[Primeira mota] 125 cc ou maior?
#1

Olá amigos... 
Sou novo aqui. Este é um tópico de escolha de primeira mota, mas não é bem... Pode ser também um de mota seguinte, mas não é bem. Passo a explicar !

Estou acabado de chegar a este mundo das motas e a acabar de tirar a carta A2. Tenho 22 anos, conduzo carro desde os 18, mas motas só agora...sempre dei umas voltinhas em scooters de amigos, mas nada de especial. Por diversos motivos de ordem que voces ja imaginam, decidi iniciar me neste mundo. Encontrei um bom negócio e comprei uma KTM Duke 125, e estou maravilhado com ela. Dou umas voltas nela quase todos os dias para treinar (em ambiente fechado  angel), e simplesmente ADORO. Não vejo a hora de poder andar com ela numa base diária...

Mas aqui é que vem o problema... Moro em Oeiras e trabalho na Expo. Ir e voltar todos os dias do trabalho são mais de 60km, quase sempre em auto estrada e tenho medo de 125cc ser curto e não me sentir seguro. De malta que conheco e percebe diz que o ideal seria uma 250cc/300cc. São igualmente boas para começar e sempre tem um bocadinho mais de punho como margem de segurança. 

O que acham? Devo ficar com a Duke 125? É suficiente?

No universo das alternativas, pensei nas inevitáveis Z300, MT-03 e Duke 390. É este estilo que gosto, nakeds, mas sempre aberto a outras sugestões  smile .  São boas para começar ou é um bocadinho too much? O que acham destes modelos, prós e contras?

Sobre esta última e por ser inevitável pensar nela por possuir a irmã mais nova... Será que é muito nervosa para uma pessoa sem experiencia? Comparado as concorrentes encontram-se bons negocios nas usadas (3500-700). Por que será? Alguem sabe?

Obrigado desde já por toda a ajuda.
Um grande abraço  smile
Responder
#2

No dia que sentires verdadeiramente a necessidade... troca.

Ate lá... desfruta blink


Responder
#3

A ideia que eu tenho é que ter uma 125 c.c. é como um gajo ter a 1ª namorada 'a sério' aos 17 anos . Dá para 'desemburrar' , aprender a usar a 'canção do bandido' até conseguir 'dominar o assunto' e fazer as primeiras asneiras de como executar 'o trabalho do artista' censored .
 Depois... há que partir para a nova sensação de 'ficar por baixo'   censored , isto é, ter de novo a sensação que nos temos de esmerar para dominar uma ... 'máquina a sério' . Chegando a este patamar existem vários 'modelos' e 'cilindradas' que nos poderão servir , mas .... a tal '125' já não te aquece nem arrefece , e apenas poderás pensar voltar a ter uma quando tiveres a sensação que gostavas de variar por já teres esgotado o prazer que te dá  'a montada principal' . 

Pera aí rolleyes .... perdi-me no meio desta explicação e já não sei bem do que estava a falar !  angel
Responder
#4

Epa...já que a mota já a tens...vai andando com ela, eu tive um aluno que tem uma Duke125 tb, que faz talvez mais que esses kms por dia com a dele durante toda a semana, faça chuva ou faça sol e está satisfeitissimo com a mota.
Um outro ex aluno meu desde que tirou a A1 até tirar a B fez da cbf125 pau para toda a obra, meteu-lhe logo uns 40.000kms nesses 2 anos e depois passou-a para o pai levar para o trabalho.
Experimenta fazer o percurso na 125 uns tempos e depois logo vês se precisas de mais.

Se há malta que faz essas distâncias com scooters e 125 chinesas, conheço um que mora perto de Almodôvar e trabalha em Lagoa e andou durante um ano com uma 125 chinoca para cobrir as voltas...tu tens uma das melhores 125 do mercado, segundo dizem, essas andam um pouco mais que as outras angel
Responder
#5

Engraçado conseguires manter o contacto com os teus ex alunos.

Eu não faço já puto de ideia de quem foram os meus instrutores, se passar por eles na rua já não os conheço...

Bem ou mal, sempre vi a escola de condução como um meio para atingir um fim, e não deixou nem saudades nem más recordações.


Responder
#6

É a parte boa de ter uma escola num meio mais pequeno, muitos ex alunos manteem contacto comigo, e quase todos me falam e cumprimentam e de alguns criaram-se amizades. existem sempre aqueles que acabam e xau até nunca mais, mas a maioria mantem contacto.
Já trabalhei em escolas em cidades e nota-se muito o distanciamento que as pessoas criam.
Nos meios mais pequenos as pessoas são mais humildes...e volta e meia ganho uns presentes...tipo...a meio de uma aula, o aluno vira-se para mim "Paulo, podemos passar ali na minha horta?"...e voltamos com o carro carregado de legumes...ou uma que me ofereceu uma galinha...viva...deu uma bela cabidela, ou na volta depois do exame o aluno paga-me o almoço...enquanto trabalhei em cidade, nem um café me ofereceram.
Aqui muitos depois veem-me mostrar os carros e as motas que compraram.
Responder
#7

(22-05-2017 às 22:08)vindaloo Escreveu:  Engraçado conseguires manter o contacto com os teus ex alunos.

Eu não faço já puto de ideia de quem foram os meus instrutores, se passar por eles na rua já não os conheço...

Bem ou mal, sempre vi a escola de condução como um meio para atingir um fim, e não deixou nem saudades nem más recordações.

Isso aconteceu contigo porque os instrutores/professores que tiveste também estavam na mesma onda contigo . Foste apenas um para atingir um fim ( salário ao fim do mês) . 
Se tivesses sido meu aluno não dizias isso pá blink ! Já perdi a conta às situações em que me cumprimentam e vêm falar comigo alguns dos ex-alunos que tive e de quem já não consigo reconhecer quando os vejo ! Tinham na altura entre os 13 e os 17 anos e agora já andam nos 'trintas e muitos'  !!  cry   

Vou contar um episódio engraçado a propósito disso que aconteceu há dias . A semana passada mandei um p'ró ca**lho ! 
Estava parado num semáforo e pára um gajo ao lado que abriu o vidro e começou a falar , a falar, virado para mim ! Estava a ouvir música e não entendi ! mandei-o f**er ! Parámos ambos logo a seguir no estacionamento do Intermarché ! O tipo abriu a porta e veio na minha direcção . Eu cá pr'a mim ...."fónix, vai haver merda!" . 
È então que o sujeito se apresentou como tendo sido meu aluno e acabámos a conversa com ele a pagar-me um cafézinho no bar do supermercado !  bigsmile  Era o João Pinto a quem eu uma vez o ensinei a estudar para os testes com a táctica dos '4 L' ! Diz que lhe foi bastante útil para se preparar para os exames da universidade !
Responder
#8

A táctica dos 4L ??? Conta lá isso Luís.

Como falaram, anda com a mota que para ti agora deve ser bem engraçada. Quando já te parecer um brinquedo e que anda pouco, trocas por uma maior. blink
Responder
#9

Se ainda não tivesses mota, eu diria algo com mais motor, mas uma vez que para já estás servido, então usa a mota até te cansares e depois quando precisares mesmo troca. 

"V"
Responder
#10

(22-05-2017 às 23:19)michelfpinto Escreveu:  A táctica dos 4L ??? Conta lá isso Luís.

Como falaram, anda com a mota que para ti agora deve ser bem engraçada. Quando já te parecer um brinquedo e que anda pouco, trocas por uma maior. blink

Michel um dia conto-te mais ao pormenor, mas para não ficares em branco acerca do assunto adianto-te que a táctica dos 4L é um método de estudo que passa por 4 tipos diferentes de Leitura (4L) sobre a matéria a aprender/memorizar ! 
Abraço !
Responder




Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)