Primeira mota 250cc
#11

(24-09-2017 às 16:59)luisnogueira Escreveu:  Claro que seguro tens sempre de fazer. Quanto aos 385€ que falas, era comprada nova, certo? Isso seria isv, matricula,etc,etc. Que acontece quando se compra uma mota nova. Mas só é pago quando é matriculada. Quando há mudança de proprietário é basicamente o mudança de titular e mais nada.

Sim era nova, então so tenho que pagar os 65€ e o seguro? Não há impostos ou isso?

Muito obrigado desde já pela ajuda bigsmile  (e paciência ahah)
Responder
#12

(24-09-2017 às 17:19)Eduardo Escreveu:  
(24-09-2017 às 16:59)luisnogueira Escreveu:  Claro que seguro tens sempre de fazer. Quanto aos 385€ que falas, era comprada nova, certo? Isso seria isv, matricula,etc,etc. Que acontece quando se compra uma mota nova. Mas só é pago quando é matriculada. Quando há mudança de proprietário é basicamente o mudança de titular e mais nada.

Sim era nova, então so tenho que pagar os 65€ e o seguro? Não há impostos ou isso?

Muito obrigado desde já pela ajuda bigsmile  (e paciência ahah)

Os impostos já foram pagos com o veículo novo. Num usado, só tens que pagar 65€ pela transferência de propriedade num qualquer balcão do IRN, tu e o vendedor levam os cartões do cidadão e, entre 8 a 15 dias depois, tens o novo DUA em casa. O seguro, claro que tens que o fazer, mas isso também terias que fazer com a nova. Quando fechares o negócio, contactas a tua seguradora e pedes para fazer um seguro para a mota em questão (basta dar a matrícula blink ) a começar no dia em que a vais buscar.

Quanto aos km, muitos km não querem dizer nada e poucos idem. Vê lá se não ouves coisas como eu, uma vez, que fui ver uma mota com 12 anos e 22.000km e o dono me disse que só tinha feito ainda uma revisão. O_O Imagino o estado de um motor que trocou o óleo uma vez em 12 anos. blink

BTW, a propósito de poucos km:

Responder
#13

(24-09-2017 às 21:53)quatropiscas Escreveu:  
(24-09-2017 às 17:19)Eduardo Escreveu:  
(24-09-2017 às 16:59)luisnogueira Escreveu:  Claro que seguro tens sempre de fazer. Quanto aos 385€ que falas, era comprada nova, certo? Isso seria isv, matricula,etc,etc. Que acontece quando se compra uma mota nova. Mas só é pago quando é matriculada. Quando há mudança de proprietário é basicamente o mudança de titular e mais nada.

Sim era nova, então so tenho que pagar os 65€ e o seguro? Não há impostos ou isso?

Muito obrigado desde já pela ajuda bigsmile  (e paciência ahah)

Os impostos já foram pagos com o veículo novo. Num usado, só tens que pagar 65€ pela transferência de propriedade num qualquer balcão do IRN, tu e o vendedor levam os cartões do cidadão e, entre 8 a 15 dias depois, tens o novo DUA em casa. O seguro, claro que tens que o fazer, mas isso também terias que fazer com a nova. Quando fechares o negócio, contactas a tua seguradora e pedes para fazer um seguro para a mota em questão (basta dar a matrícula blink ) a começar no dia em que a vais buscar.

Quanto aos km, muitos km não querem dizer nada e poucos idem. Vê lá se não ouves coisas como eu, uma vez, que fui ver uma mota com 12 anos e 22.000km e o dono me disse que só tinha feito ainda uma revisão.  O_O  Imagino o estado de um motor que trocou o óleo uma vez em 12 anos. blink

Muito obrigado pela informação, pensei que fosse mais complicado, assim posso gastar mais uns trocos em "qualidade e segurança".  tong

A história dos km's diz pouco realmente, o que posso perguntar para fazer um despiste de potenciais "maus tratos" à máquina? Em geral, de quantos em quantos km's vai uma mota à revisão?!

Esse vídeo é assustador! ahah

Obrigado pela atenção  thumbsup smile
Responder
#14

Vais aqui e descarregas o manual da YBR - está lá escrito: https://www.yamaha-motor.eu/pt/servico/m...index.aspx
Responder
#15

CRF250L pá!!!

É melhor em tudo!

Também tens a KLX.

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#16

(26-09-2017 às 13:10)LoneRider Escreveu:  CRF250L pá!!!

É melhor em tudo!

Também tens a KLX.

clap

Agora encontrar à venda é que é complicado.

Mas o pessoal dos correios adora isso por alguma razão.
Responder
#17

Obrigado pelas sugestões, estou mais inclinado para as naked's, a YBR250 e a CBF250 a nível estético, depósito maior, mas realmente estas duas não têm travões de disco traseiros, provavelmente não são tão ágeis, que outras vantagens podem encontrar para a CRF250L e a KLX250S que me pudessem fazer mudar de ideias?!

Por acaso vejo muitas motas dual-sport/motocross em segunda mão, dá para colocar topcase tambem não dá? Não são mais barulhentas que as naked?

E já agora, alguem me consegue dizer quais as motas mais conhecidas de elevada cilindrada (400cc-500cc para cima) que vêm restringidas? Que dão para a carta A2? Já ouvi falar da Hornet, que outras?!
Responder
#18

Eduardo pá!

Agilidade!?

Não existe coisa mais ágil que uma Trail de baixa cilindrada (250/300/350 /400cc).

Os modelos enunciados são os mais modernos, o que implica um ganho enorme em fiabilidade, economia e agilidade face à qualquer outra mota da mesma cilindrada más algo mais veteranas no mercado (tipo cbf e ybr).
Depois está o aspecto versatilidade.
É uma mota que te vai empurrar para o monte, para a aventura. O monte vai clamar pela tua pessoa e a sedução que os pinheiros exercem sobre ti é tal que vais ter pesadelos onde tu te abraças a eles num abraço de urso!

Mas isso tem um lado positivo.
Vais aprender a actuar em pisos instáveis, vais treinar o teu equilíbrio, as inercias e como juntar os ossos partidos a cada queda.
Não só vais aprender a conduzir uma mota, mas também aprendes a orientar-te, mecânica e socorrismo, para além de gritar por socorro bem alto!

Mas quando voltares ao asfalto pá!
Quando voltares ao asfalto o teu cérebro vai detectar e reagir a cada milésima cada escorregadela da mota.
O que antes era imperceptível agora é previsível graças ao treino em terrenos movediços, o que se traduz numa condução segura, rápida e fluida e quase todos os aspectos um patamar por cima de quem nunca fez todo terreno.

O meu conselho sempre é neste sentido, pois o ganho é notório quando subires de cilindrada.

Nestas trail existe uma vasta gama de acessórios, entre os quais o top case para levares os tarecos.

Curte bué e não te esqueças que aqui paga-se o imposto....
Pergunta ao Sofá Surfer que ele explica-te a dinâmica da coisa....

I just don't run with the crowd!

www.loneriderendlessroad.com
Responder
#19

E uma DR...não?

[Imagem: SM4eYt9.png]
Responder
#20

(26-09-2017 às 21:13)LoneRider Escreveu:  Eduardo pá!

Agilidade!?

Não existe coisa mais ágil que uma Trail de baixa cilindrada (250/300/350 /400cc).

Os modelos enunciados são os mais modernos, o que implica um ganho enorme em fiabilidade, economia e agilidade face à qualquer outra mota da mesma cilindrada más algo mais veteranas no mercado (tipo cbf e ybr).
Depois está o aspecto versatilidade.
É uma mota que te vai empurrar para o monte, para a aventura. O monte vai clamar pela tua pessoa e a sedução que os pinheiros exercem sobre ti é tal que vais ter pesadelos onde tu te abraças a eles num abraço de urso!

Mas isso tem um lado positivo.
Vais aprender a actuar em pisos instáveis, vais treinar o teu equilíbrio, as inercias e como juntar os ossos partidos a cada queda.
Não só vais aprender a conduzir uma mota, mas também aprendes a orientar-te, mecânica e socorrismo, para além de gritar por socorro bem alto!

Mas quando voltares ao asfalto pá!
Quando voltares ao asfalto o teu cérebro vai detectar e reagir a cada milésima cada escorregadela da mota.
O que antes era imperceptível agora é previsível graças ao treino em terrenos movediços, o que se traduz numa condução segura, rápida e fluida e quase todos os aspectos um patamar por cima de quem nunca fez todo terreno.

O meu conselho sempre é neste sentido, pois o ganho é notório quando subires de cilindrada.

Nestas trail existe uma vasta gama de acessórios, entre os quais o top case para levares os tarecos.

Curte bué e não te esqueças que aqui paga-se o imposto....
Pergunta ao Sofá Surfer que ele explica-te a dinâmica da coisa....

Muito obrigado pela descrição do que é ter um mota de Trail, foi poético! blink

Quando falei em agilidade estava a dizer que a Yamaha e a Honda não eram de certeza tão ágeis como uma mota de Trail, sendo um ponto contra a Yamaha e a Honda.

Se encontrasse uma CRF250L após o que disseste a um bom preço, não hesitava!

Tenho que falar com o Sofá Surfer, mas penso que percebi o que queres dizer. tong 

Boas curvas!
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)