Primeira mota (500cc até 750cc) até 2500€
#1

Boas pessoal

Fiz agora a minha apresentação. Tirei a carta há duas semanas e como é de esperar estou a pensar em comprar uma mota smile

A primeira questão que tenho é a seguinte e não sei se faz sentido, mas quem já tem experiência a comprar e vender motos usadas deve saber responder:

O preço das motas usadas tem tendência a subir ou descer, ou é mais fácil negociar dependendo da altura do ano? Por exemplo, talvez na primavera, como apetece mais andar, o pessoal quer comprar mota nova, e vende a antiga mais barata. Não sei se isto faz sentido.

Aparte disso...

Ando muito indeciso. O tipo de mota que eu mais gosto é o estilo aventura com dois cilindros, mas são um bocado caras. Para mim a mota tem de ter vidro à frente e ter uma posição de condução confortável.
Então pondero estilos semelhantes, de 2 ou 4 cilindros. Sendo que dou importância a uma mota fiável e económica.

Bem, dentro das minhas possibilidades, ando inclinado para a yamaha fazer 600 de 1998 até 2001.

Quem tiver ou já tenha tido uma destas pode dar-me a sua opinião?

Muito obrigado desde já,

Cumprimentos
Responder
#2

Fazer 600!?

Isso não vale nadinha pá!
Até deita fumo pelo escape e tudo!!!


Agora a sério.

100cv é muita xicha!
Eu não sou tu, mas talvez ficasse mais bem servido com uma XJ Diversión!
Ou uma CBF....
Ou uma Bandit....
Ou uma.....




























CB500!

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#3

A Fazer 600 que referes foi a minha primeira mota e não me arrependo nada. Moto muito boa, fácil de conduzir, com boa disponibilidade em baixas mas que se controla bem, bom veneno a cima das 8k, económica quanto basta, proteção razoável, etc etc.

Os 95cv (e não 100cv blink) são já uma dose considerável, mas se tiveres cabeça nada de mal. Podes ir para algo mais pacato é verdade, mas se tiveres cabeça não é um bicho papão.
Responder
#4

Eu vou na 2a, e o user Veríssimo comprou uma agora também.
Fora o peso, que podia ser menos (atenção que também não é assim tão pesada), não tenho razões de queixa.
Não é excelente em nada mas faz tudo bem. Tanto filtrar no meio do trânsito, como andar a 200kmh*, como fazer viagens, não se queixa. A protecção aerodinâmica dá algum jeito, digo eu que até gosto de nakeds e costumava ter uma cb500.

Tem consumos relativamente baixos. Com a minha primeira, uma de 98, fazia 5.5L/100. Com a actual, de 2001 salvo erro (e já com filtro de ar e escape alterados) faz médias para cima de 7, mas também ando bem mais rápido. Como em qualquer uma, depende do punho.

Dito isto, se achares que não tens cabeça para os 95cv dela, aconselhava algo com metade dos cavalos, tipo uma cbf500. Que já anda bem, gasta menos, é mais leve, paga menos iuc.. (19€ vs 57€ da fazer)  smile


*Em circuito fechado, obviamente!  angel
Responder
#5

Atenção, como ex-proprietário de uma CBF500, cuidado que ela pode não gastar significativamente menos que a FZ6 ou a CBF600. Especialmente a velocidades maiores, onde a ausência de proteção aerodinâmica dispara o atrito. A grande vantagem da CBF500 é o facto de ser muito fiável, manutenção barata e fácil, IUC baixo e muito ágil e fácil de guiar. Em cidade ou mesmo em estradas de serra, comporta-se lindamente, sendo aí o seu terreno de eleição. Agora, em autoestrada, sofre-se e bem, especialmente se for para fazer mais de 20 ou 30km. Mas acho que cumpre muito bem como primeira mota e isto tudo não me impediu de guardar excelentes memórias e de, entre outras coisas, ter chegado a fazer praticamente 1700km em dois dias com ela (970 no segundo), menos de 400 dos quais em autoestrada. cool
Responder
#6

Boas pessoal!

Obrigado pelas respostas smile

A questão dos cavalos não é um problema, eu sou responsável e prefiro comprar uma mota que me satisfaça durante bastante tempo.

Estive a ver mais motas e começo a pensar se não vale a pena dar mais um bocadinho e comprar uma coisa mais recente e melhor.

Dêm-me a vossa opinião, por favor, em relação a estas duas motas:

http://www.custojusto.pt/porto/motos/yam...0-24647042

http://www.custojusto.pt/leiria/motos/ka...0-24532667

A questão é se vale a pena dar mais 1500€ pela versys tendo em conta que ela já tem 60.000 kms. Eu adoro a versys, é o meu tipo de mota preferido. Mas se calhar vai desvalorizar muito por causa dos kms.

Mais uma vez, muito obrigado.
Cumprimentos
Responder
#7

Os 60.000 kms da Versys não chegariam para afastar o interesse na mota . Parece estar cuidada e o proprietário investiu nela muitos 'mimos' , o que significa estima e interesse em que a mota estivesse 'nos trinques' para dela usufruir . 

Ainda há bem pouco tempo o carlos-kb  ('prata da casa' )  vendeu a sua máquina com mais kms que esta e 'punha as mãos no lume' em como estaria bem melhor mantida que a maioria de outros iguais modelos menos rodados.
Responder
#8

Fernando, se pensas em comprar uma mota para ficar com ela um tempo, porque estás a pensar no que vai desvalorizar!?

Ela vai desvalorizar de todas as maneiras, tenha 60000 ou 600000km!

Estética à parte, que isso são coisas do foro pessoal, a Kawasaki é uma mota muito fiável e, pelo que nas foro aparenta estar nem cuidada.

A FZ é muito mais espevitada e se estiver bem tens mota para muitos km e com sorte, quando a venderes talvez ainda te dêem alguma coisa por ela. devil

Se o teu gosto é o faz de conta, o repolho (kawasaki) é uma excelente proposta para o dia a dia.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#9

A minha ex-fazer já contava com 91.000kms, a minha ex-R1 já vai para cima desse número e tanto uma como outra tinham e têm motor para muitos mais kms, desde que sejam bem mantidas as motas são bem mais duráveis do que podes esperar. Por vezes paradas ficam com menor saúde que sendo bem usadas.

Das que colocaste acima a fazer está algo cara, no entanto o repolho parece estar bem estimado.
Responder
#10

Concordo com o que já disseram.
O repolho parece bem estimado e não me parece que esteja cara, sobretudo considerando os extras todos que traz.
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)