Mesmo neste forúm, há pessoal que começou logo "por cima" (sem passar pela escola das 125, 250, 600, 1000, etc.) e não foi por isso que se deu mal. Tens o exemplo do Zé (n00b1e) que a primeira mota que foi buscar foi uma 1000. Vai da consciência e aptidão de cada um.

[Imagem: zX4Kq81.png]

Responder
#45

Para cortar potência nada melhor que:

[Imagem: 1080x450.jpg]
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)